Prefeito de Bento diz que hospital público e municipalização da rodovia do Vale estão entre as prioridades do governo

As prioridades dos prefeitos da 8ª Zona Eleitoral

 

Os municípios de Bento Goncalves, Monte Belo do Sul, Santa Tereza e Pinto Bandeira, localizados na Serra Gaúcha, formam a 8ª Zona Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RS). Monte Belo do Sul, Santa Tereza e Pinto Bandeira, ex-distritos de Bento Goncalves, são pequenas cidades com enormes potenciais. Nas últimas eleições municipais, Monte Belo do Sul e Pinto Bandeira reelegeram seus Prefeitos. Santa Tereza renovou, elegendo Gisele Caumo, que entra para a história política da região como a primeira Prefeita dessa circuncisão eleitoral. A cidade polo Bento Goncalves, com cerca de 120 mil habitantes, após duas administrações consecutivas de Guilherme Pasin, elegeu seu sucessor, o dentista Diogo Segabinazzi Siqueira, que nos últimos quatro anos atuou como Secretário Municipal da Saúde.

Em meados deste mês de janeiro, passada a euforia das eleições, a reportagem do Integração entrevistou os quatro mandatários dos Executivos de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza, para conhecer e reportar as prioridades dessas prefeituras.

Diogo Siqueira

Confira a seguir o que disse o prefeito de Bento, Diogo Siqueira 

Obras do hospital público e municipalização da rodovia do Vale entre as prioridades de Siqueira 

 

hospital

O prefeito de Bento Goncalves, Diogo Siqueira, natural de Joaçaba, Santa Catarina, após formatura em Odontologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), migrou para a região da Serra Gaúcha em busca de oportunidade de emprego, a exemplo de mais de 50% das pessoas que hoje formam a população de cerca de 120 mil habitantes da cidade a cargo de sua administração. Foi aprovado em concurso público da prefeitura de Santa Tereza como Dentista. Em 2008, foi eleito Prefeito de Santa Tereza, cargo que ocupou até 2016.

Em 2017, fixou residência em Bento Gonçalves para atuar como Secretário de Saúde na administração do prefeito Guilherme Pasin, encerrada no dia 31 de dezembro de 2020.

Vitorioso no último pleito como candidato da situação, agora tem a seu cargo e de sua equipe a administração das inúmeras demandas públicas de Bento Goncalves. São tantas, que a entrevista a seguir foi direcionada às urgências deste ano. Com a palavra, Diogo Siqueira!

 

Integração – Como está sendo esse seu primeiro momento como Prefeito de Bento Gonçalves?

Siqueira –  No primeiro momento foi reorganizar. É continuidade, mas é um novo governo. Esse é o primeiro ponto. No segundo, foi sintonizar a Procuradoria Geral do Município com a Secretaria Municipal de Finanças e com o IPURB, para agilizar a entrega de processos à população. Vamos investir com responsabilidade, focando mais em projetos macros. Algumas obras serão planejadas com muito cuidado, ouvindo a opinião dos setores representativos da sociedade.

 

Integração – Bento Goncalves já tem um hospital público, junto a UPA do Botafogo?

Siqueira – Sim. Hoje já temos a primeira etapa do nosso hospital público regional representada por um andar com 40 leitos, entre eles 20 destinados a pacientes com Covid, por um pronto socorro e pelo primeiro bloco cirúrgico, instalado na UPA. Estamos trabalhando para concluir o cadastro do nosso hospital junto ao Governo Federal.  Em 2017, como Secretário da Saúde, efetuei a primeira fase do processo. Relançamos o edital do bloco cirúrgico. Agora vamos agilizar as licitações das próximas etapas. Também temos que aprimorar as estruturas anexas. O hospital foi pensado para 250 mil habitantes. Hospital tem que ter atendimento, senão vira hospital de cidade pequena.

 

Integração – No final do ano passado, a prefeitura renovou o contrato com a Corsan por mais vinte anos, mesmo diante da lerdeza da estatal na dotação das três Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) previstas para Bento Gonçalves. A ETE do Barracão, por exemplo, já teve mais de três datas previstas de inauguração, não cumpridas. A previsão agora é para o próximo mês de março. Vais cobrar mais agilidade da Corsan em cumprir suas promessas?

Siqueira – Tivemos uma conversa sobre o caso com a superintendência da Corsan. Nos falaram que em março vão iniciar os primeiros usos da estação, essa é a informação que eu tive. Estamos tendo um serviço que não é de boa qualidade hoje. A população nos cobra muito e reconhecemos que a Corsan não está fazendo o trabalho como deveria ser. Os bairros da zona Norte passaram parte do mês de janeiro enfrentando racionamento de água. Vamos agir de maneira rígida. Aí entra a questão de multas, e será feito de maneira rotineira.

 

Integração – Vais dar continuidade ao projeto de municipalização do trecho da RS 444 no Vale dos Vinhedos, iniciado pelo governo Pasin?

Siqueira – Com certeza. O Vale dos Vinhedos gera renda, temos turismo forte, agricultura forte, empresas fortes. Na lógica, essa estrada é mais uma no Governo do Estado, mas para o município é uma estrada prioritária. Essa estrada é uma interligação, muita gente passa por aí. Precisamos ter uma segurança maior. Para nós é prioridade, mas para o Estado não é.

 

obras

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *