Paisagens dos vinhedos do Rio Grande do Sul consideradas patrimônio cultural

patrimônio culturalO antropólogo e pesquisador da cultura do vinho, Dr. Luis Vicente Elias Pastor, entrevistado pelo Jornal Integração da Serra na edição nº 175, de fevereiro de 2016, ( confira no site em edições anteriores) recentemente  palestrou sobre patrimônio cultural dos vinhedos do Rio Grande do Sul  em Bento Gonçalves,  no auditório da Embrapa Uva e Vinho, numa promoção da Associação Brasileira de Enologia (ABE) e do Instituto R. Dal Pizzol.

 “É preciso perceber que o patrimônio já não se restringe a um monumento. Pode ser o artesanato, um lago ou um bosque. Tão patrimônio é uma catedral quanto um vinhedo e por isso necessitam de preservação. Dentro dessa concepção, é mais fácil entender por que vemos a paisagem do vinhedo como patrimônio, pois pode integrar outras manifestações que não são materiais, mas sim elementos naturais e culturais”, explicou o espanhol. O palestrante também destacou que as novas formas de turismo necessitam de espaços para serem revertidos em recursos. “A paisagem é resultado da interação do homem a natureza. E a paisagem do Rio Grande do Sul é extraordinária, porque tem uma conjugação de saberes e culturas. Por isso, é importante que o vinhedo esteja integrado nas ofertas de turismo”, ressaltou.

O presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, destaca a paixão do palestrante pelo assunto e a importância de se refletir o tema. “É muito interessante conhecer essa visão além do vinho. Precisamos valorizar as paisagens dos vinhedos gaúchos. O que parece comum no nosso cotidiano é único para os turistas, portanto devemos preservar a riqueza desse patrimônio intimamente ligado à história do vinho brasileiro”, sintetiza.

Em 2016 o Instituto R. Dal Pizzol lançou o livro “Paisagens do Vinhedo Rio-Grandense”, escrito por Pastor em parceria com o pesquisador da cultura do vinho Rinaldo Dal Pizzol. A obra contextualiza a chegada dos primeiros imigrantes italianos à Serra Gaúcha, onde encontraram uma paisagem natural formada por bosques virgens.

Sobre o palestrante

Luís Vicente Elias Pastor é natural de La Rioja (Espanha), doutor em Antropologia, mestre em Etnologia e licenciado em Filosofia. De 1974 a 1980 foi diretor do Museu Etnográfico de La Rioja. De 1991-2001 foi diretor da Fundação Caja Rioja. De 1998-2000 foi responsável pelo Programa Líder Temático Cultura do Vinho.

Foi professor de Antropologia na Universidade Nacional de Educação a Distância, expert em temas de Patrimônio Cultural, autor de diversas publicações sobre patrimônio e turismo, cultura do vinho e turismo do vinho. Professor convidado de várias universidades sobre temas da cultura do vinho. Atualmente é responsável pela documentação e patrimônio cultural das vinícolas R. López de Herediae Viña Tondonia en Haro (La Rioja).

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *