Cooperativa Vinícola Garibaldi recebe pela sexta vez o Carrinho Agas

Marca foi eleita a melhor fornecedora de espumante na premiação

Em um ano extremamente peculiar, a Cooperativa Vinícola Garibaldi tem encontrado na qualidade de seus espumantes, vinhos e sucos os motivos para transformar 2020 numa temporada de conquistas. A mais recente delas vem expressa pelo reconhecimento do varejo gaúcho: pelo sexto ano consecutivo, a Cooperativa Vinícola Garibaldi foi eleita como melhor fornecedora de espumantes na premiação do Carrinho Agas, promovida pela Associação Gaúcha de Supermercados.

A escolha vem chancelada pelo voto direto de representantes de parte dos 200 maiores supermercados do Estado. Na eleição, foram levados em consideração, entre outros, critérios como responsabilidade social na pandemia, qualidade dos produtos ou serviços, relacionamento com o varejo, capacidade de inovação e cumprimento de prazos de entrega.

“Conquistar pela sexta vez esse reconhecimento do varejo gaúcho é motivo de extremo orgulho para nós e, num ano desafiador como tem sido o de 2020, o Carrinho Agas tem um significado ainda mais especial para nossas famílias associadas e nossos colaboradores. Mostra que estamos unidos por um propósito maior, que é o compromisso com a excelência em cada etapa do nosso trabalho, e que entregamos mais do que bons produtos, entregamos um pouco da nossa paixão e do amor que temos por aquilo que fazemos”, diz o presidente da Vinícola Garibaldi, Oscar Ló.

O Carrinhos Agas é um dos mais tradicionais prêmios entregues pelo ramo supermercadista no Brasil e distingue empresas e personalidades que ajudam a construir a solidez do setor varejista no Estado desde 1984. Neste ano, a solenidade de outorga ocorrerá, pela primeira vez, em formato online, na noite de 30 de novembro. A cerimônia simbólica da entrega dos troféus da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) será realizada por vídeo, a partir das 21h30min, e poderá ser acompanhada no canal da entidade no YouTube (www.youtube.com/AGASPoaRS).

Ano coroado por distinções

A qualidade dos produtos da cooperativa transformou cenários considerados pessimistas por muitos em oportunidades para reafirmar ao mercado a excelência de seus vinhos, sucos e espumantes. Mesmo com a pandemia, 2020 tem sido um ano de muitas distinções para a vinícola.

Há poucos dias, o Riesling da casa, envasado sob a marca Granja União, foi eleito o melhor vinho branco não aromático da Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020, realizada em Bento Gonçalves. No final de outubro, seu remodelado vinho frisante Relax foi eleito o melhor rosé do Brasil na Grande Prova Vinhos do Brasil, no Rio de Janeiro, onde outros sete produtos saíram medalhistas do certame.

Também nesse mês, a cooperativa foi a vinícola com o maior número de espumantes premiados no Brazil Wine Challenge – oito, além de um vinho –, único concurso nacional chancelado pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos.

Muitas outras premiações ocorridas no Brasil neste ano distinguiram os produtos da casa, que ganhou também inúmeras condecorações internacionais em países como Inglaterra, Japão e Grécia. Em duas das nações mais importantes do mundo dos vinhos, Itália e França, a vinícola também teve amplo destaque. O Espumante Garibaldi Moscatel e o Garibaldi Prosecco Rosé Brut ilustraram o Guia 5StarWines – The Book 2021, guia internacional organizado pela Vinitaly, maior feira de vinhos da Itália. Na França, o Espumante Garibaldi Chardonnay foi eleito o melhor vinho do Brasil no concurso Citadelles du Vin.

Essa presença internacional também puxa seu crescimento nas exportações. Neste ano, em maio, a vinícola já havia superado todas as vendas realizadas para o Exterior em 2019, com crescimento de 270%. São predicativos que ajudam a marca de espumantes mais lembrada e preferida pelos gaúchos na pesquisa Marcas de quem Decide, outra importante conquista de 2020.

Foto: Augusto Tomasi

Vale dos Vinhedos recebe apresentação do projeto ‘EnCantos no Interior’ neste domingo

Iniciativa do CIC-BG leva música e cultura aos distritos de Bento Gonçalves em espetáculos no formato drive-in e com transmissão online

Conhecido pelo potencial enoturístico, o Vale dos Vinhedos também será palco de outra importante ramificação deixada de legado pela imigração italiana na região. Neste domingo, dia 29, o distrito de Bento Gonçalves recebe o terceiro circuito do projeto ‘EnCantos no Interior’ – um tributo à cultura local.

A partir das 18h será possível assistir, gratuitamente, às apresentações do pianista e intérprete Rodrigo Soltton, da cantora Inês Rizzardo, do Coral do Vale dos Vinhedos e do tenor Dirceu Pastori – da mesma forma que vem ocorrendo nos demais distritos do município (Faria Lemos e Tuiuty já receberam o espetáculo). “É um prazer enorme fazer parte desse projeto que resgata as raízes e a tradição da nossa terra através da música. Temos que parabenizar os músicos que seguem levando adiante essa cultura, especialmente por celebrarmos, neste mês, o dia do músico. A eles, nossa homenagem”, enfatizou Soltton durante o espetáculo.

O público pode acompanhar o show em duas modalidades. A primeira delas é no formato drive-in, em que as pessoas podem curtir as apresentações de dentro de seus automóveis – no Morro da Antena, onde estará montado o palco. Quem preferir pode acompanhar a programação do conforto de casa, com transmissão ao vivo pelas plataformas digitais nos canais da ExpoBento (facebook.com/ExpoBentoOficial e youtube.com/expobentobg) ou do CIC-BG (acebook.com/cic.bg/).

Em cerca de duas horas de programação, os espectadores encontrarão uma emocionante combinação de canções populares, folclóricas e eruditas da Itália. O projeto ‘EnCantos no Interior’ encerra a 4ª edição no distrito de São Pedro (Caminhos de Pedra) no dia 06 de dezembro. A viabilização da iniciativa é por meio do Pró-Cultura RS, através da Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul. A realização é do CIC-BG, com patrocínio de Dalmóbile e Paese Distribuidora.

Serviço

O que: projeto ‘Encantos no Interior’

Quando: Dia 29/11 no Vale dos Vinhedos e 06/12 em São Pedro (Caminhos de Pedra). Todos os shows começam às 18h.

Onde: formato drive-in nos distritos de Vale dos Vinhedos e São Pedro e transmissão virtual nos canais digitais da ExpoBento (facebook.com/ExpoBentoOficial e youtube.com/expobentobg) ou do CIC-BG (acebook.com/cic.bg/).

Realização: CIC-BG, com viabilização do Pró-Cultura RS, por meio da Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, e patrocínio de Dalmóbile e Paese Distribuidora.

tastavim

CDL-BG lança curso online sobre atendimento ao cliente com proatividade e excelência

Capacitação realizada em parceria com a UCS ocorre nos dias 1º, 4 e 8 de dezembro por meio da plataforma virtual Google Hangouts Meet

Potencializar o período de fim de ano para rentabilizar boas vendas é um desafio que requer criatividade e estratégia na abordagem aos clientes. Para auxiliar o comércio nessa missão, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Bento Gonçalves, em parceria com a Universidade de Caxias do Sul, oferece uma qualificação voltada a capacitar o varejo a ser assertivo na abordagem do consumidor.

O curso ‘Atendimento ao Cliente com Proatividade e Excelência’ traz temas como os princípios fundamentais para um bom atendimento, reflexão sobre excelência e fracasso, inteligência emocional, postura profissional, ética nas relações, qualidade e dimensões dos serviços, comunicação verbal e não verbal e administração de relacionamento. Nas aulas, a psicóloga, administradora, mestre em Administração e consultora na área da Psicologia Organizacional e do Trabalho, Patrícia Padilha Lima, mostra como oferecer uma boa experiência ao consumidor, desenvolvendo competências para identificar os aspectos que contribuem para a satisfação do cliente e planejando ações que garantam a fidelização dos consumidores.

A capacitação ocorre entre os dias 1º, 4 e 8 de dezembro, das 19h30 às 21h30, por meio da plataforma virtual Google Hangouts Meet. O investimento para associados da CDL e acadêmicos e egressos da UCS é de R$ 98,00. Não associados pagam R$ 109,00. As inscrições podem ser feitas acessando o site www.cdlbento.com.br/cdl-treinamento. Mais informações pelo telefone (54) 3455-0555 ou pelo e-mail cdltreinamento@cdlbento.com.br.

O curso integra a programação da campanha ‘Bento Natal Premiado’ da CDL-BG.

Serviço:

O que: curso online ‘Atendimento ao Cliente com Proatividade e Excelência’

Quando: dias 1º, 4 e 8 de dezembro, das 19h30 às 21h30

Onde: por meio da plataforma virtual Google Hangouts Meet

Quanto: associados da CDL e acadêmicos e egressos da UCS é de R$ 98,00. Não associados pagam R$ 109,00

Inscrições: pelo site www.cdlbento.com.br/cdl-treinamento

Foto: Alessandro Manzoni 

Cooperativa Vinícola Garibaldi tem o melhor vinho branco da Avaliação Nacional de Vinhos 2020

Riesling Granja União foi destaque entre brancos não aromáticos. Para ator Antônio Calloni, comentarista da amostra, vinho é tão chique que precisa ser bebido de smoking

Para a Cooperativa Vinícola Garibaldi, a alta expectativa depositada na safra 2020, tida como histórica por conta de sua alta qualidade, começou com uma grande confirmação. O Riesling da casa, envasado sob a marca Granja União, foi eleito o melhor vinho branco não aromático da Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020, realizada neste mês, em Bento Gonçalves.

A distinção soma-se aos inúmeros prêmios obtidos ao longo do ano em concursos nacionais e internacionais e confirma, mais uma vez, a excelência dos produtos da cooperativa. O varietal recebeu nota 89, sendo classificado entre as 16 amostras representativas do concurso. Ao todo, a Avaliação Nacional de Vinhos recebeu 395 amostras em seis categorias.

Os vinhos foram degustados às cegas por 64 enólogos entre os dias 15 e 18 de setembro, no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho. As amostras representativas podiam ser adquiridas pelo público que, no último dia 7, acompanhou de modo online, nos canais digitais da promotora do certame, a Associação Brasileira de Enologia, a grande degustação ocorrida no Spa do Vinho, no Vale dos Vinhedos.

Para Calloni, Riesling Granja União é “fantástico, encantador e chique”

Ao mesmo tempo da realização do evento, o púbico podia descobrir os vinhos juntamente com os comentaristas convidados do evento. O vinho da Vinícola Garibaldi foi comentado pelo ator da Rede Globo e enófilo Antônio Calloni, que deu nota 92 para a amostra.

Encantado com o Riesling Granja União, o ator elogiou a evolução do vinho brasileiro e disse ser fã dessa variedade. “Que vinho sensacional, tem um aroma intenso. A gente percebe um cítrico aqui maravilhoso e também um abacaxi. É um vinho de aspecto límpido, fantástico, de cor sensacional e, no nariz, muito persistente”, elogiou o ator.

A surpresa com o vinho, o qual chamava de “brazuca”, não parou por aí. Calloni disse estar acostumado com o paladar do Riesling elaborado na região da Alsácia, na França, e também o oriundo da Alemanha, que têm notas bem minerais. “Provavelmente, às cegas eu não identificaria a uva aqui. Mas a beleza da uva é essa, num lugar ela apresenta alguns aromas e sabores e, em outros, dependendo do terroir, ela apresenta as características desse terroir. Esse brazuca tem um pêssego também, mas o que mais salta é o cítrico e o abacaxi, nossa, fantástico”, enalteceu, continuando sua admiração pelo vinho. “Esse vinho é elegantérrimo. Tem uma notinha salgada e uma coisa que eu adoro no vinho que é quando ele apresenta essa nota, acho que dá um charme. Nossa, é encantador esse vinho mesmo, muito bom, harmônico. Esse vinho é tão chique que da próxima vez vou ter que vestir um smoking para tomar, porque elegância aqui sobra. É um vinhaço”, aplaudiu Calloni.

Um forte indício da qualidade excepcional dos vinhos e dos espumantes que chegarão ao mercado com o rótulo de 2020, o ano que oportunizou a “safra das safras”.

Foto: Cassius Fanti 

Espetáculo ‘Voz da Tradição’ traz Padre Ezequiel Dal Pozzo, Délcio Tavares e Luiz Carlos Borges a Bento Gonçalves nesta quinta-feira

Show inicia às 20h, com acesso gratuito, na Via Del Vino ou, em caso de chuva, na Casa das Artes

Emoção e nativismo traduzidos em forma de música presenteiam os bento-gonçalvenses com um show marcante nesta quinta-feira: o espetáculo ‘Voz da Tradição’ reúne no palco os shows do Padre Ezequiel Dal Pozzo, com participação de Délcio Tavares e de Luiz Carlos Borges. A apresentação inicia às 20h, na Via Del Vino (ou, em caso de chuva, na Casa Das Artes, na Rua. Herny Hugo Dreher, 127) com acesso gratuito à população. O projeto cultural integra a programação natalina do município e o espetáculo está sendo organizado de acordo com todos os protocolos de segurança sanitária e medidas protetivas contra a covid-19 – para o público, artistas e equipes de trabalho.

O encontro dos três artistas promete ser emblemático para os amantes da cultura campeira e, claro, fãs da boa música. Anfitrião da apresentação, Pe. Ezequiel, que percorre o Brasil com shows, palestras, missas e pregações, fará um tributo à tradição do Estado – legitimado por uma trajetória que tem como alicerce a música baseada no poder da fé. Ele já lançou seis CDs e um DVD, contabilizando mais de 100 mil cópias vendidas.

Seus companheiros de palco agregam ao show a expertise de carreiras com década dedicadas às canções tradicionalistas. Tavares, conceituado nome da música regional gaúcha, foi condecorado duas vezes pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul com o Prêmio Vitor Mateus Teixeira e acumula uma discografia composta por 16 discos. Já o cantor, compositor e acordeonista Luiz Carlos Borges coleciona cinco décadas de carreira e mais de 32 discos gravados – sendo considerado o embaixador cultural do Rio Grande do Sul.

A apresentação ‘Voz da Tradição’, em Bento Gonçalves, faz parte de um projeto que prevê turnê de shows com repertório tradicionalista em outras quatro cidades do Estado (Caxias do Sul, Passo Fundo, Canoas e Gravataí) – concentrados entre os meses de novembro de 2020 e março de 2021. A realização é da DWR, com patrocínio de Cenci – Prevenção e Proteção das pessoas no Trabalho –, e Supermercados Grepar, com financiamento do Pró-Cultura RS, por meio da Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul. O apoio é da Prefeitura de Bento Gonçalves.

Serviço:

O que: apresentação ‘Voz da Tradição’, com Padre Ezequiel Dal Pozzo, Délcio Tavares e Luiz Carlos Borges

Quando: dia 26 de novembro, às 20h

Onde: Via Del Vino, no centro de Bento Gonçalves (em caso de chuva, o evento será transferido para a Fundação Casa das Artes)

Quanto: acesso gratuito

padre ezequiel

delcio tavares

TRAJETÓRIA DO VILLA MICHELON: De primeiro hotel do Vale dos Vinhedos a case de sucesso de turismo seguro na pandemia

Quando edificado, em março de 2001, o Complexo Turístico Vale dos Vinhedos, o Villa Michelon, se tornou o primeiro hotel do Vale dos Vinhedos, promovendo o distrito como um roteiro enoturístico e dando o primeiro passo para transformar o Vale em um dos principais destinos para os amantes do vinho.

 

Nessas quase duas décadas de história, são três os momentos mais simbólicos e desafiadores do Villa Michelon: sua abertura; a transição da diretoria com o falecimento de seu fundador Moysés Luiz Michelon, em 2017, e a pausa nas atividades diante do quadro pandêmico em março de 2020. Foram 40 dias de portas fechadas, com colaboradores em férias coletivas e a linha de frente na ativa para manter a estrutura do hotel funcionando, à espera de um decreto que permitisse a abertura segura de portas.

 

“Foi um dos momentos mais tristes que vivi. Ver o hotel vazio, sem o barulho dos hóspedes, da equipe, as risadas, as conversas. Tudo nos foi tirado de uma hora para outra e, para manter todos com segurança e emprego garantido, optamos por férias coletivas. Era mais válido fecharmos as portas por um período e poupar fôlego para uma reabertura segura”, declara a diretora geral Elaine Michelon. Começaram então os trabalhos para se adequar aos 27 itens de segurança e limpeza que permitiriam que o Hotel Villa Michelon abrisse as portas novamente com uma conquista: o selo de Ambiente Limpo e Seguro, concedido pela Secretaria de Turismo de Bento Gonçalves.

 

Mais uma vez, o Complexo Turístico se tornou pioneiro no Vale dos Vinhedos. Foi o primeiro hotel a receber o selo e enfrentou, de maneira firme, os dias de portas fechadas com nenhuma demissão de colaboradores em virtude da pandemia. “Houve desligamentos que já estavam programados, mas preservamos os direitos de todos nesse período tão adverso”, pontua Elaine.

 

UM LONGO CAMINHO

Como principais medidas, além do acompanhamento diário das condições de saúde dos colaboradores, o Villa Michelon reduziu inicialmente em 50% sua capacidade de lotação em apartamentos e restaurante modificando, inclusive, o sistema de serviço de café da manhã e refeições. Hoje, com bandeira laranja e a condição de hotel de beira de estrada, o Complexo Turístico consegue operar com 100% de sua capacidade, em seus 23 hectares de área.

 

A distribuição de máscaras laváveis e recipientes de álcool em gel no momento do check-in também foi adotada. “Destinamos, também, um apartamento que denominamos de ‘apartamento de isolamento’, onde, caso algum hóspede não se sinta bem, possa esperar atendimento com conforto, possibilidade de descanso e até mesmo um banho, caso julgue necessário”, conta Elaine Michelon.

 

Após a conquista do selo e com a amenização do quadro, o Villa Michelon continua mantendo as suas medidas de acordo com os decretos municipais e estaduais. “Hoje, o Villa Michelon está plenamente enquadrado no que os turistas buscam: natureza, espaço, segurança, serviço e flexibilidade”, declara o gerente operacional Leandro Giordani. A prova disso é a ocupação acima da média nos últimos meses e a procura que já ocorre para o período de final de ano e a famosa vindima, que ocorre de janeiro a março. “Nosso segredo foi sempre pensar que o melhor estava por vir. Em nenhum momento citamos o vírus, suas consequências. Nós simplesmente entendemos que precisamos nos adaptar a novas realidades e fizemos isso como qualquer outro desafio: com a mesma garra e otimismo que nos mantém há quase duas décadas”, finaliza Elaine Michelon.

 

Foto: Divulgação/ Rita Michelin/Raquel Piegas 

villa 2

Ponto negro em folha branca

Por César Anderle

 

Imagine-se diante de uma folha branca contendo um ponto preto no meio, o que você observa?

 

Muitos de vocês já devem ter presenciado ou sido questionados com este exercício. Não estamos acostumados a perceber os benefícios. Geralmente, senão sempre, olhamos o pequeno detalhe, nos deixamos influenciar pelas dificuldades, pelos borrões da vida, pelos percalços e arestas do cotidiano. O ponto nos deixa “alucinados”, não conseguimos explorar o lado branco da folha, a imensidão e a plenitude da folha.

 

Nos deixamos trair pela negatividade das coisas, pelo pequeno ponto escurecido da folha.

 

Pensemos agora na grande dimensão da folha, na exuberância do papel aberto para ser preenchido, ser pintado, ser decorado e emoldurado. Já pensou nas grandes maravilhas que podemos criar com o restante da folha?

 

Vamos analisar a plenitude da Vida, na obra de Deus que nos quer bem, a natureza, o ar, o sol, a chuva, o frio, o calor, a temperatura amena da manhã, o pulsar do corpo humano, a respiração normal do pulmão, o pulsar do coração e o bombear do sangue que dá alimento aos nossos órgãos.

 

Podemos e devemos enxergar o bem em tudo que olhamos, nas ruas, nas pessoas, nas empresas, nos governos. Mas, para isso, é necessário ter a consciência de que fazemos parte desta sociedade. De nada importa se olharmos apenas os defeitos de alguns. Precisamos olhar o lado bom das pessoas, das coisas, dos governos e devemos nos cobrar para também sermos bons. Não podemos ser hipócritas e acusar apenas os outros. O que eu faço para ajudar a situação caótica que está ali fora? Será que eu estou olhando a página branca a ser desenvolvida em conjunto, ou estou somente olhando o ponto obscuro?

 

Façamos a nossa parte, meus amigos, assim criaremos um universo melhor, uma sociedade melhor, um bairro melhor. As decisões da vida passam por nossas mãos. Saibamos utilizá-las com sabedoria, inteligência, carinho e muito amor.

 

Cometemos o grande equívoco que é olhar apenas para os defeitos dos outros. Vamos criar uma página melhor e desenhar, escrever e projetar coisas interessantes para o nosso futuro. Comecemos por hoje, por este instante. Amanhã estaremos melhor, tenho certeza, e isso nos dará subsídios para uma semana mais harmoniosa, um mês acolhedor e um ano cheio de dádivas felizes.

 

Sejamos coerentes e sensatos!

 

O Equívoco do Apolítico

Por Rogério Gava

rogeriogava@integracaodaserra.com.br 

 

Política é a mais antiga das profissões.

Millôr Fernandes (1923-2012), escritor e humorista brasileiro

 

Um amigo confessa: votará em branco. Está, me diz ele, desiludido com a política. Não tento dissuadi-lo. Tampouco concordo com ele. Pede minha opinião. Disse que escreveria uma crônica a respeito. Ei-la.

 

A desilusão com a política é grande. Tem razão de ser. Escândalos se empilham sobre escândalos. Políticos chafurdam na lama da corrupção e das negociatas. Tudo isso faz da política algo desprezível. Abjeto. Detestável. A política virou politicagem. O que nos resta fazer? Negar sua existência? Abstermo-nos de fazer nossa parte? Deixar a política para os políticos?

 

Nada disso parece ser a melhor saída. Ignorar a política e o que podemos fazer por ela é deixar pista livre para qualquer um. O fascismo e o nazismo floresceram sob as barbas de toda uma nação. O dar de ombros ao que fazem com a sociedade e com o Estado pode ser fatal. O apolítico, figura que por vezes nos tenta, é o avestruz social. Enfia a cabeça na terra, mas deixa a retaguarda desprotegida.

 

Quando não participamos, não podemos depois nos queixar de quem governa. Mesmo que as escolhas que temos nem sempre sejam as melhores. O “menos pior” é preferível ao pior de todos, é o que se diz. Parece ser verdade. E não fazer política é justo o pior. É dar carta branca aos imbecis, aos corruptos de carreira, aos escroques. Sempre é possível separar o joio do trigo. Possível e obrigatório. Mesmo que o trigo a escolher seja de segunda classe. Ademais, cada povo tem a colheita que merece.

 

Que a posição apolítica parece equivocada, não há dúvidas. Aliás, a própria natureza do apolítico guarda uma incoerência interna, no sentido de que não seria possível evitarmos totalmente a política, mesmo que a negligenciássemos por completo. A esse respeito, o falecido escritor João Ubaldo Ribeiro falou tudo:

 

“É impossível que fujamos da Política. E possível, obviamente, que desliguemos a televisão, se nos aparecer algum político dizendo algo que não estamos interessados em ouvir. Isto, porém, não nos torna “apolíticos”, como tanta gente gosta de falar. Torna-nos, sim, indiferentes e, em última análise, ajuda a que o homem que está na televisão consiga o que quer, já que não nos opomos a ele. O problema é que, por ignorância ou apatia, às vezes pensamos que estamos sendo indiferentes, mas na verdade estamos fazendo o que nos convém.”

 

Falar de política é sempre oportuno, ainda mais neste novembro de eleições. A eleição é o DNA da política. É a festa da democracia, como querem alguns. Uma eleição é o confronto de oposições. Não necessariamente boas e ruins, mas antes de tudo diferentes. A escolha na urna pressupõe, a priori, programas, ideologias, interesses, alianças (espúrias, ou não), urgências, e, por que não, preconceitos e crendices. É só ver o matiz que se interpõe entre a esquerda e a direita. Aliás, não raramente vemos políticos escorregando – sorrateiramente – para longe dos debates delicados. O posicionamento nem sempre rende votos. Isso prova o quanto é difícil – e ainda mais na política – defender convicções de forma concreta e honesta. Verdade e política nem sempre andam de mãos dadas.

 

Por tudo o que é e deixa de ser, a política não pede nem ilusão, nem desprezo. Iludir-se com a política é acreditar que ela deveria ser o território do bem, do compromisso abnegado. Acreditar que as ideologias são isentas de interesse. Desprezá-la, é desacreditá-la ao extremo, lançando política e políticos ao lança chamas. Há bons e maus políticos, assim como há bons e maus médicos, advogados, engenheiros e professores. A corrupção, a falsidade e a arrogância não são prerrogativas de nenhuma atividade humana. Felizmente, a justiça e o amor tampouco.

 

O desencanto com a política não deve nos levar ao canto da sereia da indiferença, da apatia e do marasmo. Quando a razão adormece, os maus políticos triunfam. Onde o espírito crítico inexiste, a manipulação grassa. Onde termina a política começa a politicagem. Picadeiro dos vigaristas e dissimulados. Dos pilantras profissionais. E é preciso, sempre, agir contra eles.

 

A política, portanto, é direito e, mais do que tudo, dever. Direito por uma sociedade mais justa e dever de lutar por ela. Construí-la. Transformá-la. Todos os dias.

 

Para os cidadãos, que somos, nenhuma tarefa me parece mais urgente.

Linha de vinho frisante cresce 130% nas vendas em 2020

Relax, da Cooperativa Vinícola Garibaldi, dobrou a produção no comparativo com ano anterior

O segundo lote da linha Relax, vinho frisante revitalizado pela Cooperativa Vinícola Garibaldi, chegou ao mercado em novembro com 16 mil caixas entregues ao varejo. O produto estava esgotado desde setembro – quando o sucesso nas vendas fez desaparecer, em cerca de um mês, todo o estoque da bebida. A produção – e os negócios – com a linha Relax foram 130% maiores em 2020 no comparativo com o desempenho em 2019. E os resultados poderiam ser ainda melhores – há demanda, mas novos envases neste ano foram descartados pela falta de garrafas.

“Ficamos realmente impressionados com o desempenho do produto nas gôndolas. Temos o case de um cliente em São Paulo que, em um único dia, vendeu todas as 300 garrafas que havia adquirido”, conta o gerente de Marketing, Maiquel Vignatti. Da parceria entre os departamentos de marketing, comercial e técnico da cooperativa, mais a expertise da agência de design Philogus, nasceu o trabalho de reposicionamento do produto, contemplando a revitalização do rótulo e da proposta de comunicação, que conversa com a inspiração do mundo fashion para atrair a atenção dos jovens consumidores e, também, identificar a bebida como opção de consumo descomplicada, ideal para o happy hour, uma confraternização em casa, beira da piscina e quaisquer outras situações casuais.

Soma-se ao acerto da estratégica comercial a qualidade do produto como fator decisivo para a bebida estar conquistando tantos adeptos. O Relax da Cooperativa Vinícola Garibaldi foi eleito o melhor rosé do Brasil, na avaliação da 9ª edição da Grande Prova Vinhos do Brasil. O vinho do tipo frisante foi o vencedor na categoria Rosé, conquistando a medalha duplo ouro.

Para 2021, o planejamento da Cooperativa Vinícola Garibaldi prevê novo incremento no volume de produção para o Relax e, ainda, adição de um novo rótulo à família dos vinhos frisantes.

Enólogos passam a contar com Banco de Dados de Espumantes

ABE garante sigilo absoluto para uso inteligente e exige termo de responsabilidade dos enólogos para uso exclusivo

 

‘Todo vinho tem marca. A marca da dedicação de um enólogo’. Esta é a bandeira da Associação Brasileira de Enologia (ABE), que desde 1976 não mede esforços para garantir aos seus associados ferramentas capazes de ampliar o conhecimento técnico em cada etapa do processo de elaboração de vinhos e espumantes. Levando em consideração que o espumante é a bebida que abriu as portas do Brasil para o mundo, a entidade aproveitou o 11º Concurso do Espumante Brasileiro, realizado em outubro do ano passado, para estartar um projeto ousado e único no mundo, com dados gerais do produto. É o Banco de Dados do Espumante Brasileiro, que será lançado dia 26 de novembro durante uma live restrita aos enólogos que fazem parte do quadro social da ABE.

 

O projeto tem como objetivo central propiciar o acesso de informações técnicas em torno da bebida. O estudo levou em conta mais de 250 amostras em diversas categorias como Brut, Extra Brut, Nature, Rosé Brut e Moscatel, todas inscritas no concurso. As informações de marca comercial e da empresa que elaborou os espumantes são estritamente confidenciais, e os enólogos terão acesso só aos dados analíticos e outros parâmetros solicitados por ocasião da inscrição das amostras. Isso porque o objetivo é gerar um panorama do espumante brasileiro para que os profissionais possam conhecer ainda mais esta bebida que conquistou o mundo. Por meio de gráficos e análises estatísticas simples pode-se obter uma radiografia do espumante brasileiro apresentadas no 11º Concurso do Espumante Brasileiro.

 

Para tirar o projeto do papel foi necessário buscar um parceiro técnico capaz de dar todo suporte necessário para analisar as informações. O Laboratório Lavin, com expertise no ramo por meio de tecnologia de ponta e uma equipe de especialistas de diferentes competências e qualificações, é o partner da ABE no processo. Acreditado pelo Inmetro e reconhecido pela Rede Metrológica para ensaios da ABNT, o Lavin foi decisivo para concretizar o projeto. O Banco de Dados reúne informações do espumante brasileiro como acidez total, pH, pressão, álcool, açúcares redutores, tempo em tanque, tempo em garrafa, entre outros.

 

“Este é mais um serviço que a ABE disponibiliza aos enólogos associados. Apostamos nesta iniciativa porque temos certeza de que o vinho brasileiro vive um momento histórico que é reflexo de todos os investimentos feitos até hoje pela indústria nacional, desde o vinhedo até o mercado. E o enólogo, protagonista desse processo, é parte fundamental para garantir a continuidade da evolução do setor”, destaca o presidente da ABE, enólogo Daniel Salvador.

Foto: Jeferson Soldi