Hotel Villa Michelon: Há 20 anos celebrando a vida

Por: Raquel dos Santos Piegas

Jornalista | [email protected]

 

No coração do Vale dos Vinhedos, no dia 15 de março de 2001, ouviu-se o abrir de uma porta para o mundo encantado do enoturismo. Chegava ao Complexo Turístico Vale dos Vinhedos – Hotel Villa Michelon, a primeira hóspede de uma história que se tornaria pioneira no roteiro até então voltado somente para a vitivinicultura.

Era inaugurada uma construção majestosa e interligada, de baixa altura, idealizada e executada pela arquiteta Vanja Hertcert, obedecendo às exigências e ideias da inquieta mente de Moysés Luiz Michelon. E foi exatamente essa atividade cerebral inovadora do empresário que enxergou no Vale dos Vinhedos um potencial turístico grandioso.

O primeiro hotel do Vale dos Vinhedos abria não somente as suas portas, mas uma gama de oportunidades que fizeram do distrito um dos principais roteiros enoturísticos do Brasil. Na época de sua inauguração, a região contava até então com apenas seis vinícolas familiares, o que fazia com que o turista necessitasse retornar ao centro urbano da cidade para descansar e se alimentar, uma vez que não havia pousadas, hotéis e restaurantes no Vale.

Era, sem dúvidas, uma inovação, que não abriu mão da valorização do legado da família Michelon. O que poucos sabem é que o Hotel Villa Michelon é herdeiro de uma trajetória na hotelaria que iniciou com Antonio e Josephina Michelon, pais de Moysés Michelon. 

Externamente, o hotel pioneiro no Vale dos Vinhedos é uma releitura do Hotel Bela Vista, estabelecimento que, dentre 1945 e 1960, recebia os turistas que vinham a Bento Gonçalves para tratamentos de saúde. A preocupação em valorizar essa herança cultural se estendeu a diversos aspectos da atual edificação, uma arquitetura inspirada nas casas dos primeiros imigrantes italianos que colonizaram a região.

 

Um hotel com ares de casa

Não basta ser pioneiro e abrir as portas para o turismo. Para se manter sendo o hotel preferido do roteiro por famílias e turistas de todo o país, é necessária uma valorização do atendimento humanizado. Nos seus vinte anos de história, o Hotel Villa Michelon foi cenário da trajetória de diversas famílias, com rotatividade de turistas e também colaboradores – como em todo empreendimento.

No entanto, dentro de sua equipe, conta com trabalhadores que participaram dos primeiros momentos do Villa Michelon e que ainda estão na ativa. Uma delas é a atual chefe de recepção Jociane Brandelli, funcionária do Hotel desde 2001. “Tantos obstáculos superados e tantos objetivos alcançados nessa trajetória que até hoje me faz evoluir como pessoa e como profissional! Tenho muito orgulho em fazer parte dessa empresa e, como em toda história, tivemos diversos ajustes, imprevistos e etapas que constantemente nos fazem dar sentido ao nosso trabalho”, reflete Jociane, que também é moradora do Vale dos Vinhedos.

O pensamento de Jociane é compartilhado por Marcel Vaz, atual executivo de Contas do Hotel Villa Michelon e colaborador há 15 anos do Complexo Turístico. “Comecei minha trajetória aqui como mensageiro. Recebi várias oportunidades para trabalhar na recepção do hotel, mas as gorjetas que eu recebia ajudavam muito e não deixei o cargo (risos). No entanto, assumi o desafio até 2011, quando fui convocado pelo Sr. Moysés a assumir a área de Eventos. Era uma responsabilidade muito grande, que encarei com um pouco de medo, mas muita gratidão”, relembra.

É claro que todo o empenho em manter um atendimento cuidadoso com os hóspedes e também um ambiente de trabalho saudável aos colaboradores se refletem em satisfação. Durante os vinte anos de Villa Michelon, histórias foram construídas e alimentadas. Hóspedes se tornaram amigos e até mesmo família. É o caso de Luciana Tremea, hóspede há 19 anos do Hotel Villa Michelon junto à sua família. “Se eu fosse resumir em uma palavra o que sentimos quando estamos hospedados certamente seria aconchego. É inexplicável o bem-estar que se sente neste lugar: acomodações impecáveis, serviço de ótima qualidade e uma paisagem de tirar o fôlego. Para a minha família, conhecer o Hotel Michelon ainda tem um significado muito especial, pois nos tornamos muito mais que clientes. A Elaine e o Matiello ganharam o coração do meu filho e foram convidados para serem padrinhos de Crisma dele. De clientes a amigos, nos tornamos compadres… Cúmplices de muitas conquistas, de muitas vitórias e muitas vivências”, conta Luciana.

 

Herança de um visionário

Villa Michelon - Raquel Piegas

Nos corredores do Hotel, a herança do legado de Moysés Luiz Michelon se faz presente em cada metro quadrado da edificação. 

“Meu pai sempre buscou valorizar o hóspede, participar ativamente das estadas, conversando no café da manhã, cuidando de cada detalhe. Era uma experiência maravilhosa para quem aqui se hospedava trocar experiências com o grande Moysés Luiz Michelon. Um homem tão acessível, atencioso e inovador, com uma inteligência estratégica sem igual. Meu pai fez o hotel nascer de uma ideia visionária que teve e assim se manteve até seus últimos dias de vida, quando enviava a nós bilhetes com o que deveríamos fazer ou não enquanto ele se recuperava no hospital”, conta a diretora geral e filha do fundador, Elaine Michelon.

Elaine assumiu a direção após o falecimento de seu pai, ocorrido em outubro de 2017. O processo de transição se fez necessário para dar continuidade ao legado. “De uma maneira natural, meu pai me preparou para dar continuidade ao que ele construiu. Falando em especial de nossa trajetória no Villa Michelon, as reuniões diárias com ele me fizeram conhecer a fundo os projetos e a forma de trabalhar com hotelaria que meu pai desenvolveu de maneira única. Ele carregava consigo o entusiasmo pelo desenvolvimento do Vale dos Vinhedos, e não é exagero dividir a história do roteiro enoturístico entre antes e depois do Villa Michelon”, avalia a diretora geral.

 

Representatividade no Turismo

Valorizando a herança cultural do Vale dos Vinhedos, o Villa Michelon consolidou o seu nome como um hotel referência em Bento Gonçalves e região não somente pelo empenho em bem receber os turistas. O Complexo Turístico tem grande papel na economia e projeção da cidade, como explica o Secretário de Turismo de Bento Gonçalves, Rodrigo Ferri Parisotto. “Falar do Villa Michelon, é falar da história de Bento. A memória viva onde o seu Moysés Michelon permanece presente. Ele sempre teve na sua veia o turismo e sempre trabalhou muito por todo o setor”, avalia Parisotto, que está no comando da pasta desde setembro de 2017. “Lógico que grandes pessoas deixam legados e esse legado se personifica na pessoa da Elaine Michelon, líder nata, empreendedora, pessoa de referência para todos, que seguiu não apenas os caminhos do pai, mas caminhou ao seu lado e hoje conduz este maravilhoso hotel. Sem dúvida, é um privilégio ser bento-gonçalvense influenciado por essas pessoas que, além de exemplares, contribuíram diretamente com todos”, complementa.

Em períodos pré-pandêmicos, o Villa Michelon chegou a receber turistas de oito países para eventos como La Bella Vendemmia, uma festa que celebra a colheita da uva. Nesta nova era do que se chama “novo normal”, adequou-se a protocolos necessários para receber hóspedes com segurança e cuidados necessários. Com isso, garantiu o seu papel no turismo da região, sendo o primeiro hotel a conquistar o Selo Ambiente Limpo e Seguro.

Novas eras se desenham para o Complexo Turístico mais charmoso do Vale dos Vinhedos, que soube se adaptar e caminhar com as realidades vigentes nessas duas décadas de história. Entre todos os depoimentos coletados para esta reportagem especial, uma frase é unânime, que traduz o desejo de continuar um legado: “Vida longa ao Villa Michelon!”.

 

Fotos: 

1- Rita Michelin

2- Raquel Piegas

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *