Dia dos Pais alviazul

Histórias de incentivo de pais aos seus filhos atletas permeiam as categorias de base do Esportivo. Escolha pelo clube é demonstração de confiança no trabalho realizado

Muito mais do que apenas um esporte, o futebol, paixão nacional, é capaz de comover e integrar gerações, criando um elo único entre pais e filhos. Unidos pelo prazer do esporte, seja na condição de torcedores ou de atletas – eles desfrutam momentos marcantes de cumplicidade, motivados pelo amor a uma camiseta – como é o caso de Roberto Ostrzyzeck e Vitório Augusto Poletto Ostrzyzeck. Vitório está há dois na escolinha do Esportivo, mas joga futebol desde sete anos – sendo dois na base do Juventude, de Caxias do Sul. Diferentemente do filho, Roberto não é natural de Bento Gonçalves, mas jogou no alviazul nos anos 90. “Tenho um carinho especial pelo Esportivo. Um dos motivos pelos quais inscrevi o Vitório no clube é pelo projeto de reestruturação das categorias. Todo o trabalho que está sendo feito é excelente e, daqui uns anos, poderá colher ótimos frutos”, relata.

Roberto conta que, para o clube crescer, depende, além da diretoria, da dedicação dos jovens, o que sempre enfatiza ao filho. Com isso, o apoio dos pais também cumpre papel determinante, tanto para os jovens quanto para o próprio clube. “Um time forte depende da base. E quando os pais vão assistir aos jogos das categorias podem se engajar e também assistir aos jogos dos profissionais”, lembra. Para ele, a união dos pais pode render bons frutos para todos, pois tem muitos que jogaram no Esportivo e que possuem um vínculo até mesmo sentimental com a equipe.

Roberto Ostrzyzeck e Vitório Augusto Poletto Ostrzyzeck

Como pai, a satisfação é imensurável. “É uma sensação que todo o pai gostaria de ter. Fui atleta do clube e ver meu filho jogando é muito bom, vendo a pessoa que está se tornando, pelo o que o futebol e o Esportivo proporcionam. Sempre que posso acompanho e apoio”, relata.

Incentivo às bases

Pais que desejam compartilhar com os filhos a paixão pelo esporte – e todos os benefícios que sua prática proporciona – devem conhecer o trabalho de base do Clube Esportivo, atualmente, referência em Bento Gonçalves e região. Ali estão concentradas 150 crianças de 6 a 15 anos, que frequentam a escola do clube, e 30 jovens na categoria sub 17. Além de incentivar o talento futebolístico da garotada, o trabalho visa a formação de cidadãos íntegros e preparados para o convívio social. “Essa iniciativa logo começou a ser mais do que apenas futebol. O projeto entrou na vida desses meninos como uma oportunidade de adquirem senso de organização, de responsabilidade, de respeito e de comprometimento com algo maior. Em muitos casos, está ligado à esperança de que existem, sim, outros caminhos a seguir”, diz o presidente do clube, Anderson Zanella.

Como funcionam as categorias e suas rotinas

Quem pretende fazer parte das categorias de base do Esportivo precisa de disposição para encarar uma rotina regrada de treinamentos. Ao ingressar no projeto, os jovens são organizados conforme a idade em divisões que são do Sub 6 ao Sub 17. Logo passam a cumprir uma agenda de compromissos no clube, com treinos pelo menos duas vezes por semana, no Estádio da Montanha (na Av. Osvaldo Aranha). São cerca de cinco horas de atividade que ocorrem sempre no turno oposto ao das aulas – estar estudando é requisito indispensável para integrar o grupo. Essa regra contribui para estimular o desenvolvimento dos atletas na escola.  Os jogadores mirins têm uma agenda que valoriza o cumprimento de obrigações e responsabilidades, ajudando-os a se transformarem em cidadãos mais disciplinados. Uma das recompensas por esse esforço vem com a participação em competições locais e estaduais.

 O ingresso no clube

Os jovens interessados em participar da escolinha devem fazer a matrícula na secretaria do clube, acompanhados de pais ou responsáveis. O período da chamada “peneira”, onde são feitas seleções mais amplas para a categoria sub 17, é no início do mês de fevereiro de cada ano. Há uma série de documentos necessários para a inscrição, como atestado médico e de escolaridade, além do pagamento de uma taxa de inscrição e de mensalidade. Mais informações podem ser obtidas com o coordenador geral das categorias de base, Acácio Eggres, pelo e-mailacacio.eggres@hotmail.com ou pelo fone (54) 3452-2165.

 Texto e foto: Exata Comunicação

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *