Posts

Evento sobre Inteligência Artificial acontece em Bento Gonçalves em maio

Group Experience – A Inteligência Artificial nos Negócios ocorre em 09 de maio no Campus Universitário da Região dos Vinhedos (UCS CARVI). Evento Gratuito. 

A Inteligência Artificial pertence ao futuro ou já é uma realidade nas empresas? No próximo dia nove de maio, o Group Experience, evento com a temática “Inteligência Artificial nos Negócios”, trará informações inéditas sobre a tecnologia e mostrará na prática como a Inteligência Artificial está sendo incorporada nos mais diferentes segmentos de mercado. O evento será realizado no Campus da Região dos Vinhedos da Universidade de Caxias do Sul (UCS-CARVI) em Bento Gonçalves, a partir das 19h30, no Auditório do Bloco B. A entrada é gratuita e as inscrições podem ser feitas através do link http://bit.ly/2OZruFf

Com o objetivo compartilhar experiências com profissionais que já possuem a vivência do mercado digital, o Group Experience traz como convidados os palestrantes Brayan Poloni Cislaghi, Diretor de Tecnologia da Introduce Tecnologia para Crescer e Marcos Cristiano Coelho, Consultor de Processos Industriais e Gestão da Inovação.

Confira a programação

IA na Transformação Digital

Inteligência Artificial – mercado, capital humano e as mudanças na economia digital. Um debate sobre ética, inteligência emocional e cooperação entre humanos e computadores. Aprendizado da máquina (Machine Learning), Internet das Coisas (IOT) e Big Data. Modelos de negócios com essas tecnologias.

Sobre o palestrante
Brayan Poloni Cislaghi é Diretor na Introduce Tecnologia para Crescer, empreendedor, empresário, coach, agente de transformação cultural de tecnologia, graduado em Segurança da Informação e Gestão de Pessoas. Tem 10 anos de vivência em segurança da informação, Engenheiro Sophos, LPI 3 e Ethical Hacker. Especialista em Blockchain, Bitcoin e Criptoeconomia, Cloud Computing e Transformação Digital.

“A inteligência artificial (AI, na sigla em inglês) é um tópico relevante em discussão que levanta o debate sobre ética, inteligência emocional e cooperação entre humanos e computadores. Entraremos no assunto para entender as camadas da inteligência artificial, onde no nosso dia a dia já usamos, onde usaremos, o que já podemos fazer e o que podemos fazer no amanhã,” explica Brayan Poloni Cislaghi.

IA, BI, ERP, REDES NEURAIS E BOTS

O que é Inteligência Artificial. Coma a IA está mudando o dia a dia das pessoas. Expectativas para o futuro. Inteligência Artificial nas organizações, Business Intelligence, Sistemas ERP, aplicações e ganhos; redes neuras e bots. Análise de dados com inteligência artificial.

Sobre o palestrante
Marcos Cristiano Coelho é Consultor de Processos Industriais e Gestão da Inovação. Consultor da Innoscience Sênior e Sócio diretor da EMC Projetos. Graduado em Administração de empresas, com especialização em Desenvolvimento de Novos Negócios pela Universidade de Maryland (EUA).

Promovido pelos cursos de Administração e Ciências Contábeis através de uma parceria entre a empresa Group Sistemas de Gestão e a Universidade de Caxias do Sul, o evento é direcionado aos estudantes da Universidade e também estará aberto para a comunidade acadêmica.

Estudantes da UCS recebem 03 horas complementares pela participação na atividade.

Inscrições podem ser feitas através do site www.ucs.br/site/eventos ou pelo link http://bit.ly/2OZruFf

GROUP EXPERIENCE – Inteligência Artificial nos Negócios

Quando: 09 de maio, quinta-feira, a partir das 19h30

Local: Auditório do Bloco B – Compus Universitário da Região dos Vinhedos (UCS CARVI)

Endereço: Alameda João Dal Sasso, nº 800, Bairro Universitário
Inscrições: http://bit.ly/2OZruFf

Convite-Group-Experience---Inteligência-Artificial-nos-Negócios

Quais as garantias que um franqueador pode utilizar no contrato de franquia?

Por Felipe Romano*
Algumas franqueadoras, em seus contratos de franquia, vêm se utilizando das chamadas garantias contratuais, recursos que são utilizados para trazer uma maior segurança aos credores (franqueadores) em face de todo e qualquer evento danoso. Algumas podem ser utilizadas antes de uma autorização judicial; outras necessitam de autorização judicial para convalidar-se.
O contrato de franquia permite a coexistência de múltiplas garantias”. A adoção de uma ou mais delas, segundo os franqueadores, serve para proteger não só a franqueadora, mas toda a rede – uma vez que, um abalo financeiro em função do não cumprimento das cláusulas definidas em contrato, pode comprometer a saúde financeira da franqueadora, afetando sua manutenção e investimentos em prol da rede franqueada.
Conheça as garantias mais comuns encontradas nos contratos de franquia:
Fiança pessoal – Indicação de uma pessoa física, com idoneidade pessoal e patrimonial confirmadas para arcar com o ônus da dívida em caso de inadimplência. Esta pessoa deve constar no contrato de franquia, assiná-lo, e, se for casada, seu cônjuge também deverá assinar o documento.
Hipoteca – É quando o franqueado indica uma propriedade imobiliária como garantia real em caso de inadimplência. É necessário um procedimento burocrático que dê a um terceiro – no caso, o credor – a preferência no recebimento do imóvel para quitar eventuais débitos (com exceção de casos que envolvem débitos fiscais ou trabalhistas, que sempre serão preferenciais).
Aliança Fiduciária – É uma modalidade de garantia por meio da qual o franqueado transfere a propriedade de um bem móvel ou imóvel ao credor, mas segue exercendo sua posse. Após o cumprimento da obrigação, a propriedade do bem volta a ser consolidada em favor do devedor, se por ventura a dívida deixar de ser honrada pelo devedor, o credor poderá convalidar a propriedade, porém, o bem destacado deverá ser levado a leilão para a satisfação da obrigação não cumprida.
Caução – É um tipo de garantia em espécie, limitada a patamares financeiros reduzidos em comparação com o que poderia ser requerido numa ação judicial. Pode ser utilizada em conjunto com outras garantias, uma vez que é permitido definir mais de uma num contrato de franquia.
O ideal é que cada franqueador consulte um advogado especializado em franquia para definir quais são as melhores garantias no seu caso específico. Quando a relação de franquia se inicia com um bom documento jurídico, que assegura os direitos e deveres de ambas as partes, muitos conflitos são dirimidos de forma mais fácil e ágil, sem que seja necessário recorrer a instâncias maiores.
Isso quer dizer que quando o seu contrato de franquia possui liquidez e certeza, sendo passível de execução judicial direta, a agilidade na solução é muito maior do que acionar um fiador para responder pelos débitos oriundos da relação de franquia. Também é importante ressaltar que como a utilização de garantias da pessoa física estão diminuindo e as outras garantias, tais como, hipoteca e caução, dificultam a venda de franquias, existem outras formas mais ágeis de garantia e também contratos de franquia sem garantia, que possuem processos mais céleres, visando a satisfação da parte prejudicada.
*Felipe Romano é advogado, sócio do escritório Novoa Prado Consultoria Jurídica.
unnamed

Bento registra abertura de mais de 800 empresas no primeiro semestre

Município desenvolve políticas que incentivam a vinda de novos empreendimentos

Bento Gonçalves vem se consolidando como sede de novas empresas. Isso se deve as políticas municipais de incentivo ao empreendedorismo que fomentam a vinda de negócios para a cidade. Dados da Secretaria de Desenvolvimento Econômico comprovam que no primeiro semestre deste ano, o número de abertura de empresas foi positivo. Durante o período, 848 empreendimentos se instalaram no Município.

Destas novas empresas, 554 (65,33%) são do setor de prestação de serviços, 159 (18,75%) do comércio, 58 (6,84%) comércio com prestação de serviços, 56 (6,6%) autônomos, 13 (1,53%) indústrias, seis (0,71%) indústrias com prestação de serviços e duas (0,24%) agroindústrias.

Para o secretário da pasta, Sílvio Bertolini Pasin, “o crescimento de novos negócios em Bento Gonçalves confirma que a cidade é uma dos melhores locais para se empreender. A Lei do Incentivo, entre outras políticas desenvolvidas, é uma grande propulsora destes investimentos, pois as empresas obtêm benefícios para se fixarem aqui, gerando novas oportunidades de renda e de emprego. O ambiente regulatório desburocratizado e o mercado em expansão, também garantem essa cultura empreendedora”.

A Sala do Empreendedor é um local de assessoria gratuita para pequenos, médios e grandes empresários, que visa desburocratizar o processo de formação de novas empresas. Com uma equipe multidisciplinar, o espaço realiza em média mais de dois mil atendimentos por mês, executando todos os processos necessários para a abertura de estabelecimentos.

O proprietário do restaurante Chang Thai, Leandro Scotta, que se instalou no município neste período, falou sobre a importância da Sala para a concretização do seu negócio. “O local é um ótimo suporte para quem está pensando em abrir um negócio. Sempre que precisei, o espaço me ajudou bastante, com esclarecimento de dúvidas, informações sobre documentação e o que eu precisava para fazer isso dar certo. O atendimento é feito com clareza e rapidez. Eu fico muito agradecido pela Sala do Empreendedor e pelo nosso município”, destacou.

A Lei do Incentivo ao Desenvolvimento Econômico (nº 6012/2015) prevê a isenção temporária de taxas e tributos para empresas já estabelecidas no município e que tenham projetos de ampliação, ou para empresas que optarem por se instalarem em Bento.

Inaugurada em junho deste ano em Bento Gonçalves, a rede de supermercados Caitá foi um dos projetos beneficiados pela Lei. O proprietário do empreendimento, Juliano Zandonai explica porque escolheu a cidade para instalação. “Escolhemos Bento, pois acreditamos no seu potencial, acreditamos ser uma cidade que pode crescer muito. A lei de incentivo foi muito bem vinda, ajudou a facilitar a instalação e a desburocratizar o processo de abertura. O suporte que tivemos foi ótimo, o ambiente de negócios que o Poder Público estimula sem dúvida é um fator de atratividade para novos negócios”.

Negócios e conhecimento marcam segundo dia da FIEMA Brasil 2018

Feira encerra nesta quinta-feira, 12, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves

O segundo dia da programação da FIEMA Brasil 2018 foi de corredores movimentados, com visitantes conhecendo as soluções trazidas pelos cerca de 100 expositores participantes da feira, e de auditórios cheios, com espectadores acompanhando as palestras técnicas oferecidas no circuito de congressos e seminários do Fiemacon.

A agenda de trabalhos teve as conferências do 6º Congresso Internacional de tecnologia para o meio ambiente, com destaque para a temática dos resíduos sólidos. A importância do processamento desses materiais, especialmente para a indústria cimenteira, foi o foco da palestra “Valorização de Resíduos Sólidos”. Apresentado pelo gerente comercial do Grupo Votorantim, Bruno Marin, o encontro encorpou a programação do segundo dia do evento.

Marin abordou questões relacionadas ao tratamento que a empresa confere aos resíduos sólidos produzidos na indústria cimenteira, salientando que nem todos os tipos de resíduos podem ser processados. Por isso, o setor está investindo cada vez mais em tecnologias que possibilitem um melhor aproveitamento deste material. “O grande desafio ainda é fazer com que esse processo se torne bom economicamente, pois há um enorme esforço para que a parte tecnológica evolua e se crie um sistema flexível”, aponta Bruno. Com essa evolução, a indústria cimenteira tem, segundo Marin, a oportunidade de fazer parte da solução para o destino correto dos resíduos sólidos urbanos no país. Além disso, é possível aproveitar os grandes volumes produzidos através de políticas de estímulo à reciclagem e à valorização energética.

ACP_6862

Outras palestras auxiliaram no debate sobre resíduos sólidos no Congresso Internacional da Fiema 2018. Quatro especialistas da área discutiram temas como resíduos de saúde, política nacional de resíduos sólidos, gestão pós-consumo e processos para tratamento de resíduos. Os debates iniciaram às 9h da manhã e se estenderam até o meio dia.

Recursos hídricos abriram a programação

Na última terça-feira, 10, o coordenador do Congresso, Lademir Luiz Beal, da Universidade de Caxias do Sul abriu os trabalhos destacando a qualidade técnica e a relevância do encontro. “Há sempre a preocupação de trazer palestrantes de alto nível, para debater questões que proponham soluções que possam evitar um possível cataclismo do planeta Terra. Dessa forma, é muito importante que compreendamos isso e discutamos os temas que envolvem o meio ambiente”, aponta o coordenador.

LEIA TAMBÉM: Propostas para construção da Usina de Resíduos Sólidos Urbanos serão abertas nesta terça

A palestra que iniciou a programação discutiu os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Quem conduziu o tema foi Carlo Linkevieius Pereira, diretor executivo da Rede Brasil do Pacto Global e com mais de 15 anos de experiências em temas relacionados a sustentabilidade. Os ODS são 17 proposições que deverão orientar as políticas nacionais e as atividades de cooperação internacional até 2030, sucedendo e atualizando os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

O ano que marcou o início da implantação dos ODS foi 2015, após a realização do Rio +20. A partir de então, as empresas começaram a focar mais na área ambiental. “Em épocas nas quais os eventos climáticos estão cada vez mais extremos, as empresas e os governos precisam parar e refletir sobre o que estão propagando e praticando, pois é necessário que todos sejam provocativos e visionários para atingirmos os 17 objetivos propostos”, afirma Carlo.

O 6ª Congresso Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente da Fiema Brasil 2018 encerra nesta quinta-feira,12,  com cinco palestras abordando a temática das tecnologias ambientais.

2º Seminário de Energias Renováveis

Com a temática de tratar a eminente necessidade de refletir sobre a geração de energias que se renovem, o 2ª Seminário de Energias Renováveis da Fiema Brasil pautou os debates na programação do segundo dia da feira. O encontro iniciou na parte da manhã com explanações sobre um panorama geral da situação das energias renováveis por professores da PUC-RS. Logo após, tratou-se de licenciamento, aplicabilidade e políticas de incentivo, abordado especialmente as linhas de financiamentos que o BRDE oferece ao setor.

SAIBA MAIS: Prefeitura assina contrato de R$ 3 milhões para obras de pavimentação

Na parte da tarde, Robson Tanaka, da CPFL Energias, expôs aspectos da energia hídrica, quanto aos impactos socioambientais da instalação de usinas de energia hidroelétrica. Em contrapartida, logo após a apresentação do meio que representa a maior parte da energia elétrica do país, Otto Fonseca Cardoso apresentou as formas de produção de Biomassa e Biogás da empresa que representa, a Sulgás – Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul.

A empresa estatal possui 51% da concessão de gás, que durará até 2044. A Sulgás estima que são produzidos 86 milhões de toneladas de biomassa por ano no Rio Grande do Sul. Otto expôs que esse recurso é um complemento para a economia gaúcha e também para quem procura combustíveis renováveis. “Nós estamos trabalhando cada vez mais para termos tecnologias que possam fazer com que sejamos mais autônomos quanto à biomassa, pois hoje, apesar da nossa grande reserva, importamos boa parte do recurso da Bolívia”, relata Cardoso. Palestras sobre energias solar e eólica fecharam o 2ª Seminário de Energias Renováveis.

Último dia de Fiema com intensa programação

A Feira de Negócios, Tecnologia e Conhecimento em Meio Ambiente se estende até esta quinta-feira, dia 12. A Fiema contará com mais programação dentro de quatro espaços: o 6º Congresso Internacional de Tecnologias para Meio Ambiente, o 6º Seminário Brasileiro de Gestão Ambiental na Agropecuária, o 5º Seminário de Segurança do Trabalho e o 1º Seminário Internacional de Resíduos Industriais e Urbanos. A visitação a feira, que ocorre no Parque de Eventos de Bento Gonçalves, é gratuita, já os seminários têm inscrições pagas e podem ser feitas diretamente na bilheteria da feira.

Negócios e novidades pelos corredores

Quem circulou pelos corredores da FIEMA Brasil 2018 teve a oportunidade de conferir de perto inovações relevantes para gestão ambiental. A LDA Indústria e Comércio Ltda, de Sumaré (SP), fez dupla estreia na feira. Além de participar pela primeira vez, igualmente de forma inédita divulga um produto da linha voltada ao saneamento básico – a empresa é especialista em equipamentos para implementos rodoviários e para a construção civil.

Com know-how e corpo de engenharia qualificado para atender a demandas tanto de prefeituras quanto de empresas que lidam com meio ambiente, a LDA apresentou o combinado, sistema com um tanque dividido em dois compartimentos. Um deles é utilizado com água para hidrojateamento de alta pressão a fim de limpar e desobstruir redes de esgoto e galerias, além de lavagem geral. O outro é reservado para o depósito de sucção a vácuo de materiais líquidos, pastosos, oleosos e sólidos. “Muitos problemas como enchentes e alagamentos advêm da falta de manutenção nas redes. Isso vai criando lodo, entupindo e criando um lastro, e nós temos equipamento para evitar isso, fazendo uma prevenção”, diz David Viana, do setor de vendas e equipamentos da LDA.

Para André Pavane, do marketing da empresa, o investimento acaba sendo mais benéfico do que o aluguel de máquinas para solucionar o problema quando esse já aconteceu, principalmente no caso de prefeituras. “Com a aquisição, a prefeitura gera um ativo e acaba pagando o equipamento em menos de um ano pela economia que ele gera”, comenta. Segundo ele, há financiamentos para a iniciativa privada como o Finame/BNDES, e para prefeituras, através de programas do governo.

Lançamento de ETE Físico-Química compacta

Outro destaque à disposição do público foi a apresentação da Estação de Tratamento de Efluentes Físico-Química compacta. Fabricado pela indústria florense Mega Equipamentos, o dispositivo com vazões de 10m³ a 30 m³ tem, entre suas vantagens, o fato de ocupar pouco espaço físico e de ser operado através de painel elétrico. De forma semiautomática, o operador controla facilmente os comandos das bombas dosadoras, das bombas de transferência e da recirculação dos efluentes. Carvão ativado e filtro de areia são utilizados no equipamento para auxiliar na retirada de impurezas e de odor, além de clarificar a água. “O que não puder ser reutilizado de efluente pela empresa pode ser descartado na natureza sem qualquer risco ambiental”, diz o diretor da Mega, Vilvi Zardo dos Santos.

O novo aparelho também tem como diferencial a praticidade em logística – podendo ser transportado em cima de skid (plataforma da empilhadeira) -, o baixo custo de dosagem de produtos e a rapidez na entrega, com projetos “chaves na mão”, sem a necessidade de espera. A ETE é destinada ao tratamento de efluentes industriais diversos, desde os produzidos por lavanderias ou moveleiras, passando por metalúrgicas e galvânicas, entre outras.

A Mega ainda pode entregar o equipamento já com o filtro de prensa instalado e oferece a instalação e startup do sistema, garantindo sua eficiência através de ART do projeto e treinando os operadores no cliente. Fundada em 2007, a empresa participou no ano seguinte de sua primeira Fiema e, desde então, tem participado de todas as edições da feira.

SERVIÇO

O quê: Fiema Brasil – Feira de Negócios, Tecnologias e Conhecimento em meio ambiente

Quando: último dia amanhã (12), das 10h às 19h

Onde: Parque de Eventos de Bento Gonçalves, RS

Informações e inscrições para os seminários: www.fiema.com.br

Vinícola Aurora participa de feiras e rodadas de negócios em 3 continentes

França receberá novamente, vinhos da vinícola. Novos embarques também estão previstos para EUA e Bolívia nos próximos dias

 A Vinícola Aurora, que exportou em janeiro volume equivalente ao exportado em todo o primeiro semestre do ano passado, acaba de embarcar para a França 3000 garrafas de seu vinho fino Aurora Varietal Cabernet Sauvignon. Para os próximos dias, estão programados embarques de 3500 garrafas para os Estados Unidos e de 6000 garrafas para a Bolívia, com vinhos top de linha, brancos, tintos e espumantes Procedências, além de Grappa, Licoroso tinto, vinhos de entrada da linha Saint Germain e de mesa.

 A partir desta terça-feira, a vinícola cumpre agenda de rodadas de negócios, eventos e feiras em 3 continentes.

ProWein 2017

 Com foco em espumantes e suco de uva integral, participa, nestas terça e quarta-feiras, de rodada de negócios com degustação em Bogotá (Colômbia), organizada pelo Wines of Brazil e Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), e em Lima (Peru), nos dias 7 e 8 de março.

 De 7 a 10 de março, a vinícola terá sua quinta participação na Foodex, no Japão. Será em parceria com seu mais tradicional importador naquele país e estará apresentando vinhos brancos e tintos das linhas Aurora Varietal e Aurora Reserva, assim como vinhos da Aurora Uruguai. Dias 18 a 20 de março, lança seu Aurora Reserva Rosé na Prowein Dusseldorf (Alemanha), em sua 10ª participação nessa feira mundial, considerada a maior feira de vinhos do mundo.

LEIA TAMBÉM: Vinícola Aurora comemora 87 anos com investimento em tecnologia

 Dias 22 a 24 de março, a Aurora estreia na CFDF (China Food & Dinks Fair), na cidade de Chegdu (China). Será em estande próprio, apresentando a linha completa de sucos de uva integrais, vinhos e espumantes. “Nosso foco nas exportações em 2018 segue sendo a Ásia, porém temos um trabalho contínuo de construção de nossas marcas em importantes mercados da América do Norte e Europa, além dos países vizinhos que são apreciadores dos vinhos do Brasil”, comenta Rosana Pasini, gerente de Exportações da Vinícola Aurora.

SAIBA MAIS: 29º Festimalha terá três dias a mais

Primeira edição de feira latino-americana de vinhos chega a Bento Gonçalves

Grupo italiano realiza primeira edição da Wine South America em Bento Gonçalves, no mês de setembro, apostando na valorização dos produtos brasileiros como estratégia para consolidar sua presença no mercado global
 A primeira edição da Wine South America – Feira Internacional do Vinho  vai ocorrer nos dias 26 a 29 de setembro deste ano, nos pavilhões da Fundaparque. A possibilidade estava sendo discutida desde 2016, quando o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, esteve na Itália em busca de parcerias e investimentos no setor vitivinícola gaúcho.  Em 2017, uma missão da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT) e do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) visitou a sede da empresa Veronafiere, em Verona, para confirmar o interesse em realizar um grande evento para divulgar os vinhos do Brasil e da América Latina. A feira terá um espaço voltado para tecnologia, tanto para indústria vinícola quanto para viticultura.
Alberto_03

“A Wine South America nasce pela necessidade da indústria brasileira de mostrar sua variedade de vinhos e lançamentos, bem como do desejo de expandir seus negócios para novos mercados consumidores, ou seja, consolidar a presença do Brasil no mapa mundial do vinho – além de valorizar os produtores da América do Sul, com as presenças da Argentina, Chile e Uruguai”, resume Alberto Piz, diretor da Milanez & Milaneze, empresa promotora da feira e subsidiária da italiana Veronafiere.

 Rodadas de negócios e o Projeto Imagem

A expectativa da Wine South America 2018 é reunir 10 mil visitantes (importadores, distribuidores, profissionais da área, apreciadores, consumidores, pesquisadores e estudantes) e 250 expositores, entre empresas produtoras nacionais e internacionais de vinho, fabricantes de máquinas e equipamentos, prestadoras de serviços e fabricantes de acessórios para o segmento. A feira abre espaço, também, para os produtores de café, de cachaças e destilados, e olivicultores.

Além da exposição de produtos e serviços da indústria vitivinícola, a Wine South América terá uma robusta grade de conteúdos voltada à valorização da produção de vinhos e da formação profissional do setor, com degustações, premiações, treinamentos e palestras conduzidas por profissionais que são referência no mercado nacional e internacional.

Outro destaque dessa primeira edição serão as rodadas de negócios e o Projeto Imagem, em parceria com o Ibravin. O primeiro prevê a participação de compradores internacionais; já o segundo a vinda de jornalistas estrangeiros – ações combinadas abrindo mercado para negócios com países como Argentina, Chile, Uruguai, África do Sul, França, Itália, China, Portugal, Alemanha, Estados Unidos, Áustria, Suíça, Espanha, Austrália, Dinamarca e Grécia, dentre outros.

Números do setor

Entenda por que o segmento do vinho no Brasil tem potencial para geração de negócios:

– O Brasil tem mais de 1.100 vinícolas, sendo 60% somente no Rio Grande do Sul. Isso faz do país o quinto maior produtor da bebida no hemisfério sul e maior produtor de vinho espumante da América Latina. São 270 milhões de litros de vinho produzidos.

– A produção vitivinícola no Brasil soma 83,7 mil hectares, divididos, principalmente, entre o Rio Grande do Sul (90%), Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás; Bahia; Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Minas Gerais.

– No primeiro semestre de 2017, o Brasil exportou 1 milhão de litros, com volume de negócios na casa dos US$ 2,74 milhões. Bento Gonçalves (RS) é a maior exportadora de vinhos do Brasil, atendendo mercados como Paraguai, Estados Unidos, Japão, China, Reino Unido, Cuba, Chile, Angola, Uruguai, Bolívia, Suriname, Suíça, Bélgica, França e Alemanha.

– O Rio Grande do Sul é o maior produtor de uvas do Brasil, respondendo por 90% da produção de uvas destinadas ao processamento de vinhos, espumantes e sucos e também por, aproximadamente, 90% da elaboração de produtos vinícolas no país. Em 2016, o RS produziu 207 milhões de litros, considerando espumantes, vinhos finos, vinhos de mesa, entre outros produtos.

Dados do Ibravin/2017

 

Meber completa 57 anos valorizando talentos internos

 A história que a Meber Metais começou a escrever em Bento Gonçalves, no dia 1º de fevereiro de 1961, ganhou um novo capítulo na última quinta-feira, 01. A comemoração de seu 57º aniversário de fundação. Em um almoço de integração entre os colaboradores, a empresa compartilhou o momento festivo com os mais de 200 profissionais que fazer parte de sua equipe – seguindo um dos pilares de sua atuação, a valorização do capital humano como essencial para a construção do sucesso corporativo. “A Meber consegue aliar a qualidade de ser uma empresa com elevado padrão tecnológico sem, com isso, deixar de ser uma grande família, onde todos trabalham unidos em prol dos mesmos objetivos”, disse o diretor Marcio Chiaramonte, que compartilhou também lembranças da trajetória da empresa convidando a equipe a refletir sobre como era a realidade 57 anos atrás e como a Meber esta hoje.

LEIA MAIS: Vinícola Aurora recebe mais de 180 mil turistas no ano

Esse engajamento coletivo foi, inclusive, um dos motivos que ajudaram a empresa a passar por momentos menos favoráveis – como foi o ano de 2017, marcado por fortes passagens de retração econômica no cenário macro e consequente impacto no volume de negócios para grande parte dos setores produtivos.

meber 1

 Mesmo assim, apostando em uma combinação de elementos que vão desde o planejamento estratégico de lançamentos em produtos, periodicamente apresentados ao mercado, até uma força-tarefa comercial e de marketing para fortalecer a presença no varejo, a empresa conseguiu consolidar importantes resultados. A retomada das exportações, com a recente abertura de uma loja show-room no Uruguai está entre os exemplos.

 “Esse é um ano muito importante para nós. Estamos otimistas para 2018. Começamos com pé direito, fechamos janeiro alcançando todos os objetivos e isso nos dá uma motivação maior. Hoje é uma data significativa para a empresa, comemoramos 57 anos. Deixo o meu agradecimento aos profissionais do passado que integraram a equipe da Meber. Obrigado, também, a cada um de vocês por fazerem parte da nossa história” disse o diretor Carlos Bertuol.

 Fotos: Exata Comunicação

LEIA TAMBÉM: Gaúcho Luis Molossi, candidato a deputado na Itália, apresenta diretrizes do partido MAIE

Especialista projeta que 2018 será favorável para micro e pequenas empresas

É preciso reduzir custos e melhorar eficiência para aproveitar o momento

As reformas dos últimos meses, a chegada das eleições e o aumento do poder de compra do brasileiro prometem fazer de 2018 um ano cheio de oportunidades, tanto em crescimento quanto em facilidade para se fazer negócios. Ainda que no Brasil, seja necessário gastar 2.038 horas apenas com burocracia, ser dono do próprio negócio está nos sonhos de 44% dos brasileiros, de acordo com pesquisa do GEM (Global Entrepreneurship Monitor).

image00115

No entanto, Vitor Torres, CEO da Contabilizei, escritório de contabilidade que usa tecnologia para facilitar a rotina de milhares de empresas em todo o Brasil, faz um alerta: “o empresário tem que usar os aprendizados da crise dos últimos anos para se planejar melhor. Reduzir custos e melhorar a eficiência é obrigação daqui para frente.” Ele preparou oito dicas para que os empresários se preparem para fazer de 2018 um grande ano nos negócios:

  1. Encontre os impostores dentro da sua empresa

Existem impostores do orçamento dentro de todo negócio. Reveja contratos, fornecedores, prestadores de serviço etc. E aqui, vale rever também os impostos: com as mudanças no Simples Nacional para 2018, as empresas que já fazem parte do programa podem se beneficiar e àquelas que ainda não aderiram (empresas do Lucro Presumido, por exemplo) podem ganhar com a simplificação no pagamento dos impostos.

  1. Ganhe eficiência e facilite a sua vida

Fazer mais com menos é lei para quem quer crescer e isso pode ser traduzido em eficiência. Para alcançar isso, é preciso estar aberto aos novos recursos. A tecnologia é muito positiva neste sentido e tem ajudado os empreendedores a otimizarem suas operações, independente do tamanho. Hoje, já é possível fazer tudo no meio digital com a mesma qualidade, mas ganhando em rapidez. Desde chamar um serviço de motoboy, encontrar um prestador de serviço, alugar um imóvel e até fazer contabilidade. Modernize seu negócio para ganhar eficiência e economia.

  1. Não seja um fantasma para a Receita

Operar regularmente no âmbito fiscal é primordial para a saúde das empresas e até para estimular um ambiente de negócios mais favorável no país como um todo. Afinal, só podemos exigir se cumprimos a nossa parte. E, cada vez mais, a troca de informações entre os órgãos competentes vai facilitar a identificação de regularidades e a autuação de empresas. O governo está na caça aos fantasmas.

  1. Regra de 5x

Uma das mais simples e efetivas regras de planejamento financeiro, que vale para qualquer negócio é a regra do 5x. Funciona assim: os gastos da empresa devem ser 5 vezes menores que o faturamento. Então se uma empresa fatura R$10 mil por mês, os gastos não devem ultrapassar R$2 mil mensalmente. Desta forma, o empresário tem segurança para se planejar e um caixa para os momentos mais difíceis. E em se tratando de Brasil, a gente sabe, isso é essencial.

  1. De uma vez por todas: pare de misturar as coisas

A conta da empresa é a conta da empresa, a conta pessoal é a pessoal. Parece simples, mas este é um dos maiores equívocos que os pequenos empresários insistem em cometer. Além de perder o controle das finanças do seu negócio, ele está arriscando cair na malha fina da Receita Federal e ganhar muita dor de cabeça. Separe as contas e se organize.

  1. Faça, sim, promessas de ano novo, mas cumpra

De nada adianta ter na cabeça o que precisa ser feito, mas não colocar em prática com consistência. Para isso, não prometa a si mesmo mais do que pode cumprir, foque no que é prioridade e no que realmente está ao seu alcance. É o único modo de afastar de si mesmo o fantasma de promessas não cumpridas de ano novo. E nos negócios, esta racionalização ainda vai te ajudar a ter foco naquilo que realmente vai fazer diferença para a sua empresa.

CIC-BG promove curso para aprimorar a gestão do processo produtivo

 

92f0923832fbbe286b2ac1ed13644ae8_GO Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG) promove o curso ‘Compras e Negociação’, de 13  a 16 de fevereiro, abordando tópicos como equilíbrio de estoque, avaliação de fornecedores, estilos de negociadores, entre outros. As aulas ocorrem às 18h30 e o investimento é de R$ 250 para associados e R$ 500 para não-associados.

As aulas serão ministradas por Roberta Oselame, graduada em Administração de Empresas pela PUC-RS, pós-graduada em Gestão Empresarial pela UCS, experiente nas áreas de compras e estoques em empresas do ramo vinícola e metalúrgico.

 “Se conseguir negociar bem, pode ter uma margem melhor e, mesmo assim, manter um preço competitivo. Outra preocupação é fidelizar os fornecedores: independentemente do porte da empresa, o ideal é sempre ter pelo menos dois deles para cada produto”, explica Roberta.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail qualificacao@cicbg.com.br ou pelo telefone (54) 2105-1999, com Denise. 

Serviço:

O que: Curso de Compras e Negociação – A capacitação aborda aspectos como a identificação dos melhores fornecedores, as estratégias para negociar as melhores condições comerciais e as ferramentas de tecnologia que auxiliam os compradores.

Instrutora: Roberta Oselame

Quando: 13 a 16 de fevereiro

Horário: 18h30 às 22h30

Investimento: R$ 250 para associados | R$ 500 para não-associados