Posts

Sindilojas Regional Bento e Procon orientam comércio local

Visitas e entrega de cartilha esclarece lojistas sobre a afixação de preços e fiscalização

 A precificação nas vitrines e a fiscalização aos estabelecimentos comerciais são temas que fazem parte do cotidiano do varejo e que muitas vezes geram questionamentos. Para esclarecer dúvidas tanto por parte dos lojistas quanto dos comerciários, o Sindilojas Regional Bento e o Procon Bento Gonçalves se uniram para orientar os profissionais que atuam no setor. As visitas começaram na sexta-feira, 17 de agosto, pelo Centro da cidade.

 O presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio, e a coordenadora do Procon Bento Gonçalves, Karen Battaglia, foram às ruas num trabalho de orientação ao comércio. Além do bate papo com os lojistas, eles aproveitaram a oportunidade para entregar uma Cartilha com informações importantes sobre a Lei Federal nº 10.962, que complementa o Código de Defesa do Consumidor, garantindo aos mesmos, correção, clareza, exatidão e visibilidade das informações prestadas. O pontapé inicial do projeto foi nas lojas Don Juan, Collecione e Louvre.

 DSC_0017

A ação seguirá envolvendo todo o comércio com a distribuição da Cartilha que traz as regras da afixação de preços a partir das dúvidas mais frequentes dos comerciantes em geral.

 

Fotos: Lucinara Masiero / Conceitocom Brasil

Procon alerta sobre golpe da lista telefônica em Bento

O PROCON faz um alerta aos comerciantes e autônomos para o ‘golpe da lista telefônica’. Segundo a coordenadora, Karen Battaglia, nesta semana, vários relatos e aberturas de chamados de empresários que foram vítimas da fraude foram registrados no serviço.

Karen pontua que o golpe geralmente acontece por telefone. “As vítimas recebem ligações de falsas editoras de listas telefônicas, pedindo para atualizar dados cadastrais com o intuito de renovar, sem custos, o contrato de divulgação e publicação na lista telefônica, que na maioria das vezes se trata de uma lista virtual. Em seguida, enviam um documento por e-mail ou fax, pedindo para assinar, e devolver com urgência, dizendo que a edição vai fechar e que a empresa ficará fora da lista telefônica”, esclarece.

Ocorre que o empresário ou o funcionário não observam que se trata, na verdade, de um contrato com valores definidos, em letras mínimas, o que dificulta a atenção de quem vai assinar. Passado os sete dias que a Lei do Direito do Consumidor dá como prazo de arrependimento, a empresa responsável pelo golpe começa a enviar boletos de cobrança, ameaças de protesto e cobrança judicial.

A orientação  é que a população, em caso de suspeita do golpe, procure o órgão antes de efetuar o pagamento. Para registrar a denúncia, é preciso que a vítima reúna o maior número possível de documentos enviados pela empresa golpista.

O PROCON está localizado na Rua Cândido Costa, 65, sala 401/405, Ed. Palazzo Del Lavoro, Centro. Acesso rápido ao consumidor pelo telefone: (54) 3052-0028.

Orientações do PROCON:

– Oriente funcionários a jamais repassarem dados ou qualquer outra informação via telefone ou e-mail;

– Não efetue contratações por telefone ou verbalmente com quem você desconhece;
– Antes de passar quaisquer dados da empresa certifique-se com quem está falando;
– Nunca forneça dados pessoais ou da empresa para desconhecidos;
– Não assine recibo, formulário, contrato ou qualquer espécie de documento sem ler todas as cláusulas atentamente;

– Não aceite documentos com campos em branco que permitam o preenchimento posterior;
– Fique atento a cláusulas escritas com letras de tamanho menor do que das demais;
– Não exponha os dados cadastrais da empresa em cartões de visitas;
– Nenhum cartório liga para a empresa informando o protesto ou ameaçando.

Procon realiza fiscalização em Postos de Combustíveis de Bento

Ação ocorreu devido a inúmeras denúncias de preços abusivos

 Na manhã desta quinta-feira, 24, os fiscais do Procon, órgão vinculado a Prefeitura realizou fiscalizações nos Postos de Combustíveis da cidade, devido a inúmeras denúncias de práticas abusivas nos valores cobrados.

 De acordo com a coordenadora, Karen Battaglia, as denúncias nos postos visitados não procederam, as bombas foram verificadas e os valores correspondiam à tabela. “Vamos continuar fiscalizando, principalmente neste momento de crise, quando práticas abusivas podem ocorrer”, salienta.

LEIA TAMBÉM: NOTA OFICIAL AGAS: Impacto da greve dos caminhoneiros nos supermercados

SAIBA MAIS: Vem Pra Rua defende corte de impostos e custo menor do Estado

 O Procon orienta os consumidores para que exijam a nota fiscal que discrimine o valor pago por litro de combustível e a quantidade abastecida. Em caso de abuso no preço em razão da falta de combustíveis será necessário registrar a demanda no órgão ou ainda denunciar através do telefone (54) 3052.0028.

IMG_8516

 Foto: José Martim Estefanon

LEIA TAMBÉM: Youse responde: Como funciona um carro elétrico?

SAIBA MAIS: Plataformas digitais mostram como a tecnologia pode auxiliar no cotiano