Posts

CIC-BG defende manutenção da cogestão e continuidade das atividades produtivas

A classificação da macrorregião da Serra como bandeira preta – de altíssimo risco – no modelo de distanciamento social imposto pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, e as restrições dela decorrentes, têm mobilizado entidades representativas na busca da reversão ou, pelo menos, abrandamento das limitações nessa situação.

Acompanhando e reforçando esse movimento, o Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves apoia posicionamentos emitidos em favor da manutenção das atividades produtivas e, da mesma forma, da vigência do sistema de cogestão (o Governador Eduardo Leite estuda a supressão dessa ferramenta com a categorização da macrorregião, pela primeira vez, como bandeira preta).

“Entendemos que o cuidado com a saúde e o respeito aos protocolos de segurança não podem parar – da mesma forma que julgamos imprescindível a continuidade das atividades produtivas na Serra. O momento é de recuperação para a indústria, comércio e serviços, que de forma muito responsável têm seguido rigidamente todas as orientações e normas necessárias. Forçá-los a parar de trabalhar, ou a reduzir drasticamente sua capacidade de operação, será extremamente danoso e, principalmente, ineficiente diante da finalidade a que se propõe a medida”, avalia Rogério Capoani, presidente do CIC-BG.

Há consequências negativas para a medida imposta pelo Governo do Estado no último decreto, suspendendo qualquer atividade das 22h às 5h. Uma delas, por exemplo, é que as indústrias que utilizam o turno da noite para atender suas necessidades produtivas ou viabilizar o esquema de rodízio de trabalho com seus colaboradores, serão obrigadas e aumentar o efetivo diurnamente, contrariando as próprias orientações do modelo do distanciamento controlado do Estado.

“Por isso estamos concentrados em reverter essa classificação. Já tivemos cenários menos favoráveis, comprovados através dos números e dados, em momentos passados, como o mês de dezembro, por exemplo, e não fomos enquadrados na bandeira preta. Temos ciência, sim, de que o momento é delicado e requer cuidados redobrados, cumprimento aos protocolos de segurança no combate ao COVID 19, mas reiteramos a necessidade e adequada condição de darmos sequência nas atividades econômicas, sejam elas ligadas à indústria, comércio ou serviços diversos”, afirma Capoani.

A favor da cogestão

O CIC-BG – que representa os mais de 18 mil CNPJ ativos no município, cujo faturamento anual ultrapassa os R$ 5 bilhões – faz coro à posição adotada por entidades como o SIMECS (de Caxias do Sul), do SIMMME e da Prefeitura de Bento Gonçalves (o prefeito Diogo Siqueira posicionou-se por meio de manifestação nas redes sociais, no sábado, 20) – que defendem, ainda, a manutenção do sistema de cogestão. A ferramenta permite flexibilizar algumas restrições impostas à macrorregião conforme as particularidades de cada microrregião, adequando-as à realidade dos municípios.

“Além de buscarmos, junto a Amesne, a reversão dessa classificação, com o embasamento de dados muito bem argumentados pelo trabalho do Observatório da Saúde, defenderemos, também, o direito de praticar a cogestão”, garante Capoani. No domingo, foi apresentado recurso ao Governo do Estado, pedindo reavaliação da classificação. O documento será analisado e terá parecer divulgado no início da semana.

Enquanto isso, o CIC-BG reforça a importância do compromisso – e ação – coletivos em buscar a contenção da pandemia. “Evitar aglomerações ainda é, sim, uma prática de prevenção e conservação da saúde das pessoas. Em conjunto com esta responsabilidade, que é de toda população, aparece o papel dos gestores públicos, profissionais da saúde, entidades, federações de classes e MP Estadual e Federal na busca contínua e, principalmente, na aplicação prática de tratamentos preventivos e alternativos, juntamente com a execução ágil e eficaz dos programas municipais e estaduais de vacinação”, aponta.

É fundamental que as pessoas procurem o breve diagnóstico em caso de suspeita de Covid-19 e iniciem o tratamento imediato, logo nos primeiros sintomas – prática que comprovadamente se mostrou eficaz no combate da doença e consequente diminuição das ocupações hospitalares, sejam elas em leitos clínicos e principalmente em leitos de tratamento intensivo UTI.

Foto: Gilmar Gomes

CIC-BG reúne vantagens e atrativos para associados

Além da representatividade, entidade oferece extensa lista de benefícios

Prerrogativa na criação do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), o associativismo ajudou a entidade a protagonizar feitos como a chegada do trem a Bento Gonçalves, em 1919. Com essa mesma força coletiva, atravessou décadas e mais décadas, passando pelas mais diversas crises econômicas e se solidificando como instituição centenária na defesa setorial dos segmentos produtivos.

É assim, somando a força de seus associados com a sua histórica capacidade de articulação política, que o CIC-BG dá vazão a suas bandeiras em defesa do desenvolvimento econômico.

Para além de sua presença representativa setorial diante dos poderes Legislativo e Executivo em âmbito municipal e estadual, o CIC-BG representa ao associado a possiblidade de contar com facilidades e serviços que auxiliam no próprio desenvolvimento de seu negócio. Veja como o CIC-BG pode ajudar a alavancar os empreendimentos:

Por que se associar ao CIC-BG?

A razão mais simples é porque juntas, as empresas têm mais força para resolver as demandas produtivas. Ao se associar, a musculatura do CIC-BG fica mais forte e sua empresa passa a contar com o respaldo de uma entidade secular com trânsito nas principais entidades gaúchas e com articulação política no município e no Estado, tendo acesso a lideranças setoriais. Além disso, há o ganho profissional. Estar numa associação como o CIC-BG possibilita se relacionar com outros empresários, trocar ideias, promover networking, estar atualizado com workshops e palestras, conhecer o que sua área produtiva ambiciona, realizar benchmarking, entre outros, tudo num ambiente em que os interesses coletivos e a mútua ajuda são constantes.

Quais são os benefícios para o associado?

Os benefícios são inúmeros, desde empréstimos via instituições financeiras com taxas reduzidas, descontos nos projetos com a marca do CIC-BG e assessoria jurídica são só alguns deles. Conheça outros:

– Parceria com instituições financeiras. Os associados gozam de benefícios exclusivos em planos empresariais junto a bancos como o Banco do Brasil e Sicredi, como flexibilidade de prazos e valores para financiamentos. O Sicredi é um grande parceiro do CIC-BG para financiar o progresso. As já facilitadas condições para concessão de empréstimo, com taxas reduzidas, foram ainda mais importantes durante a pandemia e, por isso mesmo, foram ampliadas pela cooperativa de crédito. Alternativas de crédito e atendimento  a negócios com associados foram criadas no período para concessão de empréstimo visando a manutenção e/ou geração de emprego, renegociação de prestações com o BNDES, linha emergencial para crédito para PJ e PF, isenção de IOF e ampliação em valores de empréstimos, com redução de taxas, para associados ao CIC-BG.

– Parceria com o Sebrae. Um dos mais reconhecidos órgãos de capacitação de micro e pequenas empresas é próximo do CIC-BG em diversas ações. Consultorias e mentorias são algumas das facilidades envolvendo as entidades na promoção da expansão dos negócios.

– Condições especiais para participar dos projetos do CIC-BG. Várias são as frentes de atuação do CIC-BG. Além da representação da classe empresarial, é um agente fomentador do desenvolvimento, à frente de diversos projetos. Para quem se associa, a participação na ExpoBento, na Fenavinho e na Sparkling Night Run tem condições facilitadas e preferenciais.

– Descontos em cursos, palestras e workshops. Todas as atividades de qualificação, bem como os tradicionais almoços/jantares com reconhecidos palestrantes, têm condições especiais para a participação do associado.

– Certificado de Origem. O CIC-BG auxilia as empresas exportadoras na emissão deste documento para quem exporta. Ele atesta oficialmente a origem da mercadoria do país exportador, além de especificar e garantir que os processos de fabricação atendam aos critérios estabelecidos nos acordos comerciais.

– Certificados digitais. Em parceria com a Tomasi RH, a emissão de certificados digitais é facilitada para os associados, garantindo autenticidade, confidencialidade e integridade às informações eletrônicas.

– Programa Crédito Certo / Consultas. Sem taxa de adesão, sem mensalidade, sem consultas mínimas e com valor diferenciado para associados, esse serviço de consulta ao crédito proporcionar soluções confiáveis que reduzem o risco de inadimplência.

– Pós-graduação na UCS. Fazer pós-graduação numa das instituições de ensino mais respeitadas do Estado fica mais fácil para os associados do CIC-BG, que têm descontos especiais nos mestrados e doutorados da UCS nas áreas de Administração de Empresa, Engenharia de Produção, Engenharia e Ciência dos Materiais, Engenharia de Processos e Tecnologia e Direito.

– Assessoria jurídica. Associados podem contar com a assessoria jurídica da entidade para tomar melhores decisões e esclarecer pontos centrais nas relações trabalhistas, face às mudanças na legislação com a pandemia.

– Salão de Eventos. O CIC-BG dispõe de uma moderna infraestrutura, com um salão com capacidade para 350 pessoas sentadas ou 500 em  formato auditório. No espaço de 400 m², é possível configurar o ambiente para receber diversos tipos de eventos, desde corporativos, passando por workshops, seminários e cursos e até festas de formatura, aniversário ou casamento. Para todas as ocasiões, o associado tem preço especial. O ambiente dispõe de ar-condicionado, telões de 150 polegadas, projetores, sistema de som e projeto luminotécnico em LED.

– Salas de reunião. Outras duas salas, ambas com capacidade para até 70 pessoas, estão à disposição para o associado realizar reuniões de negócios, apresentação de produtos ou capacitações para colaboradores. Como sempre, as condições para locar os espaços, equipados com ar-condicionado, projetor e telão de 150 polegadas, além de sistema de som interligado com o Salão de Eventos, são especiais para o associado.

– CIC Estúdio Digital. O CIC Estúdio Digital oferece tecnologia de ponta para lives, transmissões em alta definição, eventos corporativos e capacitações com toda segurança e praticidade que o momento exige.

– Divulgação de produtos e serviços para o associado. Aproveitar a capilaridade de uma instituição como o CIC-BG em seus canais digitais de comunicação é uma estratégia assertiva para quem tem novidades a contar. Essa é a Sala do Associado, espaço de divulgação institucional, de produtos e serviços nos canais de comunicação da entidade. No site do CIC-BG, as empresas associadas também ganham visibilidade através do Espaço Aberto, projeto que enaltece a trajetória de seu negócio. Ambos não têm custos extras para o associado.

– Junior Achivement. Nossa sociedade precisa continuamente de renovação de lideranças. O CIC-BG tem um programa especial para a formação de jovens líderes.

 Como faço para me associar?

É muito fácil fazer parte do CIC-BG. Para se associar de modo desburocratizado, basta acessar cicbg.com.br/associe-se e preencher o formulário ou a ficha cadastral. Se preferir, entre em contato com a entidade pelo telefone 2105.1999 e obtenha mais informações.

Capa: Jeferson Soldi

Sparkling Night Run define data para 7ª edição

Corrida noturna organizada pelo CIC-BG está confirmada para o dia 27 de novembro de 2021

Com a segurança que se avizinha a partir da chegada e aplicação da vacina contra a Covid-19, a organização da Sparkling Night Run inicia os preparativos para a 7ª edição da corrida noturna mais charmosa da Serra Gaúcha – e com data já definida: 27 de novembro de 2021, um sábado. Em 2020, a prova foi cancelada por conta da pandemia e as ameaças à saúde dos competidores.

O ponto de concentração para largada e chegada da corrida neste ano, assim como o formato (trajetos e modalidades), ainda estão sendo alinhados pela organização. Há também a possibilidade de viabilização do Sparkling Festival – uma festa que reúne food trucks, apresentações artísticas e, claro, a estrela do evento: os espumantes da região. A certeza é que toda programação será realizada em respeito aos protocolos de saúde, zelando pelo bem-estar dos participantes, do público e das equipes de trabalho.

Dessa forma, os atletas, sejam profissionais ou amadores, ganham um estímulo extra para ingressar de vez em 2021 com um projeto de vida saudável – já que, embasada nos conceitos de bem-estar e lazer, a prova une os benefícios da atividade física ao glamour da bebida que origina seu nome. O resultado é uma programação diferenciada, que valoriza o esporte e brinda os participantes com momentos de integração e entretenimento – destacando pontos turísticos da urbana bento-gonçalvense à noite.

A promoção é do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves.

CIC-BG apresenta na Amesne dados da pandemia na Serra

O acompanhamento do número de casos de covid-19 na Serra realizado pelo Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG) e apresentado à Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) mostrou como as estatísticas são imprescindíveis para definir as estratégias de combate à doença. Segundo o levantamento, apresentado pela representante do CIC-BG no Observatório Regional de Saúde, Marijane Paese, a espera em buscar o atendimento aos primeiros sintomas está relacionada com o aumento de mortes. Os dados foram compartilhados dia 21 de janeiro.

Durante os primeiros nove meses da pandemia, entre março e dezembro, 47% dos pacientes que necessitaram de atendimento em UTIs faleceram nos 49 municípios abrangidos pelo estudo. Uma realidade bem distinta daqueles que só precisaram de internação em leitos clínicos, onde apenas 9% das pessoas morreram.

Para Marijane, isso mostra a importância de estar alerta aos primeiros sintomas da doença – tosse, dor de garganta, diarreia e mal-estar –, a fim de evitar o agravamento do quadro. “95% das pessoas que necessitaram atendimento hospitalar apresentavam febre, falta de ar e saturação de oxigênio menor que 95, ou seja, deixaram seu estado clínico piorar. Na medida que esses sintomas foram somados, o percentual de óbitos aumenta gradativamente”, comenta Marijane, mestre em estatística e também vice-presidente do CIC-BG para assuntos do Comércio.

As pessoas com 60 anos ou mais lideraram as internações hospitalares entre julho e dezembro, sempre com um índice superior a 53% do total. Já nos primeiros meses da pandemia, entre março e junho, essa posição coube ao público com menos de 60 anos, com 51,45% do total.

O estudo também mostrou como as comorbidades estão relacionadas ao agravamento dos casos. Do total dos pacientes que precisaram de internação hospitalar, 68% apresentavam cardiopatias, diabetes e obesidade, entre outras comorbidades. Desses, 24% faleceram. Entre os 32% internados sem comorbidades, apenas 5,6% morreram. “É preciso adotar estratégias diferenciadas para grupo de risco com mais de 60 anos com comorbidades”, diz Marijane.

A principal recomendação para evitar o contágio com a covid-19 segue sendo as recomendações da Organização Mundial da Saúde, com o uso da máscara, a higienização das mãos com álcool em gel e o distanciamento social.

“A Fenavinho era a filha mais velha dele”

 

Filha de Moysés Michelon, Elaine foi primeira personalidade a receber o troféu Dom Empreendedor, instituído pelo CIC-BG. Homenagem reflete o reconhecimento ao empreendedor, presidente da primeira edição da Fenavinho, festa que será retomada sob a tutela da entidade em 2019

Na história da Fenavinho, o nome de Moysés Michelon ocupa lugar de honra – não só por ter sido o presidente da primeira edição, em 1967, mas também por sua personalidade aglutinadora. Foi com essa característica que ele construiu a festa responsável por alçar Bento Gonçalves ao reconhecimento nacional, lembra uma de suas filhas, Elaine. Foi ela quem recebeu do Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), em nome de seu pai – falecido em outubro de 2017, aos 83 anos –, o troféu Dom Empreendedor.

A distinção foi criada para homenagear àqueles que impulsionaram, por meio de uma atuação visionária, o crescimento econômico da cidade, características das quais Michelon é expoente. A entrega da outorga ocorreu na noite da solenidade de lançamento da 16ª Fenavinho – que será retomada em 2019, sob a tutela e responsabilidade do CIC-BG. “Fiquei muito emocionada pela lembrança do nome do meu pai, que sempre atuou muito pela comunidade”, disse a empresária.

A comunidade, aliás, sempre esteve à frente dos interesses de seu Moysés, homem conciliador que tinha a virtude de unir todos à sua volta para trabalhar em conjunto por uma causa. “Ele foi presidente sem ser cantineiro. Não importava o partido político, ele estava lá pelo povo. Inclusive, o prefeito na época era de partido oposto ao dele, e ele se uniu com todos os partidos e fez a festa com muita galhardia”, contou Elaine.

IMG_1628

O recebimento do troféu Dom Empreendedor teve um significado marcante porque ocorreu junto ao anúncio da volta da festa identitária de Bento Gonçalves – e num palco sempre sonhado por Moysés Michelon, a casa própria do CIC-BG. “É muito emocionante esse resgate da Fenavinho, que aconteceu dentro da sede do CIC, um sonho pelo qual ele sempre lutou porque não admitia uma entidade tão sólida não ter um endereço próprio”, lembrou a filha. “Foi uma conjunção de fatores que convergiram para uma coisa positiva, na entidade que ele ajudou a desenvolver, na casa nova e resgatando a Fenavinho, que era sua filha mais velha”.

E, como sendo da família, Elaine tem um grande carinho pela “irmã”. Ela não era nascida quando seu pai presidiu a primeira Fenavinho, mas envolveu-se muito com a festa – e não foi apenas através das histórias contadas por ele. Vivenciou intensamente a Fenavinho que, além de desenvolvimento, trouxe outros valores a Bento Gonçalves. “Sou fã de carteirinha dessa festa, entreguei muita uva aos visitantes e estou muito feliz pelo CIC ter encampado a Fenavinho, que nos deixou legados como o orgulho pela terra e por ser colono”, disse Elaine.

 Foto: Vagão Filmes

CIC-BG emite parecer em favor da democracia após resultado das Eleições 2018

Fortemente engajado com o senso de responsabilidade cívica, o Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves emite manifestação favorável ao exercício da democracia após a conclusão do processo eleitoral de 2018. A entidade avalia que o pleito deste ano assinala uma relevante evolução e amadurecimento da sociedade. “A população pôde se expressar por meio do voto, claramente optou pela mudança e seu desejo foi respeitado. Em nenhum momento a democracia foi colocada em risco, o que é muito saudável para a nação”, aponta o presidente Elton Paulo Gialdi.

Em âmbito nacional, a entidade entende que a cisão expressa pelo resultado das urnas deve fomentar o avanço do processo de retomada do desenvolvimento. “Não existe crescimento se não houver rupturas. Uma delas é o início da valorização das classes que produzem e ajudam a construir o país, do empreendedorismo. É preciso mudar a visão que coloca o empresariado na condição de vilão, e começamos a caminhar nessa direção”, diz Gialdi.

Na opinião dele, prevaleceu o projeto de governo que melhor representou os interesses da sociedade, adequadamente atentando para todas as suas esferas sem diferenciação. “Esses indicadores sinalizam cada vez mais a intenção de buscar um posicionamento equilibrado, tendência que deve se concretizar também nos próximos anos, sinalizando uma centralização entre as ideologias de esquerda e de direita. Esperamos que os interesses da nação sejam colocados acima de quaisquer convicções e que nós, enquanto sociedade, possamos ser contemplados com um plano de governo que realmente vise o desenvolvimento do Brasil e de suas unidades federativas. É preciso extinguir essa corrente de pensamento que divide a população em ‘contra’ ou ‘a favor’, e criar um senso de unidade em defesa do país”, avalia.

Já na esfera Estadual, o CIC-BG espera que seja efetivada uma boa gestão política, atentando para a consecução do equilíbrio fiscal do Rio Grande do Sul, com uma administração inteligente dos gastos públicos e incentivo a oportunidade de crescimento. “É preciso que o processo de recuperação do Estado tenha continuidade. Desejo fortemente à nova administração que encontre condições de governabilidade, com apoio da Assembleia Legislativa e demais esferas do poder público, praticando uma política objetiva, que não priorize interesses partidários, mas o bem da sociedade”, diz.

Foto: Igor Guedes

CIC-BG conhece propostas do candidato Eduardo Leite

O candidato ao governo do Estado pelo PSDB, Eduardo Leite, disse na noite de quarta-feira (12), no Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), que não se faz mudança sem política. Gestão pública responsável e técnica, crescimento sustentável e planejado estrategicamente e desenvolvimento humano e social formam os pilares das propostas defendidas por ele para o Estado voltar a crescer.

O ex-prefeito de Pelotas disse que um governador precisa ter dupla capacidade: a de ser gestor para dar o ritmo do governo, e a de liderança política para dialogar com os órgãos que detêm o poder, como a Assembleia Legislativa, o Poder Judiciário, as entidades empresariais, os sindicatos dos servidores, entre outros. “A política é extremamente necessária para que nós façamos o alinhamento, as convergências e o consenso estratégico para que o Rio Grande do Sul enfrente seus problemas mais determinantes”, disse.

Aliado a isso, é necessário que o Estado cresça e gere riqueza, por isso é urgente investir em infraestrutura para produzir com menor custo e se tornar mais competitivo – para ele, a grande agenda do Estado e base de sustentação dos investimentos. “No plano estratégico de logística de transporte para o RS está apontado R$ 25 bilhões de investimentos só em rodovias. É claro que o Estado não tem essa capacidade de investimento, e precisamos chamar a parceria privada para um programa de concessões rodoviárias”, apontou Leite, que se mostra favorável à privatização das estatais EGR, CEEE e Sulgás, mas manterá o Banrisul público.

O tucano, caso eleito, também quer diminuir a burocracia para o Estado empreender, reduzindo o tempo das emissões de licenças. “O Estado, ao invés de ser um cerceador, precisa deixar fazer e colocar esforço na fiscalização. Quem estiver fazendo errado é punido, mas não pune todo mundo na origem tratando como desonesto”. Quanto à carga tributária, o candidato disse que ela precisa ser reduzida. “Não é só a redução da alíquota, precisamos revisar o sistema tributário de ICMS do Estado, mas é preciso tornar o sistema mais simples e redistribuir as alíquotas”, comentou. A educação é o quarto pilar de Leite para que o Estado se torne mais competitivo. “Precisamos de mão de obra qualificada. O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) tem que servir como instrumento de gestão e não só para saber a nota”, comentou.

_DSC0739

Segundo ele, é indelegável que o Estado opere sobre a lei e a ordem. “A segurança pública é a razão de ser do Estado, e a estrutura presente do Estado é que faz o cumprimento das leis. Sem isso, é o que a gente vê, a criminalidade tomando conta. É um setor onde todo o esforço fiscal que faremos para reequilíbrio das contas do Estado será canalizado urgentemente para investimento em segurança pública”.

Voto precisa ser responsável

Ao iniciar um ciclo de encontros com candidatos ao Governo do Estado, o CIC-BG articula para que a comunidade de Bento Gonçalves tenha a oportunidade de conhecer de forma mais completa o pensamento e as propostas daqueles que se propõem a comandar o Rio Grande do Sul nos próximos quatro anos. “Entendemos que nosso papel, enquanto entidade representativa, é estimular a sociedade a encarar a política sob uma nova ótica. Precisamos adotar uma postura mais participativa com relação à política”, disse o presidente da entidade, Elton Paulo Gialdi.

Reforçando esse pensamento, enfatizou que é dever de todo cidadão fazer uso consciente do poder de seu voto. “Agora é hora de termos atitude. Não podemos ser omissos diante de nossa responsabilidade cívica. Caso contrário, passaremos os próximos anos reclamando dos políticos – que nós mesmos escolhemos. Sejamos responsáveis na hora de confiar nosso voto a um candidato realmente preparado para fazer bom uso da confiança que lhe é depositada”, declarou.

Legenda 0724: No encontro realizado no CIC, candidato ao Governo do Estado, Eduardo Leite, apresentou suas propostas de gestão

Legenda 0722: Eduardo Leite, candidato ao Governo do Estado, em apresentação no CIC-BG

Legenda 0660: Presidente do CIC, Elton Paulo Gialdi, defendeu importância do voto responsável e consciente nas eleições 2018

Legenda 0739: Presidente do CIC-BG, Elton Gialdi, recebeu o candidato ao governo do Estado, Eduardo Leite, para apresentação de propostas em encontro realizado na sede da entidade

Crédito: Exata Comunicação

Eduardo Leite apresenta propostas no CIC-BG

Candidato tucano ao governo gaúcho estará em Bento no dia 12 de setembro

Candidato do PSDB ao governo gaúcho, Eduardo Leite apresenta suas propostas para administrar o Estado ao empresariado no Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), no dia 12 de setembro. O encontro tem recepção às 20h e início às 20h30, com acesso gratuito. Ao oportunizar o encontro, a entidade abre espaço para conhecer ideias e proposições apresentadas por políticos que estejam alinhadas aos interesses da classe empresarial. Outras rodadas com candidatos nesse perfil também estão sendo articuladas.

Atual presidente da sigla no Estado, Leite foi eleito o prefeito mais jovem de Pelotas, em 2012, aos 27 anos, ficando no cargo entre 2013 e 2016. Antes disso, acumulou experiência política como vereador, presidente do Legislativo e secretário municipal. Aos 33 anos, disputa pela primeira vez uma eleição ao governo do Estado. Na última pesquisa eleitoral do Ibope, divulgada dia 17 de agosto, o tucano aparece na segunda colocação, com 8% das intenções de voto, mesma porcentagem de Miguel Rossetto (PT) – ambos atrás do atual governador e candidato à reeleição José Ivo Sartori (MDB), que aparece com 19%. Compõe a chapa majoritária o candidato a vice-governador o delegado Ranolfo Vieira Junior (PTB).

crédito Eduardo Beleske

Leite é bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pelotas e estudou Gestão Pública na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. Atualmente, ele se dedica ao mestrado em Gestão e Políticas Públicas, na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo.

Texto: Exata Comunicação

Foto: Eduardo Beleske

CIC-BG fomenta construção de relacionamentos com boas-vindas a novos associados

Se o associativismo é a força do Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), a chegada de novos membros à casa significa seu fortalecimento. Com o ingresso de 29 empresas ao quadro de filiados, oficialmente apresentados no início de agosto, o CIC-BG reforça a crença no coletivismo como forma de desenvolvimento da sociedade.

Valorizando esse acréscimo importante, a entidade preparou uma recepção especial. Além de oportunizar um momento para networking dos novos sócios, com troca de cartões e de material publicitário – também compartilhados, posteriormente, com os visitantes do CIC-BG –, eles puderam falar sobre seus negócios e suas aspirações futuras. “Nossa intenção foi a de mostrar que o CIC também é a casa deles, então a ideia foi deixá-los o mais à vontade possível. Tudo isso ajuda muito para construir um relacionamento franco, e sabemos que a construção de um bom relacionamento significa a construção de negócios”, disse o presidente do CIC-Bg, Elton Paulo Gialdi.

Novos Associados (1)

Os novos integrantes também visitaram as modernas instalações da entidade, sediadas no Centro Empresarial de Bento Gonçalves, lar também do Sindmóveis e da Movergs. Inaugurada em novembro do ano passado, a nova sede do CIC oferece aos associados quatro salas de reuniões – Sala Indústria, Sala Comércio, Sala Serviços e Sala 100 Anos – equipadas com iluminação adequada e forro acústico, mais uma facilidade visando auxiliar as demandas de seus sócios.

O CIC-BG tem uma série de benefícios e serviços oferecidos às empresas e profissionais associados. Outras informações sobre como se filiar à entidade podem ser obtidas pelo fone 54. 2015.1999.

Novos associados

Academia Phanton, Activeguard Sistemas de Segurança, Andreia Pilão Eventos, Andressa Provenzi Advocacia Empresarial, Blu 3D, Cervejaria Jimmy Eagle, Cleber Brauner Fotography, Colchão Inteligente, Collpo Eletro, Emerson Ribeiro Fotografias, Forma, GSB Transportes e Turismo, Inforti Consultoria Empresarial, Inovar Vigilância Patrimonial, Inovarprotec Segurança Eletrônica, LL Consultoria De Segurança, Treinamentos, Resgate e Alpinismo Industrial, Magnatas do X, Mappa Gestão Empresarial, Padaria Daline, Padaria e Confeitaria Brasil, Padma, Primacor Tintas, Spiller Empreendimentos Imobiliários, SPM Advocacia, Steel Componentes, Terra do Ouro Empreendimentos Imobiliários Ltda, Tomasi Condomínios e Imóveis, Tudo em Grãos e Yázig

Texto: Exata Comunicação

Presidente da Federasul palestra no CIC de Bento Gonçalves

Engajamento Cívico será o tema da conversa de Simone Leite no próximo dia 16

 O atual quadro político-econômico do país suscita uma série de debates – e várias ideias promissoras advêm dessa situação a fim de livrar o país da instabilidade. Essa sensibilização por mudanças carrega consigo um conceito que ganhou o nome de Engajamento Cívico – tema que a presidente da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), Simone Leite, explora no Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), durante palestra-almoço dia 16 de julho (segunda-feira).

No encontro, Simone apontará que é preciso maior envolvimento do empresariado com as questões que definem os rumos do país. Ela defende o protagonismo da classe produtiva, grande condutora do Brasil com os empregos e os impostos gerados, para mobilizar a classe a fim de não terceirizar responsabilidades. “A Federasul acredita que o desenvolvimento econômico precede o social. Por isso, é nosso dever, enquanto empresários, incentivar o debate público e lutar por um ambiente menos hostil ao empreendedor”, diz.

Nesse entendimento, o empresário precisa atuar de forma a fazer a diferença, sendo um ente na defesa dos interesses da atividade e ampliando o discurso do voto consciente, de acordo com ela. O engajamento cívico, nesse caso, passa, necessariamente, pelas eleições. O voto, portanto, não deve ser nulo nem em branco, na opinião da presidente da Federasul, pois isso afasta os empresários de temas centrais do desenvolvimento brasileiro. Uma forma de se buscar essa consciência é participando das soluções dos problemas, de modo a transformar os empresários numa fonte coletiva de mudanças. E isso também deve contar com o apoio das entidades de classes, tradicionais fontes de protagonismo, liderança e desenvolvimento.

07/11/2017 - Porto Alegre, RS, BRASIL - RENASCER AOS 90 ANOS, NOVA SEDE DA FEDERASUL (Federação de entidades empresariais do RS). Inauguração do novo espaço e comemoração dos 90anos.Foto: Itamar Aguiar/Agência Freelancer.

Simone Leite foi eleita presidente da Federasul para a gestão 2016/2018 – sendo a primeira mulher a ocupar o cargo máximo da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande Sul. Ali já atuou na condição de vice-presidente de Integração, desde 2012, promovendo o associativismo no Estado. A gestora participa do cotidiano de entidades de classe desde 2006, tendo presidido a Câmara da Indústria, Comércio e Serviços de Canoas (CICs), e sido secretária de Desenvolvimento Econômico de Canoas entre 2009 a 2011. Natural de Estância Velha, formada em administração de empresa, atua como diretora administrativo-financeiro do Grupo Urano, em Canoas, além de integrar diversos conselhos superiores de empresas.

Os ingressos para a palestra podem ser adquiridos no CIC-BG pelo valor de R$ 75,00 para associados e de R$ 105,00 para não sócios. Outras informações podem ser obtidas pelo fone 54. 2105.1999.

SERVIÇO

O que: palestra com a presidente da Federasul, Simone Leite. Tema: Engajamento Cívico

Quando: dia 16 de julho, às 11h45min

Onde: Centro Empresarial de Bento Gonçalves/CIC-BG (Rua Avelino Luiz Zat, 95)

Quanto: R$ 75 (associado) e R$ 105 (não associado)

Legenda: Simone Leite palestra no CIC no próximo dia 16.

Crédito: Itamar Aguiar