Cesar-Anderle

Só ama quem conhece

Por César Anderle 

Nossa sociedade tem o hábito de amar somente o que vê, o que é conhecido. Temos que ver, temos que apalpar, temos que nos relacionar para conhecer e amar.

 

Jesus nos ensinou ao contrário. Ele até exclamou para um dos discípulos que não estava acreditando na palavra dos amigos e em sua própria palavra: “Feliz daquele que acredita sem ter visto”. Bem-aventurado aquele que crê pela fé.

 

Difícil nos tempos atuais, com tanta injustiça, tanta má fé, tanta hipocrisia. Infelizmente, em todos os períodos da história humana houve este tipo de atitude. O que pode e deve-se fazer hoje é acreditar e apostar no bem que cada um carrega dentro de si.

 

Todos, sem exceção, já viveram momentos de descrença por acreditar nas pessoas e essas mesmas pessoas traírem sua confiança. Percebendo essas atitudes negativas, acabamos por experimentar algo do tipo “vazio vivencial ou existencial”, condição que, se não tivermos boa formação psíquica, poderá nos abater e evaporar a fé, a ponto de ficarmos descrentes nas coisas do bem.

 

Este é um ponto crucial para a felicidade e o futuro de nossa vida, termos discernimento dos acontecimentos, das atitudes e das conclusões em que cada ação foi tomada.

 

A felicidade e o bem-estar estão incorporados no interior de cada um e cabe a nós buscarmos e acreditarmos na força do bem. Não devemos nos espelhar em ninguém. Devemos, sim, ver as atitudes boas e nos motivarmos a seguir o mesmo caminho. Não como obrigação ou por ser recomendável apenas, e sim por convicção e amor. Somente assim é que encontraremos a paz perdida em nosso coração. Parece complicado, mas quem complica, na verdade, somos nós mesmos. Deixamos de lado as coisas simples e boas da vida, como um sorriso, para nos deixarmos guiar pelo rancor e pelo ódio, nos levando a uma tristeza profunda e, talvez, sem volta.

 

A ingratidão é uma das atitudes mais negativas para o ser humano. O corpo sente de imediato. O agradecimento e o reconhecimento fazem com que demonstremos a humildade e a grandeza de espírito. Somos grandes quando demonstramos pequenez. Somos humanos quando demonstramos amor. Somos sábios quando nos curvamos aos mais velhos e somos fiéis quando nos prostramos de joelhos perante o nosso Deus.

 

O amor tudo pode; a fé movimenta montanhas; a saúde nos faz caminhar; a motivação nos empurra ao alcance dos objetivos; mas só a persistência e o desejo de ir além é que nos mantém vivo na estrada que Jesus nos indicou e que nos acompanha a cada dia.

 

Hoje é o dia de mudar. Hoje é o momento de vermos a porta da felicidade se abrir para nós. Humildade, carinho, amor, gratidão, compaixão, fé… Tudo isso nos faz sentir melhores e mais humanos. Busquemos isso e tudo o mais nos virá de graça. Façamos essa experiência, nada custa, mas o retorno é garantido. O desejo de ser feliz se concretizará se realmente quisermos ser felizes.

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *