Posts

Psicólogas de Bento Gonçalves unem-se para auxiliar mulheres de negócios e profissionais através de encontros

BPW – CONEXÃO PSI

O Conexão Psi surgiu do encontro de quatro associadas psicólogas com o desejo de auxiliar mulheres associadas da BPW – Business and Professional Women – Mulheres de Negócios e Profissionais em todo Brasil, especialmente no contexto de pandemia da Covid-19. O projeto é integrado pelas psicólogas Karina Preisig Paggi, Karin Milani Zottis, Maria Rita Rizzi e Tatiana Medina. O objetivo foi contribuir com a saúde emocional, desenvolvimento profissional e fortalecimento feminino das associadas através da oferta gratuita de apoio e suporte psicológico. Esse auxílio também foi expandido para o público em geral.

Iniciado em maio de 2020, o projeto contabilizou 13 encontros realizados. As rodas de conversa aconteceram online, com frequência quinzenal, passando para mensal a partir de outubro. Contou com a participação de associadas da BPW de Bento Gonçalves e de outras BPWs, com vários participantes “fieis” aos encontros. Todos tiveram a liberdade para câmera fechada, para manterem-se em silêncio, apenas assistindo ou usando o chat para perguntas e comentários, se assim desejassem.

Ao longo dos encontros foi possível desmistificar a figura das psicólogas, mesmo sendo quatro profissionais da área, permitindo uma conversa tranquila e proveitosa. Cada uma com seu jeito, características pessoais e história profissional. O fato de atuarem em áreas diferenciadas permitiu um diálogo rico, sob as lentes da clínica, da educação, da empresa, do serviço público e privado, por exemplo. O clima estabelecido entre os participantes sempre foi de acolhida, confiança, troca de experiências e respeito com as vivências alheias.

Os temas abordados ao longo dos encontros foram definidos a partir das discussões e sugestões dos participantes, construindo uma linha de coerência entre eles. Foram eles: Inteligência Emocional nos momentos de crise; O invisível da crise; Perspectivas pós-pandemia; Autocuidado e transformação; Descobertas na pandemia: qual o meu lugar?;  Convívio familiar: da falta ao excesso; Novos encontros, novas conexões na carreira e na vida; À espera do momento ideal: reflexões e possibilidades; Complete a frase: Eu me reconheço …..; Por que não fazer diferente?; Rótulos que aprisionam; Poder e autoestima; 2020: construindo sentidos.

Os encontros buscaram promover e explorar competências e habilidades emocionais para lidar com desafios pessoais, da carreira e fortalecimento da liderança; tornar acessível um espaço para o autoconhecimento, pela abordagem das emoções, sob a coordenação de psicólogas; integrar pessoas em grupos para roda de conversa, abordando temáticas do interesse sobre saúde mental – emocional e afetiva – para superação de dificuldades emocionais.

Um segundo âmbito do projeto é o atendimento em psicoterapia individual, orientação e seleção profissional e assessorias em psicologia. Neste caso, com os devidos honorários, com profissional de livre escolha entre as quatro psicólogas que coordenam as rodas de conversa, presencial ou online. Os valores dos atendimentos acompanharão a Tabela de Honorários do Conselho Federal de Psicologia – CFP, com desconto de 40% às associadas da BPW.

Em 2021, o projeto segue com a realização do Conexão Psi online, nos mesmos moldes de 2020. Além desses encontros gratuitos, existe a possibilidade de realização das Rodas de Conversa destinada a grupos fechados, para falar a respeito de saúde emocional, visando a melhoria da saúde mental, atendendo às solicitações de temas de interesse. Os atendimentos podem ser online ou presenciais, com os devidos protocolos exigidos neste momento de pandemia.

De acordo com as psicólogas, “não podemos deixar de mencionar o convite do Jornal Integração da Serra para escrevermos uma coluna que aborde saúde mental/emocional. Foi muito gratificante para nós, um reconhecimento do nosso trabalho e uma ótima oportunidade de auxiliar as pessoas, aproximando-as desses conceitos e do autocuidado. Somos gratas e esperamos contribuir a partir das próximas edições!”

Realização: BPW Bento Gonçalves

Coordenação: Comissão Saúde e Qualidade de Vida – BPW Bento Gonçalves, RS

Coordenadora do Projeto: psicóloga Maria Rita Rizzi

Psicólogas integrantes do Projeto:  Karina Preisig Paggi, Karin Milani Zottis, Maria Rita Rizzi e Tatiana Medina

Público alvo: associadas da BPW e público em geral

 

Psicologas

KARIN MILANI ZOTTIS

Psicóloga – CRP 07/09741

(54) 99985.0771

Psicóloga (UCS), formação em Psicoterapia Psicanalítica (IEPP), atua em Clínica há 20 anos, Licenciatura Plena em Pedagogia (UCS), pós-graduação em Coordenação Pedagógica (UFRGS/MEC), Professora e Coordenadora Pedagógica há mais de 20 anos.

 

KARINA P. PAGGI

Psicóloga – CRP 07/09253

(54) 99112.0804

Psicóloga (PUC-RS), especialista em Psicoterapia Psicanalítica (Unisinos), mestre em Psicologia Social (PUC-RS), atua em clínica de pacientes de risco há 20 anos. Especialista em Gestão de Redes de Saúde (Fiocruz), professora universitária da UNICNEC, psicóloga no CAPS 2 de Bento Gonçalves e em consultório.

 

MARIA RITA RIZZI

Psicóloga – CRP 07/25243

(54) 99648.8134

Psicóloga (FSG), graduada em Administração de Empresas (UCS), MBA em Liderança, Inovação e Gestão (PUC-RS). Psicanalista, psicóloga clínica e organizacional. Vivência de mais de 20 anos em RH e Desenvolvimento de Carreira.

 

TATIANA MEDINA

Psicóloga – CRP 07/29808

(54) 99166.6432

Psicóloga (PUC-RJ), especialista em Entrevista Motivacional, pós-graduada em Gestão Empresarial e Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância. Atua há mais de 10 anos na área de Treinamento e Desenvolvimento Profissional (T&D), orientação de carreira e implementação de projetos.

 

Sobre a BPW

A BPW – Business and Professional Women – Mulheres de Negócios e Profissionais é uma organização não governamental, pública, apartidária, que compõe um espaço intelectualmente ativo, integrado por empresárias, executivas e profissionais de diversas áreas de produção e de conhecimento, que orienta e coordena o desenvolvimento das associadas nas esferas de mercado e poder público, nos níveis local, estadual, nacional e internacional, por meio do trabalho voluntário.

A organização é um legado de Lena Madesin Phillips, iniciada em Nova Iorque no contexto do pós-guerra, em 1918 e fundada em 26 de agosto de 1930, em Genebra, Suíça. O sonho de Lena era “trazer solidariedade entre as mulheres da nação e eventualmente do mundo todo”.

A BPW tem status consultivo no Conselho Econômico e Social das Nações Unidas – ECOSOC, na Organização Internacional do Trabalho – OIT e Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura da ONU – UNESCO. É parceira do ITC – International Trade Center – ONU.

Tem como grande objetivo desenvolver o potencial profissional e de liderança de mulheres em todos os níveis, independente das diferenças, proporcionando trocas de experiências e aprimorando o empreendedorismo, através de conquistas de direitos, mentoring, networking, capacitação e programas de empoderamento econômico e projetos ao redor do mundo.

As associadas são encorajadas a buscarem sua realização profissional e independência financeira através da capacitação, da busca por conhecimento, treinamento profissional e formação educacional superior, para maior protagonismo e melhores oportunidades junto ao setor produtivo.

Estimula-se o uso das capacidades profissionais e intelectuais não só em proveito próprio, mas também em benefício de outras mulheres e da comunidade. Busca-se estimular o relacionamento entre mulheres BPW empresárias, executivas e profissionais dos cinco continentes, estimulando o intercâmbio e a cooperação.

 

BPW BENTO GONÇALVES

A BPW Bento Gonçalves vem contribuindo na comunidade desde 26 de agosto de 2017, data de sua fundação, efetivando projetos nacionais em nível local, pelo reconhecimento do trabalho feminino, em igualdade de direitos com os homens; com campanhas pelo respeito à integridade feminina, pelo combate à violência e pela doação de órgãos.

Ao final de sua primeira gestão (2019), sob a presidência de Beatriz Peruffo, já conquistou para o município o Prêmio Nacional da BPW Brasil, na Categoria de Negócios, com a efetivação da primeira edição do “Troféu Personalidade Mulher – BPW Bento Gonçalves”, evento realizado em parceria com o CIC-BG, com importantes trocas profissionais entre associadas e outras mulheres empreendedoras, valorizando lideranças femininas locais, num contexto profissional.

Na segunda gestão, presidida por Nattália Milan, entre os projetos realizados no Brasil (2020), tiveram destaque na Confam – Convenção da Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil, os projetos BPW Conexão Psi e Prata da Casa Jovem. A BPW Bento Gonçalves está aberta a novas associadas.

Autoconhecimento para sentimentos e valores atribuídos ao papel de mãe

Por Natália Zucchi

“A essência de ser mãe é ter a capacidade de se doar e trocar afeto com uma vida que será parte da sua para sempre.”

Mães contemporâneas no divã – Nos últimos anos, um número crescente de mulheres de Bento Gonçalves tem buscado acompanhamento psicológico durante a gestação e também ao longo da maternidade. Elas procuram autoconhecimento para compreender sentimentos e valores relacionados aos vários papéis atribuídos às mães.

A afirmação é da psicóloga Maria Cristina Filippon, graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS), com mestrado pela UCS, que há mais de 20 anos tem clínica em Bento Gonçalves, onde também atua com professora em escolas e universidades. De acordo com ela, é comum e aceitável que a maternidade traga muitas dúvidas e medos, sem que isso desmereça ou diminua o papel da mãe. O crescimento da procura por ajuda profissional para a lida com a prole é visto pela psicóloga como resultado da superficialidade da era digital.

15727344_570049869856411_5852929791049648438_nMaria Cristina acrescenta que nos últimos dez anos, o consumismo, aliado ao narcisismo e ao poder de status social, tem levado as novas mães, e até as mães com filhos crescidos, a não perceberem com plenitude todos os desafios que envolvem a maternidade. “Em um período que até os relacionamentos íntimos devem se mostrar personalizados, foras dos padrões e com caráter especial, surgiu uma corrida para o título de mãe mais autêntica, que envolve desde ter o melhor enxoval, vestir a criança com roupas de marca, enfeitá-la com uma série de acessórios, verdadeiros adultos em miniatura. São comportamentos de mulheres que almejam o ‘sucesso’ da maternidade”, ressalta.

Ela acrescenta que nesses casos, além do mito da maternidade feliz, os filhos se tornam objetos para satisfazer as carências e anseios pessoais da mãe. “Colocar uma nova vida no mundo é construir uma relação, é um processo de doação e não de egoísmo. A essência de ser mãe é ter a capacidade de se doar e trocar afeto com uma vida que será parte da sua para sempre. A maternidade é um desafio diário, um novo aprendizado a cada dia. Educar não é difícil, mas é constante. Ser mãe em essência é ter afeto”, afirma

Conquista pessoal

Segundo a psicóloga, muitas mulheres acreditam, de forma fantasiosa, que o ápice da conquista pessoal está na maternidade, sem perdas.

“Passar pela maternidade traz todos os tipos de consequências para mulheres e, atualmente, várias não estão preparadas para enfrentar os desafios e as dificuldades de criar filhos e formar uma família. Infelizmente, muitas delas conhecem pouco a si mesmas. É preciso perceber os pontos positivos e negativos na sua personalidade para melhorar e saber lidar consigo antes de construir a personalidade de outro indivíduo”, acentua.

Ela acrescenta que, frente a realidade, uma série de frustrações podem ser desencadeadas na vida dessas mulheres, diferente das idealizações formadas ao longo da vida acerca da maternidade. Afirma ainda que vem daí a importância do autoconhecimento e também do acompanhamento psicológico como apoio a essas mães.

Gravidez para garantir relacionamento afetivo

Mesmo com a independência financeira e emocional crescente da mulher contemporânea, outro fenômeno recorrente no consultório de Maria Cristina são os casos de gravidez como forma de garantir um relacionamento afetivo. De acordo com ela, muitos atendimentos prestados no consultório entre janeiro de 2014 e abril de 2017 foram para mulheres que engravidaram para assegurar seus namoros, casamentos, ou então fazer com que o futuro pai permaneça por perto, criando um vínculo infindável a partir da criança.

“Estamos passando por um período onde as pessoas se sentem muito sozinhas. O nível de carência afetiva é enorme em mulheres e homens, de várias faixas etárias, sem exclusão. Infelizmente, a maternidade vem como um escape para suprir essa carência. Às vezes os filhos nem são desejados, mas sim meramente uma ponte para assegurar um relacionamento amoroso. A partir desse fenômeno, nascem as relações disfuncionais e, com elas, uma série de transtornos psicológicos podem se desenvolver ou serem agravados tanto nos pais, quanto nos filhos”, alerta a psicóloga.

Exemplos valiosos

A psicóloga enaltece o perfil batalhador da mulher na região colonial italiana, ressaltando que esse foi o tema de sua tese de mestrado. Ela ressalta que Bento Gonçalves também está repleta de exemplos valiosos de mães. “A maioria das mulheres da região é trabalhadora, criativa e persistente. Há vários exemplos de mães de valor no município, desde as que criam seus filhos sozinhas, enfrentando dupla jornada de trabalho, até as que dedicam integralmente seu tempo aos cuidados de filhos especiais ou doentes, não desistindo de tornar a vida deles melhor a cada dia. Essas e outras nos mostram a força da doação do amor maternal”, afirma Maria Cristina.