Posts

Município garante judicialmente repasses do Governo do Estado para a Saúde

A Administração Municipal garantiu judicialmente, através de um Mandado de Segurança, o pagamento no valor de R$ 1.168.177,78, referente a repasses em atraso do Governo do Estado para a Secretaria Municipal de Saúde. O Tribunal de Justiça determinou imediatamente o sequestro do valor da conta bancária do Estado para cumprimento da determinação.

Ainda assim, com o pagamento deste valor, o Estado continua com recursos em atraso, referente 2015 a 2017, que totalizam mais de R$ 4 milhões.

Para o secretário Municipal de Governo e Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira, “essa decisão é importante porque demonstra a obrigação do Estado em custear a saúde e que cada vez mais está recaindo sobre os municípios. Mesmo com as dificuldades e os atrasos recorrentes do Estado, estamos conseguindo manter a atenção básica, os atendimentos de urgência e emergência e mantendo uma qualidade na atenção da saúde da nossa população”, ressalta.

Ainda de acordo com a decisão da Justiça: “determino que o Estado do Rio Grande do Sul manifeste-se a respeito da diferença ainda pleiteada pelo Município impetrante, R$1.377.857,31, como devida aos cofres municipais a título de repasses pendentes referentes ao orçamento estadual para a execução das ações e serviços de saúde pública”.

“Estamos impetrando tal ação para assim continuar garantindo um direito de todos os cidadãos bento-gonçalvenses, o acesso a saúde de qualidade. Esta é uma bandeira do Governo e infelizmente tivemos que recorrer judicialmente para que o Estado cumprisse com suas obrigações com o Município”, ressalta o procurador do Município, Sidgrei Spassini.

Hospital Tacchini repagina Centro Obstétrico

 

roberta pozzaO Centro Obstétrico do Hospital Tacchini está sendo repaginado. A reforma, que iniciou no último mês de fevereiro, com previsão de término para abril deste ano, objetiva tornar o espaço mais adequado aos melhores padrões de assistência ao nascimento.A afirmação, da diretora Técnica Médica do Tacchini Roberta Pozza, foi feita em evento que reuniu representantes das Associações de Moradores de Bairros, da Administração Municipal, do Conselho Municipal de Saúde e da Imprensa para prestação de contas sobre os recursos que são repassados pelas esferas Federal, Estadual e Municipal à Instituição.

O encontro aconteceu no último dia 20 de março, no auditório no Hospital, ocasião em que também foram apresentados projetos e  futuros investimentos planejados pela Tacchini Sistema de Saúde. Além do presidente do Conselho de Administração, Daniel Ferrari e do superintendente executivo, Hilton Mancio, estiveram presentes o secretário municipal de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira, o presidente da Câmara de Vereadores, Moysés Scussel Neto e o representante da União das Associações Comunitárias de  Moradores de Bairros de Bento Gonçalves, Antonio Dallazen.

Roberta Pozza

Em sua explanação, o gerente de Relações com o Mercado, Humberto Godoy, destacou que em 2017 o Hospital Tacchini investiu  na oferta de serviços em saúde para a comunidade, aportando mais de R$ 22 milhões, praticamente o mesmo valor que foi repassado pelo Fundo Nacional de Saúde. “É importante que a comunidade entenda isso e continue apoiando o Hospital. Somente assim, teremos condições de seguir nossa meta, focada em investimentos e em soluções integradas de saúde que visem melhorar a qualidade de vida das pessoas e mantendo-se autossustentável”, explica. ( foto: Kátia Bortolini)

 

Serviços prestados pelo SUS no Tacchini em 2017

O Hospital Tacchini, ao longo de 2017, aportou R$ 22,135 milhões para cobrir as despesas geradas para atendimento ao SUS, as quais não foram repassadas pelas esferas governamentais. Assim como até 2017, a tabela do SUS não sofreu reajustes e os custos seguiram aumentando e foram absorvidos pelo Hospital. Além disso, houve redução nos valores repassados, enquanto os custos do Tacchini para atendimento ao SUS chegaram a R$ 50,67 milhões.

Quanto aos serviços prestados ao SUS em 2017, o percentual da Instituição chega a 63,94%, assim distribuídos:

– 185 mil atendimentos;

– 7.908 internações;

– 31.296 exames de imagem (raio-X, ecografia, tomografias, entre outros);

– 194.661 exames de laboratório;

– 16.143 sessões de radioterapia e quimioterapia;

– 4.326 cirurgias

– 1.060 partos

 

Receitas por fonte pagadora

– Valores projetado para receber em 2017 via SUS: R$ 40.388 milhões

– Valores repassados pelo SUS: R$ 32,890 milhões. Deste total, R$ 24.400 milhões são oriundos do Governo Federal; R$ 4,325 milhões são repasses do Governo do Estado e R$ 4,164 milhões são recursos da Prefeitura Municipal.

Recursos aplicados pelo Hospital Tacchini: R$ 22.135 milhões, ou seja, para cada real repassado, o Hospital Tacchini ainda precisou aportar R$ 0,67.

 

Única Comunidade Terapêutica de dependentes químicos 100% SUS do Brasil completa 7 anos

Localizada no Passo Velho, em Bento Gonçalves, unidade já atendeu 450 pacientes

 Nesta segunda-feira, 19, a Comunidade Terapêutica, local destinado ao tratamento de alcoolismo e drogadição, localizada no Passo Velho em Bento Gonçalves completa sete anos, fazendo a diferença na vida de muitas famílias, por meio do acolhimento, cuidado e tratamento de dependentes químicos.

A Comunidade Terapêutica de Bento Gonçalves é a única no Brasil com atendimento totalmente custeado pela municipalidade. Os trabalhos são coordenados pelo Centro de Apoio Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD), que realiza a triagem inicial e encaminha para tratamento.

Até o momento, 450 pessoas foram beneficiadas com o atendimento. Hoje, estão em tratamento 18 pacientes, que recebem durante cerca de seis meses auxílio psicológico, psiquiátrico, enfermagem, clínico, medicações, participam de grupos de autoestima, além da colaboração de entidades.

Nos 12 hectares, entre morros, campos, açudes e muitas árvores, a sede conta com horta, horto florestal, onde são cultivadas árvores nativas e flores, que logo estarão embelezando os canteiros no Município, além de aparelhos de musculação, quadra de vôlei e campo de Futebol 7.

De acordo com o coordenador administrativo da Comunidade, Leonir Vivan, na casa de acolhimento, os pacientes participam de todas as atividades cotidianas, como limpeza, organização, alimentação e cuidando dos animais. “Aqui criamos um clima familiar. Temos tarefas, e eles participam de todas. Realizamos o acompanhamento antes, durante e depois”, ressalta.

Entre as atividades está a produção de casinhas para cachorros. Esta ação faz parte do Projeto Posse Responsável, em conjunto com o Gabinete da Primeira-Dama, e que realiza a doação das mesmas para famílias que necessitam de casas para seus animais de estimação.

Para o secretário de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira, “a Comunidade Terapêutica é essencial para podermos reabilitar os pacientes, ter um local 100% mantido pelo município e entidades apoiadoras. Essa reabilitação permite que esses pacientes possam voltar ao convívio familiar e social. Agradecemos e parabenizamos toda a equipe de funcionários por colaborar tanto para que o local cresça e continue atendendo cada vez melhor quem precisa”.

Um dos monitores é Jucinei, ex-interno. Ele diz ser grato pelo atendimento que recebeu. “Depois que estive aqui, eu me encontrei. O que quero hoje é ajudá-los, assim como fui ajudado no momento mais difícil da minha vida. Tenho amor pelo meu trabalho”, salienta o monitor.

Na última sexta-feira, 16, o Secretário, acompanhado pelo coordenador de Saúde Mental, o psicólogo Maurice Bouwary e pela psicóloga do CAPS-AD, Juliana Gatto Carvalho, estiveram visitando a Comunidade.

Foto: Marina Teles