CIC-BG fomenta construção de relacionamentos com boas-vindas a novos associados

Se o associativismo é a força do Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), a chegada de novos membros à casa significa seu fortalecimento. Com o ingresso de 29 empresas ao quadro de filiados, oficialmente apresentados no início de agosto, o CIC-BG reforça a crença no coletivismo como forma de desenvolvimento da sociedade.

Valorizando esse acréscimo importante, a entidade preparou uma recepção especial. Além de oportunizar um momento para networking dos novos sócios, com troca de cartões e de material publicitário – também compartilhados, posteriormente, com os visitantes do CIC-BG –, eles puderam falar sobre seus negócios e suas aspirações futuras. “Nossa intenção foi a de mostrar que o CIC também é a casa deles, então a ideia foi deixá-los o mais à vontade possível. Tudo isso ajuda muito para construir um relacionamento franco, e sabemos que a construção de um bom relacionamento significa a construção de negócios”, disse o presidente do CIC-Bg, Elton Paulo Gialdi.

Novos Associados (1)

Os novos integrantes também visitaram as modernas instalações da entidade, sediadas no Centro Empresarial de Bento Gonçalves, lar também do Sindmóveis e da Movergs. Inaugurada em novembro do ano passado, a nova sede do CIC oferece aos associados quatro salas de reuniões – Sala Indústria, Sala Comércio, Sala Serviços e Sala 100 Anos – equipadas com iluminação adequada e forro acústico, mais uma facilidade visando auxiliar as demandas de seus sócios.

O CIC-BG tem uma série de benefícios e serviços oferecidos às empresas e profissionais associados. Outras informações sobre como se filiar à entidade podem ser obtidas pelo fone 54. 2015.1999.

Novos associados

Academia Phanton, Activeguard Sistemas de Segurança, Andreia Pilão Eventos, Andressa Provenzi Advocacia Empresarial, Blu 3D, Cervejaria Jimmy Eagle, Cleber Brauner Fotography, Colchão Inteligente, Collpo Eletro, Emerson Ribeiro Fotografias, Forma, GSB Transportes e Turismo, Inforti Consultoria Empresarial, Inovar Vigilância Patrimonial, Inovarprotec Segurança Eletrônica, LL Consultoria De Segurança, Treinamentos, Resgate e Alpinismo Industrial, Magnatas do X, Mappa Gestão Empresarial, Padaria Daline, Padaria e Confeitaria Brasil, Padma, Primacor Tintas, Spiller Empreendimentos Imobiliários, SPM Advocacia, Steel Componentes, Terra do Ouro Empreendimentos Imobiliários Ltda, Tomasi Condomínios e Imóveis, Tudo em Grãos e Yázig

Texto: Exata Comunicação

Setor vitivinícola pleiteia melhores condições de competitividade

Entidades da cadeia produtiva estiveram reunidos com o presidente da República Michel Temer e autoridades federais solicitando condições tributárias, de crédito e de apoio institucional e promocional semelhantes às ofertadas em países produtores de vinho

Em reunião realizada hoje (15), em Brasília (DF), com o presidente da República, Michel Temer, e o ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e ontem (14), com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, representantes do setor vitivinícola colocaram às autoridades federais a preocupação com a perda de competitividade tendo em vista o aumento nas importações. Em 2017, o crescimento do ingresso de rótulos estrangeiros no país foi de 36,46%. Para os dirigentes, a cadeia produtiva brasileira tem encontrado muito pouco respaldo quanto aos pleitos que são encaminhados às diferentes esferas públicas. Com forte descapitalização e operando com baixíssima rentabilidade, o setor corre o risco de se desestruturar e se tornar inviável enquanto segmento econômico.

Atualmente, no Brasil a produção de uva é baseada na pequena propriedade familiar, enquanto que a de vinho é realizada majoritariamente por pequenas e médias empresas familiares. A cadeia produtiva envolve 20 mil famílias produtoras, cerca de mil vinícolas e aproximadamente 100 mil pessoas empregadas diretamente apenas na região Sul do país.

“Mesmo com todas as adversidades, o Brasil está sendo reconhecido internacionalmente como um produtor qualificado de vinhos. E o enoturismo também vem ampliando seu potencial e se constitui em uma ferramenta de geração de renda e distribuição de receita nas regiões onde se desenvolve. O setor está bastante comprometido com a qualificação da produção. Precisamos de políticas públicas que nos auxiliem, senão,  não há como sobrevivermos. Os produtores europeus, chilenos e argentinos são muito bem atendidos dentro de seus países”, pondera o vice-presidente do Ibravin Márcio Ferrari, mencionando os principais países importadores de vinhos no mercado interno brasileiro.

Os dirigentes apresentaram um documento no qual contextualizam as condições de sensibilidade dos vitivinicultores frente a falta de políticas públicas, salientando os pontos que consideram vitais para a sobrevivência do setor e que vem sendo negligenciados historicamente pelo governo.

(Brasília - DF, 15/08/2018) Presidente da República, Michel Temer, posa para foto com ex- Deputado Mauro Pereira e representantes de vinícolas. Foto: Alan Santos/PR

“Os produtores europeus, que produzem em larga escala, contam com empresas muito bem consolidadas, e que recebem mais de 1,2 bilhões de euros em subsídios todos os anos enquanto que a realidade brasileira é totalmente adversa”, observa Carlos Paviani, diretor de Relações Institucionais do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin).

 As lideranças presentes nas reuniões voltaram a solicitar medidas que há anos vem sendo apresentadas ao governo e que contemplam a redução da carga tributária – que no país, para os vinhos brasileiros, chega a atingir mais da metade do preço final de uma garrafa – simplificação da cobrança de impostos e redução da carga tributária, ampliação do crédito para investimento em inovação e modernização e melhores condições de controle e fiscalização da produção nacional e das importações bem como a implementação efetiva do Cadastro Vitivinícola Nacional. Estas proposta poderiam compor um programa de consolidação e crescimento do setor vitivinícola no Brasil, com a implantação realizada de forma gradativa, com duração mínima de 10 anos e possibilidade de prorrogação.

“Frisamos a importância de revisão do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) que, desde que houve o aumento da forma de cobrança em 2016, não foi resolvido, e também pedimos uma ação coordenada junto ao Ministério da Fazenda e ao Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) para a retirada do vinho do sistema de Substituição Tributária. Isso seria o mínimo para podermos dar um fôlego para as empresas e estancar a pressão sobre os custos e melhorar a competitividade dos nossos produtos”, explicou o presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), Deunir Argenta.

Representantes presentes na comitiva do setor vitivinícola brasileiro

Márcio Roberto Ferrari,  Coordenador da Comissão Interestadual da Uva e Vice-Presidente do IBRAVIN

Carlos Raimundo Paviani, Diretor de Relações Institucionais do IBRAVIN

Deunir Luiz Argenta, Presidente da UVIBRA

João Carlos Zanotto, Presidente da AGAVI

Mário Sérgio Cardoso, Diretor Executivo da ASBRASUCO

Humberto Cereser, Presidente do Sindivinho Jundiaí SP

Wilson de Carvalho, Cooperativa Vinicola Aurora/Fecovinho

Adriano Miolo, Diretor Superintendente da Miolo Wine Group/Uvibra

Luciana Salton, Vinícola Salton/UVIBRA

Gilberto Pedrucci, Diretor Executivo do Sindivinho RS

Adelar Galiotto, Vice-Presidente da AGAVI

Mauricio Carlos Grando, presidente do Sindivinho SC

Franco Perini, diretor Vinícola Perini/ Sindivinho RS

Itacir Pozza, Presidente da Cooperativa Vinicola Aurora/Fecovinho

Danilo Cavagni, Diretor Executivo da Miolo Wine Group/Uvibra

Gualberto de Almeida, Presidente da Vinhosvasf BA/PE

Fila de espera para consulta com oftalmologista diminui 82% no SUS de Bento

A Secretaria Municipal de Saúde reduziu em 82% a fila de espera para consultas na área de oftalmologia pelo Sistema Único de Saúde. Em 2017, mais de 5500 pacientes aguardavam consultas, atualmente cerca de 1025 ainda esperam atendimento.

 A grande demanda foi suprida, depois que a Secretaria iniciou no mês de março de 2017, os atendimentos no ambulatório de oftalmologia, inaugurado junto a Unidade Central de Saúde. Além disso, o credenciamento com três clínicas particulares possibilitou maior agilidade nos atendimentos à grande demanda.

IMG_2550

“Quando iniciamos os atendimentos no ambulatório de oftalmologia em parceria com o Rotary, e o credenciamento com as clínicas, o objetivo do Prefeito Guilherme Pasin, era zerar o quanto antes a fila de espera. Sabemos da importância disso para quem realmente necessita. Esta é uma das especialidades mais procuradas. No início do ano zeramos a fila de pacientes mais antigos. Hoje conseguimos manter uma média, e estamos atendendo pacientes agendados neste ano”, afirma o secretário de Saúde e Governo, Diogo Segabinazzi Siqueira.

Para a coordenadora da Central de Regulação, Daiane Piuco, “com planejamento conseguimos atender a demanda reprimida, além de diminuir a espera dos pacientes. Estão sendo investidos no serviço de oftalmologia cerca de R$ 90 mil/mês, para que os pacientes sejam atendidos com mais agilidade”, salienta.

De acordo com o secretário, os pacientes que necessitam de cirurgia de catarata, estão aguardando em média três meses.

Foto: Marina Teles

Hospital Tacchini adota Prontuário sem Papel e evita o corte de mais de 200 mil árvores em três anos

Em abril de 2015, o Hospital Tacchini tornou-se uma das primeiras instituições de saúde do Estado a implantar o ‘Prontuário sem Papel’, através da ‘Certificação Digital’ . A ação, que iniciou pelas UTI´s Pediátrica e Neonatal, contempla hoje as áreas assistenciais e alguns setores administrativos dos hospitais Tacchini e São Roque e tem como principal objetivo eliminar a necessidade da impressão de documentos, sem que os mesmos percam sua validade. Neste período, houve redução de 62% no número de folhas impressas, ou seja, das cerca de 200 mil impressões mensais, o total hoje fica em torno de 76 mil folhas. Em 3 anos, a redução de impressões foi de 4 milhões 464 mil, ou seja, cerca de 203 mil árvores deixaram de ser cortadas*

Como era

como era

O Coordenador da TI no Hospital Tacchini, Carlos Bertollo, explica que uma vez emitidos e assinados digitalmente, os documentos ficam disponíveis eletronicamente para toda a instituição. “Há mais de três anos, não é mais necessário transportar documentos físicos de um setor para outro. Paralelo a isso, sistemas de ‘backups’ garantem a integridade das informações por tempo indeterminado”, garante.

A longo prazo, tanto o Hospital Tacchini quanto o Hospital São Roque deverão operar 100% sem papel, otimizando seus processos, ganhando em produtividade e agilidade, além de gerar economia financeira à instituição.

 prontuário sem papel (4)

Números obtidos com o ‘Prontuário sem Papel’ desde a implantação:

– Eram impressas, em média, 200mil folhas/mês.

– Houve redução de 62% em impressões. Isso representa 4 milhões 464 mil impressões a menos no período.

– Ao mês, 124 mil folhas deixaram de ser impressas.

– Foi evitado o corte de cerca de 203 mil árvores

 

* Um eucalipto rende de 20 a 24 mil folhas de papel A4 (75 g/m2 de gramatura), aquele comum, usado em casa e nos escritórios. São necessárias 11 árvores para produzir uma tonelada de papel. fonte: revista Galileu

Festival de Coros encanta comunidade no Vale dos Vinhedos

Evento ocorreu no último sábado, 11, na linha 40 da Leopoldina

O soar das vozes que compuseram os 10 corais presentes, o Festival de Coros celebrou a religiosidade, a tradição e também a brasilidade em uma ocasião marcada pelo dinamismo e pela confraternização no Vale dos Vinhedos,  no dia 11 de agosto,  na linha 40 da Leopoldina .

Festival-Coral (91)

Durante cerca de três horas, a comunidade desfrutou de um forte intercâmbio cultural. O espetáculo, comandado pelo Maestro Geraldo Farina, teve como anfitrião o Coral do Vale dos Vinhedos, que, na coordenação de Florindo Portaluppi, presenteou o público com uma bela e comovente versão de Viva La Gente já na abertura. Os 23 integrantes do Coral convidaram todos a celebrarem a vida e o amor. “Procuramos realizar um Festival diversificado, no que chamo de um evento simples, mas com todo o coração. Selecionamos corais da região, em uma tarefa árdua, porque temos uma riqueza extraordinária de vozes em nosso entorno. Posso dizer que esse evento é um coroamento do meu caminhar como maestro. Sem dúvidas, inesquecível”, pontuou Geraldo Farina.

Florindo Portaluppi

A emoção também fez parte da fala de Florindo Portaluppi. “É um momento único para mim, de uma responsabilidade enorme. Estamos aqui lidando com a cultura, com a raiz de um povo. A música provoca sentimentos, alegrias, lágrimas, sorrisos. Por isso é importante escolhermos bem os coros, as letras e celebrarmos toda essa diversidade”.

Em um Festival que muito se assemelhou positivamente a uma confraternização entre amigos, a exigência, por parte da organização do evento, foi de que, cada um dos coros convocados, inserissem uma música no idioma italiano em seu repertório, o que garantiu um afloramento de emoções percebidas a olhos nus por parte da plateia.

Voice in Soul

Participou também 0 Coro Gospel Voice In Soul dela Filarmonica Cittadelense. Em uma visita que retribuiu majestosamente a presença do Coral do Vale dos Vinhedos em Cittadella, em 2014, o conjunto de vozes regido pela cativante Antonia Pia emocionou a todos com oito canções entoadas de maneira única. Ao final da apresentação, o coral foi convidado a retornar ao palco, entoando um “dueto” com a empolgada plateia, que cantou a canção “Va Pensiero”. “É uma honra estar aqui. Sou muito patriota e ligada à minha Itália. Ver que ela está presente em cada canto, em uma comunidade tão pequena e bela como esta, é emocionante”, emocionou-se Antonia, complementada pela presidente do Coral, Vania Conte: “Somos um coral essencialmente Gospel, mas trouxemos para o evento canções tradicionais também. Foi indescritível estar aqui e retribuir a visita de nossos amigos”.

O Festival de Coros do Vale dos Vinhedos foi financiado pelo Fundo Municipal de Cultura e realizado pela produtora cultural, Lenise Miorando, da empresa Triângulo da Produção Cultural e Coral Vale dos Vinhedos.

 Fotos: Vagão Filmes

Censo Agro 2017 contabiliza 823 propriedades rurais em Garibaldi

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou neste mês os resultados preliminares do Censo Agropecuário, Florestal e Aquícola 2017, cuja coleta de dados foi realizada entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018, em todos os estabelecimentos agropecuários do território brasileiro.

De acordo com a pesquisa, Garibaldi conta com 823 propriedades rurais, sua maioria (276) de área entre 10 e 20 hectares. Do total, 655 conta com lavouras permanentes (como uva), 517 com lavouras temporárias e 424 com pastagens naturais.

Animais interior - Priscila Pilletti (1)

Entre os trabalhadores rurais, 745 são homens e 63 mulheres. 417 têm idade entre 30 e 60 anos, 378 são maiores de 60 anos e apenas 13 trabalhadores têm menos de 30 anos de idade.

Para o secretário municipal de Agricultura e Pecuária, André Busa, é natural que ocorra reduções no trabalho no setor primário ao longo dos anos, especialmente entre os mais jovens. “Ao mesmo tempo em que há cada vez mais facilidades para o trabalhador rural, os jovens buscam essas facilidades na área urbana”, avalia. “Hoje podemos considerar os trabalhadores verdadeiros empreendedores rurais, com uma grande importância econômica e cultural para o município, por isso mantemos nossas ações de incentivo para o desenvolvimento do setor”, acrescenta.

Suinocultura - Priscila Pilletti

Entre os itens produzidos, os mais presentes no município são:

Produtos da lavoura permanente

Uva para vinho ou suco – produzida em 590 estabelecimentos agropecuários

Laranja – produzida em 156 estabelecimentos agropecuários

Bergamota – produzida em 95 estabelecimentos agropecuários

Caqui – produzido em 87 estabelecimentos agropecuários

Figo – produzido em 87 estabelecimentos agropecuários

Pêssego – produzido em 81 estabelecimentos agropecuários

Limão – produzida em 70 estabelecimentos agropecuários

Uva de mesa – produzida em 57 estabelecimentos agropecuários

Produtos de lavouras temporárias

Milho em grão – produzido em 369 estabelecimentos agropecuários

Feijão preto em grão – produzido em 69 estabelecimentos agropecuários

Milho forrageiro – produzido em 67 estabelecimentos agropecuários

Cebola – produzida em 64 estabelecimentos agropecuários

Horticultura

Alface – produzida em 54 estabelecimentos agropecuários

Tomate – produzido em 34 estabelecimentos agropecuários

Rúcula – produzida em 30 estabelecimentos agropecuários

Salsa – produzida em 30 estabelecimentos agropecuários

Crédito das fotos: Priscila Pilletti

Centro Obstétrico do Hospital Tacchini conta com o trabalho de Enfermeiras Obstétricas  

No Centro Obstétrico (C.O) do Hospital Tacchini há uma equipe de Enfermeiras Obstétricas que presta uma assistência humanizada às gestantes através da adoção das Boas Práticas de Assistência ao Parto. O que poucos sabem, é que essas profissionais tem qualificações e habilidades que lhes permitem realizar o pré-natal de risco habitual, que normalmente é feito pelo médico.

“Ao longo dos anos, buscamos qualificações e assim como os médicos obstetras, temos condições de avaliar eventuais riscos e complicações que possam surgir durante a gravidez. Na verdade quem faz o parto não são os profissionais e sim a mulher, nós apenas assistimos”, comenta a Enfermeira Kellen Deolindo, uma das profissionais que atua no C.O do Hospital Tacchini.

20180813_163238

Com mais de 20 anos de dedicação à obstetrícia, a Enfermeira Angela Callegari Boeira lembra que o trabalho desenvolvido pelas enfermeiras obstétricas vai além da gestação. “Prestamos total assistência durante o trabalho de parto, bem como nos primeiros dias de vida do bebê, buscando estimular o aleitamento materno na primeira a hora de vida, fortalecendo o vínculo do binômio mãe-bebê”, o apoio nesse momento é fundamental. Ela ressalta que com a adesão ao projeto ‘Parto Adequado’, o Hospital Tacchini passou a buscar enfermeiras obstétricas para fazer parte da equipe multiprofissional de assistência ao parto.

Para a enfermeira obstétrica, Gabriela Valiati, o trabalho envolve muito mais que assistência à mamãe e bebê. “Procuramos dar o conforto e o empoderamento necessário às mulheres, colocando-as em evidência, onde todas sejam as protagonistas neste momento de suas vidas. Assim, além do pré-natal, procuramos aplicar medidas não farmacológicas para o alívio da dor no momento do trabalho de parto e parto, prestamos atendimento ao recém-nascido e auxiliamos na fase inicial da amamentação, sempre respeitando suas próprias vontades”, explica.

Além das enfermeiras obstétricas Angela Callegari Boeira, Gabriela Valiati, Kellen Deolindo, Raquel Vicente Dalla Corte e Eliane da Costa, o Centro Obstétrico do Hospital Tacchini conta com uma rede de apoio onde atuam técnicos de enfermagem, nutricionistas, assistente social, fisioterapeuta, fonoaudióloga e médicos obstetras, pediatras e anestesistas.

Entre os dias 04 e 09 de setembro, as enfermeiras Eliane, Gabriela e Kellen estarão participando do V Simpósio Internacional de Assistência ao Parto (Siaparto), em São Paulo, onde irão agregar novas técnicas e conhecimentos. O evento tem como objetivo ensinar, esclarecer e desmistificar por meio de dados científicos e profissionais da área as diversas situações possíveis em realização de partos, trazendo práticas atuais como ‘Spinning Babies’, rebozo, hipnose, acupressão e pelve em movimento.

 A saber – A inserção de especialistas em enfermagem obstétrica no atendimento ao parto e nascimento faz parte das políticas públicas de saúde da mulher. A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza uma assistência ao parto menos intervencionista e mais humanizada e sugere aos países ter, no mínimo, uma profissional qualificada para cada 125 nascimentos ao ano. Levando em conta essa estimativa, o Brasil deveria possuir ao menos 23 mil Enfermeiras Obstetras. A Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (ABENFO) estima que deve haver, no máximo, 10 mil no país. Não há, porém, nenhuma pesquisa que confirme esse dado e nem que aponte qual é o percentual de profissionais que atua na área da assistência obstétrica.

Candidatas ao título de rainha da Fenachamp 2019 são apresentadas

As 11 candidatas ao título de rainha e princesas da Festa do Espumante Brasileiro (Fenachamp 2019) foram apresentadas oficialmente na noite de sábado, 11 de agosto, durante a 28ª edição do Festival do Frango e do Vinho. Mais de 300 pessoas acompanharam o anúncio das pretendentes às coroas, atualmente de posse de Valéria Meneghetti Carniel, Gabriela Mattei e Mônia Meneghetti.

Concorrem Aline Ângela Bortolini, Amanda Benini Gelmini, Andréia Kirch, Débora Marjorie de Freitas, Elisa De Antoni Farias, Jéssica Ronsani Emer, Letícia Mazzon Anacleto, Priscila Nicolodi, Rafaela Cappelari, Tainara Correa e Thaís Rochineski Bota.

Candidatas a Soberanas da Fenachamp 2019 - Jean Teixeira (4)

A coordenadora da Comissão Social da Fenchamp 2019, Lina Berto Furlanetto, destaca que há cerca de um mês as candidatas iniciaram a preparação visando ao concurso, que será realizado em 23 de novembro.

“A partir de agora há uma agenda prevista de visitas a roteiros turísticos de Garibaldi, vinícolas, passeios de TimTim e Maria Fumaça, entre outras atividades, para que todas estejam preparadas para assumir o importante desafio de representar o maior evento de Garibaldi”, disse.

AS CANDIDATAS

– Aline Ângela Bortolini, 20 anos, natural de Garibaldi. Filha de Odete Maria Fachinelli Bortolini e Jair Bortolini. Ensino Médio Completo. Fotógrafa.

Aline Bortolini - Crédito Raquel Biondo

– Amanda Benini Gelmini, 24 anos, natural de Garibaldi. Filha de Naides Benini e Altair Antonio Gelmini. Graduada em Direito pela Universidade de Caxias do Sul.

Amanda Benini Gelmini - Crédito Raquel Biondo

– Andréia Kirch, 23 anos, natural de Garibaldi. Filha de Lucia Maria Kirch e Inácio Kirch. Ensino Médio Completo.

Andréia Kirch - Crédito Raquel Biondo

– Débora Marjorie de Freitas, 22 anos, natural de Santana do Livramento. Filha de Debora Cristina Freitas e Luiz Gustavo Rodrigues de Freitas. Graduanda em Nutrição pela Universidade do Vale dos Sinos – Unisinos de São Leopoldo.

Débora Marjorie de Fretas - Crédito Raquel Biondo

– Elisa De Antoni Farias, 23 anos, natural de Garibaldi. Filha de Mônica De Antoni Farias e Neuton César Lima de Farias. Graduada em Design pela Universidade de Caxias do Sul.

Elisa de Antoni Farias 2 - Crédito Raquel Biondo

– Jéssica Ronsani Emer, 25 anos, natural de Garibaldi. Filha de Luciana Ronsani Emer e Idair Antonio Emer. Graduada em Direito pela Universidade de Caxias do Sul e Pós-Graduanda em Advocacia Trabalhista e Previdenciária pela Universidade de Santa Cruz do Sul.

Jéssica Ronsani Emer - Crédito Raquel Biondo

– Letícia Mazzon Anacleto, 21 anos, natural de Garibaldi. Filha de Gema Mazzon e Sergio da Silva Anacleto. Graduanda em Tecnologia em Viticultura e Enologia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Bento Gonçalves.

Letícia Mazzon Anacleto - Crédito Raquel Biondo

– Priscila Nicolodi, 25 anos, natural de Garibaldi. Filha de Marines Saretto Nicolodi e Ari Nicolodi. Graduada em Estética e Cosmética pela Universidade Luterana do Brasil de Canoas e Pós-Graduada em Cosmetologia Clínica e Ciências da Pele pelo Instituto Ipupo Educacional de Porto Alegre.

Priscila Nicolodi - Crédito Raquel Biondo

– Rafaela Cappelari, 24 anos, natural de Garibaldi. Filha de Marilene Borsatto Sotilli Cappelari e Airton Cappelari. Graduada em Engenharia de Alimentos pela Universidade de Caxias do Sul.

Rafaela Cappelari - Crédito Raquel Biondo

 – Tainara Correa, 21 anos, natural de Farroupilha. Filha de Jusiane Inês de Brum Correa e Idemar Correa (in memorian). É Auxiliar em Saúde Bucal, com formação pela Associação Brasileira de Odontologia do Rio Grande do Sul, Regional Vinhedos de Bento Gonçalves.

Tainara Correa - Crédito Raquel Biondo

– Thaís Rochineski Bota, 25 anos, natural de Santiago. Filha de Maria Lucia Rochineski Bota e Paulo Roberto Bota. Graduada em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Cenecista de Bento Gonçalves.

Thaís Rochineski Bota - Crédito Raquel Biondo

Fonte: Assessoria de Imprensa CIC

Foto: Jean Ferreira

Laura Dalmás encanta público guaporense em show

A cantora estava acompanhada da banda Cabelo Cacheado em apresentação realizada no sábado (11)

 Casa cheia, público cantando junto em uma tarde especial de boa música, comandada pela cantora Laura Dalmás e banda Cabelo Cacheado, na programação da 17ª Mostra Guaporé. Milhares de pessoas compareceram na maior feira de joias e lingeries do Rio Grande do Sul, realizada no sábado,11 de agosto, no Autódromo Internacional Nelson Luiz Barroonde foram apresentados ao público produtos de empresas locais e de outros municípios do estado.

 Laura foi um dos destaques da programação musical da Mostra, interpretando um repertório diversificado, com sucessos do pop nacional e internacional, além de jazz e samba.  Músicas como “Mania de Você”, de Rita Lee, “Havana”, de Camila Cabello, e “Superstition”, de Stevie Wonder, animaram o público que assistiu ao espetáculo. A cantora se apresentou ao lado de Márcio Staggemeier (baixo), Thomas Werner (guitarra) e Marcos Mangoni (bateria)

Crédito Clóvis Dalmás 1

Foto: Clóvis Dalmás

Miguel Falabella será palestrante na Expoagas 2018

Palestra Magna acontecerá no dia 22 de agosto às 9h, no Teatro do SESI

Miguel Falabella será um dos palestrantes da 37ª edição da Expoagas. O evento, promovido pela Associação Gaúcha de Supermercados (AGAS), acontecerá entre os dias 21 e 23 de agosto, no Centro de Eventos FIERGS. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas pelo sitewww.agas.com.br.

pasted image 0

Com humor e motivação, o ator usa sua experiência de mais de 30 anos como “plano de fundo” para avaliar questões que vão desde relações interpessoais até a postura do ser humano em relação ao seu trabalho, sua posição, carreira, vida, fé e arte. Para ele, memórias nos ajudam a viver com mais sabedoria e se acompanhada de emoção, ajudam a tornar a vida mais pulsante. O tema da palestra é “Viver e Sonhar em Voz Alta” e tem como objetivo principal provocar nos participantes reflexões comportamentais sobre a relação entre sonhos e vida, no âmbito social e profissional.

Falabella além de ator, é dramaturgo, diretor, dublador, cineasta, escritor e apresentador de televisão brasileiro. É um artista bastante ativo no teatro e na televisão, entre outros muitos trabalhos, é conhecido por interpretar Caco Antibes no sitcom Sai de Baixo e por apresentar o Vídeo Show por mais de 15 anos. Atuou no grande sucesso Louro, Alto, Solteiro, Procura e escreveu também A Partilha, peça que ganhou versão para o cinema, com direção de Daniel Filho. E também lançou em 2011, o livro que faz parte do tema da sua palestra, Vivendo Em Voz Alta.

Mais informações sobre a Expoagas 2018 pelo fone (51) 2118.5200 ou pelo e-mail expoagas@agas.com.br.