Posts

Câmara de vereadores dá urgência para compras de vacinas

Mesa Diretora se reúne para dar celeridade ao projeto que autorizará o município a comprar vacina para imunizar população contra a COVID-19

Os Poderes Legislativo e Executivo seguem unidos em uma força tarefa no combate ao coronavírus. Nessa segunda-feira (1º), a Mesa Diretora se reuniu para dar celeridade ao Projeto de Lei protocolado hoje, o qual autoriza o município a abrir um crédito especial de R$ 1 milhão para a compra da vacina contra o coronavírus.

Na semana passada, logo após o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar Estados e Municípios a efetuarem a compra de vacinas, o prefeito Diogo Segabinazzi Siqueira se reuniu virtualmente com os vereadores para tratar sobre a possibilidade de Bento Gonçalves efetuar a compra direta de vacinas para imunizar a população contra o coronavírus.

“A compra de vacinas para combater o coronavírus tem atenção total e absoluta do Poder Legislativo. Estamos seguindo os trâmites internos, e em rito de urgência a matéria será votada. Em um momento difícil como o que estamos passando, o caminho é a imunização de nossa gente para vislumbrar uma retomada das atividades com segurança”, destaca o vereador Rafael Pasqualotto (PP) presidente da Câmara Municipal de Bento Gonçalves.

A matéria foi encaminhada para parecer das Comissões Técnicas, e uma Sessão Extraordinária está marcada para às 15h de quinta-feira (4) para votação da matéria.

 

Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves

Compra da vacina contra o coronavírus é tema de reunião com entidades

Nesta segunda-feira (01), o prefeito, Diogo Siqueira esteve reunido com os setores representativos de Bento Gonçalves para tratar sobre o avanço da Covid-19 e regramentos para bandeira preta.

Estiveram presentes do CIC-BG, Rogério Capoani, CDL, Joel Rasera, Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio, SEC-BG, Orildes Loticci, Comtur, Marcos Giordani e Segh, Márcia Ferronato. Além do procurador geral do Município, Sidgrei Machado Sapassini.

A secretária de Saúde, Tatiane Misturini Fiorio falou sobre a situação da doença na cidade com aumento no número de atendimentos no ambulatório fast-track e capacidade de atendimento do sistema de saúde. Somente no último ano, o número de leitos de UTIs foi ampliado de 20 para 45.

Em suas manifestações os empresários destacaram a preocupação com o fechamento dos setores como comércio, restaurantes, hotéis, escolas, e solicitaram o retorno da cogestão. “Estamos aqui para trabalhar junto com o poder público na busca de soluções, e de ações conjuntas para divulgar as formas de prevenção, vacina, que realmente irão auxiliar a saída desse momento”, destacou o presidente do CIC, Rogério Capoani.

Representando o Segh, Márcia Ferronato ressaltou que “o momento não é de buscar culpados, mas de trabalhar unificados nas ações para que os setores permaneçam funcionando com todas as regras de prevenção”, disse.

O prefeito, Diogo Siqueira destacou que “entende todas as manifestações dos setores, mas que no momento precisamos cumprir os regramentos da bandeira preta e trabalhar, assim, que tivermos melhora nos dados buscar a retomada da autonomia dos Municípios, com a cogestão, pois cada localidade tem seu diferencial. Precisamos nos unir para buscar a vacina, que é o movimento mais concreto para que nossa sociedade possa retornar a normalidade, e os setores voltarem a crescer”, disse.

As entidades vão encaminhar um documento ao Governo fortificando o movimento para compra de vacinas, e imunização mais ágil para população.

 

Assessoria de Comunicação Social Prefeitura

Foto: João Pedrassani 

Dias de sossego em meio à natureza no Villa Michelon

Complexo Turístico se torna alternativa também para visitantes de localidades próximas

O Vale dos Vinhedos é um roteiro nacionalmente reconhecido pelo crescimento contínuo das atividades de turismo. Atualmente, tornou-se o primeiro destino brasileiro a ter um selo próprio de Ambiente Limpo e Seguro, garantindo com que os estabelecimentos estejam preparados para receber turistas de todas as localidades obedecendo critérios rigorosos de segurança contra a propagação da Covid-19. É nesse cenário que o Hotel Villa Michelon está inserido e tem se tornado um dos principais destinos de viajantes que querem escapar do cotidiano agitado e se hospedar em um local com segurança.

São 23 hectares de área centralizados no roteiro, com acesso a estabelecimentos gastronômicos e vinícolas do Vale dos Vinhedos. Às vésperas de completar duas décadas de história, o Villa Michelon mantém o seu respeito à história do distrito, com uma decoração colonial e atendimento humanizado. “Sempre fomos um hotel espontaneamente voltado às famílias, mas estamos notando um crescimento nessa preferência. As famílias encontram aqui um bom lugar para aproveitar junto aos filhos, com segurança e estrutura para que as crianças se sintam livres e gastem sua energia”, analisa a diretora geral do Complexo Turístico, Elaine Michelon.

Até o dia 7 de março, a opção de lazer junto à cultura do vinho ocorre na La Bella Vendemmia, pacote com três diárias (sexta, sábado e domingo), que contempla os costumes ítalo-gaúchos em uma festa para todas as idades. Pacotes de Páscoa, Dia das Mães, Dia do Trabalho, Corpus Christi e Férias de Inverno também são as opções do primeiro semestre de 2021 e estão disponíveis para reservas no site do hotel.

“Levando em consideração que viagens de avião não estão sendo recomendadas, mas a necessidade de descanso permanece, temos recebido pessoas que viajam de carro com suas famílias oriundas de cidades próximas e que escolhem o Villa Michelon por sua ampla área e cuidados citados. É um privilégio para nós sermos destino, especialmente porque nossos hóspedes viajam de maneira consciente e obedecem aos critérios para uma hospedagem segura”, pontua Elaine. 

Villa Michelon (2)

As reservas podem ser efetuadas por email, site, telefone ou Whats App (somente mensagens de texto).

www.villamichelon.com.br  |  reservas@villamichelon.com.br

(54) 2102.1800 | WhatsApp: (54) 98112.5443

Facebook: hotelvillamichelon | Instagram: villamichelon

Drive-thru para vacinação dos idosos acima de 90 anos é neste fim de semana em Bento

Neste final de semana a Secretaria da Saúde realiza a vacinação dos idosos acima de 90 anos contra o coronavírus em Bento Gonçalves. A imunização dos idosos ocorrerá neste sábado (13) e domingo (14), entre 10h e 16h, e será em formato drive-thru para evitar aglomerações. As doses serão aplicadas na Fundaparque. É OBRIGATÓRIO apresentar documento oficial com foto e CPF, e levar Cartão SUS. Não é necessário agendamento.   

Confira algumas informações:

Quando é a vacinação?

Sábado (13) e domingo (14), entre 10h e 16h

Quem pode vacinar?

Idosos acima de 90 anos

Se o idoso for acamado, e não conseguir participar do drive thru, como deve proceder?

Deve procurar a Unidade de Saúde mais próxima para cadastramento para a vacinação, que será feita na residência.

Quais documentos necessários?

É OBRIGATÓRIO apresentar documento oficial com foto e CPF, e levar Cartão SUS.

Qual a vacina utilizada?

A Secretaria recebeu o lote da CoronaVac. 

Porque vacinar idosos acima de 90 anos?

Como a quantidade de doses recebida não foi suficiente para abranger uma faixa maior, e como as pessoas de mais idade são mais vulneráveis. A secretaria optou dentro do planejamento por vacinar todos idosos dessa faixa acima de 90 anos, e depois vai seguindo o cronograma até os 60 anos, conforme as doses chegarem.  

Dados sobre a vacinação podem ser acessados https://vacina.saude.rs.gov.br 

Confira mais informações https://anchor.fm/emanuele-nicola/episodes/Tire-suas-dvidas-sobre-a-vacinao-dos-idosos-eq756c

CIC-BG apresenta na Amesne dados da pandemia na Serra

O acompanhamento do número de casos de covid-19 na Serra realizado pelo Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG) e apresentado à Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) mostrou como as estatísticas são imprescindíveis para definir as estratégias de combate à doença. Segundo o levantamento, apresentado pela representante do CIC-BG no Observatório Regional de Saúde, Marijane Paese, a espera em buscar o atendimento aos primeiros sintomas está relacionada com o aumento de mortes. Os dados foram compartilhados dia 21 de janeiro.

Durante os primeiros nove meses da pandemia, entre março e dezembro, 47% dos pacientes que necessitaram de atendimento em UTIs faleceram nos 49 municípios abrangidos pelo estudo. Uma realidade bem distinta daqueles que só precisaram de internação em leitos clínicos, onde apenas 9% das pessoas morreram.

Para Marijane, isso mostra a importância de estar alerta aos primeiros sintomas da doença – tosse, dor de garganta, diarreia e mal-estar –, a fim de evitar o agravamento do quadro. “95% das pessoas que necessitaram atendimento hospitalar apresentavam febre, falta de ar e saturação de oxigênio menor que 95, ou seja, deixaram seu estado clínico piorar. Na medida que esses sintomas foram somados, o percentual de óbitos aumenta gradativamente”, comenta Marijane, mestre em estatística e também vice-presidente do CIC-BG para assuntos do Comércio.

As pessoas com 60 anos ou mais lideraram as internações hospitalares entre julho e dezembro, sempre com um índice superior a 53% do total. Já nos primeiros meses da pandemia, entre março e junho, essa posição coube ao público com menos de 60 anos, com 51,45% do total.

O estudo também mostrou como as comorbidades estão relacionadas ao agravamento dos casos. Do total dos pacientes que precisaram de internação hospitalar, 68% apresentavam cardiopatias, diabetes e obesidade, entre outras comorbidades. Desses, 24% faleceram. Entre os 32% internados sem comorbidades, apenas 5,6% morreram. “É preciso adotar estratégias diferenciadas para grupo de risco com mais de 60 anos com comorbidades”, diz Marijane.

A principal recomendação para evitar o contágio com a covid-19 segue sendo as recomendações da Organização Mundial da Saúde, com o uso da máscara, a higienização das mãos com álcool em gel e o distanciamento social.

Bento Gonçalves inicia teste clínico de medicamento francês contra Covid-19

Abivax, empresa francesa de biotecnologia, inicia o estudo miR-AGE em pacientes de risco para doença

Bento Gonçalves está participando de testes para um medicamento francês (aprovado pela ANVISA) que combate à Covid-19. Novo medicamento em estudo ABX464 pode diminuir os graves efeitos da infecção pela COVID-19, reduzindo o número de participantes que necessitam de hospitalização e o tempo de recuperação para participantes internados.

ABX464 apresenta potencial efeito benéfico triplo no tratamento de participantes com COVID-19: antiviral, anti-inflamatório e reparador de tecidos.

Vários centros de pesquisa clínica no Brasil participarão do estudo, com rigorosos critérios de inclusão de participantes em estudo randomizado controlado com placebo (estudo miR-AGE).

Participantes confirmados com COVID-19, acima dos 65 anos ou com menos de 65 anos que apresentem fatores de risco, receberão ABX464 por via oral, durante 28 dias

O estudo miR-AGE incluirá um total de 1034 participantes na Europa e América Latina.

 

A Abivax AS, empresa de biotecnologia que faz ensaios clínicos, focados no sistema imunológico para desenvolver tratamentos inovadores para doenças inflamatórias, viroses e câncer, anuncia o início do miR-AGE, um estudo para a COVID-19, em vários centros de pesquisa clínica no Brasil. O estudo foi aprovado pela ANVISA (agência sanitária brasileira), bem como pelas agências sanitárias da França, Alemanha, Reino Unido e Itália. A aprovação pelas autoridades do México, Chile e Peru está em andamento.

Na atual situação, sem vacina e sem imunidade em massa contra a COVID-19, necessitamos de um tratamento rápido que reduza a gravidade dessa doença”, afirma o Prof. Hartmut Ehrlich, M.D., CEO da Abivax.

Segundo o Prof. Jorge Kalil, M.D., Ph.D., professor titular de imunologia clínica e alergia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e coordenador do estudo miR-AGE no Brasil, a pesquisa clínica da Abivax avaliará se o tratamento anti-inflamatório precoce com ABX464 pode melhorar os desfechos em participantes da COVID-19’: “ABX464 é um composto em fase final de desenvolvimento que apresenta um novo mecanismo de ação no tratamento de participantes com doenças inflamatórias. Os estudos de fase 2b/3 testam o potencial de um novo candidato terapêutico na prevenção da inflamação grave que leva a Síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em participantes idosos ou de alto risco para a COVID-19. A molécula já apresentou dados de eficácia transformacional em participantes com colite ulcerativa, doença também inflamatória. Além disso, ABX464 apresentou perfil de segurança favorável em mais de 300 participantes voluntários e portadores de HIV ou colite ulcerativa.

 

Nossa missão é desenvolver fármacos para melhorar e salvar a vida de pacientes’ e estou orgulhoso de poder utilizar a pesquisa da Abivax e sua expertise na luta contra a pandemia da COVID-19 que assola o mundo todo”, afirma Philippe Pouletty, M.D., Presidente do Conselho da Abivax.

Este estudo duplo cego, randomizado, controlado com placebo, de fase 2b/3 avaliará os benefícios potenciais da tripla ação do medicamento em estudo ABX464 em 1.034 participantes idosos ou de risco para a COVID-19, que incluem:

Efeito anti-inflamatório para tratar a hipercitonemia e a síndrome da hiperinflamação observadas em participantes portadores da COVID-19. Este efeito do ABX464 já foi demonstrado em estudo de fase 2a em outra doença inflamatória grave, a colite ulcerativa. A hiperinflamação pulmonar é a principal causa de desconforto respiratório e de morte dos pacientes com COVID-19.

Efeito antiviral para inibir a replicação do SARS-CoV-2 (COVID-19) que foi demonstrado em um modelo rigoroso de epitélio pulmonar humano in vitro.

Propriedades de reparação tecidual para prevenir uma potencial disfunção pulmonar de longo prazo após a infecção. Nos participantes portadores de colite ulcerativa, ABX464 demonstrou capacidade curativa das lesões inflamatórias.

Até hoje, mais de 300 participantes foram tratados com ABX464, e o medicamento em estudo apresenta excelente segurança clínica e perfil de tolerabilidade.

A conveniente administração por via oral do ABX464 permite o tratamento precoce de participantes hospitalizados ou não hospitalizados. Os participantes não hospitalizados tomarão uma cápsula de ABX464 por via oral, uma vez ao dia, por 28 dias, em casa. Durante o período obrigatório de quarentena de 14 dias, os participantes receberão o tratamento e serão monitorados por telefone. A partir da terceira semana de tratamento, ou a partir da data em  que o participante for liberado da quarentena pelo seu médico, os participantes deverão comparecer ao hospital, uma vez por semana, para monitoramento.

O estudo rigoroso de Fase 2b/3 será conduzido de acordo com os padrões internacionais de pesquisa clínica na América Latina e Europa. O estudo incluirá um robusto procedimento de seleção de participantes, randomização contra placebo e monitoramento, bem como gestão, coleta de dados e análise estatística. Para mais informações sobre o estudo clínico miR-AGE acesse o site ou ligue ou envie uma mensagem de whatsapp para 0800 454 54 54 (das 8h às 17h).

 

Principais pontos do estudo

ABX464 dose oral (50 mg uma vez ao dia) vs. placebo e tratamento padrão, randomização 2 para 1.

Inclusão de participantes hospitalizados e não hospitalizados, confirmados para infecção pelo SARS-CoV-2.

Principais critérios de avaliação: não utilização de oxigênio de alto fluxo ou ventilação assistida, ou ausência de morte no período de 28 dias.

Múltiplos parâmetros clínicos e biológicos secundários.

Duração de tratamento (ABX464 ou placebo e tratamento padrão): 28 dias

50 hospitais na Europa e América Latina

 

Critérios de inclusão do estudo:

Infecção confirmada pelo SARS-CoV-2 (doença COVID-19)

Participantes acima dos 65 anos

Adultos com menos de 65 que apresentem fatores de risco (obesidade, diabetes, hipertensão, doença cardíaca)

 

Philippe Pouletty, M.D., Presidente do Conselho da Abivax e CEO da Truffle Capital, afirma: “O estudo miR-AGE com ABX464 foi endossado por especialistas de renome na França, Europa, e Estados Unidos. Esperamos que o ABX464, com exclusivas propriedades antiviral, anti-inflamatório e de reparação tecidual, e conveniente administração por via oral, demonstre ser uma terapia promissora para pacientes com a COVID-19. Vale lembrar que a fisiopatologia da COVID-19 é complexa, portanto, devemos ser cautelosos com relação ao potencial sucesso do estudo miR-AGE.”

 

Prof. Hartmut Ehrlich, M.D., CEO da Abivax, acrescenta: “Infelizmente, até o momento nenhum tratamento terapêutico ou profilaxia demonstrou eficácia em estudos criteriosos para tratar a forma grave da COVID-19. Isto significa que auxiliar os médicos na prevenção do desconforto respiratório e morte dos pacientes com a COVID-19 e limitar o dano pulmonar de longo prazo é necessidade primordial. Além disso, reduzir a necessidade de uso de UTIs nos hospitais é prioritário. ABX464 é uma pequena molécula disponível em apresentação oral que pode ter  o potencial de atingir alguns desses objetivos devido ao seu exclusivo mecanismo de ação e facilidade de utilização. O desenho robusto e criterioso do estudo miR-AGE para ABX464 assegura que chegaremos a importantes conclusões clínicas e científicas e, se bem-sucedido, trabalharemos junto às autoridades sanitárias para tornar ABX464 disponível o mais rapidamente possível. Já dispomos de cápsulas de ABX464 em estoque para o tratamento de aproximadamente 50.000 pacientes, e podemos aumentar a produção de ABX464, em poucos meses, para o tratamento de mais de um milhão de pacientes”. 

Sobre a Abivax 

A Abivax, uma empresa de biotecnologia que faz ensaios clínicos, está mobilizando o mecanismo imunológico natural do corpo para tratar pacientes com doenças autoimunes, infecções virais e câncer. A Abivax está listada na Euronext B (ISIN: FR0012333284 – Mnémo: ABVX). Sediada em Paris e Montpellier, a Abivax possui dois candidatos a fármaco em desenvolvimento clínico, o ABX464 para tratar doenças inflamatórias graves e o ABX196 para tratar o carcinoma hepatocelular. Mais informações sobre a empresa estão disponíveis em www.abivax.com. Siga-nos no Twitter @ABIVAX_