Filme de Bento selecionado para festival internacional

O Documentário Nem Eu Sei Tudo da Ancora Produções que conta a história do coletivo de Hip Hop Nest Panos foi recentemente selecionado para um dos mais importantes festivais internacionais de cinema, o Portland Film Festival, na cidade de Portland nos Estados Unidos.

O Média-metragem lançado em 2020, está concorrendo em duas categorias, na categoria de Documentários e na de Documentários – Black Voices (vozes negras), que é destinada a diretores negros ou histórias que evidenciam essa cultura, em ambas, apenas 6 filmes foram selecionados. O Portland Film Festival, irá ocorrer entre 12 e 18 de outubro, de forma presenciam e on-line. É um festival dedicado a novas vozes do cinema independente mundial, distribuindo os filmes e os fazendo crescer em meio a networking com produtores, educadores e outros artistas e agentes que buscam novas histórias na área.

Para Fernanda Turchetto, diretora do Nem Eu Sei Tudo “Estar neste festival significa realmente abrir as portas para coisas boas” e completa “Significa também que a mensagem e o poder desta cultura está se espalhando em lugares onde nem imaginávamos.”

O Portland Film Festival, está em sua oitava edição e irá ocorrer entre 12 e 18 de outubro, e é um festival dedicado a mostrar as vozes e o cinema independente mundial além disso envolve workshops com grandes nomes do cinema, estreia dos filmes selecionados, entrevistas sobre curiosidades com o diretor de cada filme, oportunidades de contato com produtores, educadores e canais de tv.

O filme será exibido durante todo festival em um hotel de Portland que teve todos os quartos reservados e adaptados para exibir as produções e ao mesmo tempo manter segurança e higienização para evitar um possível contágio de COVID e pela Comcast um serviço de streamming com exibições nos EUA e na Europa, sendo previsto a exibição do filme para em torno de 30 milhões de pessoas. Além disso ele será exibido online através do site do festival.

O documentário também está disponível livremente para os espectadores no site www.nemeuseitudo.com.br onde além do filme você encontra mais informações sobre todo universo do mesmo.

 

 

 

O Tempo que o Tempo Tem

Por Rogério Gava

rogeriogava@integracaodaserra.com.br 

O que é o tempo, afinal? Se ninguém me pergunta, eu sei; mas, se me perguntam e eu quero explicar, já não sei.

 

Santo Agostinho, Confissões XI, 14

 

Tempus Fugit! O tempo foge, corre sem cessar. Mas, evadirá mesmo esse tempo? Passam realmente os momentos? Ou será esse fluir mais uma de nossas ilusões? Nascido com o próprio universo, o tempo nos abisma. Indecifrável e impenetrável, nos assombra e encanta. Sob nossos olhos dissolve-se o tempo. E com ele nossa compreensão.

 

O sábio Agostinho foi o primeiro a nos advertir sobre a ilusão do tempo. Para o bispo de Hipona, passado, presente e futuro são quimeras, equívocos de nossa consciência. Isso porque o passado nunca existe, justo por ser um momento que já não é. O mesmo vale para o futuro, que não existe, visto ainda não ser. Assim, o presente não passa de um ponto sem duração na linha do tempo. Para o filósofo da igreja, o presente que habitamos é, portanto, “um nada entre dois nadas”. Pesada essa!

 

Pensemos no tempo dos relógios, o tempo que rege nossa vida. Se o presente é feito de segundos, esses segundos serão sempre divisíveis, ininterruptamente. A matemática não falha: um trilionésimo de segundo é um espaço de tempo muito pequeno, por certo, mas mesmo esse espaço absurdamente exíguo poderia ser dividido outros trilhões de vezes. Para sempre. É lógico, portanto, pensar que o presente nunca chega a existir. O presente é um futuro (que ainda não é) que se transforma incessantemente em passado (que já não é mais). Um nada, portanto, pois nunca chega a durar de fato. Efetivamente, não há presente. É louco, eu sei, mas faz sentido, o leitor concorda?

 

Se o presente, então, é esse nada, o que diabos é o instante que habitamos? É justamente uma passagem eterna entre um nada que não é e um nada que já não é mais. Dedução tão simples quanto desconcertante. O tempo, dessa forma, assume a natureza de tudo o que temos, o momento perene que chamamos de “agora”. O “eterno agora”, para usar a expressão maravilhosa criada pelo grande teólogo Paul Tillich. É o eterno devir, professado pelo grego Heráclito há mais de vinte e cinco séculos. Tudo muda, tudo se esvai. Tudo o que é, imediatamente já começa a cessar de não ser. O tempo nos ensina a não perdermos tempo. Tempus Fugit: Carpe Diem. O tempo foge… aproveite o dia. Os gregos sabiam das coisas…

 

Sejamos honestos: a verdade é que não sabemos o que é o tempo. Ele é tal e qual a Esfinge de Édipo, sempre a nos provocar. Até mesmo Einstein acabou dando o braço a torcer ao tempo, afirmando que sua passagem deveria ser vista como uma mera percepção da consciência, sem, portanto, qualquer significado físico concreto.

 

Enfim, o tempo, desde que é tempo, segue indecifrável. Como disse o filósofo Whitehead: “é impossível meditar sobre o tempo e o mistério da passagem criativa da natureza sem uma emoção avassaladora diante das limitações da inteligência humana”. Sábias palavras. O tempo – exista ele, ou não – será para sempre um mistério.

 

O peso das eleições municipais na qualidade de vida da população

Confira a motivação das candidaturas majoritárias nos municípios da 8ª Zona Eleitoral e a mudança na forma de eleger os Vereadores

Por: Rodrigo De Marco
rodrigo@integracaodaserra.com.br
Edição: Kátia Bortolini
katia@integracaodaserra.com.br 

Saúde, educação, mobilidade, habitação e lazer afetam diretamente a qualidade de vida das pessoas. No próximo dia 15 de novembro, moradores de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza, que compõem a oitava zona eleitoral, vão às urnas para escolher seus Prefeitos e Vereadores. Os mais votados, a partir 1º de janeiro de 2021, serão os responsáveis por decisões sobre mobilidade urbana, saúde pública, educação, emprego e renda, segurança, saneamento básico e turismo: tudo isso e mais um pouco está em jogo nessas eleições.

 

O Integração da Serra quer participar desse importante processo para o bem-estar dos moradores das quatro comunidades. Começamos nossa cobertura contatando os 15 candidatos a Prefeito de Bento Goncalves, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza. Para a prefeitura de Bento Goncalves, há nove candidaturas. Indagamos porque eles querem ser os mandatários dessas cidades. Também perguntamos quais serão suas primeiras providências, se eleitos. Confira as respostas!

 

 

CANDIDATOS PREFEITURA BENTO GONÇALVES

 

89.488

ELEITORES EM BENTO GONÇALVES

 

 

ALCINDO GABRIELLI

MDB, PL e Patriota

 

Por que o senhor quer ser Prefeito de Bento Gonçalves?

Eu amo Bento Gonçalves e quero retornar à vida pública para administrar o nosso município, porque acredito que uma das formas mais sublimes de cuidar das pessoas é através da política séria e decente. Respeitando o dinheiro público, ouvindo nossa comunidade e criando mecanismos de fiscalização comunitária de nossas ações. Fui Vereador por dois mandatos, Vice-Prefeito e Prefeito de Bento Gonçalves de 2005 a 2008. Em 2009 retornei para o exercício de minha profissão de advogado. Em 2019 exerci a função de Diretor de Economia Solidária junto ao governo federal. Adquiri mais experiência, conhecimento e maturidade. Sei que o presente exige um olhar diferente para enfrentar este desafio. Gestão, planejamento, projetos, obras e serviços, com uma equipe de trabalho preparada e competente. Vamos focar nas áreas mais prioritários e vocacionadas do nosso município para contribuir para a geração de empregos e a melhoria da qualidade de vida. Certamente, a prioridade número um será a educação, que é a solução para as mazelas de uma sociedade.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar? 

De forma muito equilibrada, vamos iniciar a transição governamental, com o levantamento de dados e diagnóstico da situação financeira e administrativa do município, para posterior definição das nossas decisões mais urgentes. Diante do escasso tempo entre o dia da eleição e a posse, iremos iniciar a escolha de nosso secretariado, priorizando o conhecimento técnico e a experiência administrativa. Nossa coligação não tem qualquer compromisso, nem acordo partidário, na definição de nossos secretários. Será definida uma nova estrutura das secretarias municipais.

 

 

ÁLVARO BECKER

Democratas

 

Por que o senhor quer ser Prefeito de Bento Gonçalves?

Todo homem tem uma meta a seguir, que o torne realizado e feliz. Essa luta para ser o prefeito de Bento Gonçalves é uma nova meta que tracei, pensando na comunidade. Uma cidade que adotei e que me adotou, dando-me oportunidade de aqui desempenhar minha profissão de forma digna. Nada me dará mais prazer e felicidade do que poder retribuir, com trabalho, todos que me aceitaram e ajudaram a atingir o ápice da minha carreira policial. Então quero ser prefeito para ser a diferença entre o que está estagnado e a aventura de quem não tem nada a oferecer, a não ser sorrisos e palavras ao vento. Sou o candidato que tem grande experiência na área de segurança e vou melhorar, ampliando o apoio aos órgãos de segurança, buscando dar mais tranquilidade para todos. Não há como pensar em ser prefeito e não querer mudar, pois Bento Gonçalves precisa de sangue novo na sua administração, novas ideias que façam a diferença e isso nós vamos fazer. Quero ser prefeito para mudar, mas mudar com consciência, responsabilidade e seriedade.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar? 

Ao ser eleito e o serei, vamos buscar a solução imediata para a falta de vagas nas escolinhas infantis, vamos solucionar o problema da falta de médicos nos Postos e UBs do bairros e distritos, vamos cobrar mais transporte público das empresas no horário de pico, com ônibus de integração que circule entre os bairros, para que o usuário não precise de duas tarifas para se deslocar, instituindo a tarifa única, analisar as contas públicas, implantar a Tolerância Zero para corrupção, escolher profissionais competentes para as principais secretarias.

 

 

DIOGO SIQUEIRA

PP, PSDB, Republicanos

 

Por que o senhor quer ser Prefeito de Bento Gonçalves?

Porque o caminho que Bento escolheu seguir nos últimos anos é o caminho que eu acredito ser o melhor para o futuro de nossa gente. Por isso quero ser Prefeito para fazer ainda mais, seguir em frente, melhorar o que pode ainda ser melhorado, trabalhando com o foco na saúde, na educação, na segurança, na assistência social. Fazendo ainda mais pelo turismo, pelo desenvolvimento e para as pessoas. É para as pessoas que vamos trabalhar. Pelo interior, ampliando investimentos em estradas e na valorização das agroindústrias. Gerando mais empregos e renda. Quero ser prefeito porque estou preparado para seguir transformando nossa cidade, sendo cada dia mais pioneira e referência. Temos propostas concretas, compromissos verdadeiros, assumidos por quem já fez e está fazendo. Gente que faz Bento! Precisamos continuar este ciclo de prosperidade e ainda fazer mais por esta terra que acolhe a tantos e é motivo de orgulho para todos nós.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar? 

Imediatamente colocar em prática nosso plano de governo. Sempre com transparência e diálogo com toda nossa comunidade. Ninguém governa sozinho. Vamos montar nossa equipe de trabalho, estabelecer metas e definir os resultados que queremos atingir. Foco no planejamento, no compromisso assumido, na gestão. A eleição ficará para trás. Iremos governar para todos, pois conhecemos o caminho.

 

MOACIR CAMERINI 

PSB

Por que o senhor quer ser prefeito de Bento Gonçalves? 

Não é nenhum desejo do Camerini. No momento que teve todas aquelas confusões e ataques na Câmara, eu optei por trabalhar em outro setor, cuidar da própria vida, da família, tenho uma esposa com problema de saúde, optei por dar mais tempo para ela e minha filha. E eu nunca aceitei nenhuma situação ilícita. Quando houve o afastamento na Câmara pela perseguição de toda turma do governo atual, eu me retirei, não aceitei nenhum tipo de negociação. Tinha gente pedindo para que eu ficasse quieto e fizesse o meu trabalho. Mas, se é para mim ir lá e me beneficiar de um salário, que é dinheiro público, sem trabalhar, eu prefiro cair fora. Eu me preparei para ser vereador, fiz gestão pública, me dedicava muito em cima dos projetos e era um dos vereadores que mais levantava questões técnicas. Depois do momento que disse que poderia ser um candidato a prefeito começou a perseguição. E muitas pessoas começam a me procurar pedindo que eu fosse o próximo prefeito. Nesse período, mesmo trabalhando em cima da minha máquina retroescavadeira, fui procurado por muitas pessoas. As pessoas diziam que era para eu ser o próximo prefeito, e começaram a surgir muitos pedidos.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar?

 

Primeiramente é assumirmos a prefeitura e ver o estrago que foi feito, principalmente na questão de mau gasto de dinheiro público. Vamos ter que fazer um pente fino. Muitas vezes eu levantava os fatos na tribuna da Câmara, mas não tínhamos o acesso as documentações. Vamos ter acesso, vamos auditar tudo, levantar tudo que aconteceu, cada centavo, e vamos ver a partir daí qual a realidade que nós temos, porque não é a realidade que eles passam.

 

 

 

MÁRCIO JAIR POSSAM

PT

 

Por que o senhor quer ser Prefeito de Bento Gonçalves?

Bento Gonçalves está carente de uma administração pública que acolha devidamente seus cidadãos em seus principais anseios: segurança pública, políticas sociais, planejamento comercial e industrial, incentivo ao turismo, transporte digno e acessível, saúde e educação de qualidade, com valorização dos profissionais. Por isso, quero ser o prefeito de Bento Gonçalves.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar? 

O primeiro passo vai ser avaliar a real situação financeira, fiscal e administrativa da prefeitura. Fazer um raio X da gestão pública e traçar um plano estratégico para implementar nosso programa de governo.

 

 

 

PAULO CALEFFI

PSD, PDT, PTB

 

Por que o senhor quer ser Prefeito de Bento Gonçalves?

Decidi ser candidato a prefeito porque a cidade de Bento Gonçalves precisa de uma gestão renovada e mais eficaz. E porque acredito que, diante dos desafios que temos pela frente, precisamos fazer diferente, agindo agora com os olhos postos no futuro. E nós podemos, queremos e vamos fazer muito mais por Bento Gonçalves. Acredito que ser gestor é dar dignidade às pessoas. Creio que uma gestão eficaz se faz ouvindo as pessoas permanentemente, e que o principal desafio da cidade nos próximos quatro anos será a geração de empregos. Conheço e aceito as responsabilidades do homem público, sobretudo nesse momento de desacerto e ansiedade. Acredito no diálogo e tenho fé no futuro. Eu acredito que as pessoas podem ter uma vida melhor.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar? 

O plano de governo da Coligação Gestão e Trabalho (PSD, PDT, PTB) para a prefeitura de Bento Gonçalves pretende implementar uma nova forma de governar, baseada na gestão eficiente e na transparência. Esta reorganização administrativa, que será implementada nos primeiros seis meses de governo, será organizada em dois eixos estratégicos. Um deles terá como objetivo o desenvolvimento social, voltado aos serviços públicos e direitos sociais, abrangendo questões como ensino infantil e fundamental, atendimento médico, habitação e urbanização, assistência social, proteção aos idosos, deficientes, mulheres e crianças, prevenção à violência e às drogas, entre outros. O segundo eixo terá como meta o crescimento econômico, e contempla ações voltadas à fluidez urbana, infraestrutura e sustentabilidade, além de estímulos ao ambiente econômico. São temas a requalificação de espaços públicos, zeladoria urbana, transporte e mobilidade, atração de investimentos, geração de empregos, empreendedorismo, cultura e turismo, recursos hídricos e saneamento, entre outros.

 

 

 

VOLMAR GIORDANI

PRTB

 

Por que o senhor quer ser Prefeito de Bento Gonçalves?

Por me sentir capacitado e preparado. Estou na cidade que amo e me deu tudo o que tenho, família, amigos, clientes. Vejo uma falta de objetivo dos gestores em dar maior transparência, fazer mais com menos e com qualidade. Colocar a cidade onde merece, buscar obras e ações que resolvam os problemas e priorizam o bem da nossa gente, pois não percebi esta coragem em nenhum outro candidato. Quem me conhece, sabe que tenho.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar? 

Priorizar a geração de emprego e renda e, principalmente, a gestão da saúde pública. Devido à pandemia e, principalmente, às ações dos prefeitos e governadores, que não souberam conduzir a situação e geraram uma onda de desemprego e pânico que afetou a saúde da população, além do próprio Covid 19.

 

 

 

 

VOLNEI TESSER

Cidadania, PSL

 

Por que o senhor quer ser Prefeito de Bento Gonçalves?

Quero ser prefeito porque acredito que todos pensam em fazer coisas boas. O que estamos fazendo é propor ao nosso município o melhor, o correto e o que atende aos interesses do povo. Sem isso, não tem sentido ser candidato.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar? 

Nomear a equipe de governo, garantir a continuidade dos serviços públicos municipais, realizar um diagnóstico do município, garantir os contratos com empresas que forneçam bens e serviços essenciais à continuidade dos serviços públicos, nomear uma comissão especial para verificar a adequação das finanças públicas à lei da responsabilidade fiscal e das contas anteriores junto ao Tribunal de Contas, consolidar a legislação que institui a estrutura organizacional da prefeitura e obter as últimas folhas de pagamento com o local de trabalho de cada servidor.

 

 

 

CARLOS POZZA

PSC

 

O candidato Carlos Pozza não respondeu aos questionamentos em tempo hábil até o fechamento da edição.

 

 

 

 

 

CANDIDATOS PREFEITURA MONTE BELO DO SUL

 

2.993

ELEITORES EM MONTE BELO DO SUL

 

 

ADENIR JOSÉ DALLÉ

MDB

 

Por que o senhor quer se reeleger como prefeito de Monte Belo do Sul?

Minha história de vida é dedicada à vida pública, são quase 30 anos de atuação, sendo que nesta eleição busco meu quarto mandato como Prefeito de Monte Belo do Sul. Esta história foi escrita com base no trabalho, comprometimento e humildade. Nosso maior projeto foi apaziguar a comunidade e trabalhar para todos. Durante toda minha trajetória, busquei me dedicar integralmente ao município e muitas foram as conquistas. Especialmente nesse momento, busco a reeleição da majoritária junto ao meu vice Jorge Benvenutti, pois desenvolvemos, nos últimos quatro anos frente à gestão pública, um trabalho de excelência, valorizando a nossa gente, e que merece ter continuidade.  Acredito no potencial do nosso município e me credencio a continuar fazendo pelo bem da nossa comunidade, projetando um desenvolvimento sustentável e com foco no bem-estar das pessoas, as que aqui vivem e as que nos visitam.

 

Se for reeleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar?

Pretendo dar sequência aos trabalhos realizados nesta gestão que finda, dando atenção a todas as áreas: saúde, educação, segurança pública, agricultura, obras, planejamento. No entanto, é preciso evidenciar o trabalho dedicado à área do turismo, que foi uma das prioridades neste mandato e que, junto à força da cultura local, fez com que Monte Belo do Sul despontasse como um destino turístico em consolidação. Outro projeto que daremos sequência é o de pavimentação asfáltica, contemplando todas as comunidades. Darei continuidade à gestão de respeito e em prol do desenvolvimento, que tem evidenciado nosso município em nível regional, estadual e nacional.

 

 

LIRIO TURRI

PTB

 

Por que o senhor quer se eleger como prefeito de Monte Belo do Sul?

Inicialmente, minha saudação a todos os montebelenses. Gostaria de dizer que desejo ser prefeito de Monte Belo do Sul por várias razões, entre elas para governar de forma justa e correta, Para o desenvolvimento e crescimento de nosso município diante das necessidades atuais. Fui o primeiro prefeito de Monte Belo do Sul, em 1992, e voltei a ser prefeito em 2012. Posso dizer que foi muito gratificante, diante das grandes realizações, onde a população pôde observar. Ser prefeito é colocar seu nome e sua capacidade de gestor para a comunidade. Diante da experiência que ao longo dos anos busquei, sendo 10 anos como vereador e oito anos prefeito, acredito estar preparado para mais um desafio e fazer um governo cheio de realizações que o município necessita.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar?

Como gestor entendo que as providências a serem tomadas são inúmeras: o enxugamento da máquina administrativa, pois diante dessa pandemia que está abalando o mundo não sabemos como e o que poderá acontecer com os recursos orçamentários dos municípios. É muito preocupante readequar, ou seja, organizar a máquina administrativa, buscando se adequar à realidade num todo para termos o registro e controle adequados e necessários que permitam, em minutos, saber a real situação e que poderemos prestar um atendimento de forma eficaz e moderna para a nossa população. Seriam várias as providências, vou me ater a imediata e urgentíssima, que é buscar orientação para uma solução no abastecimento de água em todo o município, seja junto ao Estado e a Corsan, além de buscar recursos por emendas parlamentares ou junto aos ministérios.

 

 

 

CANDIDATOS PREFEITURA PINTO BANDEIRA

 

2.333

ELEITORES EM PINTO BANDEIRA

 

 

HADAIR FERRARI

MDB, PSB

 

Por que o senhor quer ser reeleito prefeito de Pinto Bandeira?

Eu quero ser reeleito prefeito para continuar ajudando a terra que mais amo, a terra do nosso povo, que é um povo diferente, um povo acolhedor. Eu diria que tudo que foi feito aqui, foi feito com a maior alegria, energia, tudo que nós poderíamos fazer de melhor para Pinto Bandeira. Queremos que a nossa cidade continue crescendo para que o pessoal daqui se sinta bem, para que a cidade possa crescer como cresce na agricultura. Nosso povo é muito trabalhador, tem muita energia e quer, cada vez mais, crescer. Eu estou fazendo o meu trabalho e espero continuar fazendo para que consiga fazer igual que fazem na casa deles, crescer e ter uma vida cada vez melhor.

 

Se for reeleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar?

Se for reeleito, vou continuar fazendo o que estou fazendo. Primeiramente, vamos fazer os calçamentos na parte urbana, em três pontos. Segundo nosso plano de governo, no primeiro ano vamos nos dedicar à parte urbana. Depois, vou inaugurar a creche e, no ano seguinte, o posto de saúde. Uma vez resolvido isso, vamos querer terminar o pórtico, que também está em andamento. Tem o asfalto da Linha Brasil, que vai ir até a igreja, e tem a ligação do asfalto da Busa com Bento Gonçalves, que também já está sendo asfaltado. Vamos querer ter toda via pavimentada para criar uma extensão com os Caminhos de Pedra, para que o turista possa continuar vindo a Pinto Bandeira. Pretendemos continuar fazendo alargamento de estradas. Nesse mandato, alargamos 12,2 quilômetros. Da mesma forma, queremos alargar ainda mais e fazer pavimentação asfáltica em diversas Linhas do município. Pensamos que, se cada um faz um pequeno trecho de asfalto, um dia vai ter asfalto em todo interior do nosso município. Vamos concluir a nova unidade básica de saúde. Na educação, vamos concluir a creche.

 

 

JOÃO POZZATTI

PDT, PTB

 

 

CANDIDATOS PREFEITURA SANTA TEREZA

 

 

1.713

ELEITORES EM SANTA TEREZA

 

GISELE CAUMO

PTB

 

Por que a senhora quer ser eleita prefeita de Santa Tereza?

Sou filha de Santa Tereza! Minhas raízes estão fixadas neste belo e pequeno paraíso. O amor, aliado ao ensejo de desenvolver e edificar um trabalho justo e igualitário voltado a atender a todos os cidadãos santaterezenses, são critérios que alio ao imenso desejo de governar minha cidade. Almejo ser prefeita para possibilitar à minha terra a oportunidade de renascer e se reestruturar. E, desta forma, proporcionar ao nosso povo condições dignas de trabalho, lazer e sustentabilidade, garantindo a continuidade e a perpetuação das novas gerações. Quero ser prefeita para trabalhar com humildade, honestidade e responsabilidade, sem exclusões ou distinções, devolvendo à nossa gente a certeza de que a cidade será oportunizada a vivenciar “um novo tempo”.

 

Se for eleita, quais serão as primeiras providências que irá tomar?

Uma de minhas primeiras diligências será formar uma equipe de governo qualificada, capacitada e comprometida, para que assim, junto a ela, possa averiguar a real situação de cada área que engloba o município, agindo com iminência na busca de soluções, objetivando desta forma sanar os problemas julgados como urgentes de resolução. Alio também como providência inicial a construção de uma parceria junto ao Poder Legislativo, visando a união das siglas partidárias, consolidando desta forma a captação constante de recursos junto as esferas federal e estadual. Outra medida que tratarei com relevância é o incremento da arrecadação, engrandecimento este que se dará através do apoio propiciado a nossa agricultura para fins de ampliação da produção, incentivo para instalação de empresas e fomento ao desenvolvimento do turismo. Por fim, enfatizo que, ao longo dos quatro anos de gestão, serei fiel ao cumprimento do compromisso assumido diante da concretização de meu plano de governo, que foi elaborado com responsabilidade e carinho, de acordo com os anseios de nossa comunidade, para que assim, o nosso povo possa desfrutar da vivência de um novo tempo em Santa Tereza.

 

 

 

 

GILNEI FIOR

MDB

 

 

Extinta a transferência de votos entre partidos para ocupação de cargos no poder Legislativo

 

A corrida eleitoral segue intensa e fervendo, não apenas no que tange ao Executivo, mas também ao Legislativo. Bento Gonçalves tem 245 candidatos à Câmara de Vereadores, sendo que apenas 17 serão eleitos para ocupar uma cadeira na chamada Casa do Povo. O Integração conversou com o chefe do Cartório Eleitoral de Bento Gonçalves, Ricardo de Abreu, sobre as principais mudanças na próxima eleição municipal em relação às anteriores.

 

 

Quais são as principais mudanças para o pleito eleitoral de 2020?

Ricardo de Abreu: As eleições municipais deste ano trazem algumas mudanças que pretendem corrigir distorções no processo eleitoral. Uma delas é o fim das coligações para as eleições proporcionais. Isto é, não será permitida a formação de alianças para as vagas no Legislativo. A transferência de votos entre legendas diferentes só poderá ocorrer no Executivo, para o cargo de prefeito.

Para o Cartório, a principal mudança é a tramitação dos processos eleitorais por via eletrônica, não havendo mais processos físicos. Para os eleitores e mesários, as mudanças são enormes em função da pandemia. Vários procedimentos estão sendo preparados em relação à prevenção de contágio da Covid 19. Tais procedimentos estão sendo divulgados de forma institucional à medida em que são confirmados. Os eleitores devem sempre buscar as informações nos canais oficiais da Justiça Eleitoral na Internet, evitando, assim, a propagação das chamadas fakenews que servem apenas para criar confusão e insegurança desnecessárias.

São mudanças que visam atender às demandas eleitorais, de forma a melhorar a prestação de serviços da Justiça Eleitoral. Os cidadãos, atualmente, têm à sua disposição, nos sítios da Justiça Eleitoral, orientações a respeito dos serviços e documentos que podem ser obtidos eletronicamente.

 

Quantos candidatos pode haver por partido?

Ricardo de Abreu: Para Vereador, uma vez e meia o número de vagas na Câmara Municipal de Vereadores. Em Bento Gonçalves, são 26 candidaturas possíveis para cada partido.

 

Como a justiça deve agir com relação à produção de fake news na internet?

Ricardo de Abreu: Com campanhas preventivas, que já vem sendo realizadas e que continuarão sendo feitas durante todo o período eleitoral. Orientamos fortemente que os cidadãos busquem as informações nos canais oficiais da Justiça Eleitoral. E que busquem de forma autônoma, sem intermediários.

 

Como os eleitores podem denunciar o uso de fake news durante a campanha?

Ricardo de Abreu: Pensamos que é sempre melhor ignorar as fake news no lugar de denunciá-las, pois na maioria dos casos perde-se muito tempo com isso e, normalmente, não se chega efetivamente a lugar algum. Ignorando ou confrontando notícias falsas com a verdade é a melhor saída para combater fake news, na minha opinião.

 

Considerações.

Ricardo de Abreu: As eleições só acontecem porque há participação dos cidadãos. Esperamos que todos contribuam com uma eleição onde sejam respeitados os princípios democráticos que fundamentam a Constituição Federal.

Foto: André Pellizzari 

The Big Rotation Theory

Dr Antonio Carlos Koff

Médico, Cientista, Filósofo, Humanista

Conhecer o início e o fim do universo é o maior triunfo do ser humano, é conhecer a mente de Deus

 Teorias que afirmam que o universo se originou de uma grande explosão não encontram suporte na lógica e não explicam nada. Se tudo se originou de uma grande explosão, é porque já havia ALGO antes para explodir e, portanto, esse não foi o início.

O cosmo não nasceu de uma explosão, mas de uma colossal e inimaginável expansão súbita, girando em círculo permanente, com grande densidade, altíssima temperatura e bolas de fogo, num verdadeiro inferno borbulhante. O universo está se expandindo e resfriando, ao mesmo tempo em que a matéria é distribuída na mesma proporção em todo o cosmo.

Alguns físicos têm certa dificuldade para chegar à verdade porque utilizam apenas o raciocínio dedutivo (daqui para frente), e se esquecem de utilizar também o raciocínio indutivo (daqui para trás).

Partindo da premissa fundamental de que sem rotação não há matéria, fica mais fácil compreender o que realmente ocorreu. Tudo está continuamente rodando, rotação é condição primária para a existência da matéria e tudo gira em torno de um eixo e de um centro.

Afirma a física que a gravidade foi a primeira a surgir e a dar origem a tudo. Os físicos estão, de certa forma, confusos. Não explicam o que é a gravidade. Na realidade, gravidade é a consequência da rotação, é a afetação da substância universal pelo corpo rotatório. Em outras palavras: o corpo em rotação afeta a substância universal que está ao seu redor, no sentido rotativo. Mas convém dizer que foi a própria rotação da substância universal quem acabou por formar os corpos rotativos (matéria).

A gravidade foi a primeira a surgir e a dar origem a tudo. Começou a sugar poeira e gás, que compõem as nebulosas. Essas nuvens de gás interestelar, constituídas por poeira, hélio e hidrogênio, é que dão origem às estrelas. Galáxia é uma gigantesca acumulação de bilhões de estrelas, poeira e gás, unidos pela força gravitacional oriunda de rotação. No seu centro sempre existe um buraco negro, que atrai e devora tudo o que está ao seu redor. A força que une as galáxias é a gravidade espiral e parece obedecer a uma força que está no centro. Quando elas se chocam, saem nuvens de gás e poeira. Continuamos a ver, pois, que tudo está sempre rodando e se transformando. A única coisa que não muda é a própria mudança.

Somos formados de restos de estrelas. No universo não existe espaço e nem tempo, porque são grandezas virtuais que só aparecem quando existe matéria. O universo assemelha-se a uma esponja, onde quase tudo é oco. O núcleo é 100.000 vezes menor do que o átomo.

Até pouco antes do início do funcionamento do maior observatório astronômico do mundo, o do deserto de Atacama, no Chile, havia sido constatada a existência de 400 bilhões de galáxias, cada qual com bilhões de estrelas, muitas dessas galáxias maiores que a Via Láctea, que é a nossa galáxia.

 

Apesar da imensidão deste universo, que continuamente se modifica com movimentos e colisões, a quantidade de hidrogênio é limitada. Quando acabar o hidrogênio, não se formarão mais novas estrelas. O combustível das estrelas são os núcleos de hidrogênio que se fundem a milhões de graus de temperatura.

Um bilhão de anos após a Big Rotation formou-se a primeira galáxia. Nove bilhões de anos após a Big Rotation formou-se o sol e, com ele, a terra. A vida levou 4 bilhões de anos para se desenvolver.

Para entender o universo é preciso estudar a luz. Ao ler os trabalhos de Louis de Broglie, tivemos o primeiro lampejo para lançar a “The Big Rotation Theory”. Em 1924, esse físico matemático francês juntou dois fatos comprovados para criar sua tese, que foi aceita pela comunidade científica, a respeito da natureza da luz. Discutia-se, naquele tempo, se a luz era constituída de ondas ou de corpúsculos.

De acordo com ele, se a luz se comporta como onda conforme se mostra nos fenômenos de reflexão, refração, transmissão, difração e interferência, é porque é onda, e se é de natureza corpuscular conforme comprovado por equipe internacional em eclipse do sol na cidade de Sobral, no Brasil, no início do século vinte, é porque é corpúsculo.

Então, segundo ele, a luz é constituída de corpúsculos, mas que se propagam sob a forma de ondas. E agora surge uma pergunta inevitável: por que os fótons, que são os corpúsculos da luz, não se propagam em linha absolutamente retilínea, mas sim em oscilações ondulatórias em forma de onda? “Só pode ser porque encontram obstáculo”. E o que seria esse obstáculo? Só pode ser o mar energético universal, que é causa de tudo.

Assim como é certo que no fundo de um vale corre um rio, assim também é certo que no centro de uma galáxia há um buraco negro e ele faz girar tudo ao seu redor. Isso se assemelha a um redemoinho. O buraco negro vai sugando tudo que está ao seu redor e devolvendo a matéria ao mar energético universal. Mas por que surgem esses redemoinhos? Só pode ser por agitação da substância universal que tudo permeia. E qual foi a causa e o motivo dessa tremenda e incomensurável agitação? Provavelmente nunca o saberemos. Porém, é indubitável que este é um universo inteligente. A inteligência encontra-se em cada ser, em cada partícula, em cada molécula, em cada átomo e, com o tempo, viríamos a compreender que se encontra no próprio espaço.

O nada não existe e, conforme vimos, tudo teve origem na substância universal infinitamente tênue, imperceptível, mas real, a qual não teve princípio e nem terá fim. Isso é a base da “The Big Rotation Theory”.

 buraco negro 2

CONTANDO MEMÓRIAS

Pedro Maria Gonçalves

Esta coluna, assinada com o pseudônimo de Pedro Maria Gonçalves, foi criada para reportar histórias engraçadas e fatos pitorescos ocorridos em Bento Gonçalves e outros municípios da região, com os nomes dos envolvidos devidamente preservados. A proposta é de resgate de memórias de histórias ainda não registradas, para legado à posteridade. Se você, caro leitor, souber de fatos e histórias do perfil editorial da coluna que mereçam ser registrados, nos contate na redação. Vamos adorar reportar!

tourada

A tourada que não aconteceu

Vou começar contando a história de uma tourada que não aconteceu, na década de 1960, época em que a população de Bento Goncalves girava em torno de 35 mil habitantes. Eu tinha entre 10 e 11 anos de idade. Era uma tarde muito fria. Brincávamos na rua quando vimos diversos caminhões chegando em um terreno baldio, situado na esquina da rua 13 de Maio, com a General Osório, que era utilizado por circos que visitavam a cidade. Os recém chegados levantaram uma paliçada, uma espécie de cerca de madeira grossa. Aí instalaram uma arquibancada e se formou uma arena, e nós olhando. Vendo nossa curiosidade infantil, falaram que à noite ia ter tourada no local. As touradas tinham sido proibidas pelo presidente Getúlio Vargas, na década de 1940. Mesmo assim, aconteciam clandestinamente, de forma itinerante. Eles não tinham touros. Em cada cidade alugavam um de matadouro para o evento. Eu não tinha dinheiro para o ingresso, que aconteceria às 8 horas da noite, mas meu padrinho pagou e lá fui eu, todo feliz, ver a novidade. O público, de cerca de 150 pessoas, lotava as arquibancadas, enfrentando um frio medonho. Não sei como foi a divulgação, mas funcionou. O touro, alugado em um frigorífico local, foi transportado de caminhão até a arena improvisada. Desceu do veículo, que estava de ré, empacando na entrada. Tanto o toureiro como as pessoas que tinham transportado o touro tentaram, de várias maneiras, forçar a movimentação do animal. A plateia gritava que o touro era velho. Ficaram lá por 30 minutos tentando movimentar o animal, de várias formas. Só faltou botar fogo embaixo do rabo dele.  Aos organizadores, restou cancelar a tourada. A maioria queria o dinheiro do ingresso de volta. Eles enrolaram, prometendo o espetáculo para a noite seguinte, com outro touro.  Mas, no dia seguinte já não tinha ninguém lá.  Chegaram ao entardecer e sumiram ao amanhecer.

O eucalipto voador

Outro fato malogrado que nos anos 1960 presenciei com amigos de infância foi uma tentativa de derrubar um eucalipto com duas bananas de dinamite, numa área urbana arborizada, com árvores frutíferas, na esquina da rua General Osório, para continuidade da rua 13 de Maio, que ligaria o Centro ao Botafogo.

 

Essa era uma tarde, como tantas outras, em que nos reuníamos sentados no muro onde atualmente está localizado o Clube Corintians, quando vimos dois homens entrando no bosque, parando ao lado de um grande eucalipto. Logo após começaram a perfurar o tronco do eucalipto, com arco e pua. Sentindo que iríamos presenciar algo estranho, nos entrincheiramos num terreno baldio nas imediações. Não deu outra. Eles colocaram as dinamites nos furos do caule do eucalipto e acenderam o estopim. O eucalipto subiu como um foguete, caindo do outro lado da rua, derrubando a rede elétrica de 22 mil volts, que abastecia toda a cidade. Foi um forte estouro, com faíscas para todo o lado, sendo que a terra ficou esturricada. A cidade ficou mais de um dia sem luz, pifaram motores de indústrias, foi uma zona total.

Compadecidos com o artista

Nos meados dos anos 1970 era raro acontecer, na cidade, shows de artistas de projeção nacional. Por isso, fiquei surpreso ao me deparar com um cartaz no Aliança anunciando uma apresentação do cantor, compositor e escritor carioca Jorge Mautner* no clube, para logo mais à noite. Até hoje não sei quem promoveu a vinda do artista ultraesquerdista ao município, em pleno regime militar. Sei que eu era uma das seis pessoas da plateia, que ficou compadecida com o artista pela situação. Foi então que alguém deu a ideia de levar ele para se apresentar num baile que iria acontecer no Susfa. Fui um dos que se dispuseram a acompanhar Mautner até o clube para providenciar a apresentação dele durante a festa. A presidência do clube ficou honrada, após uma breve apresentação do currículo do artista e o conjunto que tocava o baile logo dividiu o palco. A maioria dos que estavam no local não conhecia as músicas de Mautner e aí pela terceira interpretação alguém começou a vaiar, seguido por muitos. Fiasco total!

 

*Jorge Mautner ingressou no Partido Comunista Brasileiro em 1962. Foi preso em 1964 como ativista político. É liberado, sob a condição de se expressar mais “cuidadosamente”.  Em 1966, vai para os Estados Estados Unidos, onde trabalha na Unesco, na tradução de livros brasileiros. Conhece Paul Goodman, sociólogo, poeta e militante pacifista anarquista da nova esquerda, de quem recebe significativa influência. Em 1970, vai para Londres, onde se aproxima de Caetano Veloso e Gilberto Gil. Volta ao Brasil e começa a escrever no jornal O Pasquim. Nesta época, conhece Nélson Jacobina, que seria seu parceiro musical nas décadas seguintes. Em 10 de dezembro de 1973, no período mais duro da ditadura militar, participa do Banquete dos Mendigos, show-manifesto idealizado e dirigido por Jards Macalé, em comemoração dos 25 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Obras do restauro da Igreja Cristo Rei são concluídas

A Igreja Cristo Rei, considerada uma das mais belas de Bento Gonçalves, completa 66 anos em 14 de novembro e em grande estilo. Neste ano o santuário foi renovado com uma restauração histórica em suas pinturas, piso e vitrais. Foram pelo menos quatro meses de trabalho de pintura interna do espaço, mas com um processo longo de planejamento e execução da obra completa. As primeiras etapas da obra iniciaram em 2016, com as escadas da entrada da igreja.

O pintor e artista plástico Rui Stefani foi o responsável pela restauração das pinturas internas e não esconde o orgulho de ter contribuído com essa etapa histórica da Igreja Cristo Rei.

“Essa pintura estava descascando muito, e eu dei umas corrigidas, na questão da anatomia, o material em si é o mesmo material, que é tinta acrílica, e se não tiver problema de reboco a durabilidade é de até 200 anos. Fizemos algumas modificações, mas sempre dentro do restauro e mantendo a originalidade e realçando as cores. Agora com esse restauro deu uma clareada. Eu já pintei outras igrejas e posso dizer que fico muito feliz de ter participado, contente pela confiança que depositaram na minha pessoa, porque eu já trabalho com isso por muitos anos. Fico muito feliz por ter participado. Agradeço ao padre, comissão que depositou essa confiança em mim. Isso me deixou muito orgulhoso”, afirma.

pintor

Pintor Rui Stefani, responsável pela restauração dos desenhos das paredes internas da igreja

 

Cronologia do processo de restauro da Igreja

Escadas da entrada da Igreja (2016)

Duas sacristias (2017 e 2018): com a ampliação e reforma, foram criadas novas salas, através de mezaninos, para o Belenzinho e para guardar o material da festa.

Pintura Externa: antes pensada para 2020 ou 2021, foi realizada no ano de 2019, para celebrar os 70 anos da criação da Paróquia Cristo Rei.

Lavagem e restauro da parte externa dos vitrais (2019)

Sinos: inclusa toda parte mecânica e elétrica (2019)

Colocação das tesouras de ferro para sustentação do telhado na parte superior (2019)

Limpeza geral da parte superior (2019)

Troca de toda rede elétrica da parte superior e inferior (início no mês de junho de 2020)

Pintura interna (junho de 2020). Antes planejada para ser realizada nos anos de 2022-2023, foi realizada em 2020

Restauros das oito pinturas (afrescos) (2020) e pintura da imagem do Espírito Santo (2020)

Piso (Setembro de 2020): limpeza do porcelanato e pintura com PU.

Fotos: Rodrigo De Marco 

igreja nova

igreja nova 2

 

Confira os planos de João Pozzatti para a prefeitura de Pinto Bandeira

João Pozzatti (PDT) é o candidato à prefeitura de Pinto Bandeira e está otimista quanto à eleição, afirmando que irá investir forte na saúde, educação, agricultura e mobilidade urbana.

Por que o senhor quer ser prefeito de Pinto Bandeira?

Eu quero ser prefeito para melhorar o sistema de saúde em sua totalidade, eliminando os agendamentos de consultas, contratando mais médicos clínicos gerais e especialidades, implantar o turno estendido para facilitar o atendimento aos agricultores e aos trabalhadores de empresas públicas ou privadas. Na agricultura quero aumentar a quantidade de horas máquinas terceirizadas e diminuir o valor que hoje é cobrado por hora. Com isso será possível melhorar a qualidade de vida da população e facilitar a ampliação das plantações de parreirais, pessegueiro,  ameixas, caqui, entre outras com um custo menor ao agricultor.  Pavimentar as ruas na área urbana e dar continuidade da pavimentação na área rural.

Quero fazer isso de forma igualitária para toda a população pintobandeirense, que é acolhedora, trabalhadora, lutadora, batalhadora, hospitaleira. Também quero investir na educação que é a base da sociedade com cursos de qualificação para professores e ofinas para os alunos. Construir o plano de carreira dos funcionários públicos. Melhorar a qualidade de internet em toda área do município para viabilizar a comunicação e a vinda de turistas.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar?

Organizar o sistema único de saúde solucionando o problema da falta de  médicos e medicamentos. Concluir a obra da UBS, da creche, do asfalto da Linha Busa e Linha Brasil e dar continuidade ao alargamento de estradas e pavimentação. Aumentar o número de horas máquinas terceirizadas e diminuir o valor que hoje é cobrado para incentivar o agricultor e permanência dos jovens na agricultura. Dar início ao projeto turístico da cidade. Buscar parceria junto ao governador do Estado para solucionar o problema da nossa rodovia VRS855. Melhorar a infraestrutura urbana. Trabalhar em parceria com a Câmara de Vereadores na busca de emendas parlamentares para obras e melhorias no município.  Construção do pórtico.

Para encerrar quero dizer que no decorrer dos quatro anos serei fiel ao compromisso que assumi no plano de governo junto a comunidade de Pinto Bandeira. Farei isso com responsabilidade, respeito, humildade e diálogo com o povo.

Confira os planos de Gilnei Fior para a prefeitura de Santa Tereza

O atual prefeito de Santa Tereza, Gilnei Fior, está concorrendo à reeleição pelo MDB e afirma estar disposto a dar continuidade com excelência ao trabalho que vem realizando no município. Segundo Fior, a sua gestão foi a que mais se empenhou em buscar recursos federais para a pequena Santa Tereza.

Por que o senhor quer se reeleger à prefeitura de Santa Tereza?

Quero dar continuidade ao trabalho que estamos desenvolvendo, pois ao longo destes quatro anos, entre tantas dificuldades, aumentamos o número de empregos, através de incentivos para a instalação de uma nova empresa, ampliação de uma já existente e outra nova empresa que terá o início de sua instalação ainda este mês, proporcionando um maior desenvolvimento econômico, o município teve um aumento considerável na participação do ICMS do Estado: 12,45 %, resultado do aumento da produção. Conseguimos mais de dois milhões de recursos em verbas federais, com isso foi possível adquirir maquinários e equipamentos, realizar diversas obras de melhorias, pavimentação asfáltica, entre outros. Está em andamento a obra para revitalização da Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, e já possuímos a empresa contratada para revitalização da Praça Municipal (Antigo Camping) – Etapa 1. Quero me reeleger para poder fazer muito mais por Santa Tereza, pois sei do potencial de nosso município, sou filho desta encantadora cidade e acredito que “Santa Tereza não pode parar”.

 

Se for eleito, quais serão as primeiras providências que irá tomar?

Se reeleito, procurarei, primeiramente, concluir todos os projetos que já estão em andamento e que por falta de recursos financeiros não foi possível finalizá-los. Desenvolvemos um plano te trabalho para os próximos anos com a visão das necessidades e das possibilidades para serem concretizadas e com possibilidades reais de serem cumpridas. Somos a gestão que mais foi em busca de recursos federais e vamos continuar trabalhando fortemente para conseguirmos ainda mais recursos, pois sabemos o caminho, e assim, promovermos o desenvolvimento de nosso Município, englobando as áreas de agricultura, educação, saúde, obras, turismo, esporte e lazer e demais setores, observando as peculiaridades de cada uma, para que Santa Tereza possa continuar crescendo. Sou agricultor, o que me honra muito, uma pessoa simples e humilde, sempre trabalhei com responsabilidade e honestidade, não prometendo o que não pode ser cumprido. A minha bandeira de trabalho sempre foi e sempre será: trabalhar para todos. Em meu gabinete sempre trabalhei com a porta aberta, pronto para receber os que precisassem conversar ou fazer alguma solicitação ou apresentar sugestões.

Confira os homenageados da Feira do Livro 2020

Os sorrisos escondidos pelas máscaras, deram destaques para olhares emocionados durante o anúncio dos homenageados da 35ª Feira do Livro de Bento Gonçalves. O convite ao trio de homenageados foi realizado nesta sexta-feira, 02, no gabinete do Prefeito Guilherme Pasin.

 

O Secretário de Cultura, Evandro Soares foi o responsável por anunciar os nomes. O primeiro hoemangeado da feira é o jornalista e escritor Alceu Salvi Souto. O comunicador chegou a Bento Gonçalves em 1945, aos nove anos. Tem cerca de 50 anos dedicados ao rádio bento-gonçalvense e é escritor de obras como “Uma História de 50 anos” e recentemente juntamente com Fabiano Mazzotti participou da obra “Um século alvi azul”, que conta a trajetória do Clube esportivo.

 

O jornalista aceitou o convite e deixou o homenageado do ano de 2018, como responsável por ser seu representante, e ainda brincou. “Se é para o bem de todos, aceito. Mas, com uma condição que o Fabiano seja meu representante nessa jornada, nesta Feira do Livro. Estarei presente através dele”, disse.

 

Neste anos também foram escolhidos homenageados para o tema e de projetos culturais.

 

Já que em 2020 a Biblioteca Pública Casto Alves comemora 80 anos de laços com a comunidade, foi escolhida como o tema Feira. Representando esse mundo dos livros, a segunda homenageada é a bibliotecária Eunice Pigozzo, que trabalhou durante 30 anos na biblioteca, participando das edições da Feira do Livro. “Me emocionei, e aceito a convocação. Fico honrada, e seguirei levantando bandeiras para que a biblioteca siga sempre em evolução”, disse.

 

100% digital e com foco no incentivo à leitura, a 35ª Feira do Livro será transmitida pela plataforma Youtube e pela página oficial do Facebook da Feira do Livro. As atividades vão englobar shows musicais, bate-papo com escritores, oficinas, palestras, lançamento de livros e e-commerce.

 

O terceiro homenageado tem o objetivo de destacar os projetos contemplados pelo Fundo Municipal de Cultura. O escolhido para representar é o escritor, Rogério Rodrigues criador do projeto Contantes. “O projeto nasceu da necessidade de se estimular uma construção dialógica de novas vozes para a escrita a partir de conversas com amigos e pessoas ligadas a cultura no município que identificaram falta de cursos de formação literária na região. E minha necessidade como escritor iniciante de formação, de um ambiente de trocas com outros escritores também principiantes. Fico muito contente em poder representar os escritores”.

 

Para o Secretário Evandro a feira completa seu objetivo de reconhecer personalidades da nossa cidade. “Já é tradição esse reconhecimento pelos talentos da nossa terra, de pessoas que fazem a comunidade cultural da cidade. Neste ano não poderia ser diferente e liderando esse trio, temos Alceu Salvi Souto, uma figura singular de nossa cidade e ligado ao mundo da comunicação”.

 

O Prefeito Guilherme Pasin destacou que “os homenageados enaltecem as bandeiras do Município, evidenciando a importância da cultura em suas mais variadas formas. Seja ela nas ondas do rádio, dentro de uma biblioteca ou com escritores iniciando no mundo da literatura. Parabéns, é um orgulho tê-los nesta edição tão importante”, destaca.

 

O gerente do SESC, parceiro da feira, Jaques Facchineli celebrou “a cidade que respira cultura, e sabe construir um trabalho com união e tão belas personalidades”, finaliza.

 

Participaram a secretária de Educação, Iraci Luchese Vasques, a bibliotecária Paula Porto, presidente do Conselho deliberativo do Esportivo, Gilberto Durante e  homenageado da Feira do Livro em 2018, Fabiano Mazzotti.

 

As transmissões dos encontros com escritores vão ocorrer somente no Youtube, tendo como público-alvo as escolas, mas será aberto ao público em geral. Já as outras atividades vão ser no Facebook e no Youtube e são destinadas para público em geral.

 

A 35ª Feira do Livro é realizada através da Lei de Incentivo a Cultura, pela Prefeitura de Bento Gonçalves, Secretarias de Cultura e Educação, Fundação Casa das Artes, Biblioteca Pública Castro Alves e Sistema Fecomércio-RS/Sesc. Apoio Vem Delivery, Hotel Vinocap e Curso de Design da Universidade de Caxias do Sul. Patrocínio Sulgás – Viva com essa energia, Anderle Transportes, CAIXA, O Banco de todos os Brasileiros, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal – Pátria Amada Brasil.

 

Acompanhe a programação nos canais:

35ª Feira do Livro de Bento Gonçalves:  https://www.youtube.com/c/feiradolivrobentogoncalvesrs

https://www.facebook.com/feiradolivrobg

 

Cultura Bento

https://www.youtube.com/channel/UCbll9-D40b0DmuBjpXbhkuQ

https://www.facebook.com/culturabentogoncalves

Foto: João Pedrassani

Festa Nacional da Música é transferida para 2021

Em virtude da pandemia do coronavírus, a Festa Nacional da Música foi transferida para outubro de 2021. O anuncio foi realizado nesta segunda-feira, 05, pelos responsáveis da festa Manoela e Fernandinho Vieira, que estiveram reunidos com o Prefeito Guilherme Pasin. O secretário de Turismo, Rodrigo Parisotto, adjunto de Governo, João Pedrassani e Ricardo Vieira também participaram do encontro.

 

A atração, que reúne grandes nomes da música brasileira teve duas edições no Município. Em 2019, a Festa Nacional da Música e Festival Promessas reuniram juntas 35 mil pessoas. Além disso, os estudantes da rede pública e grupos da Terceira Idade tiveram momentos com os artistas. O evento permitiu também a doação de cerca de 5,5 toneladas de alimentos, arrecadados durante as atividades, que foram entregues às famílias em vulnerabilidade social.

 

“A próxima edição do evento será certamente uma grande homenagem ao idealizador Fernando Vieira. Bento tem orgulho de ter feito parte desta história de sucesso e amor pela música, e isso precisa continuar”, destaca o Prefeito.

 

O idealizador do evento, Fernando Vieira faleceu no dia 16 de setembro após um mal súbito.