bandeira vermelha

Serra Gaúcha volta para bandeira vermelha nesta semana

Nesta segunda-feira, 13, o Governo do Estado anunciou as bandeiras definitivas para a semana no Distanciamento Controlado. Mesmo com recurso apresentado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) a região da Serra ficou na bandeira vermelha.

 

O novo decreto já está valendo. Algumas modificações foram anunciadas pelo Estado para o comércio varejista não essencial (de rua, centro comercial e shopping), que  agora é permitido o comércio eletrônico e a tele-entrega.

 

 

O Prefeito Guiherme Pasin destacou que “mesmo com recurso apresentado pela Amesne, nossa região ficou na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado. Agora teremos uma semana para juntos modificarmos essa situação, vai depender de cada um cumprir as regras, usar máscara, seguir as regras de prevenção”, disse.

 

Todos regramentos podem ser acessados no www.distanciamentocontrolado.rs.gov.br

 

Confira as regras:

AGROPECUÁRIA

Produção e serviços relacionados à agricultura, pecuária e produção florestal sofrem redução no teto de operação a 50% dos trabalhadores.

ALOJAMENTO E ALIMENTAÇÃO

Restaurantes, padarias e lanchonetes deixam de operar na modalidade presencial, ofertando serviços apenas por meio de tele-entrega, pegue e leve ou drive-thru.

Hotéis, por sua vez, passam a operar com apenas 40% dos quartos disponíveis.

COMÉRCIO

Comércio varejista não essencial (de rua, centro comercial e shopping): fica permitido o comércio eletrônico, take- away (pegue e leve) e a tele-entrega na bandeira vermelha

Comércio de combustíveis: maior teto de operação nas bandeiras vermelha (75% dos trabalhadores)

Podem operar estabelecimentos que vendem itens essenciais, como medicamentos, produtos de higiene pessoal, alimentação e transporte.

Farmácias, supermercados têm operação reduzida a 50% dos trabalhadores.

Comércio atacadista de itens não essenciais deixa de atender na modalidade presencial. O teto de operação é reduzido a 25% dos trabalhadores, com atendimento exclusivo via tele-entrega, pegue e leve ou drive-thru.

EDUCAÇÃO:

Atividades de cursos livres ficam suspensas.

Ensino superior, pós-graduação e ensino médio concomitante: fica permitida a realização de estágio final obrigatório para estudantes da área da saúde (assistentes sociais; biólogos; biomédicos; profissionais de educação física; enfermeiros; farmacêuticos; fisioterapeutas; fonoaudiólogos; médicos; médicos-veterinários; nutricionistas; odontólogos; psicólogos; e terapeutas ocupacionais), respeitando o teto de 50% dos alunos e 50% dos trabalhadores.

INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

Construção de edifícios, obras de infraestrutura e serviços de construção, por serem considerados essenciais, sofrem apenas redução na operação, passando para 75% dos trabalhadores.

SAÚDE

Serviços de saúde humana não são afetados, mas se recomenda a postergação de consultas eletivas.

Serviços de veterinária têm a atividade reduzida para 50% dos trabalhadores.

SERVIÇOS

Fecham todas as atividades relacionadas à arte, cultura e lazer

Academias e clubes atendimento individualizado em espaços de “mínimo de 16 m² por pessoa”.

Parques, jardins botânicos e zoológicos são fechados para atendimento ao público.

Serviços religiosos em templos igrejas e similares máximo de 30 pessoas

Serviços de higiene pessoal (cabeleireiro e barbeiro): podem funcionar com 25% dos trabalhadores e o atendimento deve ser individualizado, por ambiente (distanciamento de quatro metros entre clientes).

Serviços de imobiliários, de consultora e administrativos passam a atender somente via teleatendimento, com no máximo 25% dos trabalhadores presentes no estabelecimento.

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *