Meu gato é FIV/FeLV positivo, e agora?

Por Luciano Guarnieri Geimba

Médico Veterinário
CRMV-RS 08877

Se você ama animais, principalmente gatos, deve estar ciente das principais doenças que os acometem

FIV é o Vírus da Imunodeficiência Felina, ou “AIDS Felina”. Já a FeLV é a Leucemia Felina. Ambas só se manifestam em gatos, podem ser tratadas, mas não têm cura. Elas afetam diretamente a imunidade dos bichinhos.

A FIV é transmitida pelo contato com o sangue, através de mordidas e arranhões, ou durante a gestação e a amamentação, caso a gata possua o vírus. Os principais sintomas da FIV são febre, aumento dos gânglios linfáticos e aparecimento de infecções intestinais ou cutâneas.

O Vírus da FeLV, diferentemente da FIV, é transmitido pelo ar, através de salivas, secreções e contato com urina e fezes contaminadas. Gatos com FeLV apresentam diversos sintomas, dentre eles perda de peso, anemia, tumores (principalmente o linfoma), depressão, dificuldade de respirar, febre, problemas nas gengivas, mucosas alteradas nos rins, no baço e no fígado (que aumentam de tamanho).

Por isso, gatos que possuem o vírus não devem compartilhar os mesmos potinhos e caixa de areia dos não infectados.

O tratamento, para ambos, é focado em aumentar a imunidade do organismo do animal para evitar novas doenças e no tratamento dos sintomas.

É importante entender as causas e proteger seu animal. São enfermidades que não têm cura e são transmitidas de gato para gato. Não afetam os seres humanos, cães ou outras espécies.

Ao levar para sua casa um novo gatinho, certifique-se antes de que ele não possui a doença, realizando o teste em um veterinário, e de vaciná-lo, principalmente, para que ele não se contamine, no caso da FeLV.

Além disso, é importante lembrar que o vírus pode já estar no gato e ele não apresentar nenhum sintoma. O vírus pode demorar anos para se manifestar. Por isso, é imprescindível fazer o teste específico antes de juntá-lo a outros gatos.

Somente um veterinário pode identificar o problema e o melhor tratamento.

Embora sejam doenças que não tenham cura, os sintomas podem ser amenizados em busca de uma melhor qualidade de vida.

Quando os proprietários recebem o diagnóstico, ficam desesperados. Ok, não tem cura! Mas tem tratamento! E quantas doenças não tem cura? Como diabetes, doença renal crônica, etc.? Mas todas têm tratamento.

O prognóstico não é favorável, mas não condene seu gato antes do tempo dele!

Não faríamos isso com pessoas, não é mesmo?

Infelizmente são doenças muito comuns, então não se desespere e não pense em eutanasiar seu gato. Leve a um veterinário para que ele possa esclarecer sobre a doença.

O tratamento da FeLV, assim como o da FIV, consiste em manter a imunidade do gato alta e tratar os sintomas. Existem diversas maneiras de proporcionar uma vida longa e de qualidade ao seu bichano, todo dia surgem novas alternativas e o seu veterinário poderá lhe orientar da melhor maneira.

É muito importante fazer o teste, pois são doenças que não tem cara. Qualquer gato pode ter. Você pode ter um gato FIV ou FELV positivo, mas que não está doente, porque a evolução da doença depende de alguns fatores, como a virulência da sepa viral, a resposta imunológica do animal, se ele tem alguma outra doença concomitante ou não.

O diagnóstico precoce é importante e isso é favorável para a saúde do gato, para o início de um tratamento. A prevenção sempre é o melhor remédio. Por isso tente proteger seu felino, para que ele não tenha acesso à rua, contato com animais errantes e, principalmente, faça a vacina quíntupla, que é extremamente importante! Sempre preconize a vacina quíntupla.

Além do tratamento conservativo é importante, em qualquer caso, para todos que possuem um animal de estimação, o acompanhamento profissional de um veterinário.

20 respostas
  1. Rodolfo Castro
    Rodolfo Castro says:

    Um gato que tenha apenas FIV e não tenha FeLV, vale à pena dar a vacina quíntupla nele? Ou alguma outra? Há algum risco do gato adoecer por causa da vacina, visto que tem baixa imunidade?

    Responder
  2. Karina
    Karina says:

    Muito esclarecedor! Tenho um gatinho Felv positivo, foi diagnosticado em 2016, ele possui algumas complicações por causa da doença (é renal crônico, e o intestino não possui mais o trânsito intestinal normal, tomando medicações para ajudar a não ocorrer constipações). Faço o acompanhamento veterinário regular, check up, e muita atenção (coisas que todos os gatinhos devem receber, independente se tiverem a doença ou não), ele tem 08 anos e é um gato super ativo. É muito importante artigos como esse para que as pessoas parem de ter preconceitos com animais que possuem as doenças virais.

    Responder
    • Alyton Wagner
      Alyton Wagner says:

      Fico muito feliz por pessoas assim que fazem de tudo para proporcionar melhor qualidade de vida ao seu animalzinho. Eu faria de tudo pelo meu juquinha se ele tivesse alguma doença, assim como diz no post, nós seres humanos também adoecemos e quando contraímos uma doença crônica, vivemos a vida toda realizando tratamento. Por que não submeter os gatinhos à isso também? Tendo em vista que daríamos longevidade e qualidade de vida à eles. Eutanásia é muito sério gente, muitas vezes as pessoas não veem esperanças porque não quer encarar a realidade, desembolsar e dar todos os cuidados que o animal merece. Ame seu animal pelo tempo que Deus permitir e faça o que for necessário para cuidar dele, pois somente você é capaz de fazer algo por ele, ninguém mais. Portanto, tome suas decisões com sabedoria e responsabilidade.

      Responder
    • Heliene
      Heliene says:

      Fiquei feliz em ler seu caso porque meu gato foi diagnosticado com felv e fico sem saber a expectativa de vida dele, vou começar com os suplementos que a veterinária recomendou seu gato também toma suplementos?

      Responder
    • Rebeca
      Rebeca says:

      Como seu gatinho está? A minha foi diagnósticada também, porém a anemia está em um estado avançado e talvez precise de transfusão de sangue (segundo a médica). Estou dando os medicamentos, porém ela está muito fraquinha e nem consegue mais andar direito. Pode me dizer quais remédios ou suplementos que seu gato usa é que você notou que realmente é bom e fez diferença?

      Responder
  3. Renata Reis
    Renata Reis says:

    Pode ser que meu Wesley tenha Felv e eu tô disolada, tô com medo, só choro, porque não quero que ele morra. Já faço e vou continuar fazendo tudo por ele caso ele tenha mesmo a Felv.

    Responder
  4. Guilherme Roussenq
    Guilherme Roussenq says:

    Também estou assim por causa da minha gatinha Bia. Faz dois dias que fizemos o teste depois de três semanas tratando (com direito a transfusão sanguínea) sem muito sucesso uma anemia severa em consequência de micoplasmose. Saber que ela é FeLV+ está sendo emocionalmente muito difícil, pra mim e minha mulher, ainda mais que ontem ela passou mal por estresse de ser medicada e hoje está muito mais apática, deitada o dia todo e recusando comida. Apesar disso não queremos desistir e vamos continuar o tratamento, apesar da recusa dela e do estresse que ela fica quando vê que vai ser medicada.

    Responder
    • Dayana
      Dayana says:

      Guilherme , Como está sua gatinha agora ? A minha gatinha descobri faz 15 dias e já teve que fazer 2 transfusão de sangue , tá com uma ameno bem severa .. e tá bem chatinha pra comer !!! Eu também estou sofrendo muito não sei o que fazer

      Responder
  5. Meri
    Meri says:

    Hoje as 2:30h da manhã minha gatinha partiu.
    Ela estava com 11 anos e era FeLV+ diagnósticada a 3 anos e meio.
    Quando descobrimos a FeLV ela estava muito mal, fizemos transfusão de sangue, ficou internada, quase não resistiu.
    A veterinaria disse que, se ela sobrevivesse, viveria por no máximo 1 ano – muito muito dificilmente chegaria a 2.
    Pois é, foram 3 anos e meio.
    E ela era feliz! Brincava, se alimentava bem, tomava remedinho pra anemia.
    Partiu sem sofrer. Ela passou mal e em cerca de 10 minutos nos deixou.

    Foi muito amada é nos ensinou muito.

    Nunca desistam.

    Se alguém quiser trocar experiência? Fico a disposição.

    Ps: tenho mais 2 gatos, com 8 anos. Conviveram com ela desde bebê e ambos são negativos para FeLV.

    Responder
    • Gabriele
      Gabriele says:

      Oi, Meri!! Ontem minha gatinha foi diagnosticada com FeLV, ela tem 1 ano e 6 meses e temos ela há um ano…
      Ela está com líquido no pulmão e mto abatida, não come, não brinca, além disso está com uma infecção nos dois olhos e suspeita de linfoma… a médica falou que ela não passa de 4 semanas…
      Estou arrasada.
      Tenho outros dois gatos, o macho testou negativo para FeLv o que é muito impressionante, pois estão sempre se lambendo, já a outra fêmea testou positivo, mas ela está super bem, não tem sintoma algum da doença e espero que a minha gatinha viva por 11 anos como a sua .
      Vou refazer o teste nele. Mas fico feliz que realmente é possível ele ter testado negativo para FeLV mesmo convivendo com elas… estava procurando algo sobre isso e achei seu comentário!!! Obrigada, fiquei com muita esperança, pois eu já estava inconsolável… Meus gatos são tudo pra mim

      Responder
      • Meri
        Meri says:

        Sim, são vacinados.
        Como falei, os dois conviveram com ela desde bebezinhos. A veterinaria disse que é muita sorte eles não serem +.
        Eles não tem acesso a rua e todos vieram ainda bebês para minha casa. A Julia provavelmente já nasceu com a doença.

        Responder
  6. Meri
    Meri says:

    Ola! Como está a sua gatinha?
    Hoje (28/03) a minha Julia partiu. Estava com quase 11 anos e foi diagnosticada FeLV+ a 3 anos e meio.
    Consegui dar uma vida com qualidade para ela.
    Se quiser conversar estou a disposição.

    Responder

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *