Posts

Setembro Amarelo busca prevenção ao ato de suicídio

Desfile NAVIGA - Jean Teixeira (2)O mês de setembro, em  vários países do mundo,  traz a tona  o suicídio, tema delicado de ser abordado, mas que é justamente por meio da conversa que pode ser evitado. O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do assunto. A prefeitura de Garibaldi aderiu a campanha. A cor amarela está mais presente em locais públicos em Garibaldi e nas  Unidades Básicas de Saúde, onde a divulgação sobre o tema e a importância da busca por ajuda é reforçada por  material informativo. No município, foram registradas 56 tentativas e suicídios até setembro deste ano. Em 2016, foram 37 casos.

 A coordenadora do Programa de Vigilância da Violência (PVV), Rose Foppa, afirma que é necessário compreender o sofrimento das vítimas como um problema de saúde pública, sem minimizar ou fazer julgamentos, uma vez que envolve fatores psicológicos e socioculturais”.

O comportamento depressivo, característico do paciente suicida, pode começar ainda na infância. Segundo a psicóloga Elza Zaro, a automutilação de adolescentes não é apenas um modismo. “A sociedade põe muitas expectativas nas pessoas, que muitas vezes sofrem por não poder atender a isso. É preciso ter espaço para que possamos ficar tristes, sem ter a exigência de ser feliz e bem-sucedido todo o tempo”, avalia a psicóloga. “A aquisição de coisas materiais não substituem afeto e contato, é preciso rever valores. A prevenção ao suicídio deve começar na família”, acrescenta.

A orientação das profissionais aos familiares de quem está passando por alguma situação depressiva é que se converse com esta pessoa e encaminhe a atendimento clínico nos postos de saúde, para então ser direcionada ao serviço de saúde mental.

Desde o mês de fevereiro, o município passou a contar com mais uma iniciativa pela prevenção ao suicídio. Foi instalado junto à Secretaria Municipal da Saúde um posto do Centro de Valorização da Vida (CVV), onde voluntários prestam atendimento por telefone, visando a prevenção do suicídio. A pessoa que liga para o número 188 entra em contato com algum dos profissionais da rede em todo o país, que oferece ajuda por meio de uma escuta afetiva.O CVV é mantido pelo Núcleo de Apoio à Vida de Garibaldi (NAVIGA), associação civil de natureza filantrópica, sem fins lucrativos, que levantou o tema do Setembro Amarelo em sua manifestação no Desfile Cívico, na última semana.

Foto: Valéria Cristina Loch