Maio é marcado pelo combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Alusivo ao dia 18 de maio, Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o mês de maio é marcado por ações de combate e conscientização acerca do tema.

Todos os anos, durante o mês, uma programação repleta de mobilizações, caminhadas e capacitações dá visibilidade a importância da discussão e reflexão sobre a causa, da geração de identificação na sociedade, da criação de políticas públicas, da denúncia, entre outros pontos.

Dentro da programação, a Campanha Faça Bonito busca mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes. A iniciativa tem como símbolo uma flor, lembrança dos desenhos da primeira infância, também associada à fragilidade de uma criança.

Em Bento Gonçalves, a Campanha é coordenada pelo Comitê Municipal de Enfrentamento das Violências contra Crianças e Adolescentes, composto pelas secretarias de Esportes e Desenvolvimento Social, de Educação e de Saúde, Conselho Tutelar, Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (COMDICA) e rede de proteção à criança e ao adolescente.

No município, a Lei 6414/2018 obriga os estabelecimentos públicos a divulgarem o Disque 100 (Dique Direitos Humanos) – serviço que recebe, analisa e encaminha denúncias de violações de direitos humanos – através do adesivo da campanha.

Segundo o levantamento do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, dos 159 mil registros feitos ao longo de 2019 pelo Disque 100, 86,8 mil são de violações de direitos de crianças ou adolescentes, um aumento de quase 14% em relação a 2018.

Em virtude do contexto de pandemia em face do Coronavírus (COVID-19) neste ano as ações foram reformuladas, de forma a não incentivar a abordagem direta da população, eventos de conscientização, palestras, seminários presenciais, entre outras atividades que resultem em aglomeração de pessoas.

O Comitê Municipal de Enfrentamento das Violências contra Crianças e Adolescentes trabalha no envio de materiais informativos aos serviços de assistência social para que as equipes falem sobre o assunto nos atendimentos. Outras atividades de forma online também estão sendo estudadas.

Na tarde desta segunda-feira, 18, marcando o Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, durante a sessão da Câmara de Vereadores, o Conselho Tutelar, por meio dos seus cinco representantes, esteve divulgando a campanha. O Conselho Tutelar junto à Brigada Militar também realizou uma sensibilização em frente à Prefeitura, na Praça Via Del Vino.

Foto: Divulgação 

Oficina online de pandeiro e ritmos brasileiros inicia dia 26 de maio

No dia 26 de maio, a Akara Produções inicia sua Oficina Online de Pandeiro e Ritmos Brasileiros, com a facilitadora Natália Giacomello. O curso ocorre nas terças-feiras nos meses de maio, junho e julho e serão ministrados ritmos como samba, coco e afoxé. O horário da oficina é das 19h30 às 20h15 e as inscrições podem ser realizadas por meio deste link: http://www.akara.com.br/

Natália Giacomello atua na área de Educação e Cultura desde 2006. Atualmente, tem se dedicado à produção cultural e à pesquisa sobre a percussão e temas voltados à Cultura Popular Brasileira. É coordenadora da empresa Akará e é integrante e capoeirista da Áfricanamente Escola de Capoeira Angola.

A Oficina online de Pandeiro e Ritmos Brasileiros conta com o apoio da Secretaria de Cultura.

Serviço

O que: Oficina online de Pandeiro e Ritmos Brasileiros

Início: 26 de maio. Após, todas as terças-feiras de maio, junho e julho

Horário: 19h30 às 20h15

Arte e foto: Divulgação/Akará Produções 

“Nós precisamos aceitar os desafios”

Dona Odete Bettú Lazzari, responsável pela Osteria Della Colombina, falou em live promovida pelo CIC-BG

Embora cada crise tenha suas particularidades, todas elas costumam impor condições que obrigam os empreendedores a reverem seus modelos de negócios. Para Odete Bettú Lazzari, convidada da live desta segunda-feira (18) do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), as dificuldades começaram antes mesmo de ela ser empreendedora. “Eu não tive tempo para chorar as mágoas, nós precisamos aceitar os desafios”, disse a proprietária do restaurante Osteria Della Colombina, em Garibaldi.

O recado se aplica ao momento vivenciado por muitos empreendedores com a crise causada pelo coronavírus. Viúva aos 47 anos – hoje está com 70 –, ela precisou assumir sozinha a criação de quatro filhas e a administração da propriedade rural de 13 hectares. “Nós havíamos investido nas terras e eu, com quatro meninas e sem estrutura financeira, precisava arcar com os problemas. Mas ao invés de me desesperar eu me encorajei para encontrar uma saída e reorganizar nossas vidas”, contou Odete.

Foi um anúncio ouvido no rádio que mudou a vida da família. À época, havia um projeto de fomento para o turismo rural, e Odete se inscreveu. “Eu não tinha certeza que daria certo, não sabia se eu teria sucesso, mas nunca desisti e sempre trabalhei”, lembrou, após passar por um período de dois anos de cursos e qualificações. No começo, até a louça e os utensílios eram emprestados. “Eu fui devagarzinho, sempre, mas deu certo”.

Claro que a crise do coronavírus atingiu o restaurante. Reservas foram canceladas e os turistas foram rareando assim que as medidas de isolamento foram colocadas em prática. Os colaboradores foram temporariamente afastados por conta da segurança, e as medidas de higienização que já existiam pelo manuseio de alimentos foram redobradas. “Precisamos nos conscientizar, não adianta maldizer a situação. Precisamos ir trabalhando nosso espírito porque isso vai passar”, disse Odete.

Uma das formas para manter o movimento foi implantar um sistema de delivery dos produtos da casa. Além de estimular a atividade gastronômica que deu fama ao local, a iniciativa repercutiu na rede parceira da Osteria Della Colombina, formada por pequenos produtores, como explicou Raísa, uma das filhas de Odete, também presente na live do CIC-BG. “Neste momento, é importante a união para ganharmos força, criando uma rede positiva para o desenvolvimento de toda região”, comentou Raísa, responsável pela administração do restaurante.

A Osteria Della Colombina é um exemplo de como lidar com a sucessão nas empresas familiares. Todas as filhas de Odete trabalham no restaurante, condição que aconteceu de forma natural, a partir da delegação de responsabilidades às filhas. “Eu lembro que quando ia para a escola, com 15 anos, já aproveitava para fazer serviço de banco”, disse Raísa. A irmã Rosângela cuida dos produtos agrícolas da casa. As outras filhas de Odete, embora menos envolvidas, também estão ligadas ao restaurante, com Raquel ajudando na cozinha e Roselaine se dedicando à decoração. “A Osteria tem um pouco de cada um de nós, a mãe deu essa liberdade”. Dona Odete corrobora: “nada foi forçado, elas entenderam a situação e viram uma coisa legal e acataram as funções”.

A live, mediada pela diretora da área de Pequenas Empresas do CIC-BG, Bruna Cristofoli, pode ser assistida clicando neste link https://bit.ly/2ZfKkz2.

Hotel Villa Michelon conquista Selo Ambiente Limpo e Seguro

Certificação, concedida pela Secretaria de Turismo, é concedida com cumprimento de 27 itens 

Com quase duas décadas de história ligadas intimamente ao desenvolvimento do enoturismo em Bento Gonçalves, o Hotel Villa Michelon escreve, a partir desta terça-feira, dia 19, mais um brilhante capítulo em sua história. Como resultado do empenho da direção e equipe de colaboradores, o Complexo Turístico conquistou o selo “Ambiente Limpo e Seguro”, que contempla empresas que asseguram o cumprimento de requisitos de higiene, limpeza e cuidados necessários que garantem a segurança dos visitantes e colaboradores  durante os momentos de pandemia e também após.

A partir de agora, o Hotel Villa Michelon será cadastrado no portal da Secretaria de Turismo, que conta com uma seção onde todos os ambientes certificados estão disponíveis para que o público possa acompanhar os que estão seguindo os protocolos de segurança. “Nós tomamos cuidado em todos os detalhes, desde o momento no qual fechamos temporariamente as portas em virtude da pandemia. Estudamos formas para retomar as atividades com toda segurança e continuarmos a passar a credibilidade ao nosso público”, pontua a diretora geral, Elaine Michelon.

Como principais medidas, além do acompanhamento diário das condições de saúde dos colaboradores, o Villa Michelon reduziu em 50% sua capacidade de lotação em apartamentos e Restaurante modificando, inclusive, o sistema de serviço de café da manhã e refeições. A distribuição de máscaras laváveis e recipientes de álcool em gel no momento do check-in também foi adotada. “Destinamos, também, um apartamento que denominamos de ‘Apartamento de isolamento’, onde, caso algum hóspede não se sinta bem, possa esperar atendimento com conforto, possibilidade de descanso e até mesmo um banho, caso julgue necessário”, conta Elaine Michelon.

Tendo uma ampla área de 23 hectares, os atrativos do Villa Michelon continuam funcionando com os cuidados indicados. Dentro de 30 dias, uma nova visita da secretaria de turismo será realizada, a fim de manter a fiscalização do cumprimento dos itens elaborados conforme decretos municipais e protocolos do Ministério da Saúde.

Estrutura

O Villa Michelon se destaca pela excelente estrutura e grande oferta de opções de lazer que agrada a todas as faixas etárias. O empreendimento, distribuído em uma área de 23 hectares no coração do Vale dos Vinhedos, une o conforto dos grandes hotéis com atrativos naturais e culturais em seu entorno que só a região proporciona.

Internamente, o hotel disponibiliza de piscina térmica, sala fitness, restaurante, sala de jogos, sala de estar e conta com 57 apartamentos, divididos em quatro categorias: Econômico, Standard, Super Luxo e Suíte Especial.

O contato com o meio ambiente é um diferencial. Os hóspedes podem desfrutar de trilhas ecológicas, quadras esportivas, lago com pista e pesca esportiva, pomares, fazendinha, parque infantil externo e academia ao ar livre. O complexo oferece estrutura para toda a família, sendo uma excelente opção também para crianças, proporcionando experiências inesquecíveis de contato com a natureza.

Localização e reservas

O Villa Michelon está localizado na RS 444 – Km 18,9 – Estrada do Vinho – Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves – RS.

Para reservas, são quatro canais de atendimento:

Call free: 0800.703.3800

Fone: (54) 2102.1800

WhatsApp (somente mensagens de texto): (54) 98112.5443

E-mail: reservas@villamichelon.com.br

Fotos: Raquel Piegas – Assessoria de Comunicação

Villa Michelon selo (3)

Villa Michelon selo (1)

Villa Michelon selo (11)

IFRS entrega material para confecção de EPIS a Coordenadoria da Mulher e Centro Revivi

O Campus Bento Gonçalves do IFRS, por meio de representantes do Comitê Local de Ações de Prevenção ao Covid-19, entregou no último sábado (15), ao Centro Revivi, 1700m de TNT para a confecção de máscaras a serem entregues posteriormente em doação nas comunidades carentes e escolar do município de Bento Gonçalves.

 

O material foi adquirido através de uma parceria entre a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e IFRS, com apoio do Tribunal Justiça do RS, cuja destinação visa à fabricação de Equipamentos Proteção Individuais (EPIs) para combate à Covid-19. A Coordenadoria da Mulher e o Centro Revivi estão coordenando os trabalhos com costureiras voluntárias em diversos pontos da cidade e contam com a participação de 10 detentas da Penitenciária Estadual. Até o momento já foram entregues para a comunidade cerca de 5 mil unidades em ações da Administração Municipal.

 

A ação é coordenada pela SEDES e Coordenadoria da Mulher/Centro Revivi, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e Secretaria de Governo.

Fotos: Divulgação/Coordenadoria da Mulher/Centro Revivi

EPIS 2

Rotas turísticas de Bento apresentam atrativos em lives semanais

A partir desta semana, todas as quartas-feiras, às 20h, em uma live na página oficial do Facebook da Secretaria Municipal de Turismo (SEMTUR) – http://fb.com/turismo.bento -, cada roteiro turístico de Bento Gonçalves irá apresentar seus atrativos. Nesta quarta-feira, 20, empreendedores do Vale dos Vinhedos falarão sobre o destino.

 

A iniciativa intitulada “Quartas do Turismo” é promovida pelo Comitê Pró-Turismo Bento. O bate-papo abrirá espaço para interação do público. O cronograma segue com Caminhos de Pedras, Vale do Rio das Antas, City Tour, Bento Convention Bureau, Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria (SEGH), Cantinas Históricas e Encantos de Eulália.
O Comitê Pró-Turismo Bento é formado pela SEMTUR, Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria (SEGH) Região Uva e Vinho, Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), Bento Convention Bureau e rotas turísticas Vale do Rio das Antas, Caminhos de Pedra, Cantinas Históricas, Vale dos Vinhedos e Encantos de Eulália.

 

Morre o professor e escritor Darcy Loss Luzzatto, aos 84 anos

Morreu na manhã desta segunda-feira (18) o professor e escritor Darcy Loss Luzzatto, 84 anos. Autor de 11 livros bilíngues, entre eles o dicionário Português/Talian, Luzzatto era reconhecido e admirado na Serra Gaúcha, sendo capa do Jornal Integração da Serra em setembro de 2014. Ainda naquele ano o professor era citado numa matéria do Jornal Nacional.

O professor era um defensor ferrenho do Talian, dialeto derivado do italiano reconhecido no final de 2014 como sendo patrimônio cultural no Brasil. Luzzatto é autor do dicionário de talian, que tem mais de 40 mil verbetes, além de ter lançado a primeira gramática da língua, que é comum principalmente no Sul do país. Em Serafina Corrêa, na Serra Gaúcha, o dialeto é a segunda língua oficial da cidade.

Em fevereiro deste ano a editora Araucária lançou a segunda edição do Dissionàrio Talian Portughese: Dicionário Talian Português, obra escrita e organizada por Luzzatto.

O professor era casado com Elisa Wenzel Luzzatto, pai de Antônio e Caroline e avô de Mariana, Maximilian, Carlota, Otto e Sebastião, atualmente residia, com a esposa em Pinto Bandeira, sua terra natal. O velório de Luzzatto está ocorrendo na Capela da Paz, em Pinto Bandeira. O corpo do professor será cremado na capela São José, em Caxias do Sul.

Sobre o Talian

Mistura de dialeto vêneto, lombardo, trentino, com um pouco de português “venetizado” que é falado na Serra Gaúcha, e em algumas regiões de Santa Catarina. A imigração italiana chegou àquelas colinas do sul brasileiro, naquele tempo cobertas somente pela Mata Atlântica, no final do XIX século, de 1875 em diante. A Itália fora unificada havia apenas quatro ou cinco anos e era um amontoado de falares distintos: a cada 50 quilômetros, as pessoas da península confabulavam em um dialeto diferente. Os colonos italianos, enviados ao interior do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, provinham especialmente das regiões no entorno de Veneza, dos campos de Treviso, Pádua, Belluno, das vilas do norte da alta Lombardia (Bérgamo, Bréscia) e dos Alpes do Trentino. Não falavam o italiano. No Brasil, tendo-se misturado entre si sem nenhuma divisão territorial, criaram com o tempo uma verdadeira língua comum, uma koinè diálektos, um nheengatu do sul em lugar do norte amazônico, que incluía termos dos vários dialetos transplantados para aquela região brasileira, com mais uma pitada de português filtrado por aquelas linguagens itálicas.Assim nasceu o Talian, que no final de 2014, com o Guarani e o Asurini do Tocantins, esteve entre as primeiras línguas reconhecidas como referência cultural brasileira pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Arte: Ernani Cousandier/Especial Integração da Serra 

CIC-BG realiza pesquisa para identificar mudanças no consumo local

A pandemia trouxe profundas alterações nas relações e nos hábitos das pessoas, ocasionando rupturas jamais vistas na forma tradicional de consumir. Para entender melhor esses efeitos no mercado, o Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG) está desenvolvendo, de forma inédita, uma coleta de dados para entender e traçar o perfil de consumo local.

O estudo pretende ser um documento que auxiliará a subsidiar com mais segurança o trabalho das empresas no momento de realizarem o novo planejamento de seus negócios, criando soluções para o melhor atendimento dos consumidores. Por meio desse levantamento, a entidade quer compreender as principais mudanças no comportamento de compra de produtos e serviços diante do cenário atual – criando, após sua tabulação e interpretação, uma ferramenta técnica, com credibilidade para orientar a tomada de decisão dos gestores das organizações, especialmente nos setores do Comércio e Serviços.

O formulário está disponível neste link ou na aba de ‘notícias’ do site do CIC-BG (www.cicbg.com.br) até o dia 22 de maio e pode ser respondido por qualquer pessoa, preferencialmente a partir dos 16 anos de idade. São cerca de 20 questões de múltipla escolha, que levam, em média, três minutos para serem preenchidas. O objetivo inicial é alcançar 400 retornos, mas a meta é atingir os mil questionários respondidos, para aumentar a confiabilidade do estudo.

Foto: Jeferson Soldi

Biblioteca Pública Castro Alves recebe recurso para o projeto Biblioteca Digital

Na última semana, a Biblioteca Pública Castro Alves recebeu a notícia que a Secretaria Especial de Cultura por meio da Secretaria de Gestão de Fundos e Transferências e da Diretoria Executiva do Fundo Nacional de Cultura está realizando o repasse de R$ 100 mil para o município de Bento Gonçalves para a implementação do projeto Biblioteca Digital.

Com a entrada dos recursos, a Biblioteca Pública Castro Alves investirá o aporte na aquisição de mesas, cadeiras, puffs, armário com chave, tapete, tablets, notebook, datashow, e na contratação de uma plataforma que disponibilizará mais de 10 mil livros digitais.

De acordo com o secretário de Cultura e presidente da Fundação Casa das Artes, Evandro Soares, a criação da Biblioteca Digital auxiliará o acesso à informação, conteúdos, pesquisas e contemplar as novas práticas de leitura: “a criação de uma biblioteca digital é a solução mais adequada para contemplar alunos com indicação de leitura pelas escolas, uma vez que nosso acervo físico é limitado, não permitindo o acesso de diversos alunos ao mesmo tempo. Com o acervo digital não teremos mais o problema de não conseguir atender a todos”.

A implementação da Biblioteca Digital traz benefícios como: acesso 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano; formação de novos leitores; iniciativas de inclusão digital. Soares complementa que “o mundo virtual faz parte de nós. Ele está inserido no modo como vemos nossas práticas culturais e sociais. Estamos, de uma certa forma, imersos nele. Assim sendo, precisamos investir nessas novas formas de leituras para acompanhar as gerações”.

Para o quê o COVID-19 te faz olhar?

Por Letícia Simioni Schossler

Psicóloga- CRP 07/23986

Especialista em Psicologia Clínica- Ênfase em Psicanálise

Especialização em Constelações Familiares- Hellinger Schule (em andam.)

Contato: (54) 99121-3633

@psicologaleticiass

Escrever sobre saúde mental não é algo inédito, mas abordar o tema em um contexto de pandemia, sem dúvida o é. Fomos todos assaltados abruptamente, pegos desprevenidos por um vírus altamente contagioso e com potencial letal…noticiários, álcool gel, máscaras, limpeza redobrada, isolamento social, mudança de rotina…tudo na tentativa de nos mantermos saudáveis e cuidarmos uns dos outros, afinal, em nenhum outro momento o conceito sistêmico, de estarmos interligados uns aos outros ficou tão em evidência, já que nos preservando preservamos os outros.

Os cuidados em relação à saúde e ao corpo físico receberam um grande destaque, devido, naturalmente à demanda que se coloca frente ao cenário, porém, precisamos nos lembrar que somos um todo, mente e corpo unidos, e que por tanto, o adoecimento de uma das partes pode comprometer a outra parte também, sendo prudente nos mantermos atentos para não deixarmos de lado (em alguns casos mais e novamente) as expressões psicológicas e a saúde mental, tanto à nível individual como coletivo.

O que, então, cada um de nós pode fazer nesse momento de modo relativamente simples em relação à saúde mental? Em primeiro lugar, preste atenção às suas emoções, tome consciência, exercite olhar ora para dentro de si, ora para fora, considerando também o contexto. Quando sofremos perdas em geral (ex.: convivência familiar e social, trabalho, renda, etc.), não apenas em situações extremas (ex.: morte), é esperado que experimentemos algumas fases comuns aos seres humanos durante um processo de luto, como a negação, raiva, barganha/negociação, tristeza até a aceitação, que ocorrem de maneira concomitante. Além disso, estados de ansiedade, solidão, insônia, medo, tensão também podem se fazer presentes, tornando-se motivo de preocupação na medida em que passam a ser desproporcionais e/ou crônicos, sendo necessário a busca por escuta atenta e auxílio psicológico e psiquiátrico qualificado. É importante salientar que, justo nos momentos de crise, os aspectos que foram mais negligenciados ao longo da história de cada um (sejam eles físicos, mentais, sociais, espirituais, etc.), e que por tanto ficaram mais frágeis e vulneráveis é que passam a chamar mais e mais a nossa atenção, e por consequência, a nos demandar um olhar atento e ações eficazes.

É chegada a hora de nos questionarmos: o que para mim é salutar/o que me faz bem, o que desejo manter e investir em minha vida (relacionamentos, trabalhos, vínculos, estilo de vida, etc.) e o que talvez posso agradecer e compreender que já não seja mais compatível com quem sou, e claro, qual é realmente a minha essência e o meu propósito em meio à tudo isso? Essas são algumas questões que podem auxiliar a dar um sentido frente ao fim das certezas que até pouco tempo atrás acreditávamos existir.