Empreendedorismo em tempos de pandemia

Por César Anderle 

Momento delicado esse que estamos vivendo. Como poderíamos prever uma situação destas? Acredito que não se passava pelas nossas mentes. Poderíamos pensar em crise econômica, inflação alta, desemprego por falta de vendas internas (país) ou externas (mundo), conflitos políticos, manobras governamentais e repressão de um ou outro estado do nosso “continente” país chamado Brasil… Pois não, a crise adentrou nossas empresas e nossos lares por meio de uma pandemia chamada Covid-19. Entendo a gravidade do vírus, se tratando de saúde pública. Também compreendo perfeitamente o estrago que fará em nossa economia. Todos nós, cidadãos, com conhecimento ou não, percebemos que existe muito embalo político nas decisões governamentais para este ou aquele lado, ou seja, distanciamento, máscaras, cuidar do outro e cuidar de si.  Eu aqui expresso a minha opinião clara, de que se faz necessário, sim, cuidar do outro. Assim é que iremos avançar como sociedade em todos os sentidos. As economias mais fortes do mundo alcançaram o topo dessa maneira, cuidando do outro, assim cuidam de si.

 

Precisamos usar máscaras, cuidar do distanciamento entre as pessoas, proteger os seres humanos. Mas para que isso ocorra, numa sociedade que está ávida em alcançar o progresso, se faz necessário cuidar também da economia da cidade, das empresas, do pequeno, médio e grande empresário, iniciativas de “compre aqui”,  “valorize a empresa da sua região”,  “circule dinheiro entre as empresas da sua comunidade”,  “compre no mercado da sua esquina, do seu bairro”, isso é excelente para fortalecer nossa economia. Podemos, a partir disso, estender para produtos do nosso estado e do nosso país.

 

Para avançarmos e aos poucos retomarmos a normalidade das coisas, precisamos olhar atentamente ao que o público está necessitando nesse momento: atenção, desconto, produtos de qualidade, atendimento particular, produtos em baixa escala (para o consumo da semana), entregas pontuais, em casa, na empresa, objetividade e rapidez na venda.

 

Em todas as crises, podemos criar empresas, negócios, lanches rápidos, compras de mercado ao toque de um telefonema, por app ou por e-mail, quem sabe. As pessoas, estando em casa, podem perceber que estão consumindo muita energia elétrica, gastando água em demasia e que deve ter algo estranho nas instalações. O bem-estar de viver em harmonia com a natureza pode estar querendo contratar um profissional que ornamente melhor o seu jardim.

 

Todo empreendimento tem que ver um ponto fundamental. O que eu posso entregar para o meu cliente? Novidade, curiosidade, prestação de serviço, atenção, conhecimento no produto que estou vendendo.

 

O desafio é, num primeiro momento, olhar para as pessoas, como elas se deslocam, para onde estão indo, o que fazem para ir, o que elas precisam para se sentir melhor e a partir deste ponto se perguntar: o que eu posso fazer para ajudar, o que eu posso vender para satisfazê-las?

 

Empreender é muito mais que colocar recursos à disposição de um negócio. Empreender é estar atento ao que a comunidade necessita. A prestação de serviços deve ter destaque nesses tempos.

 

Estamos passando por um momento em que não adianta deixar nossas economias guardadas em poupança. Os juros não compensam e nunca compensaram. É somente uma ilusão de estar ganhando dinheiro. Iremos fazer, de fato, render nossas economias se colocarmos em ação estes recursos, oferecendo produtos e serviços às pessoas que querem adquirir bem-estar, comodidade, bens, turismo, conhecimento.

 

Não desanime. Precisamos movimentar a economia, com passos sólidos, com bases fortes, com dedicação, honestidade, maestria e trabalho. Não nos deixemos influenciar por pensamentos pequenos, de já perdeu, não irá dar certo. Devemos criar e fomentar energia positiva.

 

Empreendendo, daremos oportunidade para novos empregos, faremos com que a economia retome, avance e encontre terras férteis para a semeadura do bem, seremos pessoas melhores e faremos a positividade retornar à nossa cidade. Somos capazes e acredito na sua capacidade.

 

Vá lá e faça.

Sucesso!

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *