percussão

Ciclos de percussão e Cultura Popular inicia seus trabalhos em julho em Bento Gonçalves

Contemplado pelo Edital de Fomento de Cultura Popular, o projeto Ciclos de Percussão e Cultura Popular tem início de seus trabalhos para julho. O projeto tem o objetivo de promover o intercâmbio com artistas, músicos, professores, pesquisadores, estudantes e comunidade por meio da difusão de saberes e acesso a bens culturais sobre a percussão e suas relações e práticas com as expressões artísticas das manifestações populares.

 

Ciclos de Percussão e Cultura Popular valoriza a riqueza e complexidade das culturas populares enquanto manifestações vivas que conjuga ou abriga dança, música, dramaturgia, entre outras manifestações, que consolida o seu fenômeno estético. Maracatu, samba, cavalo marinho, ciranda e ritmos tradicionais do oeste da África são alguns dos ritmos que estarão presentes nas oficinas abordadas pelos músicos e professores convidados bem como temas como regência musical de grupos, cultura popular e educação musical. Já sobre os instrutores, soarão alfaias, pandeiros, djembe, agogô, atabaques entre outros instrumentos de domínio dos convidados. E como os projetos culturais estão se adaptando ao formato online, as atividades iniciam a partir do dia 2 de julho com a live sobre o tema “Microfonação e gravação em tempos de pandemia”, com André Brasil.

 

A programação segue no dia 4 de julho, às 15h, sobre Culturas Wé, Madé e Akan, com Loua Pacom Oulai, da Costa do Marfim. No dia 11 de julho, às 15h, serão abordadas as Metodologias alternativas de regência musical, com Federico Trindade No dia 18 de julho, às 15h, “Couro Encantado: a linguagem da percussão na formação e difusão da cultura popular”, com Alcione Alves De Oliveira. E, finalizando a programação, no dia 25 de julho, às 15h, “Atuação cultural e artística nas comunidades”, com Tina. Todas as lives serão transmitidas pelo Instagram da AKARA (@akara_no_insta).

 

O secretário de Cultura e presidente da Fundação Casa das Artes, Evandro Soares, ressalta que “o projeto da proponente Natália Fedrigo Giacomello é um exemplo ativo da Cultura Popular de matrizes africanas, indígenas, que pulsam na vida contemporânea de Bento Gonçalves e garantem seu lugar no cenário plural do município”.

 

O projeto Ciclos de Percussão e Cultura Popular tem financiamento do Pró-Cultura RS e Secretaria de Cultura e conta com o apoio do Artistas no Palco Escola de Teatro e Áfricanamente – BG Escola de Capoeira. A realização Akara e Ciclos de Percussão.

 

Programação

2 de JULHO (quinta-feira) às 19h

Percussão: microfonação e gravação em tempos de pandemia, com ANDRÉ BRASIL (Porto Alegre/RS)

 

04 de JULHO (sábado) às 15h

Culturas Wé, Madé e Akan, com LOUA PACOM OULAI (Costa do Marfim)

 

11 de JULHO (sábado) às 15h

Metodologias alternativas de regência musical, com FEDERICO TRINDADE (Uruguay/Porto Alegre)

 

18 de JULHO (sábado) às 15h

Couro Encantado: a linguagem da percussão na formação e difusão da cultura popular, com ALCIONE ALVES DE OLIVEIRA (Belo Horizonte, MG)

 

25 de JULHO (sábado) às 15h

Atuação cultural e artística nas comunidades, com TINA (JOCILENE CUNHA) (João Pessoa/PB)

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *