É semana de Garibaldi Vintage

Evento ocorre nesta sexta-feira, 22, a partir das 19h

A identidade clássica de Garibaldi se manifesta em sua história, seus costumes e em sua vocação turística. Para celebrar essa característica, o Garibaldi Vintage foi criado e se tornou um dos destaques da serra gaúcha ao celebrar as décadas de 1920 a 1960 em um centro histórico preservado e que serve de palco perfeito para a ocasião. A 11ª edição do evento ocorre nesta sexta-feira, 22 de março, a partir das 19h.

São muitas as atrações do Garibaldi Vintage: a gastronomia aliada a espumantes e cervejarias artesanais; as atrações culturais; o centro histórico que serve como ambientação; a caracterização do público; e o clima único que ganha a cidade logo que o dia começa.

As já conhecidas décadas de 20 a 60 são a inspiração. O evento ganha ainda mais destaque quando o público se caracteriza e usa trajes das épocas. Além da sonorização nos postes, com músicas temáticas, as atrações culturais itinerantes seguem surpreendendo e encantando o público. A organização sugere que o público utilize a #garibaldivintage e marque o perfil @turismogaribaldi no Instagram. Também é possível acompanhar os detalhes pelo evento  http://bit.do/eLVyx e pela página Turismo Garibaldi, no Facebook.

10 ed Garibaldi Vintage_Créditos Cassius André Fanti (2)

Nesta edição, também haverá a apresentação dos trajes das soberanas da Fenachamp 2019. O lançamento ocorrerá a partir das 20h, dentro da programação do evento.

O Garibaldi Vintage é uma realização da Prefeitura de Garibaldi, por meio da Secretaria de Turismo e Cultura. O evento conta com o apoio das secretarias de Obras, de Segurança e Mobilidade Urbana, Meio Ambiente, Saúde e da Associação Garibaldi Gastrô. A realização do Encontro de Carros Antigos do Vintage é promovida pelo AntiGar – Carros Antigos de Garibaldi e Veteran Car Club dos Vinhedos. Mais informações com a Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, no fone (54) 3462 8235.

 

Cardápio – 11ª edição – 22/03/19

 

Restaurantes

Filó Café

Polenta mole com carne de panela ou funghi

Capeletti frito

Batata chips caseira

Água Mineral

Café Luna Park

Entrevero no pão com fritas

Deggustare

Risoto de tomate seco

Espetinho de coração

Espetinho de gado

Devorata

Trufa com sorvete

Trufas

Dolce Mattina

Massa talharini ao molho de tomate seco cremoso

Massa talharini ao molho da casa

Bolinho de Bacalhau – 8 unidades

Sobremesa: Macarons / Brigadeiro

Cerveja Leopoldina

Água Mineral

Estrada do Sabor

Grostoli

Famiglia Giovanaz

Camarão empanado com patê de ervas

Isca de tilápia com patê de ervas

Gérson Bem

Risoto de aspargos com cebola caramelada

Hambúrguer recheado com gorgonzola e cebola caramelada

Sobremesa: Mini churros de doce de leite com ganche de chocolate

Hostaria Casacurta   

Hambúrguer Casacurta: hambúrguer de gado Angus, pão especial, queijo, bacon, maionese caseira e salada orgânica da nossa horta.

Sobremesa: Cannoli siciliano

Bebidas: Chandon Brut, Chandon Passion, Courmayeur Prosecco, Courmayeur Moscatel, Vinho tinto Don Laurindo

Le Petit Sablé

Brownies Le Petit Sablé: tradicional; nozes; M&M’s

Brownie com sorvete e geleia

Sanduíche de pão ciabatta com pasta de frango e geleia de abacaxi, rúcula

Sanduiche de pão ciabatta com ragu de ossobuco, gorgonzola, rúcula e mostarda

Água mineral

 Santorini Garden

Risoto Outono: risoto de moranga com farofa de bacon e ricota

Harmonizado com Espumantes Brut Rosé Scomazzon

 Tabacaria Benvenuto

Espetinho com cubos de carne, bacon e cebola e pão colonial

Espetinho vegetariano com queijo coalho, tomate cereja e abobrinha

Acompanhamentos: farofinha e molho chimichurri

Sobremesa: Dolcetto de chocolate branco com nozes

Trattoria Primo Camilo

Burguer do Pessali

Capeletti com funghi colhidos pelo Pessali nos bosques da região

Espumantes da Casa

 Valle Rústico

Choripan

Chips

Sonho com doce de leite

Aperol Spritz

Espumante Prosecco Garibaldi

Água cortesia como na última edição

Vinícolas

Casa Pedrucci

Espumante Brut Tradicional

Espumante Brut Rosé

Espumante Moscatel

Espumante Reserva Nature

COOPEG

Espumante Orgânico

Vinho doce

 Cooperativa Vinícola Garibaldi

Espumante Garibaldi Moscatel

Espumante Garibaldi Prosecco

Espumante Garibaldi Pinot Noir brut rosé

Espumante Garibaldi Vero Brut

Domno

Ponto Nero Cult Branco

Ponto Nero Cult Rose

Ponto Nero Celebration Moscatel

Don Naneto

Espumante Moscatel Branco

Espumante Moscatel Rose

Espumante Brut Branco Método Tradicional

Espumante Brut Rose Método Tradicional

Cabernet Sauvignon

Merlot

Moscato

Água Mineral

Vinícola Courmayeur

Espumante Courmayeur Rose Brut

Espumante Courmayeur Brut Chardonnay

Espumante Courmayeur Proseco

Espumante Courmayeur Demi-Sec

Espumante Courmayeur Moscatel

Espumante Courmayeur Moscatel Rosé

Cerveja La Fermata Pilsen

Cerveja La Fermata IPA

Vinícola Peterlongo

 Espumante Brut Presence

Espumante Brut Rrosé Presence

Espumante Moscatel Presence

Espumante Prosecco Presence

Suco de uva integral

Cervejarias

Guarnieri

Doppio Malto Pilsner

Thor Scottish Ale

Victoria Belgian Blond Ale

Old Dog IPA

Brut IPA

Cachorro Ovelheiro IPA

Leopoldina

Pilsner

Ipa

Witbier

Apa

Red Ale

Weiss

Montoro

Pilsen

American Pale Ale

American Índia

Stout

Trinker 

Pilsen

Irish Pilsen (verde)

Ipa

Export

Por que devemos invadir a Venezuela?

Por Daniel Poletti, graduando em História

Era março de 2003. Eu estava em frente à televisão, impaciente com o que via. Há menos de dois anos, em 2001, estava em frente ao mesmo aparelho. Atônito com o que parecia impossível. As torres gêmeas vinham ao chão.

Em 2003, uma coalizão liderada pelos Estados Unidos, invadia militarmente o Iraque. Apesar da contrariedade de organizações como a ONU e a OTAN, violando assim normas internacionais, além do aviso dado por grandes nações como a Alemanha e a França, de que a invasão seria um erro, nada foi capaz de aplacar a ira dos norte-americanos.

Por qual razão o Iraque foi invadido? A operação, conhecida como “Operação Liberdade do Iraque”, tinha como objetivo derrubar o governo de Saddam Hussein. O motivo foi que para além da acusação de que ele apoiava a Al Qaeda, grupo terrorista acusado pelo ataque as torres gêmeas, o mesmo se negava a desarmar seu suposto arsenal nuclear alegando não os possuir.

Ao fim de 21 dias, o governo estava deposto. A invasão foi considerada um sucesso. Ainda que mais de 7.000 civis iraquianos tenham morrido em decorrência, principalmente, de bombardeios aéreos da coalizão norte-americana.

Minha história seria longa, se aqui coubesse a história por inteiro. Todavia, o ponto que quero chegar reside nas linhas de outra história.

venezuela-148036_960_720

Estamos no início de 2019. Abro o jornal e vou de encontro a uma manchete que diz que a Venezuela fechou suas fronteiras com o Brasil. Eu, defensor de um mundo livre e sem muros, sempre me preocupo quando leio notícias como esta. Agrada-me mais quando vejo uma nação abrindo suas cancelas. O motivo dado pelo governo venezuelano é o de que o Brasil se alinha com os Estados Unidos, histórico inimigo da Venezuela, ao não reconhecer Nicolas Maduro como seu e de caminhar rumo a um possível apoio de intervenção militar em seu solo. De fato, militares brasileiros já afirmaram que poderiam responder se o Brasil fosse ameaçado.

Por qual razão querem invadir a Venezuela? Para libertar o povo venezuelano da opressão de seu governante, dizem. Uma temerosa releitura da, parafraseando, “Operação Liberdade da Venezuela”. O país, mergulhado em uma estratosférica hiperinflação, vê grande parte de seu povo sem acesso as mínimas condições de vida. Ainda assim, há quem comemore as sanções ao país, na grande parte outorgada pelos Estados Unidos, que somam quase R$30 bilhões, que somente agravaram a situação dos mais miseráveis. Ou seja, ao supostamente atingir o governo, carregam uma imensa parte do povo para a miséria. Assim nossa vizinha Venezuela mergulha na incerteza do que virá.

Voltando a 2003, o que muitos não sabiam, era que em 2005, dois anos após a invasão do Iraque, o Serviço de Inteligência norte-americano, CIA, divulgaria um relatório informando que desde 1991 o Iraque não possuía nenhum programa para construção de armas nucleares. Além disso, até hoje nunca foram divulgadas as supostas provas que os Estados Unidos diziam possuir, da ligação entre a Al Qaeda e o Iraque de Saddam Hussein. Hoje se sabe que elas nunca existiram e que também pela ausência delas a ONU não autorizou a invasão militar.

Com o tempo sendo senhor da razão, teria mesmo a operação “Liberdade”, sido um sucesso? Já sabendo que as razões eram infundadas, por qual outra razão os Estados Unidos enviariam quase 200 mil norte-americanos para a invasão de um país estrangeiro?

Após a derrubada de Saddam Hussein, a instabilidade reinou no Iraque. Ondas de saques e crimes se tornaram comuns. A invasão, que diziam, seria rápida, tornou-se uma longa operação que dura até os dias de hoje. A simples invasão evoluiu para uma guerra civil onde, até o momento, meio milhão de vidas iraquianas já foram ceifadas. Há ainda o aumento substancial de grupos terroristas, além do surgimento de outros, como o conhecido ISIS.

Por fim, sabemos todos, ao menos agora, que tudo girava em torno do tema “petróleo”. Os Estados Unidos tinham a real intenção de tomar o petróleo estatal iraquiano e, se tudo corresse como planejado, privatizá-lo. Porém, isso não foi possível. Houve enorme pressão de países que compõem a OPEP e temiam a interferência e o controle de empresa norte-americana sobre o petróleo iraquiano.

Entretanto, ainda que o Iraque e seu governo democraticamente apoiado pelos Estados Unidos, seja hoje capaz de produzir até 12 milhões de barris por dia, produz apenas 3 milhões. Em outras palavras, com a oferta escassa, aumenta-se o valor do barril. E as multinacionais norte-americanas do petróleo comemoram o sucesso da verdadeira operação, outra vez parafraseando, “Operação Liberdade dos Lucros”.

Agora você já sabe onde quero chegar. Por qual razão querem invadir a maior detentora de reserva de petróleo do mundo? Sim, este é o título que a Venezuela carrega.

Em matéria publicada no último dia 21 de fevereiro, pelo jornal “O Globo”, lia-se a seguinte manchete: “Ex-diretor do FBI afirma que Trump quer guerra na Venezuela por causa do petróleo”. De acordo com o ex-diretor, Trump teria dito em julho de 2017, em uma reunião particular com funcionários da inteligência a seguinte frase: “Eu não entendo porque não estamos olhando para a Venezuela. Por que não estamos em guerra com a Venezuela? Eles tem todo o petróleo e estão na nossa porta dos fundos”.

A Venezuela precisa encontrar uma saída. Mas nenhuma delas deve passar pela ingerência de nações belicosas e com desejos de fins obscuros.

Vinícola Aurora investe na Europa e Ásia com participações em grandes feiras internacionais

Empresa lança seu suco de uva integral na Europa e, em abril, nos países árabes, e intensifica presença de seus produtos na Ásia

A temporada de grandes feiras internacionais iniciou-se em março para a Vinícola Aurora, maior e mais premiada vinícola do Brasil, que já está presente em mais de 20 países.

Com um de seus dois importadores no Japão, a Aurora esteve presente na 44ª. Foodex Japan (4 a 8 de março), feira internacional que reuniu pelo menos 85 mil visitantes de 95 países, na qual a empresa marca participação há alguns anos.

De 17 a 19 de março, a Aurora terá sua 10ª participação consecutiva na ProWein Düsseldorf, na Alemanha, a maior feira de vinhos do mundo. Nessa feira mundial, realizada em Düsseldorf, a Aurora integra o Pavilhão do Wines of Brasil, programa de exportação do Instituto Brasileiro do Vinho com apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex. “Temos muitas reuniões marcadas nesta grande feira de negócios na Alemanha, com clientes atuais e com vários outros clientes em potencial de várias partes do mundo, em especial com empresas de peso da Rússia e da Polônia”, revela Rosana Pasini, gerente de Exportação e Importação da Vinícola Aurora.

Também com o Wines of Brasil e a Apex, a Aurora estará presente pela segunda vez na CFDF – China Food and Drinks Fair, em Chengdu, de 21 a 23 de março, expondo todo o seu portfólio. “Nossa maior expectativa está na comercialização dos coolers e vinhos espumantes, produtos que já exportamos lá”, afirma Hermínio Ficagna, diretor-superintendente da Vinícola Aurora que está na China para esse evento, acompanhado de Uilson Roberto de Carvalho, secretário do conselho de administração, e Giorgia Forest do Departamento de Exportação e Importação da vinícola. “Já temos agendadas visitas de 23 grandes importadores”, informa Ficagna.

 Suco de Uva Casa de Bento Orgânico 1L

“Nas próximas semanas, vamos embarcar 48.600 garrafas de vinhos tranquilos para um novo importador do norte da China, com quem tivemos o primeiro contato na Prowine em novembro 2018 e que a equipe da Aurora estará reunida na próxima semana para definir as estratégias de comercialização dos produtos”, adianta Rosana Pasini.

Estão previstas participações da Vinícola Aurora em outras quatro feiras na China este ano. A equipe da vinícola aproveitará a oportunidade desta viagem para visitar clientes e fazer treinamentos de equipes de vendas no Japão.

Encerrando a agenda internacional de março, a Vinícola Aurora participa, em Portugal, da Alimentaria & Horexpo Lisboa 2019 — Salão Internacional da Alimentação, Hotelaria e Tecnologia para a Indústria Alimentar, realizado em Lisboa de 24 a 26 de março. Nessa feira, a Aurora lançará para a Europa seu suco de uva integral natural Casa de Bento, versões original e orgânico. A vinícola já está entrando em uma grande rede de varejo naquele país e investe na abertura de novas frentes na Península Ibérica.

Em abril, a empresa embarca seu primeiro contêiner para o mercado árabe, com seu suco de uva integral, informa a gerente de Exportação e Importação da Vinícola Aurora.

Cooperativa Vinícola Aurora – www.vinicolaaurora.com.br  / SAC: 0800 701-1455 / Matriz Bento Gonçalves (RS) 3455-2000 / Filial São Paulo (11) 3051-6124 – Escritórios e representantes em todo território nacional.

Município presta homenagem a Casa Di Paolo pelos seus 25 anos

Fundada em 1994, com o nome Giuseppe, em homenagem ao avô do fundador, a rede de restaurantes Di Paolo comemora 25 anos neste mês e, para celebrar a data, estão sendo realizadas uma série festividades em todas as casas. Como forma de reconhecimento a importância da marca referência na gastronomia típica italiana não apenas para Garibaldi, mas por todo o Brasil, a Administração Municipal de Garibaldi, prestou uma homenagem à empresa, através da entrega de uma placa.

A homenagem foi realizada na Casa Di Paolo que fica junto ao Castelo Benvenutti, na última terça-feira, dia 12, com a presença do prefeito Antonio Cetollin, autoridades, fornecedores, clientes, convidados, formadores de opinião, imprensa e soberanas da Fenachamp e do Festiqueijo.

25 anos Di Paolo 13 03 - Valéria Loch 12

O jubileu de prata da rede de restaurantes, será marcado com uma série de festividades nas casas de Garibaldi, Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Gramado, Recanto Maestro, Porto Alegre e Itapema (SC).

Em seu pronunciamento, o sócio-fundador, Paulo Geremia, falou sobre a história e as motivações sobre o surgimento do restaurante, o crescimento e as novidades que a rede oferece. Entre elas, a nova nomenclatura da marca, que agora passa a se chamar Galeto Di Paolo, além do lançamento da segunda edição do livro ‘A invenção da galeteria’, escrito por Rosane Peccini.

25 anos Di Paolo 13 03 - Valéria Loch 3

Na ocasião, o prefeito Cettolin, parabenizou os empreendedores, através dos sócios da unidade local, Paulo Geremia, William Paludo e Adair Cagnini, e reforçou a importância do empreendimento para o turismo e desenvolvimento da região. A placa entregue pelo prefeito, apresenta os seguintes dizeres:

O município de Garibaldi presta sua homenagem à Casa Di Paolo, que completa 25 anos de criação neste ano. Reconhecemos a importância desta empresa, que é referência em culinária típica da colonização italiana e sua disseminação para além da Serra Gaúcha. Votos de muito sucesso e prosperidade ao Di Paolo, que é motivo para termos ainda mais orgulho de viver aqui.

Após o cerimonial, os convidados foram agraciados com um jantar de confraternização.

Crédito das fotos: Valéria Loch

Cooperativa Vinícola Garibaldi é Ouro na França

Marca gaúcha conquista a primeira medalha de 2019 com seu consagrado espumante Moscatel

Vem da Terra do Champagne a primeira medalha recebida pela Cooperativa Vinícola Garibaldi em 2019. O título é do concurso Vinalies Internationales, onde o consagrado espumante Garibaldi Moscatel envolveu os sentidos dos degustadores e conquistou medalha de Ouro. A avaliação ocorreu de 1º a 5 de março, em Paris, quando o júri de 127 profissionais examinou 3.340 amostras oriundas de 45 países.

O premiado espumante Garibaldi Moscatel - foto Cassius Fanti

Para o gerente de marketing da Cooperativa Vinícola Garibaldi, Maiquel Vignatti, a boa notícia representa o start dos bons resultados que estão por vir. “As premiações são termômetros que ajudam a indicar um panorama da produção vitivinícola mundial. Isso ficou evidente para a Cooperativa no ano passado, ao conquistar 86 títulos e tronar-se a vinícola brasileira mais premiada no período. Para 2019, esperamos reafirmar a qualidade de nossas bebidas a especialistas e consumidores de todo o planeta”, avalia.

 Características do espumante premiado

O Garibaldi Moscatel tem coloração clara com reflexos esverdeados e aspecto brilhante com ótima formação de perlage. No olfato apresenta aromas com notas de melão, maçã verde, flores brancas e um toque de mel. No paladar é suave e cremoso, com acidez equilibrada e refrescante. Preço médio: R$ 36.

Sobre a Cooperativa Vinícola Garibaldi

A história da Cooperativa Vinícola Garibaldi começou a ser escrita em 1931, pela união de diversas famílias de agricultores como alternativa para vencer as dificuldades econômicas do país na época. Atualmente, são 400 famílias associadas, localizadas em 15 municípios da Serra gaúcha. Seu portfólio tem 65 produtos distribuídos em 12 marcas, entre espumantes, vinhos tintos e brancos, linhas de exportação, frisantes, filtrados e sucos de uva – além de opções orgânicas e biodinâmicas.

Camerini e Petroli recorrem à Justiça para garantir a criação da CPI dos Médicos

Após o presidente da Câmara de Bento Gonçalves, Rafael Pasqualotto (PP), arquivar de forma arbitrária o Requerimento para criação da CPI dos Médicos, os Vereadores Camerini (PDT) e Agostinho Petroli (MDB) ingressaram com um Mandado de Segurança no Judiciário, na tarde desta quarta-feira, dia 13.

O objetivo é tentar garantir, por meio de uma liminar, que a Comissão Parlamentar de Inquérito seja imediatamente instaurada, já que o pedido atendia a todos os requisitos regimentais.

A atitude de Pasqualotto demonstra claramente que houve uma tentativa da Mesa Diretora e da base do prefeito na Casa de barrar a investigação sobre problemas na prestação dos serviços de Saúde no município. “É notório que o Impetrado, de todas as formas, tentou impedir que a CPI se instalasse, em diversos passos: 1) trouxe, de forma sorrateira e sem prévio aviso ou inclusão na pauta da Ordem do dia, o Secretário de Saúde para prestar esclarecimentos sobre as denúncias na Casa no dia em que findou o prazo para instalação da CPI; 2) não observou o prazo para instalação da CPI, previsto no Regimento Interno (dia 11/03); e 3) emitiu despacho extemporâneo de arquivamento (dia 12/03) alegando que dois Vereadores solicitaram a retirada das assinaturas, o que inviabilizaria o quórum para instalação da Comissão”, aponta parte do texto da demanda encaminhada à Justiça.

O principal argumento apresentado pelo presidente é a falta de, no mínimo, seis assinaturas para a instalação da CPI, o que não confere com a realidade, pois o Requerimento inicial já contava com sete adesões. Embora dois parlamentares tenham manifestado intenção de voltar atrás e retirar suas assinaturas, tal reconsideração não está prevista no Regimento Interno. “A manifestação de vontade dos autores da CPI se deu no momento da assinatura durante a Sessão Ordinária do dia 1º de março e a desistência após protocolo deve servir apenas para que os mesmos não mais participem da Comissão, mas não para retroagir ao fato de anular sua criação legitima”, destaca outro trecho do Mandado.

Camerini - Mandado de Segurança

“Eu realmente lamento o fato de precisar buscar amparo no Judiciário, pois isso deixa claro que há um sério problema no Legislativo, do qual eu sou um representante. Infelizmente, não vejo outro caminho, porque não posso permitir que estas decisões ilegais se tornem rotina na Câmara, principalmente quando se trata de um assunto que atinge diretamente a nossa comunidade”, ressalta Camerini.

Simmme abre calendário 2019 com economista da FIERGS

O evento será realizado no dia 20 de março, na sede do sindicato

            O SIMMME (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Bento Gonçalves) abre o calendário de eventos do ano com a presença do Economista-chefe da FIERGS (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul), André Nunes de Nunes. O encontro será no Happy Hour com Informação, na quarta-feira, dia 20 de março, com recepção às 18h e início da palestra às 18h30min. O valor do ingresso, que inclui drinks e petiscos de boas-vindas, é de R$ 25,00 para associados Simmme e R$ 40,00 para não associados.

foto_sem_banner

            O palestrante abordará os principais fatores, nacionais e internacionais, que estão influenciando o ritmo da retomada da economia brasileira. Também serão discutidos os diferentes cenários prospectivos e desafios para os próximos anos. Para o Presidente do SIMMME, Juarez José Piva, estamos vivendo um momento de retomada em nosso país e a palestra apresentará os cenários e desafios da economia nacional neste contexto.

O que: Happy Hour com Informação SIMMME – Palestra Economista-chefe da FIERGS

Quando: 20/03/2019, às 18h

Onde: Simmme (acesso pela Alameda Fenavinho)

Informações: PSCOM Marketing e Eventos / 3451 2741

Números oficiais confirmam um 2018 sem crescimento para o polo moveleiro de Bento Gonçalves

Acréscimo de 1% no faturamento é justificado pelo desempenho acima da média no mercado internacional

O faturamento da indústria moveleira do polo de Bento Gonçalves atingiu : R$ 1,78 bilhões no ano de 2018. Os dados da Secretaria da Fazenda obtidos na última semana indicam um crescimento de 1% em relação ao ano anterior, em termos nominais. O número de postos de trabalho também se manteve estável, sem fechamentos, com um total de 6.100 empregos diretos no polo moveleiro. No estado, o crescimento nominal do faturamento foi de 16,5% em relação a 2017.

Em virtude da forte retração no mercado interno sentida pelo setor moveleiro no ano passado, foram as exportações que evitaram um desempenho negativo para o polo. Pelo segundo ano consecutivo, Bento Gonçalves cresceu nas exportações a taxas superiores ao estado e país, num incremento de 12,5% em relação a 2017.

Uruguai, Peru, Chile, Estados Unidos e Colômbia como principais mercados, mas o surgimento de novos destinos e retomada de mercados favoráveis ao polo moveleiro. O crescimento nas vendas foi expressivo para Arábia Saudita (+60%), Reino Unido (+48%), Equador (+136%) e África do Sul (+82%) Porto Rico (187%) e França (142%).

JS8-1038

O presidente do Sindmóveis, Vinicius Benini, elenca como prioritário neste ano o apoio à internacionalização das empresas do polo. Para isso, a entidade vai ampliar as capacitações na área e manter o calendário de estudos de inteligência comercial e promoções comerciais em mercados de interesse do polo moveleiro. No planejamento da Movelsul Brasil 2020, o fomento às exportações também entra como ponto de destaque com um Projeto Comprador que trará 100 importadores de mercados estratégicos para o expositor.

Vinicius Benini relembra que o polo moveleiro de Bento Gonçalves ainda é considerado o principal do país em número de peças produzidas, mas que as empresas locais foram fortemente impactadas pela crise, assim como a indústria moveleira de todo país. Ele considera que as empresas devem estar atentas aos fatores que impactam a competitividade mundial do móvel brasileiro, que são os atributos de design e inovação, cada vez mais valorizados. “Os desafios dizem respeito à sinergia entre as pontas da cadeia: da fábrica até o consumidor, passando pelo varejo – e as tecnologias envolvidas nos modelos atuais de consumo. O Sindmóveis, como entidade articuladora que é, vai trabalhar firmemente nesse ano para ampliar as condições de competitividade do associado”, destaca.

Os primeiros números de 2019 seguem indicando as exportações como destaque no polo. No primeiro bimestre de 2019, houve acréscimo de 34,4% nas exportações de janeiro e fevereiro em comparação a igual período do ano passado. Com expressivo crescimento das negociações no mercado americano, os EUA figuram como principal destino para os móveis do polo de Bento Gonçalves, passando da oitava posição no primeiro bimestre ano passado para a liderança atualmente.

 Texto: Ana Carolina Azevedo

Foto: Jeferson Soldi

2019 começa com premiações na França

Vinhos e espumantes brasileiros são reconhecidos no Vinalies Internationales

Três vinhos e cinco espumantes brasileiros dão a largada nas premiações de 2019. Os rótulos brasileiros foram reconhecidos na França, no Vinalies Internationales, realizado de 1º a 5 de março em Paris. O concurso reuniu 3.340 amostras de 45 países.

A diretora da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enóloga Daiane Badalotti, representou o Brasil como degustadora, integrando um júri internacional de 127 profissionais. Também participaram do evento, as brasileiras Regina Vanderlinde, presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), e a enóloga Rachel de Oliveira, que trabalha na região de Champagne.

Segundo Daiane, o Vinalies Internationales se mostrou um concurso altamente organizado. “Com certificação ISO 9001, o processo de degustação e avaliação das amostras seguiu criteriosas normas. A grandiosidade do evento também é confirmada na representatividade dos vinhos e dos degustadores, ambos de diferentes partes do mundo, destaca.

vinalies 2019

 PREMIAÇÕES

Medalha de Ouro

Aurora Espumante Moscatel – Cooperativa Vinícola Aurora

Aurora Pinto Bandeira Espumante Extra Brut – Cooperativa Vinícola Aurora

Garibaldi Espumante Moscatel – Cooperativa Vinícola Garibaldi 

Medalha de Prata

Brazilian Soul Sparkling Moscato Branco – Cooperativa Vinícola Aurora

Gran Leopoldina Chardonnay D.O 2017 – Casa Valduga

Ponto Nero Cult Brut Rosé – Domno Do Brasil

Quinta do Seival Cabernet Sauvignon 2015 – Miolo Wine Group

Jolimont Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2008 – Vitivinícola Jolimont

Curso esclarece legislação ambiental para empresas

Capacitação oferecida pela Proamb ocorre no dia 21 de março

Ainda que o grau de consciência ambiental desenvolvido durante os últimos anos por empresários e gestores tenha evoluído consideravelmente, pairam muitas dúvidas envolvendo a legislação que trata desse tema. Aperfeiçoar o entendimento sobre as regras e as normas, a fim de que as leis possam ser parte da solução e não dos problemas das operações, é o objetivo da Fundação Proamb ao trazer a advogada Luísa Falkenberg, especializada em Direito Ambiental Nacional e Internacional, para Bento Gonçalves.

No dia 21 de março, ela conduzirá o workshop ‘Entendendo os Impactos do Direito Ambiental na Gestão do Negócio: Questões Práticas’, no Dall’Onder Grande Hotel – primeira capacitação técnica da Proamb em 2019.

Para Luísa, as empresas precisam atentar ao fato de que dificilmente elas sobreviverão no mercado caso não atendam às questões ambientais legais. Por isso, o conhecimento da legislação e vital. “Conhecer os riscos ambientais, com os custos ou vantagens da inércia e da prevenção, é fundamental para fazer gestão do negócio”, comenta ela, pós-graduada pela Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos. A advogada ressalta que os custos do cumprimento das exigências, frequente dor de cabeça dos empreendedores, já que podem inviabilizar o negócio, podem ser enfrentados com a expertise de consultores, sem qualquer descumprimento da lei.

Fundaçao Proamb oferece curso sobre legislação ambiental para empresas - Crédito Exata Comunicação

No curso, serão abordados ainda as definições de crime ambiental, novos prazos de licenças no Estado, responsabilidades quanto a resíduos e infrações administrativas, entre outros temas. Sobre os resíduos, Luísa reforça que a empresa geradora é corresponsável até o descarte ou beneficiamento legal, podendo ser notificada caso ocorra algum dano ao ambiente mesmo após ter contratado determinada empresa para realizar o serviço.

Serviço

O que: ‘Entendendo os Impactos do Direito Ambiental na Gestão do Negócio: Questões Práticas’, com a advogada Luísa Falkenberg

Quando: dia 21 de março, das 13h30min às 18h

Onde: Dall’Onder Grande Hotel

Inscrições até: 18 de março pelo e-mail educacao@proamb.com.br

Informações: (54) 3055.8700 ou www.proamb.com.br