Faturamento do polo moveleiro de Bento Gonçalves cresce 5% em 2019

Desempenho do ano passado sinaliza o início de uma recuperação no setor 

O faturamento de Bento Gonçalves encerrou o ano de 2019 em R$ 1,865 bilhão, o que representa um crescimento nominal de 5% em relação a 2018. Os dados da Secretaria da Fazenda compilados pelo setor de inteligência comercial do Sindmóveis mostram que a evolução nominal é o maior registrada nos últimos seis anos, sinalizando o início de uma recuperação no setor.

O polo moveleiro de Bento Gonçalves é responsável por 25% de todo faturamento do estado do Rio Grande do Sul, que foi de R$ 7,6 bilhões no ano passado – um crescimento nominal de 8,9% quando comparado ao ano de 2018.

O Sindmóveis já havia divulgado, em janeiro, o balanço da fatia que corresponde às exportações, com saldo positivo de 10,7% em 2019, na comparação com o ano anterior. As exportações vêm num crescente no polo moveleiro de Bento Gonçalves nos últimos quatro anos, passando de US$ 34 milhões em 2016 para os atuais US$ 47 milhões.

Expectativa para a Movelsul

O presidente do Sindmóveis, Vinicius Benini, pontua que os desafios para 2020 ainda são grandes, mas a expectativa é que seja o melhor ano para a indústria moveleira desde 2013.  “Estamos considerando um crescimento econômico maior neste ano, com destaque elevado nas exportações e importantes eventos do setor que devem aquecer o mercado, como a Movelsul Brasil em Bento Gonçalves”, elenca.

A Movelsul Brasil 2020 vem com 40% de novos expositores e empresas retornando à feira, o que demonstra a inclinação do setor a investimentos para a retomada. A estratégia da Movelsul Brasil para a geração de negócios qualificados inclui a atração de lojistas do segmento de e-commerce e mobiliário corporativo; a diversificação no mix de expositores e a criação de espaços de inspiração dentro da feira.

A feira está em contagem regressiva, com 99% de seus espaços comercializados. A Movelsul Brasil será de 16 a 19 de março de 2020, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Para mais informações acesse www.movelsul.com.br.

Foto: Jeferson Soldi/Sindmóveis 

Polo Moveleiro

Bento Gonçalves recebeu cerca de 1,7 milhão de visitantes em 2019

Dado representa crescimento de 150% em oito anos

Ao longo dos anos, o número de pessoas que buscam Bento Gonçalves como destino tem crescido exponencialmente, sejam atraídas pelas paisagens naturais, gastronomia, vinícolas ou pela hospitalidade. De acordo com levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Turismo com associações ligadas ao setor, somente em 2019, a cidade recebeu 1.694.462 visitantes. O relatório foi apresentado pelo secretário de Turismo, Rodrigo Ferri Parisotto, ao prefeito Guilherme Pasin, na tarde desta terça-feira, 4.

Em oito anos, o número obteve um crescimento de 150%, quando comparado aos 677.890 mil visitantes em 2012. Em relação ao ano anterior, o dado corresponde a um aumento de 12,76%.

O dado é a compilação das visitas nos atrativos urbanos e nas cinco Rotas Turísticas, que equivalem a 57,93% (981.664 visitantes) e 42,07% (712.798) do número total de visitantes, respectivamente.

Dentro dos 42,07%, a rota Vale dos Vinhedos somou a maior visitação, representando 26,13%, seguido por Caminhos de Pedra (6,93%), Vale do Rio das Antas (5,69%), e Encantos de Eulália e Cantinas Históricas (3,32%).

Outro dado que apresentou crescimento foi o de taxa de permanência, que passou de 2,02 diárias em 2018 para 2,91 diárias no ano passado. O período procurado é principalmente nos finais de semana, iniciando nas sextas com saídas aos domingos.

“O fato de haver aumento no tempo de permanência no destino impacta diretamente o número de visitantes, o que é reflexo dos números do ano passado. Quanto mais motivarmos os turistas a passarem mais tempo em Bento Gonçalves, melhor será o resultado nas taxas de visitação”, explica Parisotto.

No passado, Bento foi reconhecida com o prêmio MAKCi (Most Admired Knowledge City), como uma das quatro cidades mais admiradas do mundo. Também, foram vencedoras Barcelona, Porto Rico e Vancouver (Canadá).

O prefeito Guilherme Pasin comemorou os resultados. “Esses dados são frutos de um trabalho que está sendo realizado pela Administração Municipal. Nossa cidade se consagra como destino turístico no cenário nacional. Isso é reflexo do fomento e incentivo ao turismo, que é um dos nossos grandes motores do desenvolvimento econômico”, ressalta.

Perfil do visitante

De acordo com o relatório, em 2019, foram mais de 19 mil atendimentos nas Centrais de Atendimento do Turista (CAT’s).  Destes, 44,76% são turistas provenientes do Rio Grande do Sul (RS), 15,55% de São Paulo (SP) e 9,59% de Santa Catarina (SC). Na sequência, visitantes do Paraná (PR) representam 5,74%, Rio de Janeiro (RJ) 5,37%, Minas Gerais (MG) 4,24%, Distrito Federal (DF) 1,56% e demais estados 13,19%.

Famílias e casal com filhos somaram o maior percentual de visitação, totalizando 47%, seguido por casal sem filhos 31%, entre amigos 19%, pessoas que viajaram sozinhas 1% e 2% que não quiseram informar.

Quando questionados sobre o canal pelo qual buscaram informações sobre a cidade, 31% já conheciam, 23,80% pela indicação de amigos, 8,59% pelo Portal do Turismo, 7,80% pelo Instagram, 7,58% pelo Facebook, 2,85% pela televisão e demais meios de comunicação, 18,09%.

Portal do Turismo

Outro dado que apresentou crescimento foi o acesso ao portal online (www.bento.tur.br), relacionado à busca por informações sobre Bento. O número de usuários que acessaram o site chegou a 155.541 pessoas, correspondendo a um aumento de 51,90% quando comparado a 2018.

A plataforma conta com um guia da Programação Diária – onde o visitante pode consultar tudo o que está acontecendo na cidade -, notícias, informações sobre os roteiros e atrativos turísticos, além de opções de hospedagem, alimentação e lazer. Outro diferencial é que a plataforma está disponível em todos os idiomas do mundo e disponibiliza um sistema de cadastro de push, no qual todo usuário que aceitar o cadastro receberá notificações das atualizações de Bento Gonçalves.

Os países que mais acessaram foram Brasil, Estados Unidos e Japão. Os estados brasileiros que buscaram mais informações seguem a mesma ordem dos visitantes, em primeiro lugar RS, seguido por SP, SC, PR, RJ, MG e DF.

A forma de acesso foi de 64,04% por meio de dispositivos móveis e 35,96% através de computadores.

Foto: Emanuele Nicola 

Pasin e Parisotto

Cinema de Rua irá exibir o filme Vickie e o Tesouro dos Deuses

Evento passará por seis bairros de Bento Gonçalves

O projeto Cinema de Rua levará a sétima arte para diferentes regiões de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, entre os dias 11 de fevereiro e 11 de março. O filme Vickie e o Tesouro dos Deuses irá passar em seis bairros – Fenavinho, Fátima, São Bento, São Roque, Eucaliptos e Vale dos Vinhedos – no intuito de promover o acesso de bens culturais à população. O projeto tem entrada gratuita e classificação etária livre. Mais informações no Sesc (Rua General Cândido da Costa, 88), pelo telefone (54) 3454-5211, no site www.sesc-rs.com.br/bento_goncalves ou pela página www.facebook.com/sescbentogoncalves.

O filme foi produzido em 2011 na Alemanha e trata sobre a expectativa que o pai Halvar tem sobre o seu filho Vickie se tornar um viking. Mas quando Sven, o Terrível, sequestra o chefe da aldeia Flake, Vickie tem sua grande chance. Como comandante interino, ele lidera um grupo de valentes vikings até o castelo de Sven, onde Halvar é aprisionado. Cruzam oceanos enfurecidos, praias tropicais e perigosas planícies congeladas em busca do lendário Tesouro dos Deuses antes que Sven, o Terrível, o alcance. O Cinema de Rua é uma realização da Secretaria Municipal de Cultura e do Sistema Fecomércio-RS/Sesc. Em caso de más condições climáticas, a sessão pode ser cancelada.

Sobre o Arte Sesc – Cultura por toda parte – Criado pelo Sistema Fecomércio-RS em 2007, o programa reúne todas as atividades culturais desenvolvidas pelo Sesc no Rio Grande do Sul, entre teatro, música, artes plásticas, literatura e cinema. Além de promover uma intensa troca de experiências e ampliar o acesso à produção artística, o Arte Sesc busca ser reconhecido como promotor de ações culturais no Estado, sendo elas não só apresentações artísticas, mas também de caráter formativo e educacional, orientadas por três eixos: transversalidade, diversidade e acessibilidade.

Cinema de Rua em Bento Gonçalves

Data: 11/02 a 11/03

Horário: Todas as sessões às 20h

Ingressos: Entrada gratuita

 

Programação:

11/02 (Terça-feira)

Bairro: Fenavinho

Horário: 20h

 

13/02 (Quinta-feira)

Bairro: Fátima

Horário: 20h

 

18/02 (Terça-feira)

Bairro: São Bento

Horário: 20h

 

20/02 (Quinta-feira)

Bairro: São Roque

Horário: 20h
27/02 (Quinta-feira)

Bairro: Eucaliptos

Horário: 20h

 

11/03 (Quarta-feira)

Bairro: Vale dos Vinhedos

Horário: 20h

Campanha contra o Sarampo inicia na próxima semana

O Ministério da Saúde, juntamente às Secretarias Estadual e Municipal da Saúde, inicia na próxima segunda-feira, dia 10, a Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo com foco em crianças a partir dos 5 anos até jovens de 19 anos.

A estratégia de vacinação ocorrerá em duas etapas: de 10 de fevereiro a 10 de março será realizada a vacinação das crianças de 5 a 19 anos de idade, apenas na Unidade Básica de Saúde (UBS) Central de Garibaldi, das 8h às 16h. O dia D, de mobilização nacional para as crianças e jovens adultos, será no dia 15 de fevereiro, sábado.

A segunda etapa será no mês de agosto, entre os dias 3 e 31, em que serão imunizados jovens adultos, na faixa etária de 30 a 59 anos de idade. O Dia D para os adultos será 22 de agosto.

O objetivo da campanha é resgatar as pessoas de 5 a 19 anos ainda não vacinadas ou com esquema incompleto para o sarampo. É uma campanha seletiva, a partir da avaliação da carteira de vacinas.

“É imprescindível que as crianças e os adultos compareçam com as carteiras de vacinação, pois somente aquelas não vacinadas receberão a dose durante campanha”, explica a coordenadora da Epidemiologia da UBS Central de Garibaldi, Rachel Bombardelli.

Em Garibaldi as doses vão estar disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde, não há uma meta estabelecida, visto que a vacinação é somente para quem não está com a carteira atualizada. Existem 6.123 crianças e jovens nesta faixa etária. Durante o período, as equipes de saúde também vão realizar uma avaliação do cartão vacinal.

No Rio Grande do Sul, um em cada quatro casos de sarampo registrados foram de pacientes dentro dessa faixa etária. Desde agosto do ano passado, 82 casos da doença foram confirmados no Estado.

Qualquer dúvida sobre a manutenção das vacinas, em todas as faixas etárias, pode ser esclarecida junto às UBSs, ou pelo telefone (54) 3462-8138.

Cronograma para o dia D em 15 de fevereiro

Posto de Saúde Central – das 7h30 às 17h
Posto de Saúde São Francisco – das 7h30 às 11h30
Posto de Saúde Chácaras/Vale dos Pinheiros – das 7h30 às 11h30
Posto de Saúde Santa Terezinha – das 7h30 às 11h30
Posto de Saúde Fenachamp – das 7h30 às 11h30

Exposição no MIS-SP traz desenhos, aquarelas e retratos inéditos de Hilda Hilst

‘Revelando Hilda Hilst’ exibe registros da autora feitos pelos fotógrafos Fernando Lemos, Gal Oppido, Edu Simões e Eder Chiodetto 

Aos 21 anos, Jurandy Valença embarcou num ônibus em Maceió com destino a São Paulo. Queria conhecer Hilda Hilst (1930-2004), escritora, poeta e dramaturga que ele lia desde os 17 anos. Valença sonhava ser, para Hilda, o que Samuel Beckett fora para James Joyce – lendo uma biografia de Joyce, ele soube que, antes de esperar Godot, Beckett foi secretário do autor de “Ulisses”.

Valença descobriu o telefone de Hilda, exilada desde os anos 1960 na Casa do Sol, em Campinas, para se dedicar à literatura. Ligou para lá de um orelhão. Após três tentativas, Hilda atendeu e acabou convidando-o para visitá-la. Os dois ficaram amigos até que, em março de 1991, Hilda perguntou se Valença não queria morar com ela, ser seu assistente, seu Beckett.

— Ela falou: “Ju, quero te oferecer casa, comida e tempo. Só não posso dar dinheiro, porque não tenho” — conta Valença. — Morei de 1991 a 1994 com Hilda na Casa do Sol e, depois da morte dela, a convite dos herdeiros, dirigi o Instituto Hilda Hilst por dois anos.

Na Casa do Sol, Jurandy percebeu que Hilda gostava de desenhar. Enquanto falava ao telefone, ela aproveitava para rabiscar figuras antropomórficas.

— Hilda pegava uma caneta Bic e ia desenhando uma única linha contínua que terminava sempre num ponto final — recorda. — Ela presentava amigos com esses desenhos. Ganhei dois autorretratos dela. Em um deles, ela aparece defecando flores. No outro, ela fuma um cachimbo, mas saem flores em vez de fumaça.

Hilda, que completaria 90 anos em 21 de abril, chegou a ilustrar um de seus livros, “Da morte. Odes mínimas”, de 1980. Ela deixou mais de 150 desenhos e aquarelas, hoje guardados no Centro de Documentação Alexandre Eulálio (Cedae), na Unicamp. A exposição “Revelando Hilda Hilst”, que estreou no último dia 1º no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, apresenta 15 desenhos e aquarelas da escritora e abre as comemorações dos 50 anos do museu.

— As aquarelas de Hilda Hilst têm forte influência surrealista: abstratas, coloridas, cheias de seres híbridos, meio animais, meio vegetais. Ela gostava muito da surrealista argentina Leonor Fini (1907-1996) — diz Valença, curador da exposição que vai até 15 de março (os desenhos que ganhou não foram incluídos por suas dimensões diminutas).

“Relevando Hilda Hilst” traz ainda 24 retratos inéditos da escritora, tirados por fotógrafos tarimbados, como o português Fernando Lemos (1926-2019) e os brasileiros Gal Oppido, Edu Simões e Eder Chiodetto. Também estarão expostas as primeiras edições de 15 livros de Hilda cujas capas foram assinadas por artistas como Tomie Ohtake, Millôr Fernandes e Jaguar.

Os retratos foram feitos em diferentes momentos da vida da escritora. Lemos fotografou Hilda em 1959, quando ela estava com 29 anos. Já Oppido, em 1990, em São Paulo, durante uma entrevista ao escritor Caio Fernando Abreu para a “Revista A/Z”. Oppido se lembra que, naquele dia, Hilda estava bem humorada:

— Conversando com ela sobre os ensaios que eu faço, muito ligados ao corpo, perguntei se ela faria algumas leituras poéticas de fotos minhas. Ela disse: “Não vou conseguir, mas se você quiser fotografar os meus seios, eles são púberes”.

Chiodetto fotografou Hilda em 1997, para o livro “O lugar do escritor” (Cosac Naify), que traz 36 autores brasileiros. Já Simões foi até Campinas em busca de retratos para os “Cadernos de Literatura Brasileira”, editados pelo Instituto Moreira Salles (IMS). Fotografou Hilda em frente à famosa figueira da Casa do Sol, rodeada pelos cachorros de que ela tanto gostava. Era 1999 e Simões se lembra que Hilda “já estava muito debilitada”.

— Fotógrafos obsessivos às vezes esquecem que é difícil para as pessoas passarem tanto tempo sendo fotografadas. Sem mover uma linha do rosto, Hilda me disse: “Se você fizer mais um clique, eu vou começar a chorar na sua frente”. Foi emocionante e inesperado. Ela era uma figura.

A poeta declama

Além de retratos, desenhos e aquarelas, a exposição traz a instalação sonora “Rede telefônica”, que permite ao visitante ouvir a própria Hilda declamando 23 de seus poemas. Também serão exibidos os filmes “Hilda Hilst pede contato”, de Gabriela Greeb, que recorda das tentativas da escritora de se comunicar com o além, e “Unicórnio”, inspirado em dois contos da escritora.

Na programação paralela, atores como Bete Coelho, Glamour Garcia e Matheus Nachtergaele farão leituras dos textos de Hilda, inclusive das peças “O visitante” e “As aves da noite”, escritas durante o regime militar.

— Quando veio a ditadura, Hilda percebeu que não podia dar voz a seu descontentamento pela poesia, aí foi para o teatro, que é mais próximo do público — diz Valença. — Em “O visitante”, ela escala um personagem corcunda como alegoria da deformação que era o regime militar. São textos que dialogam muito com o momento atual.

Serviço:

“Revelando Hilda Hilst”
Onde: 
Museu da Imagem e do Som (MIS). Avenida Europa, 158, São Paulo (SP)
Quando: 
de 1º/2 a 15/3
Grátis

Fonte: Ruan de Sousa Gabriel/ O Globo 

desenho de Hilda

“Figura antropomórfica e passarinho”, desenho da escritora Hilda Hilst Foto: Divulgação

Coronavírus: hackers usam epidemia para disseminar malwares

A empresa de cibersegurança Kaspersky identificou e-mails com arquivos maliciosos disfarçados de documentos com informações sobre o vírus. Saiba como se proteger

A empresa de cibersegurança Kaspersky descobriu que hackers estão usando o período de surto do coronavírus Wuhan para enviar mensagens via e-mail com malwares, que infectam os dispositivos dos usuários colocando em risco seus dados privados.

Segundo Fábio Assolini, analista sênior de segurança da empresa, os documentos maliciosos apresentam os formatos .pdf, .mp4, .docx e seus nomes indicam que eles contêm instruções em vídeo sobre como se proteger contra o vírus, além atualizações sobre o surto da doença e até procedimentos de detecção do vírus. “Ao abrir e executar o arquivo, porém, o computador da pessoa é atingido”, afirma.

Os malwares são um grupo de arquivos que contém uma série de ameaças. Dentre os identificados pela Kaspersky há o trojan, que espia todos os dados dos usuários; o ransomware, cuja função é restringir o acesso ao sistema e cobrar um resgate em criptomoedas para a liberação; e o trojan banker, que tem o objetivo de copiar dados bancários.

“Essa tática é usada nos períodos em que assuntos são muito comentados na internet. Como as pessoas estão buscando conhecimento no tema, é mais comum elas clicarem nos links e caírem nessa armadilha”, conta Fábio.

Para detectar o malware associado ao coronavírus, a empresa usou um computador simulando o de uma vítima. A máquina coletou todos os dados que podem ser um tipo de vírus e analisou o conteúdo malicioso. Dessa forma, foi possível detectar as formas mais comuns desses novos ataques.

Os malwares relacionados ao coronavírus têm os seguintes nomes:

Worm.VBS.Dinihou.r
Worm.Python.Agent.c
UDS: DangerousObject.Multi.Generic
Trojan.WinLNK.Agent.gg
Trojan.WinLNK.Agent.ew
HEUR: Trojan.WinLNK.Agent.gen
HEUR: Trojan.PDF.Badur.b

Por enquanto, as mensagens estão escritas apenas em inglês, o que faz com que a disseminação ainda não seja tão grande no Brasil. Entretando, para a Kaspersky, os hackers podem traduzir esses e-mails facilmente, aumentando a ameaça.

Como se proteger

1. Evite links suspeitos, prometendo conteúdo exclusivo. Consulte fontes oficiais para obter informações confiáveis e legítimas;
2. Veja a extensão do arquivo baixado. Os documentos e arquivos de vídeo não devem ter os formatos .exe ou .lnk.;
3. Para bloquear malwares escondidos, sempre use antivírus nos seus dispositivos;
4. Desconfie dos seus e-mails, não abra qualquer arquivo que você recebe, principalmente aqueles que vão para a caixa de spam.

Fonte: Beatriz Lourenço/Revista Galileu

Cooperativa Vinícola Garibaldi vai a Vinexpo, nos EUA, em março

Encontro projeta rótulos da vinícola no maior mercado consumidor de vinhos do mundo 

A Cooperativa Vinícola Garibaldi faz as malas rumo à Nova Iorque, nos Estados Unidos, para ver seus produtos brilharem, mais uma vez, na Vinexpo, dias 02 e 03 de março. Perante o maior mercado de vinhos do mundo, exibe sua linha própria para exportação – a Amaze, que tem como destaque o Moscatel recentemente eleito para figurar no Top 100 On-Premise Wine, conceituado ranking americano.

Amparada por esse posicionamento de destaque e pelo otimismo de um cenário externo que começa a se mostrar cada vez mais animador para os negócios internacionais, a Cooperativa Vinícola Garibaldi pretende estabelecer parcerias comerciais a fim de fechar acordos com importadores e distribuidores de seus produtos nos estados norte-americanos. Esse processo já começou a ser alinhado, por exemplo, em Illinois, que tem Chicago como capital. “O reconhecimento obtido ao ficar na 32ª colocação entre os T100 do Sommeliers Choice Awards pode ajudar a abrir portas, fortalecendo a marca junto aos que já a conhecem e apresentando um interessante cartão de visita para possíveis novos clientes”, diz Mari Balsan, agente de negócios da marca.

Além dos Estados Unidos, a cooperativa vende seus rótulos para Canadá, Nigéria, Colômbia, Chile, Peru e Taiwan. A relação dos mercados que já estão em negociação com a vinícola é ainda mais promissora, abrangendo atualmente países como Alemanha, Espanha, Austrália, Reino Unido, República Tcheca, Holanda, Irlanda, Noruega, República Dominicana, Japão, Suriname, Porto Rico, França, Portugal, Suíça e Islândia.

A linha Amaze conta com oito exemplares destinados somente à comercialização externa, todos espumantes. Além da marca Amaze, a Cooperativa também conta com a marca Amazing e Garibaldi para o mercado internacional.

vinicola garibaldi

Deoclides dos Santos assume presidência do STIMMME-BG

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Bento Gonçalves retoma suas atividades sob novo comando: Deoclides dos Santos assume o cargo de presidente, deixado por Elvio de Lima, que morreu no dia 13 de janeiro de 2020. Com 56 anos, Deoclides está ligado ao movimento sindical desde 1993, quando ocupou, pela primeira vez, cargo de Diretor de Política Sindical no STIMMME-BG. Desde 1997 manteve a posição de vice-presidente da entidade, sempre integrando as gestões de Elvio de Lima.

Deoclides afirma o compromisso de dar continuidade à atuação da entidade sindical, prezando pelos princípios de seriedade e transparência que vêm pautando o trabalho do Sindicato nas últimas décadas, e mantendo o escopo de serviços oferecidos à família metalúrgica (entre eles os atendimentos médicos, odontológicos, jurídicos e previdenciários) e os benefícios garantidos aos associados. Também serão preservados os serviços de atendimento às empresas, com o objetivo de dar continuidade à saudável parceria estabelecida pela entidade com todos os elos do setor. “Durante muitos anos nossa diretoria, liderada por Elvio de Lima, trabalhou pela consolidação de serviços e benefícios que amparam a família metalúrgica e, também, sempre atuou em defesa dos direitos do trabalhador, acompanhando seu dia a dia nas empresas. Acreditamos nesse propósito e temos o ideal da continuidade, mantendo todas as importantes conquistas até aqui adquiridas para a categoria”, diz.

Benefícios garantidos aos associados

O trabalhador associado ao STIMMME-BG usufrui de uma série de benefícios e facilidades – também extensivos a seus familiares – que ajudam a garantir mais bem-estar e qualidade de vida. Exemplo disso são os atendimentos médicos, odontológicos, jurídicos e previdenciários oferecidos gratuitamente na sede administrativa de Bento Gonçalves. Além disso há convênios firmados com empresas e profissionais, em cada cidade onde o Sindicato mantém sua atuação (além da base em Bento Gonçalves há subsedes em Veranópolis, Guaporé e Nova Bassano). São condições especiais e descontos para utilização de serviços em diversas áreas. O sócio pode aproveitar, ainda, a estrutura da Sede Campestre, com piscinas, quiosques, área verde, espaço para eventos e apartamentos para pernoite. Para conhecer a relação completa de benefícios, acesse www.stimmme.com.br.

Ainda é tempo de Vindima na Serra Gaúcha

Passeios sob os parreirais, colheita e pisa da uva atraem turistas em busca de novas experiências

A temporada de vindima, época de colheita dos parreirais na Serra Gaúcha, segue com opções de turismo de experiência na região Uva e Vinho até março.

Entre as principais atrações para os turistas que pegam a contramão do litoral no verão estão as visitas aos parreirais, colheita e pisa das uvas, curso de degustação, almoço harmonizado, lanche típico (merendim) e visita a caves, onde os vinhos podem ser armazenados e envelhecidos por anos em uma espécie de masmorra dos tempos medievais.

A vindima é uma possibilidade da comunidade e dos turistas reviverem costumes e memórias dos colonizadores italianos da região, entrando em contato com a história do Rio Grande do Sul. O passeio é entretenimento de qualidade e cultura tanto para os adultos interessados nos processos de produção das bebidas quanto para as crianças que aprendem sobre as tradições da região enquanto se divertem comendo uvas direito do parreiral.

A temporada da vindima começou em janeiro e acaba só em março, dando bastante tempo para aproveitar os passeios pela Serra e conhecer o trabalho árduo dos produtores rurais, enólogos e suas equipes que irá resultar em vinhos e espumantes reconhecidos, e muitos premiados, internacionalmente.

 

Passeios Vindima 

Giordani Turismo e Eventos

Data: até 07 de março

Roteiros: 

  • Fascínio da Vindima (duração 8 horas) – aos sábados.
  • Divina Vindima (exclusivo para grupos*, duração 7 horas) – sábados ou conforme consulta prévia.
  • Encantos de Vindima (exclusivo para grupos*, duração 4 horas) – aos sábados.
  • Vindima no Vale (duração 3 horas) – quartas e sábados.

ZT100141

Abertas inscrições para a 7ª turma do Miolo Winemaker Vinho Tinto

Se abrir e degustar uma garrafa de um vinho com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (DOVV) já é surpreendente, então imagine fazer o seu próprio vinho com esta certificação, vivenciando todas as experiências de cada etapa do processo de elaboração. O Miolo Winemaker proporciona toda a prática para qualquer pessoa descobrir os prazeres do mundo do vinho. As inscrições para a sétima turma de Vinho Tinto estão abertas com o primeiro encontro marcado para agosto.

Sendo a única experiência do gênero na América Latina, o Winemaker Miolo oferece a cada participante viver a rotina de um enólogo, desde a Poda Seca, passando pela Poda Verde, até chegar ao encantamento de uma colheita, seguido pelo corte do vinho e formatura. No vinhedo ou na cantina, cada ‘enólogo amador’ passa por práticas e aulas teóricas conduzidas pelo enólogo Adriano Miolo, juntamente com a equipe técnica da vinícola.

Durante todo o período do curso, os participantes ficam hospedados no Spa do Vinho Hotel & Condomínio Vitivinícola, localizado em frente à vinícola, e podem aproveitar os atrativos culturais e gastronômicos da região do Vale dos Vinhedos.

Passo a passo do Winemaker Miolo:

São quatro encontros divididos pelos processos: o primeiro é a Poda Seca, no qual o participante pode curtir o charme do inverno no roteiro enoturístico mais famoso do Brasil. Na primavera, quando os vinhedos estão florescendo, é realizada a Poda Verde. No verão, é feita a colheita das uvas no vinhedo exclusivo do Winemaker, o icônico Lote 43. E por fim, no outono do ano seguinte, participam do corte que definirá o vinho elaborado e recebem o certificado de conclusão do curso. Porém, o gran finale se dá apenas no próximo ano: após passagem por barricas de carvalho francês, o vinho é engarrafado e finalmente entregue ao seu criador.

Em 12 anos, o Winemaker Miolo formou aproximadamente 150 apreciadores de 15 estados do país e uma vez feita a formação de vinho tinto, já é possível se inscrever para o Winemaker Espumante, o qual se encontra na terceira turma.

Informações e inscrições podem ser feitas pelo e-mail winemakers@miolo.com.br ou pelos telefones (54) 2102.1500 e 9 8133.0032, com Thais Somensi ou Rodinaldo Goularte.

Fotos: Emerson Ribeiro 

ERM30541

ERM39674