Posts

Impressão de fotos em superfícies de vidro

Estúdio André Pellizzari Fotografia traz essa novidade para Bento Gonçalves

O estúdio André Pelizzari Fotografia está com novidade para o mercado. A empresa, há cerca de um mês está utilizando a técnica de alta impressão em superfícies de vidro. Localizada na rua 13 de Maio, 116, centro, é pioneira na utilização dessa técnica em Bento Gonçalves. Segundo o proprietário do estúdio, André Pelizzari, qualquer tipo de arquivo pode ser impresso em diversos formatos de vidro. “As aplicações são as mais diversas, sempre com excelentes resultados”, ressalta o fotógrafo. O valor do trabalho, segundo Pelizzari, depende do tamanho da superfície e da aplicação. O prazo de entrega é dez dias após o fechamento do negócio.

André - impressão em vidro

Além disso, o estúdio fechou parceria com duas empresas do município para ampliar seu leque de prestação de serviços. Uma das parcerias é com a Modelart, para colocações de molduras em fotos e quadros. Já a outra é com a Pró Eventos, aliando a cobertura fotográfica com iluminação e sonorização de festas de casamento, aniversário e formatura, entre outras celebrações, com serviço de Dj. “Cada vez mais, o cliente busca serviços afins em um único endereço, em função de praticidade e comodidade. Em função disso, há forte tendência no mercado para parcerias comerciais”, salienta Pelizzari.

Contatos: Rua 13 de Maio, 116, centro, ao lado da Farmácia Flor Essência; telefones 3055.4044 e 9 8112.6346; email atendimento@andrepellizzari.com.br; site andrepellizzari.com.br.

André - som e luz pró - eventos

Inscrições abertas para a 2ª Foto Maratona NAV/FSG

As inscrições para a 2ª Foto Maratona NAV/FSG estão abertas. O evento acontece em agosto, mas os apaixonados por fotografia de toda a Serra gaúcha já podem entrar no site culturanav.com.br e realizar sua inscrição. Na plataforma, os participantes ainda podem ficar informados sobre a programação, que inclui encontros com fotógrafos renomados. As inscrições permanecem abertas até o dia 13 de agosto.

A 2ª Foto Maratona compõe o projeto Atelier NAV, viabilizado pelo apoio cultural do Centro Universitário da Serra Gaúcha, por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura de Caxias do Sul. Por isso, as atividades são oferecidas gratuitamente à população. O percurso acontece durante três dias. No dia 17 de agosto, sexta-feira, haverá a distribuição dos temas. Os participantes devem fazer o registro e entregar as fotos no domingo, dia 19. É permitido o uso de celular para fotografar. As fotos serão avaliadas por um júri especialista e premiadas no dia 25 de agosto.

A Foto Maratona também integra a programação municipal da Semana da Fotografia. Além de estimular o processo de observação e construção das imagens, o projeto ainda promove o conhecimento sobre Caxias do Sul. “O desafio dos participantes produzirem fotografias a partir de 15 diferentes temas sobre a cidade nos permite conhecer mais o lugar onde nascemos ou vivemos. E também pensar nas formas em que a cidade nos fala, seja através das atitudes das pessoas ou dos tons e texturas de Caxias, o que estimulam o olhar do fotógrafo”, observa o coordenador do Ponto de Cultura Núcleo Audiovisual, professor Daniel Vargas.

 Foto de Gabriel Radaelli. Meu olhar abstrato, 2017. 1º lugar categoria aficionado na 1ª Foto Maratona NAV - FSG

PROGRAMAÇÃO

25 de junho a 13 de agosto – Abertura das inscrições pelo site culturanav.com.br

09 de agosto – Abertura da exposição de ganhadores da 1ª Foto Maratona NAV/FSG, em frente ao Prédio A da FSG, às 18h30

11 de agosto – Oficina “Fotografia, a técnica a serviço da arte”, das 9h às 19h, no NAV

17, 18 e 19 de agosto – Realização da Foto Maratona. Abertura na sexta-feira, às 18h30, no NAV

17 de agosto – Festa de abertura na Zero54. Entrada liberada para inscritos, a partir das 23h

22 de agosto – Master Class aberta, com os fotógrafos Alex Battistel, Antonio Valiente, Fabiano Scholl e Liliane Giordano, às 19h30, no NAV

25 de agosto – Cerimônia de premiação, às 20h30, no Ordovás

 Foto: Gabriel Radaelli

Museu do Imigrante recebe exposição de Sebastião Salgado

Sebastião Salgado aporta no Museu do Imigrante de Bento Gonçalves com a sua mostra Êxodos, trabalho fotodocumental onde é abordado a luta dos imigrantes em diferentes partes do mundo. Durante seis anos, Salgado visitou 40 países e dividiu o trabalho em cinco temas principais: África, Luta pela Terra, Refugiados e Migrados, Megacidades e Retratos de Crianças.

unnamed (1)

unnamed

A exposição é composta por 300 imagens e, no Museu do Imigrante, estão presentes 39 fotografias, cedidas pelo Museu Municipal de Caxias do Sul. Nelas, Salgado retrata e expõe a necessidade de deslocamento (por razões políticas e/ou econômicas) que produz mudanças significativas no cotidiano e na cultura dos povos.  Assim, a exposição é um convite para a reflexão sobre o impacto de milhares de pessoas quando expostas e/ou impostas à transição, ao processo de migrações e como isso transforma a realidade geopolítica do mundo.

unnamed (7)

Sebastião Salgado tomou posse no início de março na Academia Francesa de Belas Artes, sendo o único brasileiro a ocupar um das 52 cadeiras da instituição. Grande parte de sua obra foi editada, no Brasil, pela Companhia das Letras: Trabalhadores (1997), Terra (1997), Retratos de Crianças do Êxodo (2000), Êxodos (2000), O fim da pólio (2003), Da minha terra à Terra (biografia, 2014) e Outras Américas(2015).  Já Gênesis (2013), África (2007), entre outros títulos, foram editados pela norte-americana Taschen.

unnamed (3)

A exposição Êxodos é uma parceria do Museu do Imigrante com o Museu Municipal de Caxias do Sul e conta com o apoio da Fundação Casa das Artes e da Secretaria Municipal da Cultura.

unnamed (5)

unnamed (12)

Serviço

O que: Êxodos, de Sebastião Salgado

Período de visitação: de 16 de março a 20 de abril de 2018

Quando: de terças-feiras a sábado

Horário: das 8h30 às 11h45 e das 13h30 às 17h30

Onde: Museu do Imigrante – Rua Herny Hugo Dreher, 127, bairro Planalto. Fone: (54) 3451.1773. Email: mueseudoimigrante@bentogoncalves.rs.gov.br

Entrada gratuita

Exposição “Mulheres garibaldenses” abre nesta terça-feira, dia 7

unnamed (1)Em março, o Museu Municipal de Garibaldi será um dos palcos garibaldenses para homenagear as mulheres. Com 64 fotografias inéditas, a exposição “Mulheres garibaldenses” reúne imagens de noivas e retratos de mulheres de diversas idades que traduzem a força, o poder e a elegância do sexo feminino.

De acordo com a historiadora Elenita Girondi, as mulheres tiveram e têm um papel fundamental na história do Município. “Foram mães e profissionais que fizeram toda a diferença e mostraram, entre tantas qualidades, grande força e capacidade de superação”.

As fotos datam de 1900 até 1970, onde é possível ver a diferença nos trajes, a evolução dos vestidos na moda, além da forma como as mulheres foram sendo retratadas. O convite é para que a comunidade visite a exposição para prestigiar e para ajudar no reconhecimento de algumas fotografias que ainda estão sem identificação, engradecendo ainda mais o acervo do Arquivo Histórico Municipal.

O Museu Municipal de Garibaldi fica localizado na Rua Dr. Carlos Barbosa, 77, e atende o público de terça a sábado das 08h às 12h e das 13h às 17h. Aos domingos das 10h às 16h. A atividade compreende o calendário do Veraneio da Vindima, organizado pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Turismo e Cultura e o Mês da Mulher, promovido pela Apeme.

Créditos das fotos: Arquivo Histórico Municipal

Mulheres com câncer tornam-se personagens do mundo fantasy em Mostra Fotográfica

Mulheres que venceram o câncer fazem parte de um mundo mágico no ensaio fotográfico realizado pelo projeto Borboletas da Rede do Bem. A mostra está exposta na Fundação Casa das Artes até o dia 31 de março. As visitações ocorrem nos horários das 8h às 11h45min e 13h30min às 17h45min.

16602642_1439603779418066_5702952855082877529_nCada uma das nove mulheres participantes, entre 20 e 88 anos, se tornarem fadas, magas, anjas, guerreiras e índias, personagens que tivessem semelhanças com cada uma das modelos.  Participaram das fotos Angela Bissolotti, Jaqueline Borile Fávero, Aline dos Santos, Rachel Casagrande, Salete De Toni, Liziane Firmini, Simone Dias Jannke, Sheila Caron Matevi e Nona Maria Putton. “A experiência de estar viva para fazer parte deste projeto me enche de amor e gratidão”, agradece Aline dos Santos, 39 anos.

O nome da Mostra Borboletas foi isnspirada na frase de Rubem Alves “Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses” e buscou retratar a beleza das metamorfoses na vida das modelos. Segundo Eliana Passarin, fotógrafa do projeto, “as mulheres quando foram convidadas encantaram-se com a proposta, pois era algo alegre, com estética feliz, longe do culto apenas da doença e com cunho solidário.”

16708258_1439603836084727_3556829724361868909_nO projeto foi desenvolvido pela fotógrafa Eliana Passarin, com o apoio da maquiadora Letícia Gowaski, do design Alexandre Pillotti, apresentação da jornalista Rosane Marchetti e do ator João Signorelli.

Rede do Bem

A Rede do Bem é coordenada por Salete De Toni e não é ligada a nenhuma ONG ou instituição. São voluntários que arrecadam recursos por meio da venda de cartões postais do projeto e de camisetas. A renda é doada para mulheres que estão passando pela doença e em situação de vulnerabilidade social.

Caçador de Imagens

A fotografia por hobby com resgate histórico e cultural

cacador-1A caça para o homem é um ato milenar. Intrínseca à essência do ser, a procura movimenta a vida. Para alguns, perseguir é uma ação abstrata e delicada. Envolve sentimento, visão, simetria. É o caso do bancá- rio Marco Antonio Carraro, 52 anos, natural de Bento Gonçalves, que tem a fotografia por hobby. Em função dessa paixão, que já dura quase vinte anos, ele se tornou o Caçador de Imagens, codinome para sua página no Facebook, criada em abril de 2015, atualmente com 351 fotos postadas. Entre elas, 325 de Bento Gonçalves e outras 26 das regiões da Serra e Litorânea do Rio Grande do Sul.

cacador-3Carraro procura, principalmente, evidenciar os detalhes e a história da área urbana e rural da Capital Brasileira do Vinho. Sua fanpage tem mais de oito mil seguidores. Ele também compartilha as imagens no Instagram.

Detalhes e peculiaridades do contexto cultural-histórico de Bento Gonçalves e região são ressaltados nas fotografias do bancário. Nelas, ele mostra a arquitetura colonial de construções antigas, aliada a beleza dos parreirais inseridos na natureza da região Nordeste do Estado. “Bento e região possuem lugares ímpares. A nossa região rural é distinta, com paisagens lindas, casas históricas preservadas e locais marcantes. Registro esses locais, diversificando cidade e interior. Tento resgatar e transmitir, através de imagens, a história de Bento Gonçalves e região”, ressalta Carraro.

marco-carraro

As fotos de Marco Carraro já ilustraram matérias de vários jornais, entre eles alguns de circulação estadual. Ele se diz grato por ver seu trabalho utilizado para divulgar o município e região.

“A técnica é muito importante para uma fotografia diferenciada”

cacador-2“Comecei fotografando minha filha Paola, hoje com 19 anos, com uma máquina amadora, de filme. Montávamos cenários na própria casa. Após um tempo, comprei uma câmera semiprofissional. No instante em que me aprofundei na arte da fotografia, comecei a perceber detalhes que antes passavam despercebidos. A técnica é muito importante para uma fotografia diferenciada. Sou exigente comigo mesmo”, explica. Com o passar dos anos, Carraro comprou novos equipamentos, câmera profissional, lentes e se especializou com cursos de fotografia. Hoje, suas fotos são capturadas pelas lentes da câmera Canon T3i e da Go Pro Hero 4, preferencialmente configuradas no modo manual.

cacadorA divulgação das fotos começou no perfil pessoal do bancário no Facebook. Com os elogios de familiares e amigos às suas publicações, Carraro sentiu-se encorajado a criar a fanpage. Nos primeiros meses as postagens eram diárias. Agora, ele tem postado cerca de 15 fotos por mês, que em média recebem de 200 a 800 curtidas cada. “Hoje, meu reacionamento com o público é marcante e positivo. Cultivei muitos amigos e recebo elogios diariamente. Posso dizer que minhas fotos estão sendo curtidas em diversos Estados do Brasil e também em outros paí- ses. Meus amigos e colegas afirmam que estou na profissão errada, que deveria deixar de ser bancário para ser fotógrafo”, relata.