Posts

Projeto Comprador da Wine South America deve gerar mais de R$ 6 milhões em negócios

Rodadas incluíram mais de 130 representantes brasileiros e do exterior. Resultado da projeção que deverá ser atingida nos próximos 12 meses foi apresentado nesta quinta-feira (25)

Mais de R$ 6 milhões em negócios projetados para os próximos 12 meses e cerca de 700 contatos. O resultado do Projeto Comprador da Wine South America (WSA), apresentado nesta quinta-feira (25) em reunião do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), foi considerado positivo pelo setor e, em especial, pelas quase cem vinícolas brasileiras que participaram da feira internacional, no final de setembro, em Bento Gonçalves (RS). A ação foi viabilizada por meio de parceria entre a empresa Milanez & Milaneze – representante do grupo Veronafiere – com o Ibravin, Sebrae Nacional e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Na primeira edição foi registrada a participação de cerca de seis mil visitantes, com a presença de 250 marcas expositoras.

No Projeto Comprador voltado à exportação, 22 vinícolas participaram de mais de 400 rodadas de negócio com representantes de empresas de 10 países – Chile, Peru, Paraguai, Colômbia, Panamá, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Espanha e Rússia. Para incentivar as vendas no mercado interno, o Projeto reuniu compradores dos 25 estados brasileiros, que prospectaram negócios com 65 vinícolas e devem resultar em R$ 2,5 milhões em vendas nos próximos 12 meses. Já na ação voltada ao mercado externo, os 30 compradores encaminharam cerca de R$ 3,5 milhões para o mesmo período.

O gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini, afirma que o Projeto Comprador foi umas das principais iniciativas realizadas junto à feira, destacando o período do ano como estratégico para o fechamento de negócios. “A vinda de mais de 130 compradores, entre os representantes brasileiros e do exterior, e o volume de negócios que foram encaminhados ajudaram a alavancar as vendas para o final de ano”, acredita. Bertolini acrescenta que no braço internacional o destaque foi para a presença de 70% de compradores de países da América Latina, mostrando o potencial deste mercado para o vinho brasileiro.

O diretor comercial Franco Perini participou das rodadas de negócios com compradores nacionais e destacou o projeto como uma importante plataforma de relacionamento. Segundo ele, mais do que fechar negócios, o objetivo é receber os compradores na região para associar as atividades comerciais com turismo e gastronomia. “São fatores que ajudam neste tipo de ação. Receber bem os compradores, mostrar novidades, mas também proporcionar momentos de lazer para esses visitantes. Tudo isso ajuda para atingir o objetivo principal que é a venda”, acredita.

A agente internacional Mari Balsan elogiou o foco dado à vinda de buyers da América do Sul. Segundo a executiva, são muitas as vantagens de negociar com os países vizinhos. “A proximidade com estes mercados acaba gerando custos menores, menor tempo para envio dos produtos, a logística toda é mais facilitada”, resume.

Mari enfatiza que o Brasil tem uma imagem positiva junto aos países da América Latina, o que auxilia no fechamento de negócios. “É importante nos fortalecermos como um bloco de países produtores, o que acaba ajudando também em outros mercados, como Europa e Ásia”, diz.

Destaque para o Brasil e elogio aos espumantes nacionais     

Mais do que os números positivos divulgados, a primeira edição da Wine South America foi marcada pela qualidade dos produtos apresentados, pela organização dos estandes e pelo reconhecimento internacional aos vinhos e, de forma especial, aos espumantes brasileiros.

Entre os 50 conteúdos técnicos, como palestras e degustações orientadas, destaque para a apresentação do Master of Wine britânico Alistair Cooper, que elogiou a qualidade dos espumantes brasileiros durante a palestra na WSA. Segundo ele, a variedade de estilos, a capacidade de produzir com profissionalismo tanto no método Tradicional como no Charmat e o custo-benefício estão entre os atributos da bebida.

Projeto Comprador - Crédito Augusto Tomasi

“O Brasil está sendo Brasil com relação à elaboração de espumantes. Não está tentando ser Champagne ou Asti, e isso é muito bom. Seguramente, os espumantes brasileiros são os melhores da América Latina e me anima muito poder prová-los e conhecer mais sobre eles”, disse.

Outra atração da primeira edição da WSA foi o prêmio Catad’Or Wine Awards, que evidenciou um espumante brasileiro moscatel entre os 11 campeões e também distinguiu outros nove produtos nacionais. Ao comentar o resultado, o diretor executivo e organizador do Catad’Or, Pablo Ugarte, concorda com a opinião de Cooper sobre os espumantes brasileiros.

Ugarte lembra que teve um primeiro contato com o produto num concurso na França e, desde então, passou a incluir a categoria melhor espumante do Cone Sul na premiação. “Essa sutileza, elegância, o equilíbrio entre acidez e a fruta, a intensidade aromática, são algumas das qualidades que observamos nos espumantes brasileiros e que são reconhecidas em concursos no mundo inteiro”, explica. Ugarte também se mostrou impressionado com a qualidade de alguns vinhos tranquilos brasileiros que degustou na feira, em especial os produtos com potencial de guarda.


Foto: Augusto Tomasi/WSA 

Produtores de suco de uva avaliam positivamente participação na Wine South America

Estande do projeto 100% Suco de Uva do Brasil e rodadas de negócio deram visibilidade e ajudaram no fechamento de vendas para os mercados interno e externo

A participação dos produtores de suco de uva na Wine South America – Feira Internacional do Vinho, que ocorreu de 26 a 29 de setembro em Bento Gonçalves, foi considerada positiva pelas 14 empresas que integram o projeto setorial 100% Suco de Uva do Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) há nove anos. Dom Eliseo, Econatura, Gallon Sucos e as vinícolas Santini e Terraças levaram seus produtos para degustações em balcões individuais no estande coletivo da iniciativa. O espaço de 64m² foi desenvolvido em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (Sdect/RS).

Com uma média de mais de 20 contatos realizados nos quatro dias de feira e uma estimativa de negócios que deve superar R$ 200 mil, os produtores apontaram como principais ganhos a possibilidade de negociação direta com compradores, a visibilidade do produto numa feira internacional e a atração de novos interessados para o trabalho com a categorias nas redes em que atuam.

Essa foi a impressão do técnico responsável e produtor rural Guilherme Fornasier, que antecipou o fechamento de comercialização para uma pequena rede do estado de Rondônia. “O mais difícil é ter acesso direto aos compradores e isso a feira proporcionou. Para uma empresa pequena como a nossa foi uma ótima oportunidade junto a pequenas redes que não chegaríamos sem esse apoio”, garantiu.

Além dos contatos estabelecidos nas rodadas de negócios, a localização privilegiada do estande também foi destacada pelos expositores. “Serviu como um local onde os possíveis compradores tinham um tempo maior para conhecer os produtos, além de dar visibilidade ao projeto e às empresas que lá estavam”, avalia o diretor Comercial Cesar Postingher.

Suco de Uva _WSA_ Crédito Martha Caus

O fechamento de vendas para o Exterior foi comemorado pelo supervisor administrativo Samuel Santini. Para ele, a proximidade com os compradores de diferentes segmentos do varejo contribuiu para expandir os negócios da empresa em que atua. “Pudemos mostrar a nossa linha de produtos e focar nos que se encaixavam no perfil buscado pelos compradores”, resumiu. Santini adiantou que a feira deverá resultar na venda de 1,2 mil litros para uma rede colombiana e deverá aumentar para cerca de seis mil litros (ou o equivalente a um contêiner), para o mesmo país nos próximos meses.

Para o presidente do Ibravin, Oscar Ló, o apoio à categoria se justifica por se tratar de um produto que absorve metade da matéria-prima cultivada e que vem se consolidando como um dos carros-chefes do setor vitivinícola brasileiro. “Num período de dificuldade na economia, obtivemos até agosto um crescimento de 37,72% nas vendas de suco no mercado interno. Além disso, promover o suco de uva 100% é estimular o consumo de uma bebida saudável, que pode ser consumida por toda a família”, completa.

De janeiro a agosto, foram comercializados 86 milhões de litros de suco de uva 100% prontos para consumo, 23,5 milhões a mais que o mesmo período de 2017.

FOTO: Martha Caus

Wine South America celebra resultados e confirma segunda edição para setembro de 2019

Primeira edição encerrou com público qualificado de 6 mil visitantes de 26 a 29 de setembro, em Bento Gonçalves

A primeira edição da Wine South America encerrou com saldo positivo para o setor vinícola brasileiro e consolidou-se como a principal feira de vinhos das Américas. Entre 26 e 29 de setembro, cerca de 250 marcas expositoras – entre elas 100 vinícolas nacionais – mostraram a qualidade de seus vinhos, espumantes e sucos para um público qualificado, de compradores focados em negócios a winelovers interessados em vivenciar experiências. A Feira Internacional do Vinho registou 6 mil visitantes – provenientes de 25 estados brasileiros e 16 países – um público qualificado e alinhado às propostas de feira. Oportunizou mais de 400 rodadas de negócios pelo Projeto Comprador, realizado em parceria com o Instituto Brasileiro do Vinho – Ibravin, Sebrae – RS e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), além de inúmeros encontros de networking envolvendo empresas vinícolas e varejistas nacionais. Também promoveu cerca de 50 conteúdos técnicos (entre palestras e degustações orientadas, por exemplo), que colaboraram para a promoção do conhecimento sobre o mundo do vinho.

“Estamos muito satisfeitos com o legado que a Wine South America começa a construir para o setor vinícola brasileiro. Trouxemos uma proposta de valorização da qualidade dos vinhos e espumantes brasileiros, bem como de promoção do potencial enoturístico dessa região. As vinícolas acreditaram na feira, depositaram sua confiança no projeto, trabalharam em conjunto conosco para oferecer um encontro com alto padrão de excelência e o resultado apareceu. Acredito que essa primeira edição da Wine South America terá efeito multiplicador”, avalia Alberto Piz, diretor da Milanez & Milaneze, empresa promotora da feira, e subsidiaria do Grupo VeronaFiere.

 Wine South Amercia (5)

Setor endossa avaliação

A chegada de uma feira como a Wine South America à Serra gaúcha, o principal setor produtivo do país, trouxe uma extensa lista de benefícios à cadeia vitivinícola, segundo as principais entidades do segmento. “Além da organização do evento e da presença de um público muito importante para as vinícolas, a Wine acabou reunindo o setor, fazendo com que ele se fortaleça cada vez mais”, avalia o presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Oscar Ló.

O público qualificado – compradores, distribuidores, importadores, enólogos, sommeliers e enófilos – também foi destacado pelo presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), Edegar Scortegagna. Para ele, esses visitantes não trouxeram apenas possibilidades de negociação, mas também ampliaram a divulgação dos rótulos. “A feira, tranquilamente, superou as expectativas. O público estava 100% focado no universo do vinho. Além de promover o setor, as vinícolas, os produtos, a Feira Internacional do Vinho vendeu a região. Muitos participantes da feira não conheciam a Serra e ficaram admirados com o potencial turístico que tem aqui, então o enoturismo se beneficiou muito”, analisou Ló.

Diante dessas percepções, a confirmação da segunda edição para continuar promovendo e desenvolvendo o setor é evidente. “Por parte do Ibravin, o apoio está mantido”, anunciou Ló. “O maior país de América do Sul, com o maior potencial consumidor, precisava de uma feira assim. Se depender do setor, o apoio está garantido”, assegurou Scortegagna.

A Wine South America já tem sua próxima edição confirmada: ocorrerá na última semana de setembro de 2019, em Bento Gonçalves. A parceria com a ABE também está renovada e assegurou a combinação da feira culminando, novamente, em seu último dia, com a realização da Avaliação Nacional de Vinhos, promovida pela entidade.

 Foto: Vagão Filmes

Lidio Carraro lança primeiro vinho de ânfora do Brasil

Lote chega com 1,2 mil garrafas de um corte entre as variedades Merlot, Pinot Noir e Nebbiolo, elaboradas nas duas primeiras ânforas feitas com argila da propriedade da Lidio Carraro

 O projeto é inédito no Brasil e chega com a proposta de oferecer um vinho único e surpreendente, fermentado em recipientes de terracota – cerâmica – produzidos com a argila do solo da propriedade da Lidio Carraro em Encruzilhada do Sul, Serra do Sudeste Gaúcho. O vinho da Safra 2018 é um corte das variedades Merlot, Pinot Noir e Nebbiolo, e expressa a filosofia purista da vinícola instalada no Vale dos Vinhedos. Colecionadores e apreciadores de vinhos inusitados poderão adquirir as 1,2 mil garrafas em avant-première durante a Wine South America.

 Idealizado pelos irmãos Giovanni Carraro, enólogo responsável e Diretor Técnico, e Juliano Carraro, enólogo e Diretor Comercial, o projeto avança na busca de vinhos com expressão autêntica, desta vez com uma porção adicional de terroir, literalmente. “A ideia nasceu do desejo de proporcionar a mais íntima relação entre as uvas e o solo do nosso terroir. Por isso, extraímos a argila dos nossos vinhedos”, esclarece Juliano Carraro. Cozidas a 1.200°C, a argila foi transformada em cerâmica não vitrificada. O processo de fabricação das ânforas foi conduzido por uma oleira gaúcha.

 Giovanni Carraro -16

Foram escolhidas as variedades Merlot, Pinot Noir e Nebbiolo, pois são uvas com identidade, corpor e complexidade e, ao mesmo tempo, permitem destacar com nitidez a mineralidade que o contato com as ânforas pode proporcionar. “Inspirado no conceito purista de resgate à essência, estas uvas buscam refletir o contato íntimo do solo com a identidade dos vinhos para a expressão do terroir em sua máxima pureza. Nossas ânforas mantém a porosidade do material natural”, comenta o enólogo Giovanni Carraro.

 A Lidio Carraro aproveita a Wine South America, que acontece de 26 a 29 de setembro em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, para realizar a avant-première. Durante a feira, a vinícola estará disponibilizando 600 cotas deste vinho, cada uma com direito a duas garrafas por CPF. Uma oportunidade em primeira mão para quem aprecia vinhos Premium e Ultra Premium, feitos para colecionadores. “Estabelecemos duas garrafas pensando na experiência do apreciador que pode abrir e degustar a primeira, deixando a segunda para mais tarde. Assim, será possível acompanhar a evolução do vinho”, explica o enólogo. A previsão é de que o vinho seja entregue em 2020. O valor de cada cota é R$ 549 com frete grátis para capitais e regiões metropolitanas. Além de ter acesso a este primeiro lote do projeto, o comprador também passa a ser membro do Lidio Carraro Collection Club.

O processo de elaboração

Cada variedade fermentou separadamente nas ânforas (são duas ânforas, cada uma com capacidade 500 litros) por um período de 12 a 25 dias, permanecendo por mais 20 dias para finalização da fermentação malolática. Em 100% do processo, foram utilizadas leveduras naturais ou “indígenas”. Os vinhos permaneceram, em média, 90 dias em ânforas, sendo após acondicionados em pequenos tanques de aço inox para proporcionar o resfriamento, ajudando na limpidez para o processo natural de decantação. Após esse período, os vinhos foram mesclados em justas proporções, buscando valorizar características relevantes da cada casta. “É possível perceber a evidência da mineralidade agregada pela ânfora”, relata o enólogo responsável. O vinho ainda fará mais um estágio de 60 dias nas ânforas antes de ser engarrafado, devendo permanecer por pelo menos 12 meses na vinícola antes de ser disponibilizado ao comprador.

 Faces de Chile Cabernet Sauvignon 2018

Lidio Carraro Collection Club

Amantes do vinho que buscam experiências em torno de rótulos únicos já podem contar com o Lidio Carraro Collection Club, um clube criado pela Lidio Carraro Vinícola Boutique para proporcionar aos apreciadores da bebida momentos de raro prazer. Além de receber três vezes por ano uma seleção de dois rótulos inigualáveis em casa, os membros também usufruem de condições diferenciadas como degustações particulares e valores especiais em compras presenciais e online. São diversas opções de pacotes que variam de R$ 209 a R$ 539 por seleção. As vantagens e benefícios mudam conforme a modalidade, mas sempre com caráter exclusivo, contemplando diferentes paladares.

Internacionalização da marca começa pelo Chile

 

Faces in the World vai chegar a outros continentes levando a filosofia purista que acompanha a vinícola do Vale dos Vinhedos desde sua criação em 2001

Totalmente repaginada, a linha Faces, que brindou eventos mundiais como a Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas 2016, conquista o mundo. A viagem começa pelo Chile e prevê ações em outros países da América Latina, mas a proposta a médio e longo prazo é conquistar outros continentes. Com foco na exportação, a Lidio Carraro Vinícola Boutique aposta no projeto como forma de inaugurar sua filosofia purista em outros terroirs do planeta.

O projeto de internacionalização começa com o Faces de Chile. São dois rótulos: Faces Cabernet Sauvignon e Faces Sauvignon Blanc, com uvas cultivadas às margens do rio Maule, província de Talca, no coração do Vale do Maule, seguindo o método Purista da Lidio Carraro, ou seja, com a aplicação da ideologia de empregar a mínima intervenção para maximizar a expressão natural do vinho, neste caso em terroir chileno. Os vinhos estão disponíveis na boutique, na loja virtual, para os revendedores da Lidio Carraro e restaurantes em todo o país. O valor sugerido é de R$ 49,90 a garrafa.

A vinícola mantém tratativas com outros países da América Latina, prevendo ampliação para outros continentes a médio e longo prazo. “O vinho comunica sonhos, sentimentos, ideais e o prazer de viver as boas coisas da vida. Estamos inaugurando um projeto de elaboração e vinhos de qualidade superior sob a filosofia purista da Lidio Carraro em diferentes terroirs do mundo”, destaca a Diretora de Marketing, Patrícia Carraro. Faces in the World identifica as diversas faces de um povo, de uma cultura, de uma terra, da identidade de uma nação, na sua essência, através da interpretação da vocação das cepas mais representativas do mapa do vinho.

Com este projeto a vinícola aposta no fortalecimento das exportações, processo que iniciou em 2005 e de lá para cá acumula um histórico de já ter exportado para 28 países. Hoje, a Lidio Carraro está presente nos principais mercados de vinho do mundo. Nos Estados Unidos, com distribuição nacional, os vinhos puristas podem ser encontrados nas cartes de renomados restaurantes como Fogo de Cjhão, Texas de Brasil e City Winery. Já na Inglaterra, seus rótulso estão presentes em uma das lojas de vinho mais exclusivas do centro de Londres, a Soho Wine Supply, e também nos varejistas on-line Slurp, que trabalham somente com vinhos muito particulares. Na França, e especificamente em Paris, os vinhos da Lidio Carraro caíram no gosto exigente de um público experiente no mundo do vinho e podem ser encontrados na famosa e prestigiada loja de vinhos Lavinia.

A filosofia

Desde a fundação da vinícola, em 2001, a Lidio Carraro focou na elaboração de vinhos com estilo próprio e excelência, resgatando a pureza de expressão de cada variedade. Assim, a vinícola traduz a essência do terroir de origem. Deste conceito nasceu um método próprio de produção e gestão: filosofia purista, uma fusão entre conhecimento, técnica e arte em busca do vinho ideal. Para isso, os vinhedos são próprios, a colheita é manual, a produção é limitada e a vinificação é feita respeitando em parcelas de cada vinhedo. Os vinhos são elaborados sem madeira, sem filtração (exceto para os vinhos que não fazem fermentação malolática), sem adição de açúcar e o reconhecimento das uvas é por gravidade, com clarificação a frio e segue até o engarrafamento sem aditivos.

OS VINHOS

 

Faces de Chile Cabernet Sauvignon é um varietal (85%) complementado com Carmenère (8%) e Cabernet Franc (7%) para compor um vinho de expressão única. As uvas são provenientes dos vinhedos próprios da família Guerra, na região do Maule, e foram vinificadas seguindo os princípios da Filosofia Purista da Lidio Carraro. Um vinho que surpreende pela intensidade aromática, corpo e equilíbrio. Notas de frutas negras maduras, especiarias e chocolate. Taninos maduros e macios, com boa estrutura e agradável frescor e persistência.

Faces de Chile Sauvignon Blanc é um varietal (90%) complementado com Chardonnay (7%) e Viognier (3%) para compor um vinho de personalidade. As uvas são provenientes dos vinhedos da família Guerra, que ficam às margens do rio Maule, e foram vinificadas seguindo os princípios da Filosofia Purista da Lidio Carraro. Um vinho com grande intensidade aromática, frescor e equilíbrio. Notas de maracujá, frutas cítricas, com um toque vegetal e mineral. Ao paladar é frutado, com bom volume de boca, refrescante e persistente.

Lidio Carraro Collection Club

atrai fãs de experiências únicas

 

Três vezes por ano, assinantes receberão em casa um conjunto de rótulos “de linha” e rótulos exclusivos, além de usufruir de vantagens particulares na boutique e loja virtual

Amantes do vinho que buscam experiências em torno de rótulos únicos já podem contar com o Lidio Carraro Collection Club, um clube criado pela Lidio Carraro Vinícola Boutique para proporcionar aos apreciadores da bebida momentos de raro prazer. Além de receber três vezes por ano uma seleção de rótulos inigualáveis em casa, os membros também usufruem de condições diferenciadas como degustações particulares e valores especiais em compras presenciais e online.

São diversas opções de pacotes que variam de R$ 209 a R$ 539 por seleção. As vantagens e benefícios mudam conforme a modalidade, mas sempre com caráter exclusivo e particular, contemplando diferentes paladares. Cada membro tem acesso a safras históricas da adega privada da família e prioridade na compra de lançamentos. Degustações verticais estão reservadas especialmente para os participantes das modalidades do clube. “Tudo foi pensado e moldado com o objetivo de aproximar os mais fieis amantes do vinho à filosofia purista da Lidio Carraro”, explica o Diretor Comercial, Juliano Carraro.

Os membros do Collection Club têm acesso a rótulos únicos, lapidados a partir de safras excepcionais. Eles recebem vinhos inigualáveis no conforto de sua casa. A seleção é criteriosa, feita por especialistas da vinícola. Todos os rótulos enviados são acompanhados de material gráfico com informações sobre cada lote de vinho, incluindo fichas técnicas, sugestões de harmonização e serviço.

Quem fizer parte do Lidio Carraro Collection Club terá tratamento diferenciado com degustações especiais e experiências exclusivas nos diversos eventos do calendário nacional da vinícola, além de valores especiais na aquisição de quaisquer produtos do portfólio em compras presenciais na boutique da vinícola ou por meio da loja virtual.

O projeto está sendo inaugurado durante a Wine South America, que acontece de 26 a 29 de setembro em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha. Para se tornar um cliente VIP Lidio Carraro é necessário fazer a inscrição pelo site www.lidiocarraro.com. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 54 2105.2596.

COMO FUNCIONA

Valor – Existem modalidades distintas com valores adequados as vantagens e rótulos que constam em cada uma delas. Os valores variam de R$ 209 a R$ 539 por envio. Valores especiais na aquisição de pacotes anuais ou com mais garrafas por envio.

Data de envio – Os são programados entre o membro e a vinícola. São três envios por ano. Os primeiros envios estão programados para outubro e novembro deste ano, com períodos definidos para 2019 nos meses de fevereiro e março, junho e julho e novamente em outubro e novembro, totalizando três envios por ano. Nos demais meses, seleções verticais, safras históricas e rótulos exclusivos serão disponibilizados para aquisição restrita aos membros do clube.

Vinhos – São sempre dois rótulos distintos, mas cada membro escolhe se quer uma garrafa de cada, duas ou três, o que muda o valor.

 

Pagamento – A assinatura do clube é efetuada através de cobrança por cartão de crédito e a assinatura continuada terá débitos automáticos nos meses de envio.

Valor do frete – O frete é grátis para as capitais e diversas regiões metropolitanas. Nas demais localidades os assinantes dispõem de um custo reduzido de frete.

Modalidades – O cliente pode optar por uma das três categorias do Clube: Entusiasta, Essencial e Elevado.

Crédito Fotos: Alba Arte

Bento oficializa integração na Associação Città Del Vino

A distância entre Brasil e Itália agora ficou ainda menor. Além de ter em comum a cultura, a gastronomia, e, claro, o vinho, os dois países estão unidos também na Associação Città Del Vino. Bento Gonçalves passou a integrar oficialmente o seleto grupo – que reúne cidades produtoras de vinho, da Europa, para debater políticas públicas e projetos em benefício da cultura e economia do vinho – durante a abertura da Wine South America 2018.

As cidades associadas seguem um padrão de qualidade estabelecido no estatuto Carta da Qualidade das Cidades do Vinho, cujos princípios são, entre outros, proteger o vinho e sua paisagem e inserir o vinho em seus ambientes. “Hoje nasce uma colaboração entre aqueles que sabem que o vinho é feito de cultura”, disse o presidente da Città Del Vino, Floriano Zambon.

Wine south

Entre seus associados estão cerca de 480 comunidades, produtores responsáveis por 80% dos vinhedos italianos com certificação de origem. “É uma honra poder hoje consolidar a entrada de Bento Gonçalves na Città Del Vino. Nosso Município entra para um seleto grupo de produtores do mundo, o que demonstra a qualidade do trabalho e o reconhecimento internacional”, ressaltou prefeito Guilherme Pasin.

O convite para o Município integrar a organização surgiu no mês de abril, durante o lançamento da 52ª Vinitaly 2018, na cidade de Conegliano, Itália.

Foto: Franciele Gonçalves

Espumantes brasileiros impressionam Master of Wine britânico na Wine South America

Especialista Alistair Cooper ministrou degustação temática durante a Feira Internacional do Vinho

De taça em mãos, um dos maiores especialistas mundiais em vinhos declarou: “Estou surpreso e impressionado com a qualidade do que já vi até aqui”. Alistair Cooper, Master of Wine britânico, protagonizou uma das mais aguardadas masterclass na programação da Wine South America 2018 – feira internacional de vinhos que ocorre em Bento Gonçalves (RS) até o próximo sábado, 29.

A degustação técnica ‘Diferentes Estilos de Espumantes Brasileiros’ ocorreu na tarde de quinta-feira, 27 de setembro. Perante um auditório lotado, ele degustou nove espumantes nacionais, compartilhando com o público as experiências que cada bebida lhe despertou aos sentidos. Sua avaliação destacou a qualidade dos espumantes com rótulo do Brasil, especialmente na Serra gaúcha. “É muito interessante ver os diferentes tipos de espumantes que podem ser produzidos nesta região. Todos os produtos degustados apresentam riqueza e equilíbrio entre açúcar e acidez – a altitude e a variação de temperatura entre dia e noite são fatores chave para essa produção. Além disso, possuem boa relação custo e benefício. Portanto, penso que a chave é o Brasil se posicionar como produtor Premium e focar no método tradicional, que transmite mais seriedade”, comentou.

Hábitos de consumo

A degustação técnica permitiu a Cooper salientar as diferenças nos hábitos de consumo sul-americanos e europeus – que preferem bebidas secas. “Há uma tendência de que os americanos de modo geral preferem vinhos mais adocicados e menos secos. Ao mesmo tempo, os britânicos preferem bebidas secas – mas isso não quer dizer que vinhos doces não são bons. É apenas uma questão de hábito e um reflexo de como a indústria estimula esse consumo. Na Inglaterra as pessoas não conhecem muito os espumantes brasileiros, mas deveriam, porque são muito bons e elegantes. Precisamos de ‘embaixadores’ para levar essas bebidas ao mundo”, encorajou Cooper.

 IMG_7688

Quem é Alistair Cooper

Alistair Cooper é inglês e, durante muitos anos, aprofundou seus conhecimentos sobre os vinhos da América do Sul. Tanto é que o tema de estudos que o tornou um Master of Wine foi sobre a região de Itata, no Chile. Esse título, concedido pelo Institute of Masters of Wine, é o mais respeitado no universo vitivinícola – principalmente em razão do rigor e dos altos padrões de exigência associados a sua concessão. Apenas 370 pessoas possuem essa capacitação atualmente, ou seja, os profissionais mais gabaritados.

Como jornalista, Cooper contribui para as seguintes publicações: Decanter, Decanter.com, a Wine Business International, Drinks International, entre outras. É juiz em diversos concursos espalhados pelo mundo, incluindo a degustação anual da revista Decanter, o International Wine Challenge e o Catad’Or Wine Awards, do Chile.

SERVIÇO

O quê: Wine South America 2018 – Feira Internacional do Vinho.

Quando: de 26 a 29 de setembro, das 12h às 21h

Onde: Bento Gonçalves, RS

Local: Parque de Eventos de Bento Gonçalves (alameda Fenavinho, 481)

Informações e ingressos: www.winesa.com.br

Marcada por recordes e boas surpresas, Grande Prova Vinhos do Brasil 2018 anuncia vencedores

Os tintos foram os protagonistas. Rio Grande do Sul liderou com o maior número de amostras premiadas e 10 dos 31 campeões apresentaram valor abaixo de R$ 50,00

A Grande Prova Vinhos do Brasil 2018, maior prova às cegas de vinhos brasileiros disponíveis no mercado, foi marcada por resultados surpreendentes. O primeiro deles com o recorde de amostras que neste ano chegou a 920, sendo 872 vinhos e 48 sucos de uva, de 117 vinícolas, dos estados do RS, SC, PR, SP, RJ, MG, BA e PE. De 27 a 30 de agosto, no Rio de Janeiro, um júri composto por 24 profissionais de renome internacional comprovaram a qualidade de marcas nacionais.

Idealizada e organizada pelo Grupo Baco com o apoio do Ibravin e Vinhos do Brasil, a lista com os grandes vencedores da 7ª edição da Grande Prova Vinhos do Brasil e 3ª Grande Prova Sucos de Uva 100% será anunciada nesta sexta-feira, 28 de setembro, em Bento Gonçalves, durante a Wine South América – Feira Internacional do Vinho.

Boas surpresas

Os espumantes continuam excelentes, mas a surpresa este ano foram os tintos, que pela primeira vez superaram as borbulhas em número de amostras inscritas e de medalhas.

Nos tintos as maiores e mais premiadas categorias, como esperado, foram Cabernet Sauvignon (35 ouros), Merlot (27), Cortes (26) e os Super Premium (22), mas em termos proporcionais a surpresa veio dos Cabernet Franc. Dos 17 vinhos dessa categoria, nada menos que 10 (59%) receberam ouro, mostrando o alto nível dessa variedade de uva.

Os 335 espumantes inscritos levaram 73 medalhas e mais uma vez comprovaram a excelência da Serra Gaúcha. Das nove categorias de espumantes avaliadas, todos os campeões são dessa região, destaque para as três medalhas de Duplo-Ouro conquistadas pelos espumantes, com Família Geisse e Casa Valduga que foram os campeões empatados da categoria Brut Branco Champenoise e para a Vinícola Valmarino campeã da categoria ExtraBrut, Nature e Branco.

O Rio Grande do Sul, responsável por 90% da produção nacional, ficou com 225 amostras premiadas, do total de 280. Na categoria Duplo-Ouro, com sete vinhos e um suco, o domínio foi 100% do RS. Entre as 23 amostras premiadas na categoria Super Premium está um Tannat safra 2005, da Estrelas do Brasil, ou seja, um vinho de guarda com 13 anos, o que só comprova a evolução dos processos por parte das vinícolas.

Santa Catarina conquistou 34 medalhas. Um catarinense levou título de  melhor Malbec do Brasil, com a Vinícola Kranz. Minas Gerais ficou com 12 medalhas, entre elas destaque para Cabernet Sauvignon, da Casa Geraldo, na categoria Super Premium. O Paraná recebeu nove medalhas, destaque para o Tannat, da Franco Italiano, na categoria Super Premium. Pernambuco garantiu uma medalha com a Vinibrasil, com seu Rio Sol Ícone.

7ª edição Grande Prova Vinhos do Brasil 2018 - crédito Francisco Carneiro2

A Vinícola Miolo, de Bento Gonçalves, foi a grande campeã deste ano, vencendo em cinco categorias, seguida pela Basso Vinhos e Espumantes, de Farroupilha, em três categorias. A Casa Valduga foi quem levou mais medalhas, 18 no total (17 vinhos e 1 suco).

Best buys

A Grande Prova Vinhos do Brasil 2018 também comprovou que vinho bom necessariamente não é vinho caro. Das 280 medalhas de ouro, 67 marcas são best buys abaixo de R$ 50,00, sendo 10 campeãs. E as boas notícias não param por aí, 18 vinhos estão abaixo de R$ 35,00.

A Basso Vinhos e Espumantes ficou no topo da lista dos Best Buys. Campeã na categoria Branco Moscato seu vinho sai por R$ 18,00. A mesma vinícola também sagrou-se campeã com o espumante Moscatel Branco, que custa apenas R$ 25,90. O espumante Brut Branco Charmat, da Vinícola Aurora, também campeão na sua categoria, custa R$ 22. Eleito o melhor rosé do Brasil, o Miolo Seleção, sai por R$ 32,56.

Sérgio Queiroz, coordenador geral da Grande Prova e um dos sócios do Grupo Baco, comemora o resultado dos best buys e da Grande Prova como um todo. “E ainda dizem que o vinho brasileiro é caro”, comenta.

3ª Grande Prova Suco de Uva 100%

Participaram da 3ª Grande Prova Suco de Uva 100% 48 amostras nas categorias branco e tinto. Do total, todas da safra 2018, 15 amostras ganharam medalha de ouro, sendo 12 tintos e três brancos. A Don Affonso, campeã da categoria Suco Tinto, levou Duplo-Ouro, enquanto a Vinícola Galiotto, foi a campeã na categoria Suco Branco. Qualidade e pureza foram alguns dos quesitos que fizeram com que neste ano a Grande Prova Sucos do Brasil acumulasse o dobro de medalhas na comparação com a edição de 2017.

 

Selo

Os selos redesenhados para essa nova edição foram entregues no primeiro dia da Wine South América, no dia 26 de setembro, e já estampam as garrafas, sendo uma grande referência para o consumidor final.

O resultado consolidado de todas as categorias será publicado no Anuário Vinhos do Brasil 2018/2019, junto com o panorama do setor, tradicionalmente divulgado no início do ano. Como novidade a versão digital, que facilitará a consulta pelos consumidores.

O evento conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e apoio institucional das seguintes entidades: SindiVinho, Aprovale, Acavitis, Agavi, Apromontes, Vinhos da Campanha, ABS-RJ, Hotel Vila Galé e Wine South America.

Sobre o Grupo Baco

O Grupo Baco, idealizador e organizador da Grande Prova Vinhos do Brasil, é uma empresa de comunicação, inteligência de mercado e consultoria que tem na geração de conteúdo e nos eventos sua plataforma de atuação. É responsável pela edição da revista BACO, do Anuário Vinhos do Brasil, entre outros produtos editoriais, além de uma série de eventos no Brasil e no exterior. Destaque para o Rio Wine and Food Festival, que vem sendo realizado há sete anos na cidade do Rio de Janeiro.

Projeto Comprador aproxima vinícolas do mercado e fomenta negócios na Wine South America

Comprometida com a promoção de negócios, a Wine South America tem no Projeto Comprador um dos principais instrumentos de estímulo para aproximar comercialmente o vinho nacional dos mercados brasileiro e internacional – cumprindo, assim, outro propósito da feira: oferecer visibilidade aos produtos do país.

O resultado desse trabalho aparece por meio de diversos exemplos de parcerias consolidadas. Julian Ochoa Herrera é gerente de mercado e vendas do Grupo Grajales, de Cali, na Colômbia. Apesar de ter morado três anos no Brasil, ele costumava beber vinhos chilenos e argentinos. Quando teve a oportunidade de provar o vinho brasileiro, foi taxativo na avaliação”. Quanto à qualidade não há o que discutir, são muito bons”, reconheceu. Daí para os negócios a distância foi pequena.

O grupo de Herrera faz parte das 22 empresas presentes no setor internacional do Projeto Comprador, viabilizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). Ao todo, serão promovidas cerca de 460 rodadas de negócios durante a feira, com representantes de empresas de 10 países – Chile, Peru, Paraguai, Colômbia, Panamá, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Espanha e Rússia.

Alguns desses encontros podem gerar vendas imediatas, mas muitas delas acabam sendo concretizados no pós-feira. Herrera, por exemplo, acredita que importará, no próximo ano, espumante e suco brasileiros – um negócio que já está em seus planos desde agora.

ProjetoComprador Win

Além de facilitar as transações internacionais, o Projeto Comprador tem um braço nacional para incentivo de negócios dentro do Brasil. Compradores de todos os 27 Estados da federação estão negociando com 65 vinícolas inscritas no projeto, viabilizado em parceria entre o Ibravin e o Sebrae.

Mais do que intermediar vendas, o Projeto Comprador também aproxima os negociantes das paisagens vinícolas da área da Serra gaúcha, um plus que só feiras como a Wine South America, realizada na região produtora, oferece. Herrera conheceu os vinhedos da Cave Geisse e Don Giovanni, ambas em Pinto Bandeira, a poucos quilômetros do Parque de Eventos onde se realiza a mostra internacional de vinhos. Essa contrapartida é um ganho colateral positivo que fortalece o enoturismo, contribuindo para o desenvolvimento da economia da região e, consequentemente, beneficiando as vinícolas.

As rodadas do Projeto Comprador ocorrem, ainda, nesta sexta-feira (28). Já a Wine South America segue aberta à visitação até o dia 29 de setembro.

SERVIÇO

O quê: Wine South America 2018 – Feira Internacional do Vinho.

Quando: de 26 a 29 de setembro, das 12h às 21h

Onde: Bento Gonçalves, RS

Local: Parque de Eventos de Bento Gonçalves (alameda Fenavinho, 481)

Informações e ingressos: www.winesa.com.br

Wine South America 2018 estreia no Brasil com a visita do Ministro italiano da Agricultura e Turismo Gian Marco Centinaio

Presença de Gian Marco Centinaio reforça a parceria ítalo-brasileira na realização da Feira Internacional do Vinho

Desde a primeira edição, a Wine South America conta com o apoio do governo italiano. Prova disso é que o Ministro italiano da Agricultura e Turismo, Gian Marco Centinaio, anunciou, no início do mês, na Itália, em um encontro com a diretoria do Grupo VeronaFiere, sua presença na feira. “No final do mês de setembro estarei no Brasil junto à Veronafiere, aos produtores do setor vitivinícola italianos e Vênetos, porque é justo que o Ministério esteja ao lado do ‘Sistema-Itália’, um modelo que dá certo no exterior”, disse.

 Alberto Piz e Gian Marco Centinaio

O anúncio foi confirmado no dia 21. “A Embaixada da Itália assegurou que o Ministro estará visitando a Feira durante o dia 28 de setembro, e que encontrará os empreendedores do setor vitivinícola italianos e oriundos presentes e as lideranças nacionais do setor” ressaltou Alberto Piz, Diretor da Feira. Além de ser motivo de grande orgulho, a vinda de um Ministro italiano à Feira, reforça a atenção que o Governo italiano está dando às empresas do País que investem no exterior, na avaliação de Piz.

SERVIÇO

O quê: Wine South America 2018 – Feira Internacional do Vinho.

Quando: de 26 a 29 de setembro, das 12h às 21h

Onde: Bento Gonçalves, RS

Local: Parque de Eventos de Bento Gonçalves (alameda Fenavinho, 481)

Informações e ingressoswww.winesa.com.br

Foto: divulgação

Cooperativa Vinícola Garibaldi exibe novidades e produtos consagrados na Wine South America

Feira deve contribuir para promover negócios e apresentar experiências oferecidas no complexo enoturístico localizado na Serra gaúcha

A Cooperativa Vinícola Garibaldi vive um de seus melhores momentos: no primeiro semestre deste ano, registrou crescimento de 12,5% no faturamento em relação ao mesmo período de 2017, com destaque para a venda de espumantes, que aumentou em 50% e consagra a bebida como carro-chefe da marca. Também ergue brindes para celebrar as premiações que chegam de diversos concursos internacionais, somando mais de 70 honrarias até o momento somente neste ano, incluindo o título de Melhor Espumante do Cone Sul. Motivada por essa realidade, a Cooperativa participa da Wine South America com expectativa de fortalecer negócios, ampliar a visibilidade dos seus produtos – hoje um portfólio com 70 rótulos divididos em 12 marcas – e divulgar as experiências que oferece no complexo enoturístico localizado em Garibaldi, na Serra gaúcha, município sede da marca.

“Estamos trabalhando para atingir um faturamento que deverá ultrapassar os R$ 150 milhões, com crescimento superior ao do ano passado. Além das uvas com excelente qualidade na safra 2018 e os investimentos previstos para o nosso parque fabril, apostamos na Wine South America como propulsora de negócios, colocando os produtos da Cooperativa Vinícola Garibaldi na vitrine para compradores do Brasil e do exterior. Nossa participação é, portanto, estratégica no sentido de fortalecer negócios e prospectar novos mercados”, explica o presidente Oscar Ló.

Em 2017 a Cooperativa registrou R$ 134 milhões de faturamento. Desse número, a linha de espumantes registrou crescimento de 30%, ultrapassando os dois milhões de garrafas vendidas. Isso significa que a produção da bebida dobrou nos últimos três anos. “Os espumantes vêm ganhando o gosto dos brasileiros, que reconhecem no produto nacional uma bebida de excelente qualidade a preços acessíveis”, reforça Ló.

Cooperativa Vinícola Garibaldi

Na mesma ascendente aparecem os vinhos de mesa (15%) e o suco de uva integral (12%). Esse desempenho decorre de uma elaborada visão estratégica da cooperativa, que há uma década investe em um plano de expansão constante, totalizando R$ 30 milhões em ampliação da capacidade de estocagem, melhorias tecnológicas e aperfeiçoamento do processo produtivo no parque fabril. Em 2018, o montante aplicado está na casa de R$ 7,5 milhões.

O estande da Cooperativa Vinícola Garibaldi na Wine South America é o número 123, no pavilhão A do Parque de Eventos de Bento Gonçalves.

Garibaldi Experience reúne diferentes imersões no mundo do vinho

Sucesso entre os turistas que viajam à Serra gaúcha, o complexo enoturístico da Cooperativa Vinícola Garibaldi reúne quatro diferentes experiências para imergir no mundo dos vinhos – o Garibaldi Experience. A grande novidade é a atração Taça & Trufa, que une deliciosas e surpreendentes harmonizações de vinhos, espumantes e chocolates. “O vinho é uma bebida intensa e complexa, com os fatores de paladar e aromas bem marcantes. Já o chocolate é bastante intenso, resultando em uma combinação empírica e passional. Por isso, vamos levar parte dessa experiência para o estande da Cooperativa na Wine South America, mostrando aos visitantes a versatilidade dos nossos produtos”, comenta o gerente de marketing e turismo Maiquel Vignatti.

Além do Taça & Trufa, o complexo enoturístico oferece os projetos ‘Desperte seus Sentidos’, degustação às cegas dentro de uma grande pipa de vinho; ‘Uma história para degustar’, visita guiada entre pipas e tanques, e a degustação de produtos premiados, todos dentro do Garibaldi Experience e que permitem viver uma experiência completa e inesquecível no mundo dos vinhos.

Lançamento

O rótulo Garibaldi Vero Demi-sec Rosé, lançado em 2018, chega ao varejo e ao estande da marca conquistando os paladares pelo equilíbrio de sabores em sua composição. Elaborada com uvas Cabernet Sauvignon e Merlot pelo método Charmat, a bebida se destaca por sua jovialidade, refrescância e notas aromáticas frutadas – versátil e perfeita para ser apreciada desde o happy hour até a sobremesa. “Essa bebida funciona muito bem para quem aprecia espumantes um pouco mais adocicados do que Brut, porém mais consistentes que o moscatel. O novo Garibaldi Vero Demi-sec Rosé tem ótimo equilíbrio entre açúcar e acidez, além de aromas frutados e levemente cítricos”, explica o enólogo Ricardo Morari.

Sobre a Cooperativa Vinícola Garibaldi

Em 2018, a Cooperativa Vinícola Garibaldi celebra a passagem de seu 87º aniversário, festejando a concretização de mais um ano em sua história – que começou a ser escrita pela união de diversas famílias de agricultores como alternativa para vencer as dificuldades econômicas do país na época. Atualmente, congrega 400 famílias associadas, distribuídas em 15 municípios da Serra gaúcha. Seu portfólio tem cerca de 70 produtos distribuídos em 12 marcas, entre vinhos tintos e brancos, espumantes de diversas variedades, linhas de exportação, frisantes, filtrados, sucos de uva e opções orgânicas.

Crédito: Cassius Fanti