Parabéns a todos os Agricultores e Motoristas!

Por Thompsson Didoné 

Neste mês de julho comemoramos o Dia do Agricultor (28) e do Colono e Motorista (25). Pessoas que, através do trabalho de suas mãos e do suor de seu rosto, com dedicação, preparam e cultivam a terra e produzem e transportam o alimento que vai para a mesa de todas as pessoas.

A agricultura e a colonização de nossas terras se confundem. No início os colonos derrubavam a mata virgem e plantavam para sua subsistência. Logo depois de estabelecidos, suas colheitas, além de garantir o sustento da família, eram trocadas por outros produtos que não podiam ser produzidos na propriedade, tais como café, querosene, sal, entre outros, e iniciava-se a comercialização de algum excedente.

Os primeiros anos da colonização foram anos difíceis, de muito trabalho e privações, mas com muita fé, persistência, trabalho familiar e união comunitária, surgiram as vilas, depois as cidades e hoje o progresso em toda a nossa região.

O Agricultor e o Motorista têm uma história muito importante em todas as nossas comunidades. Com o crescimento da produção cresceram também as necessidades de encontrar mercados para vender a produção.

No início vendia-se para os viajantes, para as vendas das vilas, mas logo surgiram as indústrias e as cooperativas. O trigo já foi muito cultivado, mas tão antiga quanto o trigo, a uva se perpetuou.

Mais tarde surgiu a diversificação das culturas, principalmente na fruticultura, com o cultivo de pêssegos, ameixas, caqui, laranja, bergamota, kiwi… e na área da olericultura, principalmente as hortaliças. Surgiram grande indústrias e cooperativas vinícolas, panking house (câmaras frigoríficas para conservação de frutas – mais de trinta na região), mas sempre se manteve a produção para o consumo próprio (hortas e pomares domésticos).

Acompanhamos o surgimento de grandes empresas vinícolas, bem como o encerramento das atividades de várias destas empresas, mas a maior cooperativa vinícola da América Latina se manteve e hoje está firme e forte, impulsionando o desenvolvimento de nossa região e das famílias que a acompanham.

A EMATER/RS-ASCAR está presente na vida dos agricultores há mais de 63 anos em Bento Gonçalves, tendo inúmeros profissionais trabalhado junto às famílias rurais de nosso município, tais como técnicos agrícolas, engenheiros agrônomos, médicos veterinários, extensionistas da área social, entre outros.

Nossa contribuição na agricultura do município, região e estado está baseada no acompanhamento das famílias rurais, na confiança em nosso trabalho e, acima de tudo, na seriedade em que os assuntos são tratados ou abordados.

Somos solidários a todos os agricultores, colonos e motoristas, que escolheram como princípio de vida brotar na terra o sustento de suas famílias e o alimento de nossa população. Agricultor que enfrenta o sol, a chuva, o cansaço, a indecisão e insegurança de obter a produção, de colher e vender seus produtos. Agricultores que, muitas vezes, passam despercebidos e até discriminados pela sua humildade ou falta de oportunidade. Agricultores, colonos e motoristas que esperam que a cada colheita seu trabalho seja reconhecido, com bons ou, pelo menos, preços justos.

A todos os AGRICULTORES e MOTORISTAS o nosso agradecimento pela parceria nesses mais de 63 anos de atividades. Parabéns a todos e todas e contem sempre com a EMATER/RS-ASCAR.

caminhão

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *