Posts

Exposição “Intestino Gigante” supera expectativas em Carlos Barbosa

Mais de mil pessoas passaram pela rua Coberta, no Centro de Carlos Barbosa, no último dia 07, onde o Hospital São Roque mostrou à comunidade a exposição do ‘Intestino Gigante’. Numa ação conjunta com o Instituto Tacchini de Pesquisa em Saúde (ITPS) e do Instituto do Câncer, a exposição proporcionou à comunidade barbosense e região, o conhecimento das principais estruturas do intestino humano, bem como as doenças que podem afetá-lo, entre elas, o câncer. Conforme a coordenadora administrativa do Hospital São Roque, Cátia Argenta, o número de visitantes foi bastante expressivo, superando as expectativas. “Mais uma vez a comunidade mostrou-se participativa e, como sempre, apoiando nosso hospital. Estão todos de parabéns”, elogia, ressaltando que as longas filas registradas são a resposta do quanto as pessoas podem e devem se interessar por realizar exames preventivos.

Ao final da visita, as pessoas eram abordadas pela equipe do ITPS e conforme seu perfil tiveram a oportunidade de responder a um questionário e serem encaminhadas para exames preventivos, de forma gratuita. Pelo menos, 23 pessoas se voluntariaram a participar dos projetos de pesquisa desenvolvidos pelo ITPS.

20180907_103701 menor

Conforme a gerente do ITPS, Doutora Juliana Giacomazzi, mesmo após a exposição, o Instituto continua a realizar o projeto que viabiliza a detecção de tumores do intestino, ofertando exames gratuitos à população. “As pessoas que não visitaram a exposição poderão participar da nossa pesquisa e, dependendo das informações prestadas, realizar exames preventivos. Para participar, basta se dirigir ao ITPS, em Bento Gonçalves ou ao Hospital São Roque”, explica. O ITPS fica localizado na rua General Osório, centro de Bento Gonçalves, anexo à farmácia Tacchimed e atende pelo telefone 3455-4333, ramal 1125 e o Hospital São Roque, na Avenida Presidente Kennedy, 343, contato é o 54 3461-9200.

Câncer do Intestino

– Terceiro tumor mais frequente tanto em homens quanto em mulheres, ocorrendo mais frequentemente, depois dos 50 anos.

– Seis, em cada 10 pacientes, chegam ao Hospital Tacchini* em estágio avançado, ou seja, a lesão não foi identificada precocemente. (*Hospital Tacchini é referência regional para diversos municípios na região).

– 15% dos pacientes diagnosticados com a doença apresentam idade menor ou igual a 50 anos.

– Maioria das lesões tem crescimento lento, permitindo a realização de exames de detecção da doença ainda na fase em que não se transformou em câncer.

– Sinais que devem ser observados por quem não costuma realizar exames preventivos e que podem originar o câncer de intestino: intestino preso e diarreia; alteração da espessura das fezes; presença de sangue, muco e catarro junto às fezes; percepção de evacuação incompleta; desconforto abdominal; cólicas; emagrecimento; anemia ou fraqueza.

Hospital Tacchini: nas suas veias corre amor: doe sangue, doe vida!

O Hemocentro Regional de Caxias do Sul (Hemocs), é a unidade de referência responsável por captar e distribuir as bolsas de sangue aos hospitais na região. O Médico hematologista, Victor Hugo da Rocha Lenz Pereira, responsável técnico da Agência Transfusional, explica que devido ao fato do Hospital Tacchini ser referência para o tratamento de câncer na região, a maior parte dos pacientes demandam grande quantidade de hemoderivados da Agência Transfusional. “Hoje, cerca de 80% das transfusões do SUS são de pacientes com câncer e diante disso necessitamos sempre de reposição para continuar prestando um serviço de qualidade para a população”, esclarece.

É fundamental que a população entenda a importância do gesto de doar sangue. Uma ato de amor que pode fazer toda a diferença na vida de outra pessoa.

Para atender a demanda dos pacientes internados no Hospital Tacchini, todas as coletas são feitas no Hemocs e para isso você doador pode agendar o transporte gratuito, o qual será feito com auxílio da Secretaria Municipal da Saúde.

Quem tiver interesse em doar sangue deve contatar a Unidade de Coleta e Transfusão de Sangue, diretamente no Hospital Tacchini ou pelo telefone 54 3455-4151.

É importante salientar que as pessoas que residem em outras cidades, mas que fazem tratamento no Hospital Tacchini pelo SUS, também devem contribuir, realizando sua doação ou indicando outras pessoas que possam fazer a doação. 

Critérios para doação de sangue:

– apresentar bom estado de saúde;

– ter entre 18 e 67 anos. Doadores de 16 e 17 anos podem realizar doação com consentimento formal de um responsável legal;

– peso mínimo de 50Kg;

– não ter contraído alguma hepatite viral após os 11 anos de idade;

– não ter diagnóstico de Doença de Chagas;

– não apresentar risco acrescido para doenças sexualmente transmissíveis.

– não estar amamentando;

– não ter ingerido álcool 12h antes da doação;

– não ter fumado 1h antes da doação.

Hospital São Roque leva exposição “Intestino Gigante” à rua Coberta, em Carlos Barbosa

No próximo dia 07 de setembro, o Hospital São Roque vai proporcionar à comunidade barbosense e região, o conhecimento sobre as principais estruturas do intestino humano, bem como as doenças que podem afetá-lo, entre elas, o câncer. Além disso, será possibilitada a realização de exames preventivos gratuitos à população, caso as pessoas apresentem algum sintoma ou histórico familiar da doença. A exposição será na rua Coberta, a partir das 9h.

Com apoio do Instituto Tacchini de Pesquisa em Saúde (ITPS) e do Instituto do Câncer, o projeto pretende conscientizar as pessoas para a importância de exames preventivos, os quais podem evitar quase 100% dos casos de câncer de intestino. “No Intestino Gigante, o visitante pode caminhar e visualizar exemplos das principais doenças bem como assistir um vídeo com informações sobre prevenção e diagnóstico”, relata a gerente do ITPS, Juliana Giacomazzi.

tacchini na expobento (5)

Câncer do Intestino

– Terceiro tumor mais frequente tanto em homens quanto em mulheres, ocorrendo mais frequentemente, depois dos 50 anos.

– Seis, em cada 10 pacientes, chegam ao Hospital Tacchini* em estágio avançado, ou seja, a lesão não foi identificada precocemente. (*Hospital Tacchini é referência regional para diversos municípios na região).

– 15% dos pacientes diagnosticados com a doença apresentam idade menor ou igual a 50 anos.

– Maioria das lesões tem crescimento lento, permitindo a realização de exames de detecção da doença ainda na fase em que não se transformou em câncer.

– Sinais que devem ser observados por quem não costuma realizar exames preventivos e que podem originar o câncer de intestino: intestino preso e diarreia; alteração da espessura das fezes; presença de sangue, muco e catarro junto às fezes; percepção de evacuação incompleta; desconforto abdominal; cólicas; emagrecimento; anemia ou fraqueza.

A estrutura inflável do Intestino Gigante vai ter 15 metros de extensão, 3 metros de altura e 3 metros de largura e ficará montada na rua Coberta, das 9h às 21h.

Hospital São Roque de Carlos Barbosa é certificado como Hospital Acreditado

Desde 2004, quando o Tacchini Sistema de Saúde assumiu a administração do Hospital São Roque de Carlos Barbosa, que já possui mais de 60 anos de história, uma série de investimentos foram realizados, a fim de aprimorar a estrutura já existente. Como resultado, a Instituição cresceu em todas as frentes e hoje conta com mais funcionários, equipamentos atualizados para atender a demanda regional e sua estrutura física está devidamente atualizada e modernizada para atender aos requisitos de assistência à saúde e segurança da população.

No ano passado, passou a integrar o programa Qualis-RS (oferecido pela Federação dos Hospitais do Rio Grande do Sul – Fehosul e pelo o Instituto de Administração Hospitalar e Ciências da Saúde – IAHCS) e, com isso, buscou o aperfeiçoamento dos seus processos assistenciais e estruturais, submetendo-se à avaliação da ONA – Acreditação Hospitalar, realizada no início de junho/2018.

No dia 21 de agosto, a Instituição recebeu o resultado como ‘Hospital Acreditado’, ou seja, está em conformidade com os requisitos do Manual da ONA, os quais demonstram a qualidade dos seus serviços de saúde. Com isso, o Hospital São Roque torna-se a 14ª instituição hospitalar do Estado a obter a acreditação dentro de um universo de aproximadamente 340 hospitais gaúchos.

hospital são roque

Para a coordenadora administrativa do Hospital São Roque, Cátia Argenta, a certificação chega para coroar o trabalho de toda a equipe, que busca incansavelmente, proporcionar aos pacientes e à população, técnicas seguras aliadas a muito carinho”, comemora a gestora, lembrando o apoio da Comissão de Apoio, formada por lideranças de Carlos Barbosa e que têm proporcionado contínuas melhorias. Já a coordenadora da gestão da qualidade do Tacchini Sistema de Saúde, Fabiane Dolinski Cussiolli, explica que quando a Instituição optou por participar do projeto Qualis-RS, todos tinham em mente a busca pela melhoria da qualidade assistencial. “Somos sabedores de todo o trabalho que vem sendo feito, visando melhorias no aperfeiçoamento da qualidade assistencial e nos processos de gestão”, reconhece Fabiane.

O Superintendente Executivo do Tacchini, Hilton Mancio, lembra que as organizações que possuem algum tipo de certificação de qualidade sabem desafio que é organizar, investir, qualificar toda estrutura a fim de satisfazer as altas exigências que envolvem tais processos. “Agora, o momento é parabenizar e agradecer, em especial, a todos os funcionários dos hospitais São Roque e Tacchinipela conquista, empenho e dedicação. Agora é hora de continuar caminhando em busca da excelência”, conclui. 

Acreditação Hospitalar ONA – O Sistema Brasileiro de Acreditação ONA é voltado a desenvolver práticas relativas às ações de segurança do paciente. A avaliação é realizada em caráter educativo, voltada para a análise da melhoria na qualidade assistencial.

19ª Congresso Brasileiro de Medicina Psicossomática pela primeira vez em Caxias do Sul

 Com o tema “Psicossomática, novas perspectivas e suas novas práticas”,  o 19º Congresso Brasileiro de Medicina Psicossomática será realizado pela primeira vez em Caxias do Sul. Entre os dias 19 e 22 de setembro, o Congresso contará com cerca de 70 especialistas de todo o Brasil das mais diversas áreas relacionadas a saúde, meio ambiente e social.  O evento, organizado pela Associação Brasileira de Medicina Psicossomática- Regional RS, tem como principal objetivo estudar como inúmeros fatores de desequilíbrio acometem os seres humanos produzindo as doenças.

Segundo o presidente do Congresso, Dorval de Andrade Tessari, este encontro tem como finalidade buscar novas soluções e práticas para a promoção do bem-estar humano na sua integralidade.  Serão 8 cursos pré-congresso, 28 mesas-redondas, 4 mesas informais para conversas com professores e discussões de casos clínicos, e um espaço destinado ao debate público com gestores da saúde para implantação de políticas públicas.

Mesmo que o Congresso tenha um cunho científico, ele está aberto a todas às pessoas que queiram viver bem consigo mesmas e com o meio, pois um dos princípios da medicina psicossomática é promover a consciência de que a mente é a grande geradora das doenças e suas próprias curas.

Para Tessari, discutir novas práticas se faz necessário, pois a psicossomática vem tomando um lugar de destaque na forma de condução de casos clínicos. “Existem situações em que não conseguimos resolver a situação com o que já é utilizado. É preciso fazer uso de novas perspectivas para a área da saúde, para que consigamos auxiliar os profissionais a abrirem novos horizontes no auxílio aos pacientes. Mas, sob hipótese alguma, excluímos aquilo que já está consagrado. Nós acrescentamos a possibilidade de olhar para dentro do ser humano, e ajudar aquele que verdadeiramente sofre”, afirma.

Dorval de Andrade Tessari

O presidente do Congresso explica, ainda, que este ramo tem como principal linha de estudo o surgimento da doença física atrelada exclusivamente ao pensamento. “As emoções necessitam ser drenadas, colocadas para fora por meio da linguagem. Quando uma pessoa não consegue fazer esta ação, o corpo acaba sendo o aparelho de fala, comunicando por meio das doenças. E é a partir daí que as novas práticas dentro da psicossomática se fazem tão necessárias. Precisamos estudar e discutir cada vez mais as várias formas de lidar com a saúde em um conjunto com todas as esferas da vida”, finaliza.

Para participar da 19ª edição do Congresso Brasileiro de Medicina Psicossomática, conhecer os palestrantes e compreender mais sobre questões, como: abuso e violência infantil,  qualidade de vida no trabalho, estimulação cognitiva para idosos, adoção homoafetiva, sexualidade em pacientes com câncer e muito mais, acesse o site e se inscreva www.psicossomatica2018.com.br.

O 19º Congresso Brasileiro de Medicina Psicossomática é uma Promoção da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática. Realização da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática Regional do Rio Grande do Sul. Patrocínio-Master da Censi Empreendimentos. Apoio Especial da Universidade de Caxias do Sul. Apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Co-patrocínio de Carib Tur Agência de Viagens, Casa Serra Acabamentos, Life Pilates, Microlab Laboratório, Re-criar Centro de Estudos Avançados em Medicina e Psicologia, Salus Pronto Atendimento e Unimed. Organização da Interface.

Hospital Tacchini adota Prontuário sem Papel e evita o corte de mais de 200 mil árvores em três anos

Em abril de 2015, o Hospital Tacchini tornou-se uma das primeiras instituições de saúde do Estado a implantar o ‘Prontuário sem Papel’, através da ‘Certificação Digital’ . A ação, que iniciou pelas UTI´s Pediátrica e Neonatal, contempla hoje as áreas assistenciais e alguns setores administrativos dos hospitais Tacchini e São Roque e tem como principal objetivo eliminar a necessidade da impressão de documentos, sem que os mesmos percam sua validade. Neste período, houve redução de 62% no número de folhas impressas, ou seja, das cerca de 200 mil impressões mensais, o total hoje fica em torno de 76 mil folhas. Em 3 anos, a redução de impressões foi de 4 milhões 464 mil, ou seja, cerca de 203 mil árvores deixaram de ser cortadas*

Como era

como era

O Coordenador da TI no Hospital Tacchini, Carlos Bertollo, explica que uma vez emitidos e assinados digitalmente, os documentos ficam disponíveis eletronicamente para toda a instituição. “Há mais de três anos, não é mais necessário transportar documentos físicos de um setor para outro. Paralelo a isso, sistemas de ‘backups’ garantem a integridade das informações por tempo indeterminado”, garante.

A longo prazo, tanto o Hospital Tacchini quanto o Hospital São Roque deverão operar 100% sem papel, otimizando seus processos, ganhando em produtividade e agilidade, além de gerar economia financeira à instituição.

 prontuário sem papel (4)

Números obtidos com o ‘Prontuário sem Papel’ desde a implantação:

– Eram impressas, em média, 200mil folhas/mês.

– Houve redução de 62% em impressões. Isso representa 4 milhões 464 mil impressões a menos no período.

– Ao mês, 124 mil folhas deixaram de ser impressas.

– Foi evitado o corte de cerca de 203 mil árvores

 

* Um eucalipto rende de 20 a 24 mil folhas de papel A4 (75 g/m2 de gramatura), aquele comum, usado em casa e nos escritórios. São necessárias 11 árvores para produzir uma tonelada de papel. fonte: revista Galileu

Centro Obstétrico do Hospital Tacchini conta com o trabalho de Enfermeiras Obstétricas  

No Centro Obstétrico (C.O) do Hospital Tacchini há uma equipe de Enfermeiras Obstétricas que presta uma assistência humanizada às gestantes através da adoção das Boas Práticas de Assistência ao Parto. O que poucos sabem, é que essas profissionais tem qualificações e habilidades que lhes permitem realizar o pré-natal de risco habitual, que normalmente é feito pelo médico.

“Ao longo dos anos, buscamos qualificações e assim como os médicos obstetras, temos condições de avaliar eventuais riscos e complicações que possam surgir durante a gravidez. Na verdade quem faz o parto não são os profissionais e sim a mulher, nós apenas assistimos”, comenta a Enfermeira Kellen Deolindo, uma das profissionais que atua no C.O do Hospital Tacchini.

20180813_163238

Com mais de 20 anos de dedicação à obstetrícia, a Enfermeira Angela Callegari Boeira lembra que o trabalho desenvolvido pelas enfermeiras obstétricas vai além da gestação. “Prestamos total assistência durante o trabalho de parto, bem como nos primeiros dias de vida do bebê, buscando estimular o aleitamento materno na primeira a hora de vida, fortalecendo o vínculo do binômio mãe-bebê”, o apoio nesse momento é fundamental. Ela ressalta que com a adesão ao projeto ‘Parto Adequado’, o Hospital Tacchini passou a buscar enfermeiras obstétricas para fazer parte da equipe multiprofissional de assistência ao parto.

Para a enfermeira obstétrica, Gabriela Valiati, o trabalho envolve muito mais que assistência à mamãe e bebê. “Procuramos dar o conforto e o empoderamento necessário às mulheres, colocando-as em evidência, onde todas sejam as protagonistas neste momento de suas vidas. Assim, além do pré-natal, procuramos aplicar medidas não farmacológicas para o alívio da dor no momento do trabalho de parto e parto, prestamos atendimento ao recém-nascido e auxiliamos na fase inicial da amamentação, sempre respeitando suas próprias vontades”, explica.

Além das enfermeiras obstétricas Angela Callegari Boeira, Gabriela Valiati, Kellen Deolindo, Raquel Vicente Dalla Corte e Eliane da Costa, o Centro Obstétrico do Hospital Tacchini conta com uma rede de apoio onde atuam técnicos de enfermagem, nutricionistas, assistente social, fisioterapeuta, fonoaudióloga e médicos obstetras, pediatras e anestesistas.

Entre os dias 04 e 09 de setembro, as enfermeiras Eliane, Gabriela e Kellen estarão participando do V Simpósio Internacional de Assistência ao Parto (Siaparto), em São Paulo, onde irão agregar novas técnicas e conhecimentos. O evento tem como objetivo ensinar, esclarecer e desmistificar por meio de dados científicos e profissionais da área as diversas situações possíveis em realização de partos, trazendo práticas atuais como ‘Spinning Babies’, rebozo, hipnose, acupressão e pelve em movimento.

 A saber – A inserção de especialistas em enfermagem obstétrica no atendimento ao parto e nascimento faz parte das políticas públicas de saúde da mulher. A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza uma assistência ao parto menos intervencionista e mais humanizada e sugere aos países ter, no mínimo, uma profissional qualificada para cada 125 nascimentos ao ano. Levando em conta essa estimativa, o Brasil deveria possuir ao menos 23 mil Enfermeiras Obstetras. A Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (ABENFO) estima que deve haver, no máximo, 10 mil no país. Não há, porém, nenhuma pesquisa que confirme esse dado e nem que aponte qual é o percentual de profissionais que atua na área da assistência obstétrica.

PARCEIROS VOLUNTÁRIOS: agosto inicia com ações solidárias em instituições de Bento Gonçalves

Iniciativas realizadas por meio da Parceiros Voluntários promoveram a entrega de alimentos ao Lar do Ancião, corte de cabelo a jovens do projeto Curumim e momentos de descontração no Hospital Tacchini

 O gesto solidário de multiplicar boas ações ganha cada vez mais adeptos em Bento Gonçalves. Por meio da Parceiros Voluntários, pessoas físicas e jurídicas propagam iniciativas que estimulam a solidariedade e promovem um maior bem-estar social. O mês de agosto iniciou com várias atividades alinhadas a esse compromisso de engajamento em favor do coletivo.

Os idosos do Lar do Ancião iniciaram a semana de maneira animadora: a empresa Pórtico Ambientes Corporativos promoveu a entrega de 50 kg de alimentos à entidade no dia 06. Foram quase 60 moradores beneficiados pela iniciativa – todos com idade superior a 65 anos. “Ao recebermos uma palestra dentro da empresa, que chegou de forma gratuita, surgiu a ideia de seguirmos com a promoção da gentileza. Então procuramos a Parceiros para sabermos quais eram os locais que estavam precisando de doações”, comenta a gerente da loja, Daiane Pegoraro. A ação mobilizou todos os colaboradores da empresa, que atua desde 1999 no município.

Entrega Lar do Ancião

Para o Lar do Ancião, a satisfação em receber esse auxílio é gratificante. “Isso vem a aumentar o nosso amor pela causa de atender os vovôs. Enriquece bastante o nosso trabalho”, conta Lourdes de Souza, presidente do Lar. “Plantar a semente dentro da empresa é um multiplicador”, complementa Simão Weschenfelder, coordenador da entidade.

No mesmo dia, meninos de 13 a 17 anos atendidos pelo projeto Curumim, mantido pelo 6º BCom de Bento Gonçalves, foram beneficiados com corte de cabelo oferecido pela Iva Espaço de Beleza. Cerca de 30 jovens receberam a iniciativa. Na terça-feira (07) foi a vez do Hospital Tacchini receber a corrente solidária encampada pela ONG. O Grupo de Humanização promoveu mais uma visita pelas alas da psiquiatria e oncologia da instituição. Para animar os pacientes, os músicos João Carlos Santos e Alan Cristian Prudente e as voluntárias Rozelia Vasques Ortiz e Neusa Maria Zanchetti percorreram as alas hospitalares utilizando-se da música como fator motivacional. “Nós sentimos a felicidade no olhar das pessoas. A música tem essa capacidade de transformar o dia de alguém”, comenta João. Retribuir o que a vida confere também é uma forma de agradecer pelos dons recebidos. “Como a música trouxe coisas muito boas para mim, não vejo porque não retribuir isso para quem mais necessita. Às vezes um acorde pode ser determinante para uma pessoa”, relata Alan.

Além da descontração promovida pelo grupo, lenços confeccionados por voluntários foram entregues aos pacientes em comemoração ao Dia dos Pais, celebrado no próximo final de semana.

 O que é a Parceiros Voluntários

A Parceiros Voluntários é uma ONG implantada no município há quase 20 anos. Mantida pelo Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), atua em uma campanha permanente para incentivar o trabalho voluntário e inspirar novas parcerias. Os interessados em participar – sejam pessoas físicas ou jurídicas – podem escolher ações que estiverem relacionadas as suas habilidades e que, ao mesmo tempo, proporcionam bem-estar. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 2105-1999.

 Fotos e texto: Divulgação/Exata Comunicação

Pronto Socorro do Hospital Tacchini: 99,3% de vidas salvas

O Pronto Socorro do Hospital Tacchini divulgou dados em relação aos atendimentos prestados durante o primeiro semestre deste ano. No período entre Janeiro e Junho, o setor atendeu 36.079 pacientes, o que representa uma média mensal de 6.013 pessoas que precisaram dos mais diferentes tipos de procedimentos, desde casos de urgência/emergência até consultas com médicos plantonistas.

 Casos de urgência/emergência: 497 (ocorrências de AVC, infartos, paradas cardíacas ou acidentes graves): 99,3% de vidas salvas.

 No mês de Julho, o Pronto Socorro do Hospital Tacchini registrou o maior número de atendimentos à população desde 2014. Foram mobilizados profissionais médicos e enfermeiros, desenvolvendo uma verdadeira ‘operação salva-vidas’, sendo que todos foram atendidos, garantindo assim, segurança no atendimento ao paciente, priorizando os casos de risco eminente de morte.

 O Tempo de Espera nos atendimentos, ficou abaixo da meta estabelecida pelo Protocolo de Manchester, o qual estabelece o tempo para atendimento conforme a prioridade dos casos:

 Tipo de Atendimento             Total de Pessoas                     Atendidas Tempo de Espera

                                                                                                                  (Manchester / Tacchini)

 

Emergência e Muita Urgência:         497                                                                   Imediato

Urgente:                                               1500                                                           50min/34min

Pouco Urgente:                                   3661                                                                 2h/42min

Não Urgente:                                         102                                                                  4h/54min

 

Horários de maior movimentação no Pronto Socorro:

– entre 10h e 15h

– entre 17h30min e 22h

 Evite deslocar-se ao Hospital sem que realmente seja necessário. Há casos em que as consultas podem ser realizadas em consultórios médicos, diminuindo assim o tempo de espera de todos.

Hospital Tacchini prestigia abertura do semestre de enfermagem na Faculdade Cenecista

Os ‘Modelos Assistenciais em Enfermagem’ e a ‘Performance dos Profissionais’ foram os temas que nortearam a palestra da gerente de Enfermagem do Hospital Tacchini, Maria Lucia Falk durante a abertura do semestre dos cursos de Enfermagem e de Técnicos de Enfermagem e de Radiologia Médica da Faculdade Cenecista de Bento Gonçalves. O encontro aconteceu no dia 30 de julho no auditório da faculdade e reuniu alunos, acadêmicos, professores e convidados.

Em sua apresentação, Maria Lucia Falk abordou os diferentes conceitos de ‘Modelos Assistenciais’, enfatizando o projeto ‘Primary Nursing’, como um dos melhores modelos para a gestão do cuidado que produz mais segurança e confiança além de formar fortes vínculos do profissional com o paciente e sua família. “O enfermeiro referência fica mais junto à beira do leito. Durante todo o período de internação, ele orienta e prepara o paciente para a alta domiciliar, incluindo novas ações pró-saúde”, diz a gerente.

Ao falar da Performance Profissional, Maria Lucia enfatiza que o profissional da enfermagem ao iniciar sua carreira no Hospital Tacchini precisa ter consigo dois requisitos básicos relacionados a competência: o conhecimento e comportamento. “O conhecimento é fundamental, essencial para o exercício da profissão. Precisamos ter profissionais atualizados e que saibam como agir nos momentos da tomada de decisão. Isso vem através da boa formação técnica acadêmica”, destaca. Ela lembra, porém, que o comportamento e a atitude do profissional, é o que faz toda diferença para aquela experiência que é única para cada paciente. “Todas as pessoas querem e devem ser bem atendidas. Precisam receber a devida atenção com uma escuta qualificada e respeitosa para minimizar os momentos de dor e sofrimento. Cada vez mais necessitamos humanizar o cuidado e produzir novos e melhores modos de cuidar”, conclui.

lucia2