Posts

Lanchonete inspirada na selva chega a Bento Gonçalves

Mundo Animal Lanches inaugura espaço voltado a família e amigos em 25 de outubro. Expansão da marca reflete crescimento do setor de franquias no país
A selva tem data marcada para invadir Bento Gonçalves: é 25 de outubro, quando inaugura a primeira unidade da franquia Mundo Animal Lanches no município da serra gaúcha. A nova lanchonete tem capacidade para 370 clientes, e esse público estará imerso no ambiente selvagem graças à inovadora concepção do local. A começar pelo cardápio, cujos pratos levam nomes de animais, como “Elefante”, “Rinoceronte”, “Leão”, “Girafa” e Zebra”. A decoração também é destaque. Nos 600 metros quadrados de área do local, os móveis, desenvolvidos de maneira artesanal, são revestidos com estampas de animais, e estruturas de madeira espalham plantas pelo ambiente.
“Nós criamos o Mundo Animal Lanches para proporcionar uma experiência diferenciada ao público. Acreditamos que atingimos nosso objetivo tanto pelo ambiente temático quanto pela gastronomia da casa, que, modéstia à parte, é deliciosa”, afirma Ari Andrade da Silva, sócio-diretor da franquia.
Tábuas de petisco (1)
Além dos temáticos pratos que levam nomes de animais, uma das mais desejadas especialidades da lanchonete é a torre de batatas. Composto por batatas fritas crocantes, que podem ser acompanhadas por filé, picanha, calabresa, coração e frango e por molhos, é servido em uma torre de alumínio apoiado em uma pedra quente. Após a retirada da torre, o contato entre batata, molho e carne deixa um prato suculento e delicioso.
Ambiente 3
O espaço, que está localizado na Rua Domingos Rubechini, 126, bairro Fenavinho, é uma opção de diversão para amigos e familiares, ideal para happy hour e confraternização de aniversários. As portas estarão abertas diariamente, entre 18h30min e 0h. As crianças são mais que bem-vindas. Na Mundo Animal Lanches, há espaço kids projetado para o cuidado e a diversão dos pequenos.
 
Setor de franquias em expansão
A unidade do município de Bento Gonçalves será a 14ª inaugurada pela Mundo Animal Lanches. A expansão da marca reflete o bom momento pelo qual passa o setor de franquias, que cresce apesar da crise econômica.
De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o faturamento do setor no primeiro semestre de 2018 é 6,8% maior na comparação com o mesmo período de 2017. Em números absolutos, subiu de R$ 74,4 bilhões para R$ 79,4 bilhões.
O segmento alimentação está entre os cinco que mais cresceram no primeiro semestre deste ano na comparação com igual período de 2017. O faturamento saltou 8,1%, migrando de R$ 19,9 bilhões para R$ 21,5 bilhões.
“As pessoas, cada vez mais, buscam espaços onde possam confraternizar com os amigos, com a família, e o melhor local para se fazer isso é ao redor de uma mesa, com bons pratos e em um ambiente diferenciado”, destaca Jian Lorenzetti, diretor de implementação.

Ainda conforme a ABF, o Rio Grande do Sul está entre as cinco unidades da federação com o maior número de franquias, acumulando 5,7% do total nacional. São Paulo lidera o ranking, com 34,4% do total.

Quais as garantias que um franqueador pode utilizar no contrato de franquia?

Por Felipe Romano*
Algumas franqueadoras, em seus contratos de franquia, vêm se utilizando das chamadas garantias contratuais, recursos que são utilizados para trazer uma maior segurança aos credores (franqueadores) em face de todo e qualquer evento danoso. Algumas podem ser utilizadas antes de uma autorização judicial; outras necessitam de autorização judicial para convalidar-se.
O contrato de franquia permite a coexistência de múltiplas garantias”. A adoção de uma ou mais delas, segundo os franqueadores, serve para proteger não só a franqueadora, mas toda a rede – uma vez que, um abalo financeiro em função do não cumprimento das cláusulas definidas em contrato, pode comprometer a saúde financeira da franqueadora, afetando sua manutenção e investimentos em prol da rede franqueada.
Conheça as garantias mais comuns encontradas nos contratos de franquia:
Fiança pessoal – Indicação de uma pessoa física, com idoneidade pessoal e patrimonial confirmadas para arcar com o ônus da dívida em caso de inadimplência. Esta pessoa deve constar no contrato de franquia, assiná-lo, e, se for casada, seu cônjuge também deverá assinar o documento.
Hipoteca – É quando o franqueado indica uma propriedade imobiliária como garantia real em caso de inadimplência. É necessário um procedimento burocrático que dê a um terceiro – no caso, o credor – a preferência no recebimento do imóvel para quitar eventuais débitos (com exceção de casos que envolvem débitos fiscais ou trabalhistas, que sempre serão preferenciais).
Aliança Fiduciária – É uma modalidade de garantia por meio da qual o franqueado transfere a propriedade de um bem móvel ou imóvel ao credor, mas segue exercendo sua posse. Após o cumprimento da obrigação, a propriedade do bem volta a ser consolidada em favor do devedor, se por ventura a dívida deixar de ser honrada pelo devedor, o credor poderá convalidar a propriedade, porém, o bem destacado deverá ser levado a leilão para a satisfação da obrigação não cumprida.
Caução – É um tipo de garantia em espécie, limitada a patamares financeiros reduzidos em comparação com o que poderia ser requerido numa ação judicial. Pode ser utilizada em conjunto com outras garantias, uma vez que é permitido definir mais de uma num contrato de franquia.
O ideal é que cada franqueador consulte um advogado especializado em franquia para definir quais são as melhores garantias no seu caso específico. Quando a relação de franquia se inicia com um bom documento jurídico, que assegura os direitos e deveres de ambas as partes, muitos conflitos são dirimidos de forma mais fácil e ágil, sem que seja necessário recorrer a instâncias maiores.
Isso quer dizer que quando o seu contrato de franquia possui liquidez e certeza, sendo passível de execução judicial direta, a agilidade na solução é muito maior do que acionar um fiador para responder pelos débitos oriundos da relação de franquia. Também é importante ressaltar que como a utilização de garantias da pessoa física estão diminuindo e as outras garantias, tais como, hipoteca e caução, dificultam a venda de franquias, existem outras formas mais ágeis de garantia e também contratos de franquia sem garantia, que possuem processos mais céleres, visando a satisfação da parte prejudicada.
*Felipe Romano é advogado, sócio do escritório Novoa Prado Consultoria Jurídica.
unnamed