Posts

Número de prevenção ao suicídio, 188, se torna gratuito em todo o Brasil

Bento Gonçalves já realizava o serviço desde 2017

As ligações de prevenção ao suicídio, feitas para o Centro de Valorização da Vida (CVV) através do número 188, passaram a ser gratuitas em todo o Brasil desde o último domingo, 1º de julho. Bahia, Maranhão, Pará e Paraná foram os últimos estados a obterem a gratuidade. O atendimento pelo número iniciou em 2015, e num primeiro momento, só funcionava no Rio Grande do Sul. Após a assinatura do termo de cooperação entre o CVV e o Ministério da Saúde em 2017, o serviço foi ampliado para boa parte do território nacional.

Em Bento Gonçalves, as ligações já podiam ser feitas de forma gratuita desde setembro de 2017, por meio de qualquer linha telefônica fixa ou celular. O serviço funciona 24h, todos os dias da semana. Por meio do número, pessoas que sofrem de ansiedade, depressão ou que correm risco de cometer suicídio conversam com voluntários da instituição e são aconselhadas. O CVV oferece total sigilo de identidade e também pode ser contatado por e-mail e chat, no site do órgão.

O secretário adjunto de Saúde, Marlon Pompermayer enfatiza que “o canal complementa as ações realizadas pelo Município que promovem a abertura de espaços para o debate do problema, divulgam o tema e alertam a população sobre a importância dessa discussão. É importante que as pessoas que estejam passando por dificuldades saibam que falar é a melhor solução e que existem pessoas prontas para acolhê-las”.

card

No Município, a prevenção ocorre por meio de atividades nas Unidades Básicas de Saúde como palestras sobre emoções, comunicação interpessoal e técnicas de relaxamento para os usuários de medicação controlada, grupos de Saúde Mental e grupos de Diabéticos, como também divulgação do assunto nas mídias sociais. Além disso, os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) realizam o atendimento de adultos na área da saúde mental, voltado ao acolhimento humanístico e integral, disponibilizando consultas com psicólogos e médicos psiquiatras.

Suicídio: um problema presente

Atualmente, a média nacional de suicídio é 5,5 casos a cada 100 mil habitantes. Segundo dados do Ministério da Saúde, em média, 11 mil pessoas tiram suas próprias vidas no Brasil a cada ano. Os seis estados com maiores taxas de suicídio no país são Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Roraima, Piauí e Amazonas.

Setembro Amarelo busca prevenção ao ato de suicídio

Desfile NAVIGA - Jean Teixeira (2)O mês de setembro, em  vários países do mundo,  traz a tona  o suicídio, tema delicado de ser abordado, mas que é justamente por meio da conversa que pode ser evitado. O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do assunto. A prefeitura de Garibaldi aderiu a campanha. A cor amarela está mais presente em locais públicos em Garibaldi e nas  Unidades Básicas de Saúde, onde a divulgação sobre o tema e a importância da busca por ajuda é reforçada por  material informativo. No município, foram registradas 56 tentativas e suicídios até setembro deste ano. Em 2016, foram 37 casos.

 A coordenadora do Programa de Vigilância da Violência (PVV), Rose Foppa, afirma que é necessário compreender o sofrimento das vítimas como um problema de saúde pública, sem minimizar ou fazer julgamentos, uma vez que envolve fatores psicológicos e socioculturais”.

O comportamento depressivo, característico do paciente suicida, pode começar ainda na infância. Segundo a psicóloga Elza Zaro, a automutilação de adolescentes não é apenas um modismo. “A sociedade põe muitas expectativas nas pessoas, que muitas vezes sofrem por não poder atender a isso. É preciso ter espaço para que possamos ficar tristes, sem ter a exigência de ser feliz e bem-sucedido todo o tempo”, avalia a psicóloga. “A aquisição de coisas materiais não substituem afeto e contato, é preciso rever valores. A prevenção ao suicídio deve começar na família”, acrescenta.

A orientação das profissionais aos familiares de quem está passando por alguma situação depressiva é que se converse com esta pessoa e encaminhe a atendimento clínico nos postos de saúde, para então ser direcionada ao serviço de saúde mental.

Desde o mês de fevereiro, o município passou a contar com mais uma iniciativa pela prevenção ao suicídio. Foi instalado junto à Secretaria Municipal da Saúde um posto do Centro de Valorização da Vida (CVV), onde voluntários prestam atendimento por telefone, visando a prevenção do suicídio. A pessoa que liga para o número 188 entra em contato com algum dos profissionais da rede em todo o país, que oferece ajuda por meio de uma escuta afetiva.O CVV é mantido pelo Núcleo de Apoio à Vida de Garibaldi (NAVIGA), associação civil de natureza filantrópica, sem fins lucrativos, que levantou o tema do Setembro Amarelo em sua manifestação no Desfile Cívico, na última semana.

Foto: Valéria Cristina Loch