Posts

Móveis são o segmento do varejo com maior crescimento em 2020

Volume de vendas do segmento no Brasil cresceu 11,9% comparado ao ano anterior. No RS, desempenho ficou estável em relação ao ano anterior

O comércio de móveis no Brasil confirmou a tendência dos últimos meses e foi o segmento que teve o maior crescimento no volume de vendas em 2020 conforme a Pesquisa Mensal de Comércio divulgada pelo IBGE. O volume de vendas cresceu 11,9% comparado ao ano anterior, conforme dados divulgados na última semana e apurados pela Inteligência Comercial do Sindmóveis Bento Gonçalves.

Observa-se, contudo, que esse crescimento ocorreu de forma bastante desigual ao longo do ano em função dos impactos da pandemia. O segundo trimestre foi de forte retração nas vendas, ao passo que o varejo acelerou de forma muito acentuada no segundo semestre. Os estados que cresceram mais que a média brasileira são Bahia, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo, além do Distrito Federal. Apenas dois estados registraram queda no volume de vendas, enquanto o RS ficou praticamente estagnado, com crescimento de 0,3% no ano.

A pandemia e suas consequências ditaram a dinâmica do setor em 2020. O economista do Sindmóveis, Eduardo Santarossa, elenca os principais eventos nesse sentido: desorganização da cadeia produtiva; alta demanda por mobiliário; consumo se recuperando de modo muito mais rápido; medidas emergenciais de sustentação de renda e consumo; descompasso entre oferta e demanda; produção não acompanhando a alta das vendas; níveis de produção e empregos retornando aos patamares pré-pandemia no fim de 2020.

Apesar da trajetória de crescimento iniciada no segundo semestre, setor ainda não recuperou todas as perdas. O principal entrave no momento é a forte alta no preço dos insumos e falta de matérias-primas. Hoje setor segue aquecido e, apesar do ambiente de muitas incertezas, existe expectativas de crescimento em 2021.

O fim do auxílio emergencial, a aceleração no ritmo da pandemia nos últimos meses e novas medidas de restrição são apontados como fatores decisivos para o cenário de 2021. “Embora os resultados do varejo sejam muito positivos para o setor moveleiro, as indústrias e toda a cadeia ainda estão diante de uma conjuntura bastante desafiadora”, pontua o presidente do Sindmóveis, Vinicius Benini.

Variação acumulada no trimestre
Base: igual período do ano anterior
1T 2,5%
2T -11,3%
3T 33,8%
4T 19,2%
Variação acumulada no ano
11,9%

 

Capa: Augusto Tomasi

Movelsul Brasil 2018 encerra com 30.284 mil visitantes

Organização comemora a visitação e negócios gerados, mesmo com redução de um dia na feira

 A Movelsul Brasil reafirmou esta semana sua relevância para o setor moveleiro nacional com o sucesso de sua 21ª edição, realizada de 12 a 15 de março, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Mesmo com redução de um dia frente às edições anteriores, a maior feira de móveis da América Latina para o lojista e o importador encerrou com 30.284 visitantes profissionais de 33 países.

Para os 246 expositores participantes, fica a expectativa de um bom desempenho no ano a partir dos negócios fomentados na feira, que devem ultrapassar os R$ 300 milhões projetados inicialmente pelo Sindmóveis Bento Gonçalves, entidade promotora da Movelsul Brasil. Para a organização, fica a satisfação do dever cumprido em mais uma edição do evento, que nesse ano trabalhou a temática do turismo aliado aos negócios para atrair o visitante ao coração da Serra Gaúcha.

Em todos os seus pronunciamentos antes e durante a feira, o presidente da Movelsul Brasil, Edson Pelicioli, salientou a relevância do trabalho realizado pelo Sindmóveis na promoção do setor moveleiro nacional. A Movelsul Brasil surgiu há 40 anos para engrandecer o setor moveleiro local. Mas, na sua trajetória, acabou fortalecendo a indústria moveleira nacional e levando o nome de Bento Gonçalves para o Brasil e para o mundo. “O Sindmóveis conhece as necessidades do setor e sabia que a necessidade desse momento era um impulso forte de retomada. Foram meses buscando alternativas, buscando reinventar, buscando atrair o expositor e o lojista. O resultado mostra que conseguimos”, salienta o presidente.

 movel1

Internacionalização da feira

O caráter internacional da feira comprovou-se pela circulação de lojistas e distribuidores de 32 países além do Brasil: África do Sul, Alemanha, Argentina, Bolívia, Camarões, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, Curaçao, Equador, Escócia, Espanha, Estados Unidos, França, Gana, Guatemala, Irlanda, Itália, México, Moçambique, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Porto Rico, Quênia, República Dominicana, Trinidad e Tobago, Reino Unido, Uruguai.

As rodadas de negócios do Projeto Comprador para indústrias e designers brasileiros colocaram frente a frente nossas empresas exportadoras com compradores em potencial para o móvel brasileiro. Foram números recordes para o projeto, realizado na feira desde o ano 2000. Ao todo, 70 importadores convidados negociaram com 145 empresas e a expectativa é uma geração de US$ 60 milhões em exportações a partir dessas reuniões.

Isso mostra a visão de longo prazo do Sindmóveis Bento Gonçalves e da Movelsul Brasil para exportações, considerando que o contato com as exigências e peculiaridades do mercado internacional torna as empresas ainda mais competitivas no mercado doméstico, promovendo o desenvolvimento do setor moveleiro como um todo. “Temos um cenário de retomada da competitividade da indústria brasileira no mercado internacional com oportunidades para todos os segmentos, desde o móvel RTA até o design inovador, com muitos casos de um mesmo comprador buscando linhas variadas para seu portfólio”, aponta a consultora do Sindmóveis para o mercado internacional, Ana Cristina Schneider.

Inovação e conhecimento em outras ações paralelas

A Movelsul Brasil 2018 teve quatro projetos paralelos que trouxeram design, conhecimento e inovação para a feira, fomentando ainda mais os negócios. Além do Projeto Comprador com suas rodadas de negócios voltadas às exportações, a feira provocou o expositor a criar novidades para o lojista nacional, desafiando as indústrias a desenvolverem lançamentos com design assinado no Projeto Varejo. Foram 19 expositores participantes, que criaram 50 novos produtos para as principais redes de varejo e e-commerce do país.

Prêmio Salão Design

Já o Prêmio Salão Design, em suas comemorações de 30 anos, revelou durante a Movelsul Brasil a classificação dos vencedores nas modalidades Estudante, Profissional e Indústria. Foram concedidos, ainda, três superprêmios para os melhores produtos da edição: primeiro superprêmio para a Luminária Costureira, de André Ferri (Belo Horizonte); segundo superprêmio para Biblioteca Latorna, do estúdio Enbruto (Cordoba); e terceiro superprêmio para linha Zina, do studio Zanini (Rio de Janeiro). Com patrocínio de Berneck e Interprint, o prêmio terá uma segunda mostra de produtos esse ano. Vai ser em agosto, na feira High Design Home & Office Expo, em São Paulo, durante o DW! São Paulo Design Weekend.

IMG_7268

Por fim, as palestras do primeiro Fórum Movelsul Brasil reuniram lojistas, expositores e representantes para refletir sobre o tema dos novos modelos de varejo e como o consumo all line vai impactar o setor moveleiro. Essa abordagem que a feira trouxe está alinhada às discussões mundiais sobre a relação com o consumidor. Na última edição da NRF Annual Convention, apelidada de Big Show do Varejo, realizada em Nova Iorque, o varejo all line foi tema principal. Além de quebrar todas as barreiras existentes entre as plataformas de compra física e eletrônica, o conceito all line prioriza o engajamento, a audiência e a jornada do consumidor até o produto.

Com patrocínio de Sayerlack e Banrisul, a Movelsul Brasil é realizada desde 1977 pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis). A próxima edição da feira será em 2020.

Fimma Brasil supera expectativas em público e negociações

foto fimaA FIMMA Brasil 2017, que ocorre até amanhã (31) em Bento Gonçalves, na Fundaparque, está superando as expectativas, tanto em volume de negócios como em visitação.  O público visitante será superior as 25 mil pessoas esperadas inicialmente. As informações,  do presidente da feira, Rógerio Francio, foram repassadas na tarde de hoje (30), em entrevista coletiva que contou com a participação de jornalistas de vários países, presentes no evento através do Projeto Imagem, financiado pela APEX e Abimóvel. O Projeto Comprador, também financiado pela APEX e Abimóvel, em dois dias da feira, reuniu 50 empresas estrangeiras em 1.200 rodadas de negócios, de 30 minutos cada, gerando um montante de vendas de US$ 3 milhões e trezentos mil entre as 120 empresas brasileiras participantes. A próxima edição da feira, promovida pela Movergs, ocorre de 26 a 29 de março de 2019, também na Fundaparque.

Foto:Kátia Bortolini

Fimma Brasil 2017 abre nessa terça-feira

banner_sindimov_MG_980x300pxA 13ª Feira Internacional de Máquinas, Matérias-Primas e Acessórios para a Indústria Moveleira – FIMMA Brasil 2017 abre nessa terça-feira, dia 28, em Bento Gonçalves, nos pavilhões da Fundaparque.  A quinta maior feira do mundo no setor moveleiro, a FIMMA Brasil 2017 deve reunir cerca de 25 mil visitantes entre os dias 28 e 31 de março. Organizada pela MOVERGS, a feira construiu e consolidou credibilidade no setor moveleiro, em mais de 20 anos de existência.

Durante quatro dias, o evento reunirá os principais players do mercado, que estarão expondo lançamentos, produtos e serviços, além de inovações. “As empresas participantes têm a chance de expor em uma vitrine mundial, fortalecendo as marcas em âmbito global, ampliando a rede de contatos e fomentando alianças estratégicas”, destaca o presidente da FIMMA Brasil 2017, Rogério Francio.

Em 2015, a FIMMA Brasil registrou números expressivos e que pretende repetir este ano. Ao todo, serão cerca de 360 marcas expositoras, de 30 países diferentes, como: Espanha, França, Itália, Alemanha, Índia, Áustria, Portugal, Turquia, República Tcheca e Peru.

Segundo Francio, a expectativa é de captar um volume de negócios semelhante ao alcançado na edição anterior. “Nossa meta é chegar a U$$ 290 milhões”, informa o presidente, que avalia: “A feira tem um compromisso firmado com e pelo setor. É uma ferramenta de auxílio a indústria e seus executivos na tomada de decisões, na concretização de parcerias e geração de negócios”.

Programação Intensa

Projeto Imagem, Projeto Comprador, FIMMA Marceneiro, Laboratório de Inovação e Workshop de Móveis

Para dar maior visibilidade aos expositores, a FIMMA Brasil realizará o Projeto Imagem, que levará para o evento formadores de opinião e profissionais da imprensa internacional para apresentar e divulgar as potencialidades da indústria moveleira nacional e, consequentemente, fomentar a construção e disseminação da imagem setorial no exterior.

A ampliação do mercado para a cadeia de madeira e móveis também receberá incentivo através do Projeto Comprador, que possibilitará o contato direto entre importadores de máquinas, matérias-primas e acessórios para móveis e exportadores brasileiros. Desenvolvido de forma estratégica e com foco na efetivação de transações comerciais internacionais e parcerias futuras, o projeto terá rodadas de negócios e visitas técnicas previamente agendadas.

Tanto o Imagem, quanto o Comprador recebem apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – APEX Brasil, através do Projeto Orchestra Brasil, e da ABIMÓVEL, pelo Projeto Brazilian Furniture. “Teremos a participação de 50 compradores internacionais e dez jornalistas e formadores de opinião dos Estados Unidos, México, Panamá, Chile, Colômbia, Peru, Reino Unido, Emirados Árabes Unidos, Argentina, Uruguai, Bolívia e África do Sul. Sem esse importante suporte, isso não seria possível”, destaca Francio.

Outra atividade realizada durante a feira será o FIMMA Marceneiro. O projeto tem o objetivo de disseminar a cultura empreendedora entre os micro e pequenos empresários do ramo de marcenaria, com ações direcionadas que facilitam o acesso às informações, promovem o desenvolvimento sustentável e aproximam os profissionais das novidades do setor.

No “Espaço Marceneiro”, os alunos do SENAI demonstrarão na prática as etapas da fabricação de móveis que serão doados a entidades carentes após a FIMMA Brasil. FIERGS, SENAI, SEBRAE e ABIMÓVEL são alguns dos apoiadores desse projeto que se consagra também pelo caráter social. “É uma prática da MOVERGS promover ações sociais. Além disso, não queríamos perder a oportunidade de demonstrar ao vivo para os visitantes um pouco do que acontece no dia-a-dia das pequenas empresas”.

A feira promoverá também – com apoio do Instituto SENAI de Tecnologia Madeira e Mobiliário/ FIERGS – o inédito Laboratório de Inovação, que tem o objetivo de ser um espaço de inovação, onde serão alavancadas as demandas da indústria e poderão ser analisadas soluções para empresas, através de uma rede integrada e colaborativa de tecnologia e projetos. No local, que vai enfatizar robótica e eletrônica e o desenvolvimento de soluções inovadoras, os visitantes terão a oportunidade de jogar, criar, aprender, orientar, inventar e ter contato com especialistas, técnicos, pesquisadores, educadores e redes colaborativas de conhecimento.

Para complementar o intercâmbio de informações, o Workshop de Móveis vai abordar e discutir caminhos e oportunidades para uma gestão mais competitiva, tanto com produtos, quanto em processos. Ação estruturada vai disponibilizar conhecimento aos profissionais do setor, estabelecendo vínculos com outros empreendedores e proporcionando uma abordagem sobre temas relacionados a tecnologia, inovação, mercados, consumo, design e marca.

Seminários

E os debates continuarão com dois importantes eventos paralelos a feira: o “Seminário Internacional sobre a Indústria 4.0 – A Revolução Tecnológica em Curso”, que vai aprofundar e disseminar informações a respeito da quarta revolução industrial, e o “Seminário da Industria sobre a NR 12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos”, que abordará os impactos e oportunidades para o setor moveleiro, bem como a aplicação NR 12 no segmento, o Anexo que o setor vem construindo à norma e as tratativas para o seu atendimento. “A FIMMA Brasil é muito mais do que uma feira, é uma chance que as pessoas têm de ampliar seus conhecimentos e fazer novas conexões, estabelecendo um importante relacionamento com um mundo de novidades que a cerca”, finaliza Francio.