cic-bg capoani

CIC-BG comemora reversão da bandeira e retorno às atividades em Bento Gonçalves

Trabalho da entidade na coleta e interpretação de dados contribuiu na argumentação que embasou decisão do Governo do Estado

O aguardado retorno da Serra para a bandeira laranja – que significa restrições mais amenas conforme o modelo de Distanciamento Controlado em vigor no RS – foi anunciado pelo Governo do Estado no final do sábado (20) e comemorado por lideranças locais e, principalmente, empreendedores que poderão retornar às suas atividades a partir da próxima terça-feira (seguindo as recomendações preventivas previstas para esse cenário).

A conquista é fruto de um engajamento coletivo que mobilizou diversas frentes – poder público, iniciativa privada, instituições e profissionais da área da saúde, entidades representativas – e traz, de forma determinante, a marca da atuação do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG).

A instituição fez parte de um amplo movimento regional criado para radiografar a situação da Serra no enfrentamento ao covid-19 e, também, se juntou a um comitê com membros da prefeitura, do Hospital Tacchini e da UPA criado de forma emergencial para essa finalidade. Sua contribuição foi determinante ao criar uma plataforma de coleta e análise de dados que foi compartilhada e utilizada por toda a região. A ferramenta serviu de base para firmar o posicionamento contrário à decisão do governador Eduardo Leite de incluir a Serra na região de bandeira vermelha, anunciada no dia 13 de junho: os números monitorados pela entidade indicavam cenário de estabilidade para a pandemia na cidade, inclusive com número de curados maior do que o de novos casos.

O modelo foi desenvolvido pela primeira vice-presidente para Assuntos do Comércio do CIC-BG, Marijane Paese, formada em Matemática e Física e com mestrado em Estatística, a partir de seus estudos sobre o modelo de distanciamento adotado pelo governo. A plataforma passou por adaptações para contemplar indicadores da região. Então, os municípios tiveram acesso ao modelo e incluíram ali as atualizações de seus dados. Essas informações foram, posteriormente, colhidas pelo comitê estadual responsável por gerenciar o modelo de distanciamento. Assim, foi possível construir, com base na metodologia do Estado, um modelo próprio para avaliar o cenário da região tendo em vista os 11 indicadores utilizados pelo Estado, identificar problemas e auxiliar nas definição de ações estratégicas para garantir a retirada da região da classificação de bandeira vermelha – e, principalmente, impedir seu retorno a essa situação.

“Transformamos nossa indignação diante das imposições arbitrárias feitas pelo governo em uma ação prática: um movimento técnico, fundamentado na ciência e em números, que contou com o empenho e a seriedade das lideranças regionais, para garantir justiça a Serra gaúcha na classificação do modelo de distanciamento controlado e, acima de tudo, permitir às indústrias, ao comércio e aos prestadores de serviço o exercício de suas atividades, indispensável para evitar o caos social decorrente de mais um ciclo forçoso de paradas”, avalia o presidente Rogério Capoani.

Ele destaca, ainda, a relevância da plataforma desenvolvida pelo CIC-BG, ferramenta muito precisa que, com o subsídio de dados científicos, permitirá monitorar o andamento da situação não só em Bento Gonçalves, mas de toda região. “Esse modelo já foi, inclusive, disponibilizado para o Observatório regional que cuidará do assunto saúde na Serra. Nesse comitê, a primeira vice-presidente para Assuntos do Comércio do CIC-BG, Marijane Paese, representará nossa entidade. Estamos todos unidos, de mãos dadas para atender e tratar dessa situação de forma coletiva, pela Serra”, diz Capoani. “Nesse movimento, merecem nosso reconhecimento as atuações do Poder Público municipal, em especial a Secretaria da Saúde/UPA; e o Hospital Tacchini, pela efetividade”, acrescenta.

Agora, o desafio é trabalhar pela manutenção da classificação da região como bandeira laranja – impedindo seu retorno à condição de bandeira vermelha e concentrando esforços em busca de um cenário ainda mais favorável: a bandeira amarela. “É nossa obrigação seguir atuando com firmeza na conscientização dos setores da indústria, comércio e serviços, além da mobilização comunitária, para a aplicação de todas as medidas protetivas e de segurança determinadas pelos órgãos de saúde. Através do movimento ‘Unidos por Bento’, do qual fazem parte as demais entidades e sociedade civil organizada do município, instituímos a campanha #retornoresponsavel, que, de forma concomitante ao nosso trabalho de análise dos números da pandemia, terá atenção redobrada”, garante.

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *