Livrarias resistem à crise editorial

Por Rodrigo De Marco

rodrigo@integracaodaserra.com.br 

Apostando na inovação, livrarias de Bento utilizam da criatividade para conquistar público 

O mercado editorial e livreiro do Brasil vive um dos piores momentos da história. Os anos de 2018 e 2019 estão sendo marcados pelo encerramento das atividades de grandes redes de livrarias, que até então, eram responsáveis pela venda no varejo de 40% dos livros no país. Mas, numa outra direção as chamadas pequenas livrarias tem resistido ao impacto da crise editorial, e com criatividade e inovação, começaram a conquistar um público diferenciado. O cenário literário de Bento Gonçalves não difere do restante do país, e três livrarias locais resistem a estagnação do setor. Uma delas é Dom Quixote Livraria e Cafeteria, administrada por Eunice Pigozzo e Beto Vargas. Inaugurada em dezembro de 2016, movimenta o cenário cultural da cidade. Com uma proposta de fomentar um espaço multicultural, atrai artistas locais de diversos estilos, sendo considerada um dos principais recintos culturais de Bento Gonçalves. Por outro lado, duas das mais clássicas e consolidadas livrarias do município continuam atraindo novos clientes, e mesmo com o impacto na diminuição das vendas, o espaço segue sendo ponto de parada obrigatória para leitores de diversas idades. Inaugurada há quase 20 anos, a Paparazzi Livraria, administrada por Sandra Maria Faggion possui uma gama de clientes fiéis. A Aquarela Livraria e Papelaria também segue no mesmo ritmo. Com amplo espaço interno, a livraria começou também a realizar lançamentos de livros. Confira esse material especial e exclusivo preparado pelo Integração da Serra e conheça um pouco mais sobre esses três espaços de arte, cultura e resistência.

Dom Quixote: resistir com criatividade e inovação

INTEGRAÇÃO: Segundo a Câmara Brasileira do Livro (CBL) as vendas de livros no Brasil caíram 18% em volume e 19% (valor) na comparação entre o primeiro bimestre de 2018 e de 2019. De que maneira a Dom Quixote está lidando com esse cenário?

DOM QUIXOTE: A Dom Quixote está a pouco tempo no mercado (menos de 3 anos) mas já percebeu que o mercado encolheu de 2018 para 2019, decorrência de vários fatores políticos e econômicos. Para tentar fazer frente a este cenário, criamos um novo serviço, um sebo, comercializando livros usados com valores mais acessíveis e procurando contribuir para a sustentabilidade do ambiente.

INTEGRAÇÃO: Que ações a livraria têm feito para atrair novos leitores da região da Serra?

DOM QUIXOTE: Desde o início de seu funcionamento, a Dom Quixote desenvolve ações de aproximação com o público, como a realização de pequenos eventos literários, estimulando as pessoas a visitarem a livraria e ampliarem o seu conhecimento. Lançamentos de livros de autores locais, regionais e de âmbito estadual, oficinas criativas, palestras e contações de histórias.

INTEGRAÇÃO: A Dom Quixote conta com acervo de quantos livros?

DOM QUIXOTE: Nosso acervo aproximado é de cerca de 4.000 livros, em diferentes áreas, como literatura para a infância, para adolescentes e adultos, desenvolvimento pessoal, filosofia, psicologia, gestão, entre outras.

INTEGRAÇÃO: Quais são os títulos mais vendidos na livraria e quais as expectativas de venda para os últimos quatro meses de 2019?

DOM QUIXOTE: Entre os mais vendidos podemos citar os vários títulos da Monja Coen, A arte de ser feliz, de Juremir Machado da Silva, O Milagre da manhã, de Hal Elrod, A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson e Minha história, de Michelle Obama.

INTEGRAÇÃO: Quais as projeções para 2020?

DOM QUIXOTE: Nossas projeções para o próximo ano são de manutenção de nosso espaço e serviços, ampliando nosso público, desenvolvendo projetos que aproximem cada vez mais as pessoas do município e da região da Dom Quixote. Pretendemos estreitar cada vez mais nossas parcerias com escolas e empresas, ampliando os convênios existentes para favorecer os integrantes destes empresas e entidades. Projetamos, também, passar a vender os livros usados de forma virtual, dando mais acesso aos interessados.

INTEGRAÇÃO: É possível definir qual é a faixa etária do público que frequenta a livraria?

DOM QUIXOTE: Podemos dizer que nosso público é bastante jovem, essencialmente de 14 a 24 anos. Mas temos também um público fiel entre os pais de crianças pequenas, que procuram livros para a infância.

INTEGRAÇÃO: Na opinião de vocês, quais os principais fatores que têm freado a venda de livros no Brasil?

DOM QUIXOTE: Podemos citar vários. Entre eles, a instabilidade política e econômica, que deixa a todos inseguros sobre os acontecimentos próximos. Mais um fator que desestabiliza a venda física, é a venda eletrônica de livros, tanto físicos como virtuais, pois a compra está a um click do usuário. E, por fim, o uso contínuo e desenfreado das telas (celular, note, tv) por parte de leitores e não-leitores que absorve bastante o tempo das pessoas em detrimento de outras atividades, entre elas, a leitura. Ouvimos muitos depoimentos de pessoas, de todas as idades, afirmando que estão lendo menos do que liam, por conta de outras tecnologias.

INTEGRAÇÃO: Para vocês, o bento-gonçalvense é exemplo de um povo leitor?

DOM QUIXOTE: Sobre Bento ser um exemplo de público-leitor: não temos essa percepção. Existem muitos leitores, mas em relação ao tamanho da cidade ainda é um percentual pequeno. Porém, percebemos vários movimentos de incentivo à leitura na cidade e na região, como o crescimento do número de Clubes de leitura (O Clube de Leitura BG se reúne mensalmente na DQ), o Projeto Contantes, que prevê o aprimoramento de escritores , que conta com a parceria da DQ, a realização de Projetos Literários nas escolas, e por fim a realização de duas feiras do livro em Bento Gonçalves : em maio, a Feira do Livro Infantil do SESC e em outubro a Feira do Livro de Bento Gonçalves. Estes projetos colocam os livros e a leitura no centro do cenário cultural de Bento Gonçalves e são inspiradores para novos leitores.

INTEGRAÇÃO: Qual a mensagem que deixam para quem ainda não conhece a livraria Dom Quixote?

DOM QUIXOTE: A Dom Quixote se propõe a ser uma experiência cultural e literária, envolvendo livros, cafés e a circulação de ideias num ambiente especialmente preparado para que as pessoas se sintam inspiradas a ler em diversas linguagens e formatos e desenvolver novos conhecimentos. Por isso, convidamos os moradores e visitantes de Bento Gonçalves para que conheçam a Dom Quixote Livraria e Cafeteria que serão sempre acolhidos e bem recebidos.

Paparazzi: a aposta no tradicional

INTEGRAÇÃO: Segundo a Câmara Brasileira do Livro (CBL) as vendas de livros no Brasil caíram 18% em volume e 19% (valor) na comparação entre o primeiro bimestre de 2018 e de 2019. De que maneira a livraria Paparazzi está lidando com esse cenário?

PAPARAZZI: Estamos mantendo nosso acervo atrativo, trazendo as novidades e apostando sempre nos clássicos da literatura. Renovamos os livros e selecionamos cuidadosamente títulos e autores que são do gosto de nossos clientes.

INTEGRAÇÃO: Que ações a livraria têm feito para atrair novos leitores da região da Serra?

PAPARAZZI: Os livros expostos costumam atrair leitores. Dentro do possível, procuramos também oferecer opções de preços. Por exemplo, concedemos desconto nas compras efetuadas com dinheiro. Não é pouco, considerando a exígua margem de lucro que as Editoras nos dão.

INTEGRAÇÃO: A Paparazzi conta com um acervo de quantos livros?

PAPARAZZI: Milhares.

INTEGRAÇÃO: Quais são os títulos mais vendidos na livraria e quais as expectativas de venda para os últimos quatro meses de 2019?

PAPARAZZI: Livros de liderança e motivação empresarial, livros sobre a história do século XX, romances, livros policiais e de mistério e histórias infantis são os mais vendidos. Para os próximos meses, a expectativa é aumentar a venda dos livros de leitura mais densa – filosofia, psicologia, reflexão de um modo geral, além de romances, pois esses são os livros que as pessoas lerão nas férias.

INTEGRAÇÃO: Quais as projeções para 2020?

PAPARAZZI: Aumentar o acervo dirigido ao setor empresarial e os livros sobre esportes. Além, é claro, de renovar os títulos dos setores mais atraentes ao nosso público – História, liderança, literatura em geral.

INTEGRAÇÃO: É possível definir qual é a faixa etária do público que frequenta a livraria?

PAPARAZZI: Não, atendemos a todas as faixas etárias, cada qual com suas preferências.

INTEGRAÇÃO: Na opinião de vocês, quais os principais fatores que têm freado a venda de livros no Brasil?

PAPARAZZI: A falta de tempo para a leitura. As pessoas têm muito mais trabalho, muito mais atividades em seu cotidiano.

INTEGRAÇÃO: Para vocês, o bento-gonçalvense é exemplo de um povo leitor?

PAPARAZZI: Sim, nossos clientes são leitores dedicados. É de enaltecer o público jovem, que não deixa de ler mesmo em tempos de jogos eletrônicos e telefone celular.

INTEGRAÇÃO: Qual a mensagem que deixam para quem ainda não conhece a livraria Paparazzi?

PAPARAZZI: Venham conhecer a Livraria Paparazzi. Além de termos sempre as novidades editoriais, mantemos um acervo escolhido com carinho, pensando em conquistar cada vez mais leitores. Queremos que mais pessoas descubram o universo que a leitura traz, a riqueza do conhecimento, a alegria da descoberta e o valor da reflexão.

Aquarela de opções

INTEGRAÇÃO: Segundo a Câmara Brasileira do Livro (CBL) as vendas de livros no Brasil caíram 18% em volume e 19% (valor) na comparação entre o primeiro bimestre de 2018 e de 2019. De que maneira a Aquarela está lidando com esse cenário?

AQUARELA: Um empreendedor sempre deve estar atento às mudanças do cenário econômico. As variações de consumo estão presentes no planejamento anual de qualquer negócio e é desta forma que a Aquarela lida com as incertezas do mercado.

INTEGRAÇÃO: Que ações a livraria têm feito para atrair novos leitores da região da Serra?

AQUARELA: Estamos de portas abertas para todos talentos da região promovendo lançamento de novas obras, prestigiando e incentivando a leitura desde a infância, através de oficinas que promovam o gosto pela leitura, pelas artes e desenvolvimento da criatividade.

INTEGRAÇÃO: Quais são os títulos mais vendidos na livraria e quais as expectativas de venda para os últimos quatro meses de 2019?

AQUARELA: As literaturas de maior procura são literatura infantil e infanto-juvenil, que estimulam a criatividade e as descobertas. Romances e empreendedorismo também são best-sellers na Aquarela.

INTEGRAÇÃO: Quais as projeções para 2020?

AQUARELA: Seguir com nosso trabalho aproveitando as datas de aquecimento de vendas como Natal, volta às aulas, dia das crianças e etc.

INTEGRAÇÃO: É possível definir qual é a faixa etária do público que frequenta a livraria?

AQUARELA: Nosso público é super variado: crianças, adolescentes e adultos apaixonados pela literatura e artes.

INTEGRAÇÃO: Na opinião de vocês, quais os fatores que têm freado a venda de livros no Brasil?

AQUARELA: O poder de compra do consumidor que caiu muito afeta diretamente nas vendas de qualquer produto. A venda de livros pela internet e até mesmo o download dos ebooks afetou a compra de livros.

INTEGRAÇÃO: Para vocês, o bento-gonçalvense é exemplo de um povo leitor?

AQUARELA: Sim acreditamos que o povo de Bento tem o hábito da leitura cultivado e principalmente reforçado nas Escolas.

INTEGRAÇÃO: Qual a mensagem que deixam para quem ainda não conhece a livraria Aquarela?

AQUARELA: Estamos sempre de portas abertas para os que buscam novidades em literatura, artesanato, scrapbook e para os que primam por um atendimento personalizado e realmente diferenciado.

Dom Quixote

DomQui

 

Paparazzi

Aquarela

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *