Posts

Ritmos sertanejo e gaúcho vão embalar segundo fim de semana da Festa da Uva 2019

Os shows nacionais que vão embalar o segundo fim de semana da Festa da Uva 2019 foram divulgados nesta segunda-feira, 12 de novembro, pela Comissão Comunitária. Na sexta-feira, 1º de março, sobem ao palco a dupla Thaeme e Thiago e o cantor Vitor Kley. No sábado, 2, os shows nacionais ficam por conta da dupla Fernando & Sorocaba e de Milionário & Marciano, com o Projeto Lendas. Já no domingo, a música tradicionalista ganha destaque, com as apresentações do Gaúcho da Fronteira, Mano Lima e do Grupo Rodeio. Os shows da Festa da Uva 2019, que inicia dia 22 de fevereiro e segue até 10 de março, estão sob a responsabilidade da GDO Produções, de São Miguel D´Oeste (SC) e da Bulls Entretenimento, de Caxias do Sul.

         Os lotes promocionais de ingressos para apresentações já estão à venda, no novo site do evento, no endereço www.festadauva2019.com.br . Além dos acessos de pista, o público pode optar pelas áreas VIP, Camarotes e On Stage. Com as sete atrações reservadas para o segundo fim de semana do evento, a Festa da Uva 2019 já contabiliza 15 shows regionais e nacionais. Nas primeiras noites do evento, estão confirmadas as apresentações Thiaguinho e Molejo, na sexta-feira, dia 22 de fevereiro; Poesia Acústica, 30/30 e MC Kekel, no sábado, dia 23; e Ultramen, Santograau e Armandinho, no domingo, dia 24. Os shows nacionais que vão animar os últimos dias da Festa devem ser anunciados na próxima semana.

Saiba mais:

SEXTA-FEIRA (1º DE MARÇO):

Thaeme e Thiago – A dupla Thaeme e Thiago, representante da nova geração da música sertaneja, está há mais de oito anos na estrada. Tem 3 DVDs, 5 CDs, um EP e um álbum digital.  Com uma média de 18 shows ao mês, a apresentação é conhecida pela animação, mas também pelos momentos românticos e intimistas. O início da dupla ocorreu no Paraná, por intermédio de Sorocaba, da dupla Fernando e Sorocaba.

Vitor Kley – O jovem cantor e compositor Vitor Kley, de 24 anos, natural de Porto Alegre, estourou nas rádios de todo o país com o hit O Sol, responsável pelo boom em sua carreira. No Youtube, o clipe oficial já soma mais de 111 milhões de visualizações.

SÁBADO, 2 DE MARÇO:

Fernando & Sorocaba – Considerado um dos melhores shows da atualidade, Fernando e Sorocaba já contabilizam mais de duas mil apresentações na carreira. Referência para as novas gerações, a dupla mistura música, entretenimento e muita diversão em um show já percorreu o país inteiro, além dos Estados Unidos, Europa e América Latina. Para comemorar os 10 anos de carreira, a dupla gravou um projeto intitulado Sou Do Interior, com uma proposta completamente diferente de tudo o que já foi visto e feito, em questão de palco, locação e  iluminação. A dupla soma mais de 380 milhões de visualizações no seu canal oficial no YouTube e mais de 245 vídeos lançados. Está presente em mais de um milhão de playlists no Spotify e mais 190 mil fãs na plataforma digital.

Fernando_e_Sorocaba___Credito Cadu_Fernandes

Milionário e Marciano (Projeto Lendas) – Os cantores Milionário e Marciano viajam o país com o Projeto Lendas, criado pela dupla Fernando & Sorocaba, unindo dois grandes nomes da música sertaneja e emocionando o público por onde passa. O repertório, produzido por Fernando Zor, conta com os maiores sucesso das duplas Milionário & José Rico e João Mineiro & Marciano. Canções como Ainda Ontem Chorei de SaudadeVontade DivididaAlineEstrada da Vida,Seu Amor Ainda É Tudo e Estrada da Vida fazem parte do espetáculo, além da inédita Localizador. Destaque para o cenário do show que foi inspirado no circo, local tradicional dos primeiros shows sertanejos

DOMINGO – 3 DE MARÇO:

NOITE GAÚCHA – A música gaúcha estará em evidência no segundo domingo da Festa da Uva 2019. O show da noite contará com a presença de três referências da música do Rio Grande do Sul: Gaúcho da Fronteira (que em 2018 completou 50 anos de carreira com gravação do seu primeiro DVD no Credicard Hall, em São Paulo), Mano Lima (cantor e compositor conhecido como o Filósofo dos Pampas) e Grupo Rodeio (um dos mais tradicionais do Estado, com 30 anos de carreira).

Redução de abelhas compromete a produção de alimentos

Projeto apoiado pela Fundação Banco do Brasil amplia produção de mel e promove a conscientização ambiental em Caxias do Sul 

Mel para adoçar o corpo e poesia para adoçar a alma. Esta frase está no rótulo dos potes de mel que a apicultora Ana Lucia Schmidt comercializa na região de Caxias do Sul (RS). Ela começou a trabalhar na produção de mel aos 18 anos, mas agora, após se aposentar do Banco do Brasil, decidiu dedicar exclusivamente para este trabalho. “Antes era um hobby, agora se tornou uma paixão. Todo apicultor é um apaixonado”, declara Ana.

Com investimento da Fundação BB de cerca de R$ 60 mil, em parceria com a Associação Caxiense de Apicultores – ASCAP, um projeto tem gerado emprego e renda e, ao mesmo tempo, promovido ações de conscientização nas escolas sobre a importância das abelhas. Os recursos foram utilizados para aquisição de novos maquinários para beneficiamento do mel e edição de 5 mil cartilhas.

Também estão previstas a produção de filmes educativos e visita de grupos de estudantes aos apiários. O responsável técnico do projeto, Antônio Viapiana, destaca a importância da educação ambiental. “O caminho é conscientizar e sensibilizar. A distribuição das cartilhas para as crianças pode ajudar a mudar a realidade para o futuro”.

A proposta da associação nasceu a partir de levantamento da redução do número de abelhas nos últimos anos. A situação é bastante preocupante, tanto para apicultores como para a sociedade em geral, pois esses insetos tem um papel fundamental na polinização de diversas espécies de plantas, com papel crucial na produção de alimentos.

Viapiana informa que a redução das abelhas começou a ser percebida na Europa e nos Estados Unidos, mas também já é notada no Brasil. Segundo ele, o problema está na aplicação inadequada de inseticidas, que mata as pragas, mas também extermina insetos importantes para o equilíbrio ambiental. “As abelhas sofrem com o uso excessivo do agrotóxico e isto faz que a população reduza a cada ano. Temos que evitar o uso de inseticidas”, reforça.

Redução das abelhas e o impacto na agricultura

Atualmente, as abelhas estão desparecendo por muitos motivos. As principais causas, além do uso do agrotóxico, é o aumento de áreas de monocultura, o desmatamento e o desequilíbrio ecológico.

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) identificou que 15 mil colmeias foram extintas no Brasil nos últimos cinco anos, o que representa aproximadamente um trilhão de insetos erradicados no País. As abelhas são responsáveis por 70% da polinização no mundo e a redução pode resultar na diminuição de 35% das colheitas de todo planeta, conforme alerta o Fundo das Nações Unidas de Agricultura e Alimentação (FAO).

Associação Caxiense de Apicultores

Com sede em Caxias do Sul, a associação atua desde 1989 com o processamento do mel e produtos derivados. Ela comercializa sua produção em pontos de venda na região ou dentro da própria associação. Atualmente, a entidade possui mais de 120 cooperados e suas ações beneficiam mais de 200 pessoas indiretamente. Ela também mantém atividades permanentes de integração, capacitação e aperfeiçoamento profissional.

Desligamento do sinal analógico de TV em Caxias do Sul e região ocorre na metade de março

Quem não estiver preparado para receber o sinal digital até o dia 14 de março ficará sem ver TV aberta

 O próximo dia 14 de março é a data final para o desligamento do sinal analógico de televisão em Caxias do sul e em outras 106 cidades da região. Para continuar assistindo à programação, todas as residências precisam estar como aparelho de televisão preparado com conversor, que pode ser embutido na TV ou externo, além de uma antena digital. Os equipamentos podem ser encontrados no varejo local e são de fácil instalação.

Por decisão do GIRED, Grupo de Implantação da TV Digital, os canais de TV da região estão autorizados a desligar o sinal analógico desde o dia 31/1. O processo se encerra em 14 de março e após essa data, só será possível assistir à programação da TV aberta pelo sinal digital.

As famílias de menor renda atendidas pelo Governo Federal devem verificar se têm direito a receber um dos mais de 490 mil kits gratuitos, com antena digital e conversor e controle remoto. A população deve acessar o site sejadigital.com.br/kit ou ligar gratuitamente para o número 147 com o NIS (Número de Identificação Social) em mãos. Se o nome estiver na lista, é só escolher o dia, horário e local para retirar os equipamentos que permitem que televisores antigos tenham acesso ao sinal digital.

Sobre a Seja Digital

A Seja Digital (EAD – Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV) é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão no Brasil. Criada por determinação da Anatel, tem como missão garantir que a população tenha acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits para TV digital para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal. Também tem como objetivos aferir a adoção do sinal de TV digital, remanejar os canais nas frequências e garantir a convivência sem interferência dos sinais da TV e 4G após o desligamento do sinal analógico. Esse processo teve início em abril de 2015 e, de acordo com cronograma definido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, mais de 1300 municípios terão o sinal analógico desligado até 2018.

Luis Molossi, natural de Nova Bassano, é candidato a uma vaga na Câmara de Deputados da Itália

O voto, dado por correspondência, é direito de pessoas com cidadania italiana residentes no Brasil e em outros países do mundo

O advogado Luis Molossi, natural de Nova Bassano, é candidato à Câmara de Deputados da Itália no pleito do próximo dia 4 de março, mas que no Brasil ocorre alguns dias antes, ainda sem data definida, porque o voto é por correspondência. Molossi, atualmente residindo em Curitiba, Paraná, concorre novamente para o cargo de Deputado ao Parlamento Italiano, pelo partido Movimento Associativo Italiano no Exterior (MAIE), que coordena no Brasil. A última participação foi no pleito de 2013, quando obteve 12.501 votos, ficando como primeiro suplente a Deputado paraa América do Sul.

Molossi Veneza 2016

Filho de agricultores, Molossi nasceu e se criou no interior de Nova Bassano, na Linha Nona, comunidade que deixou aos 15 anos para ir estudar em Curitiba, Paraná. No decorrer de sua trajetória profissional intensificou as raízes com a língua de seus ancestrais lecionando italiano no CCI-PR/SC. Em Curitiba, administra um conceituado escritório de assessoria jurídica e contábil.

Além de coordenar o MAIE no Brasil, atua ainda como Conselheiro do Comitato degli Italiani all”Estero do Paraná e Santa Catarina. Em 2017, liderou pelo MAIE no Brasil o movimento vitorioso contra emenda do Parlamento Italiano que previa o aumento da taxa de cidadania de Eu$ 300,00 para 400 euros. Além disso, a emenda proposta também geraria restrições na concessão da cidadania.

Lei Tremaglia 

A Lei italiana 459/2001, conhecida como Lei Tremaglia, que entrou em vigor em 2006, destina 18 vagas parlamentares, entre 12 Deputados e seis Senadores, para sufrágios de italianos residentes no exterior, nascidos ou não no país, inscritos no Cadastro de Italianos Residentes no Exterior (AIRE). Para a América do Sul há vagas para quatro Deputados e dois Senadores.

Foto: Arquivo Pessoal

LEIA MAIS: Hospital Tacchini implantará o primeiro Hospital Dia da Região, no Medical Center Bento Gonçalves

Banda de heavy metal Tears Öf Rage grava DVD ao vivo no sábado

Público terá entrada franca para o show que ocorre dia 15 de abril

banda de heavyApreciadores de heavy metal têm encontro marcado dia 15 de abril, a partir das 20 horas, na Sala de Teatro Prof. Valentim Lazzarotto, em Caxias do Sul. É lá que a banda Tears Öf Rage gravará seu primeiro DVD, Countdown To Insanity, com a entrada franca para o público. O trabalho vai reunir três músicas inéditas além das oito registradas no disco homônimo à banda, lançado em 2015. O projeto tem financiamento do Financiarte e da Prefeitura de Caxias do Sul. O lançamento de Countdown To Insanity está previsto apenas para o ano que vem.

Formada em 2010, a Tears Öf Rage, a banda de Caxias do Sul é formada por  Cléber Reis no vocal e guitarra, Luan Mussoi na guitarra, Cristian Porto no baixo e Guilherme Adamatti na bateria. De acordo com os membro, o som da banda está mais contemporâneo e articulado, influenciado por nomes como Judas Priest, Dio e King Diamond.

 “A gente está contando com a galera do metal para nos dar aquela força, e também para eternizar um momento que será histórico para nós”, convida o vocalista. Vale ressaltar que a equipe que fará as captações de imagem e som será toda caxiense, uma forma que a banda achou para valorizar o trabalho dos profissionais locais. “Assim como temos ótimos músicos aqui em Caxias, temos também ótimos técnicos e produtores”, ressalta Reis.

 

 

Lançamento do livro “A Viagem de Anna Rech” ocorre no dia 22

O livro “A Viagem de Anna Rech” da autoria do pnoticiaFoto_5889_18123rofessor Salvatore Liotta será lançado no próxima quarta-feira, 22 de março, a partir das 19h30min na Fundação Casa das Artes. Na ocasião, junto ao autor estará presente também a comitiva de Padavena, da Itália, para Sessão de Autógrafos.

O livro conta a história da chegada dos imigrantes italianos, há 140 anos, focando a mulher Anna Rech, que se estabeleceu em Caxias do Sul. A obra, que foi escrita em Italiano num primeiro momento, foi traduzida para o Português.

A produção conta com apoio da Prefeitura de Bento Gonçalves, por meio da Secretaria Municipal do Turismo, da Associação Amigos de Ana Rech (SAMAR), do Comitato Veneto do Estado do Rio Grande do Sul (COMVERS) e da Associazione Bellunesi nel Mondo (ABM) – Belluno.

Histórico de Anna Rech

Anna Maria Pauletti Rech partiu do município de Pedavena, ao norte da Itália, para o Brasil no dia 12 de outubro de 1876, em uma viagem que durou quatro meses. Na época, aos 48 anos de idade, já viúva e mãe de oito filhos, não lhe restava outra opção, devido à mísera realidade em que se encontrava sua pátria de origem. Foi em abril de 1877 que Anna Rech fixou moradia no lote 104 do Travessão Leopoldina, na Colônia de Caxias. Anna Rech faleceu em 16 de maio de 1916.

A cidade de Pedavena, cidade natal de Anna Rech, tornou-se cidade co-irmã de Caxias do Sul através de um gemelaggio (acordo). Este prevê ações de cooperação econômica e cultural entre as duas cidades.

Fundada em 26 de setembro de 1927, Ana Rech é hoje uma das quatro regiões administrativas de Caxias do Sul. Encontra-se a 12 km da sede administrativa municipal e destaca-se por ser uma localidade que ainda mantém os hábitos coloniais.