Fenavinho está de volta

Após oito anos de hiato, Fenavinho está de volta

Festa, que em 1967 projetou Bento Gonçalves no cenário nacional, ressurge sob a coordenação do Centro da Indústria, Comércio e Serviços 

Por Rodrigo De Marco

Edição Kátia Bortolini 

A Festa Nacional do Vinho (Fenavinho) de Bento Gonçalves, após oito anos de hiato, retorna em grande estilo em sua 16ª edição, de 13 a 23 deste mês de junho, no Parque de Eventos, paralelo a Expobento 2019. Das edições anteriores, 13 foram promovidas pelo poder público municipal, em vários formatos. A partir dessa edição a coordenação da maior festa popular do município está a cargo do Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), que anualmente promove a Expobento. A retomada do evento alegrou tanto moradores como visitantes, conforme o constatado na programação pré-abertura, na Via del Vino, bairro centro, nos dois finais de semanas anteriores ao início das atividades no Parque de Eventos, anteriormente conhecido como Parque da Fenavinho.

Desfile Alegórico - Crédito Exata Comunicação (1) (1)

Na tarde ensolarada do domingo do último dia 2 de junho cerca de sete mil pessoas se reuniram na Via del Vino em torno do suco e do vinho encanados e do desfile de carros alegóricos, apresentado por escolas da rede municipal e de patinação, entidades, empresas e comunidade. O desfile ocorreu na rua Marechal Deodoro, entre a Saldanha Marinho e a Júlio de Castilhos, capitaneado pelo personagem Tastavin e pela corte da Fenavinho, formada pela Imperatriz Bárbara Bortolini e Damas de Honra Ana Paula Pastorello e Sandi Marina Corso,  reportando o estilo de vida em torno da vitivinicultura da maioria dos moradores das comunidades e distritos do interior de Bento Gonçalves.

A reinauguração do icônico Vinho Encanado encerrou com sucesso sua programação na tarde do último dia 9 de junho.  Durante os dois fins de semana, cerca de 30 mil pessoas passaram pela Via Del Vino, apreciando os vinhos e sucos disponibilizados na “Casa del Vino Moysés Michelon”. Ali foram consumidas 24.200 doses das bebidas, o que representa 3,6 mil litros. O preferido do público foi o vinho tinto Merlot (55% das vendas), seguido pelo vinho branco Moscato (25%) e pelo suco de uva integral (20%).

“Ficamos extremamente satisfeitos não apenas pelos números de público e consumo, que nos surpreenderam positivamente. Mas, acima de tudo, o destaque foi a receptividade da comunidade, que acolheu com muito carinho a volta do Vinho Encanado, participando da programação e realmente aproveitando as atrações. Esse indicativo nos deixa muito otimistas, também, com relação ao sucesso da retomada  Fenavinho”, avaliou o coordenador do comitê responsável pela organização da 16ª edição da Festa Nacional do Vinho, Diego Bertolini.

Primeira edição da Festa rendeu ao município asfaltamento e projeção na mídia nacional

A primeira edição, ocorrida de 25 de fevereiro a 12 de março de 1967, há 54 anos, presidida pelo empresário Moyses Michelon (in memoriam) foi um marco para o desenvolvimento do município de Bento Gonçalves, na época com cerca de 38 mil habitantes. O evento, aberto oficialmente pelo então presidente da República Humberto de Alencar Castelo Branco, chamou a atenção da mídia nacional pela distribuição gratuita de vinhos e suco de uva no centro da cidade. Castelo Branco, na companhia do então Chefe da Casa Civil, General Ernesto Geisel, nascido em Bento Gonçalves, e do então governador do Estado, Perachi de Barcelos, foi recebido com festa na cidade em 25 de fevereiro de 1967.  Na vinda, a comitiva percorreu de carro o trajeto entre Porto Alegre e Bento Gonçalves, por estrada de terra, porque o mau tempo não permitiu o deslocamento aéreo. No percurso, Castelo Branco perguntou ao então Governador como uma cidade que estava promovendo uma festa nacional não tinha acesso asfáltico. Meses após, foi emitida a ordem de serviço do Estado para o asfaltamento dos 120 quilômetros de estrada entre Bento Gonçalves e a capital do Estado.

A primeira edição também foi visitada pelo jornalista Assis Chateaubriand (in memoriam), presidente dos Diários e Emissoras Associadas, um dos brasileiros mais poderosos do século XX, dono de um vasto império de comunicação, responsável por trazer a televisão para a América Latina, entre outros feitos.  Chateaubriand prestigiou a festa a convite do diretor da vinícola Dreher S/A, Carlos Dreher Neto, que presidia o Clube Colibri, formado por grandes anunciantes dos Diários Associados. A revista O Cruzeiro, um dos veículos dos Diários Associados, de circulação nacional, dedicou a capa e várias páginas da edição del 1º de dezembro de 1970 à Fenavinho e às “Uvas de Bento”, representadas na publicação pela Imperatriz Sandra Guerra e pelas Damas de Honra Iegle Ghelen e Liana Mazzini.

População resgata orgulho em voltar a sediar a festa

A edição 2019 da Fenavinho já é histórica por estar resgatado o orgulho da população em voltar a sediar a festa. A retomada da Fenavinho iniciou seu processo social com a escolha da Corte, ocorrida na noite de 6 de abril deste ano, no hall do pavilhão A do Parque de Eventos, com a escolha da Imperatriz Bárbara Bortolini, representante da Rota Caminhos de Pedra e das Damas de Honra Ana Paula Pastorello, representante do Bento Convention Bureau e por Sandi Marina Corso, representante da Associação Vale do Rio das Antas.

O trabalho de divulgação da festa envolveu uma equipe ávida pelo sucesso do evento e o sorriso de orgulho da Imperatriz e Damas de Honra. Em Brasília, a comitiva, formada pela Corte e por lideranças políticas e empresariais do município, cumpriu intensa agenda de entrega de convites para as aberturas da Fenavinho e da Expobento 2019, entre eles para o presidente Jair Bolsonaro.

Vinho Encanado em Bento Gonçalves - Credto Gustavo Bottega (7) (3)

O surgimento de Tastavin

O personagem Tastavin (bonachão e, claro, provador de vinho, tem sido uma das estrelas da retomada da Festa Nacional do Vinho) foi criado pelo cartunista gaúcho Otto Guerra e surgiu por iniciativa da então diretoria da 7ª edição da Fenavinho, ocorrida de 12 à 28 de julho de 1991. O nome do mascote foi escolhido em concurso realizado naquele ano, promovido pela Secretaria Municipal de Educação. Pelo menos 12 mil alunos de escolas da rede municipal participaram do concurso que tinha por objetivo escolher o nome do personagem.

O nome Tastavin foi criado por Marciano Menegotto (vencedor do concurso), na época morador do distrito de Tuiuty e estudante do Colégio Estadual de 1º Grau Angelo Salton, de Tuiuty.Tastavin foi inspirado na expressão “Nino, demo testare il vin” (Vamos provar o vinho). Hoje, com 40 anos, Menegotto é produtor de uvas.

O presidente da 7ª edição da festa foi Jovino Nolasco de Souza (in memorian) vices, Adroaldo Dla Más, Além Guerra, Juarez Valduga, Lourival Frizzo e Renato Ferrari; Imperatriz Nádia Cini; Damas de honra Eliane Gobatto e Raquel Possamai. Nolasco realizou o evento de forma anual entre 1990 e 1992. A origem do mascote atendia a intenção de criar um ícone definitivo para a festa.

Desfile Alegórico - Credto Gustavo Bottega (13) (1)

Entrevistas com as Soberanas

Integração- A rotina de vida de vocês mudou nos últimos meses em função do trabalho de divulgação da 16ª Fenavinho. Estão conseguindo conciliar a agenda de compromissos do evento com trabalho?

BÁRBARA- Consigo conciliar por trabalhar em uma empresa familiar, com meu pai e meu irmão, com flexibilidade de horários.

ANA PAULA -Sempre tive uma rotina bem corrida, conciliando trabalho, faculdade, cursos, vida social, momentos de lazer e hobbies. Ao abraçar a Fenavinho já tinha em mente que as atividades de divulgação seriam intensas e que isso demandaria muito tempo, tendo que reajustar minha agenda pessoal. Porém, como a Fenavinho sempre esteve no coração dos bentogonçalvenses, não houve resistência no quesito trabalho e faculdade para me ausentar das atividades diárias, e isso só comprova o quanto a população apoia e quer o retorno da nossa amada festa.

SANDI – Mudou sim, é um compromisso a mais e uma grande responsabilidade, principalmente nesse momento de retomada da Festa. Estou conciliando com o trabalho, procurando equilibrar os dois lados. Como atuo na área de vinhos, esta época de outono/inverno concentra diversas atividades, conto com a ajuda dos colegas de trabalho quando estou ausente e entre a corte nos revezamos quando uma ou outra não pode estar presente.

INTEGRAÇÃO – Quanto tempo consome o processo de vestimenta das indumentárias mais cabelo e maquiagem? Lado positivo e lado negativo desse ritual?

BÁRBARA- Às vezes, temos que madrugar para ficarmos prontas no horário dos eventos. É realmente um ritual, mas tudo isso vale a pena quando vemos que nossa dedicação em prol da Fenavinho é reconhecida pelas pessoas, que nos recebem com muito amor e respeito em todos os lugares.

ANA PAULA- Temos profissionais parceiros maravilhosos que fazem parte desta árdua preparação, a qual leva em torno de três horas entre fazer cabelo com a coroa, maquiagem, e ainda vestir o traje oficial. Independente do dia e do horário (madrugadas, feriados, finais de semana), estes profissionais estão prontamente dispostos e não medem esforços, de forma muito carinhosa, para realçar a beleza da corte.

SANDI- Acredito que a maioria das mulheres gosta de se sentir bonita, isso nos dá confiança, aumenta nossa autoestima, realça a beleza, nos destaca, portanto, vejo esse “ritual” de forma muito positiva. Sobre lado negativo, talvez o tempo de preparo que é um pouco longo, mas isso faz parte.

INTEGRAÇÃO- Muitas pessoas tem interagido com vocês, perguntando sobre o evento e solicitando registro fotográfico. De que forma essa experiência com o público vai contribuir para o teu crescimento pessoal e profissional?

BÁRBARA- Acredito que toda interação que temos com as pessoas gera uma troca de experiências, agregando novos conhecimentos. Isso reflete diretamente na vida pessoal e profissional. Crescemos, aprendemos a ouvir mais e nos comunicarmos melhor. Além disso, sentir o carinho da comunidade perante a corte é algo único é indescritível, uma alegria que transborda do peito.

ANA PAULA- O contato com o público está sendo uma experiência muito acolhedora porque é possível sentira confiança que nos é depositada por representar e abraçar o retorno da Fenavinho. As pessoas gostam deparar para conversar, tirar foto, contar histórias e as suas lembranças justamente por causa da nossa festa e mesmo aqueles que não vivenciaram as primeiras edições carinhosamente deixam vivas as lembranças de seus familiares. Me sinto muito realizada em conseguir passar o real sentimento da Festa Nacional do Vinho e tudo o que ela nos remete.

SANDI- Essa experiência tem sido incrível, arrisco a dizer que é a melhor parte de ser soberana. Eu, sendo área do vinho, por paixão e profissão, já tinha um carinho enorme pela cidade, pela cultura, tradição, por tudo que envolve essa bebida e principalmente pelas pessoas que constroem todos os dias a nossa história. A Festa é delas e é para elas. Não tinha ideia do quanto nossa Comunidade ficaria feliz com o retorno da Fenavinho e de todos os marcos históricos que estamos resgatando com ela, como o vinho encanado no centro da cidade e o desfile de carros alegóricos. A Festa ainda está muito viva no coração de todos, mesmo não acontecendo a 8 anos. Isso nos contagia, nos faz termos ainda mais energia e disposição para representarmos da melhor forma Bento Gonçalves, a Capital Nacional do Vinho. Sem dúvida cresceremos pessoal e profissionalmente, pois a cada dia que passa conhecemos um pouquinho mais de toda essa trajetória que já tem mais de 140 anos. É tanta história dentro de uma garrafa de vinho…

INTEGRAÇÃO-   De que forma tem sido a convivência entre vocês?

BÁRBARA- Conheci as meninas somente durante o concurso, mas sinto como se já as conhecesse há muitos anos. Temos uma sintonia ótima, e estamos sempre ajudando e apoiando umas as outras nas mais diversas situações. Com elas, não há tempo ruim – seja para acordar as 4h da manhã e ir para o salão de pantufas, ou ir tomar café da manhã de coroa e tudo. Com toda a certeza, são amizades que levarei para avida.

ANA PAULA Somente conheci a Bárbara e a Sandi durante a preparação para a escolha da corte. O nosso trio é composto por três mulheres incansáveis que se complementam de uma forma muito rica, cada uma com uma história de vida singular, mas que representam a mulher batalhadora de Bento Gonçalves.

SANDI Não as conhecia antes de todo o processo que envolve a escolha da corte. Nossa convivência tem sido muito boa, entendemos a todo o momento a importância de sermos um trio. Seria muito difícil fazer esse trabalho de forma individual, nos complementamos, cada uma com suas características e personalidade. Existe uma troca entre nós, seja de conhecimento ou de experiências, nos ajudamos e damos suporte umas às outras a todo o momento.

INTEGRAÇÃO- nos bastidores, o que faz vocês darem risada?

BÁRBARA- Erros de gravação, gargalhadas incontroláveis, alagamento de quarto de hotel, e por aí vai.

ANA PAULA- Acontecem algumas saias justas, mas contamos com uma assessoria de imprensa muito capacitada que nos prepararam previamente para que possamos contornar qualquer situação.

SANDI- Ah os imprevistos… especialmente os erros de gravação!

INTEGRAÇÃO- Como conheciam a história da Fenavinho antes e como veem agora?

BÁRBARA- Sempre admirei a nossa festa, sua história e o que ela representa para Bento Gonçalves. Agora, no papel de Imperatriz, divulgando a festa, consigo entender ainda mais a importância do seu retorno para a preservação e valorização da nossa cultura. Também se tornou possível vivenciar toda a dedicação e amor que há por trás da sua organização. São pessoas que realmente dão o seu máximo para ver a alegria de um povo se reacender.

ANA PAULA- Já tinha ouvido falar, mas não imaginava a grandiosidade do evento. Está sendo um aprendizado constante, tanto sobre a festa e seu legado patrimonial e cultural, como sobre a cultura vitivinícola de Bento Gonçalves.

SANDI- Já acompanhava a Fenavinho a algumas edições. Estudo e trabalho na área de vinhos a mais de doze anos, sou descendente de italianos e por isso também já conhecia um pouco de toda a trajetória dos imigrantes que aqui chegaram. Hoje, sem dúvida, minha visão e sentimento pela Festa mudaram muito, tenho um carinho ainda maior e um orgulho imensurável em fazer parte de todo esse processo de retomada da Fenavinho e de várias outras atividades relacionadas a ela. Os conhecimentos se tornam cada vez mais ricos. Representamos hoje a história de milhares de pessoas, temos a missão te manter viva e cada vez mais forte essa festa, que evidencia e mostra às pessoas a nossa tradição, a cultura do vinho e todo o potencial que temos em Bento Gonçalves.

Corte da 16ª Fenavinho com os trajes oficiais - acervo pessoal Barbara Bortolini (1)

CPI das Fake News realiza segunda oitiva nesta segunda-feira

A Comissão Parlamentar de Inquérito ouvirá Jorge Bronzatto Jr, ex-assessor do vereador Moacir Camerini 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI das Fake News), realiza nesta segunda-feira (17), às 13h30, no plenário da Câmara Municipal de Bento Gonçalves, a segunda sessão da CPI das Fakes News. Conforme despacho da Comissão anexo ao processo, os membros titulares realizarão a oitiva do Jorge Bronzatto Jr, ex-assessor do vereador Moacir Antônio Camerini(PDT). Consta também no documento, que o vereador Camerini seja comunicado de que poderá constituir advogado para acompanhar o ato e o processo.

Instaurada pela Resolução nº 267/2019, a CPI tem por objetivo apurar e investigar a utilização de estrutura funcional da Câmara Municipal para criação e manutenção de usuários fakes/falsos em redes sociais para propagação de notícias falsas e comentários ilegais a cerca de fatos relevantes do e para o município.

A primeira oitiva ocorreu na segunda-feira passada, dia (10), quando a comissão ouviu o ex-coordenador de gabinete do vereador, Dênis Alex de Oliveira.

Em conformidade com o artigo nº 67 do Regimento Interno, a CPI das Fake News é composta pelos vereadores Jocelito Tonietto (PDT), Idasir dos Santos (MDB),Anderson Zanella (PSD), Gilmar Pessutto (PSDB), Volnei Christofoli (PP), Elvio de Lima (MDB), Marcos Barbosa (PRB) Gustavo Sperotto (DEM), Valdemir Marini (PTB), Sidinei da Silva (PPS).

A CPI terá o prazo de 120 dias, prorrogável por mais 60 dias, para conclusão dos seus trabalhos, a contar de 17 de maio de 2019, data de sua instalação.

Requerimento nº 24/2019 que pediu a abertura da CPI, foi  subscrito por 14 vereadores.A sessão da CPI será transmitida ao vivo pela TV Câmara Bento no canal 16 da NET, no Youtube, e facebook.

materia oitiva

Uso de simulador para obtenção de CNH será facultativo

Resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicada no Diário Oficial da União (DOU) de hoje (17) torna facultativo o uso de simulador de direção veicular no processo de formação de condutores, para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

As novas regras preveem, ainda, redução de 25 para 20, no número de horas-aula (h/aula) práticas nas auto-escolas, para a categoria B da CNH. No caso da categoria A, serão necessárias pelo menos 15 h/aula. Em ambos casos, pelo menos 1h/aula terá de ser feita no período noturno. Para condutores de ciclomotores, a carga horária mínima será de 5h/aula.

As medidas começam a valer no prazo de 90 dias a serem contados a partir de hoje – data em que a matéria foi publicada no DOU.

Em abril, durante reunião do Contran que definiu as novas regras, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que as mudanças ajudarão a desburocratizar etapas do processo de formação do condutor. “As decisões foram fruto de muita reflexão e estão sendo tomadas com toda responsabilidade”.

Na oportunidade, ele argumentou que o simulador não teria eficácia comprovada. “Ninguém conseguiu demonstrar que isso tem importância para formação do condutor. Nos países ao redor do mundo, ele não é obrigatório, em países com excelentes níveis de segurança no trânsito também não há essa obrigatoriedade. Então, não há prejuízo para a formação do condutor”, disse.

De acordo com o ministro, a medida visa reduzir a burocracia na retirada da habilitação. Ele disse que a decisão vai estimar uma redução de até 15% no valor cobrado nos centros de formação de condutores.

simulador

Vice-presidente e Governador abriram oficialmente a Expobento e a Fenavinho, em Bento Gonçalves

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, entre outras lideranças políticas e empresarias, participaram da abertura oficial da Expobento 2019 e da 16 edição da Festa Nacional do Vinho (Fenavinho), ocorrida na tarde da última sexta-feira (14), no Parque de Eventos. A Expobento e a Fenavinho prosseguem até dia 23 deste mês, com diversas atrações.
A abertura oficial foi marcada por discursos reivindicatórios, por parte de lideranças locais, de diminuição da carga tributária que incide sobre o setor vinícola e de melhorias na malha rodoviária de acesso à Bento Gonçalves.Nos discursos Mourão e Leite, acenos de possíveis atendimentos as demandas da cidade.

foto expobento

foto expobento 2

Mais de 100 produtoras rurais participam de evento sobre tecnologia na Embrapa, em Bento Gonçalves

Cerca de 120 produtoras rurais participaram na última terça-feira, dia 11, do primeiro evento específico para as mulheres promovido em parceria pela Embrapa e Emater/RS-Ascar, em Bento Gonçalves (RS). “Para a Embrapa, esse é um momento muito especial, porque sabemos da importância histórica do trabalho desempenhado pelas mulheres, em especial pelas mulheres rurais. Sempre focamos o homem como ator principal, mas hoje nós organizamos este evento como forma de reconhecimento à importância de vocês, produtoras rurais”, anunciou José Fernando da Silva Protas, chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, ao realizar a abertura do evento “Mulheres Rurais: o poder que produz”.

Ainda na abertura, a chefe-geral da Embrapa Suínos e Aves, Janice Zanella, e a gerente da regional daEmater/RS-Ascar de Caxias do Sul, Sandra Dalmina, emocionaram a plateia com seus depoimentos, diretamente ligados à agricultura familiar. As gestoras falaram sobre as diversas dificuldades ao longo do caminho que percorreram para hoje serem as representantes de suas instituições.  “É muito interessante ver as mulheres como uma força extraordinária, que está nas propriedades rurais trabalhando, impulsionando e gerando todo esse desenvolvimento e riqueza, através do suporte a toda a família, nas mais diferentes formas”, disse Sandra.

Para Janice Zanella, a iniciativa concretizou um sonho da Embrapa, de reunir a força da mulher e mostrar que o caminho do sucesso está pronto para ser conquistado, nesta iniciativa liderada pela Embrapa Uva e Vinho. Ela também destacou a ligação do evento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), que compõem uma agenda mundial para a construção e implementação de políticas públicas. “Aqui respondemos diretamente a dois dos 17 objetivos propostos: o número 5, de Igualdade de Gênero, e o 10, de Redução das Desigualdades. Nós mulheres não temos que ser iguais aos homens, mas temos que ter as mesmas oportunidades e mostrar o poder e a competência que temos”.

A abertura já preparou a plateia de 120 produtoras rurais para a palestra “Na cabeceira da mesa”, com a jornalista Marciele Scarton, autora do livro Mulheres do Interior,  que destacou e valorizou as conquistas diárias das mulheres. “A proposta da palestra foi incentivar as mulheres a praticarem e a valorizarem as suas conquistas. Muitas vezes esses foram direitos negados para as mulheres do passado e hoje como estão incorporados, a gente acaba deixando de lado, não valorizando”, disse.

Dia de campo sob medida

Á tarde, as produtoras participaram de um dia de campo preparado sob medida por quatro unidades da Embrapa –  Clima Temperado, Suínos e Aves, Trigo e Uva e Vinho, com a apresentação de tecnologias que podem agregar renda à produção. “A ideia foi destacar, a partir da realidade da Serra Gaúcha, o que as unidades de pesquisa do Sul poderiam apresentar. E pela receptividade e avaliação das participantes, foi um sucesso. Com certeza, teremos propriedades que irão adotar as novidades”, avaliou Marcos Botton, chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Uva e Vinho e idealizador do evento.

Em seu espaço, a Embrapa Clima Temperado apresentou variedades de batata-doce biofortificadas que enriquecem a refeição, dentre elas a BRS AméliaBRS RubissolBRS CuiaBRS Beauregard BRS Gaita. Também abordou sobre o manejo, produção de mudas e os benefícios nutricionais do alimento.

Já a Embrapa Trigo conquistou as participantes com uma oficina de panificação, na qual foram ensinadas técnicas para agregar valor ao pão comum, utilizando diferentes recheios como calabresa, ervas finas e pizza enrolada. O encontro também esclareceu dúvidas e repassou dicas.

Embrapa Suínos e Aves apresentou como alternativa para agregação de valor na propriedade a galinha poedeira colonial  Embrapa 051, especializada na produção de ovos de casca marrom. Por ser rústica, ela se adapta bem aos sistemas menos intensivos, característicos da agricultura familiar.

Na estação da Embrapa Uva e Vinho, as mulheres degustaram e compararam o suco de uva integral e o néctar, percebendo as principais diferenças entre eles. Também conheceram o Suquificador, equipamento desenvolvido pela Empres ade Pesquisa para produzir suco de uva integral em pequenas quantidades, ideal para a agricultura familiar.

Atenta a todas as dicas e recomendações, a produtora Valdete Peruzzo aproveitou também para tirar dúvidas sobre a elaboração do suco já pensando no futuro. “Fazer suco é um sonho antigo. Ter um equipamento desses (suquificador), me deixa até sem palavras. Realmente o evento de hoje vai ajudar a realizar o meu sonho”, comentou a agricultora. A importância de aprender e ver coisas diferentes, como esse equipamento também foi o ponto destacado por Teresinha Massocco Paese, produtora de Pinto Bandeira. “Tem que se mostrar, que se tem vontade de aprender. Eu deixaria esse registro: quando tiver um evento, que vá”.

“Além das novidades para as participantes, esse evento fez todo mundo refletir. Foi uma excelente parceria entre a Emater e a  Embrapa”, avaliou a extensionista social Maria de Lourdes Gasperin Pancotte, do escritório da Emater/RS-Ascar de Bento Gonçalves. Ela integrou a comissão organizadora do evento, que foi promovido pela Embrapa e Emater/RS-Ascar, contando com o apoio do Sicredi Serrana, da Corteva Agriscience e do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin).

Coroando o sucesso desse primeiro evento específico para as mulheres, as Instituições responsáveis pela organização já se preparam para as próximas edições, as quais deverão ser anuais, contemplando assuntos sugeridos pelas participantes. Ficou evidente que a fórmula do evento atingiu os objetivos propostos e, somada à própria força inerente das produtoras rurais, alavancará sua participação no desenvolvimento das famílias e comunidades rurais da Serra Gaúcha.

Foto: Divulgação Embrapa Uva e Vinho

Embrapa

Agroindústrias mais competitivas nas regiões Norte e Serra

Projetos desenvolvidos pelo Sebrae RS abrangem desde gerenciamento de processos de produção até gestão visual para apresentação em feiras

O incentivo à cultura do associativismo é uma das estratégias do Sebrae RS para alavancar as vendas das agroindústrias gaúchas. Mas não é a única. Com projetos nas regiões Norte e Serra, a organização também leva aos empreendimentos o gerenciamento de processos que ajudam a encontrar compradores nos mercados de interesse. Identificação de custos e fluxo de caixa, definição de plano de marketing, inteligência competitiva, vendas, negociação, gestão visual para apresentação em feiras, trabalho da marca, rótulos, embalagens e valor agregado aos produtos estão na lista de ações realizadas pelo Sebrae RS junto às agroindústrias.

Atualmente, são atendidas 115 empresas, 65 delas na Região Norte e 50 na Serra. “Trabalhamos no planejamento, na qualificação dos processos gerenciais e tecnológicos. Assim, elas descobrem, por exemplo, que uma mudança simples no processo de fabricação pode gerar uma redução de custo. Também contribuímos com o fortalecimento comercial, o posicionamento da marca. Mostramos as oportunidades de mercado”, exemplifica o Coordenador de Projetos de Agroindústrias, Fabiano Nichele.

Gestora do projeto na Região Norte, Cheila Lorenzon, relata que as participantes registram aumento da margem bruta, do volume de vendas e da produtividade. Além disso, há mais controle gerencial e melhora nas boas práticas de fabricação. “O objetivo geral é qualificar as agroindústrias de pequeno porte e auxiliar para agregar valor aos produtos comercializáveis”, comenta, destacando que, na região, o projeto é fruto de um parceria do programa Juntos para Competir, desenvolvido por Farsul, Senar-RS e Sebrae RS.

Um dos exemplos bem-sucedidos da Região Norte é a Fabian Lácteos, de Barão do Cotegipe. Com produção de queijos, leite pasteurizado e bebidas lácteas, ela registrou um aumento de 30% nas vendas e de 12% na lucratividade, além de uma redução de 10% nos custos. As atividades começaram em novembro de 2007, com processo de pasteurização lenta e capacidade de processamento de 500 litros de leite por dia. Atualmente, é utilizado o processo de pasteurização rápida, com capacidade de processar ao menos 3 mil litros de leite diariamente. “Com o projeto, conseguimos identificar produto com margem maior e focar nele. Também diminuímos os custos de fabricação e identificamos novos mercados, como a venda direta de queijos coalho a restaurantes”, relata Edinéia Fabian.

Os benefícios do projeto também são observados na Serra, onde é desenvolvido um trabalho para melhorar processos comerciais e de gestão; “Focamos em consultorias com planejamento de vendas e eventos de negócios, que aproximam e conectam as pequenas agroindústrias dos potenciais compradores”, relata o gestor de projetos do Sebrae RS na Serra, Aldoir Morais.

Sebrae 2

ProUni encerra inscrições nesta sexta-feira

As inscrições para bolsas oferecidas pelo Programa Universidade Para Todos (ProUni) foram abertas na última terça-feira, 11 de junho. São 169.226 bolsas em 33.830 cursos em instituições de ensino superior particulares. A inscrição é feita exclusivamente pelo site do ProUni até esta sexta-feira, 14.

Do total de bolsas ofertadas, 68.087 são integrais (financiadas 100%) e 101.139 são parciais (50%). Esta edição conta com a participação de 1.100 instituições.

Têm direito a se inscrever pessoas sem diploma de curso superior que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas do exame e não ter zerado a redação.

Administração é o curso com o maior número de bolsas: 17.004 bolsas (8.180 integrais e 8.824 parciais), seguido por Pedagogia, com 13.387 (9.269 integrais e 4.118 parciais) e Ciências Contábeis, com 10.817 (4.524 integrais e 6.293 parciais).

Quem tem direito – Para concorrer à bolsa integral, é necessário comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para a bolsa parcial (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

O candidato deve preencher, ainda, uma dessas condições:

  • ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou da rede particular, na condição de bolsista integral da própria escola privada;
  • ser pessoa com deficiência;
  • ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrante de quadro de pessoal permanente de instituição pública e concorrer a bolsas exclusivamente nos cursos de licenciatura. Nesse caso, não há requisito de renda.
  • Cronograma – O resultado da 1ª chamada será disponibilizado na terça-feira, 18 de junho, quando também se inicia o prazo de confirmação de informações para a 1ª chamada. Elas devem ser apresentadas até 25 de junho.

O resultado da 2ª chamada será realizado em 2 de julho. Neste caso, os requisitantes devem apresentar a comprovação das informações até 8 de julho.

Quem não conseguir uma bolsa nas duas chamadas pode ainda tentar uma vaga remanescente na lista de espera, que será divulgada entre 15 e 16 de julho. Os resultados serão divulgados em 18 de julho.

ProUni – O ProUni é o programa do MEC de oferta de bolsas para estudantes em instituições de ensino superior privadas para alunos não graduados nesse nível de educação.

ProUni

‘Conexões Sonoras’ marca a chegada em Porto Alegre do projeto Surdos que Ouvem, vencedor do Facebook Community Leadership Program

Com toda infraestrutura de acessibilidade a surdos, evento vai promover no dia 29/6 um talk show com médicos especialistas e apresentará o vídeo de mais um personagem que integra a campanha de engajamento e inclusão

Depois de conquistar a vaga de Residente no Facebook Community Leadership Program, é chegada a hora de a escritora gaúcha Paula Pfeifer apresentar o projeto Surdos que Ouvem em seu estado natal. O evento será no dia 29 de junho, das 14h às 18h, no Teatro Unisinos. A tarde contará com uma palestra da Paula revelando todos os detalhes do projeto, que promove acesso à informação, acessibilidade, tecnologia e acolhimento às pessoas com deficiência auditiva. Essa será a segunda edição do Conexões Sonoras 2019, um encontro voltado a informar, conectar e engajar surdos, profissionais ligados à reabilitação auditiva e a comunidade em geral para desmistificar tabus que envolvem a surdez, mostrar a diversidade que existe na deficiência auditiva e seus variados tratamentos.

“Estou muito animada em voltar ao meu estado, onde dei os primeiros passos com o Crônicas da Surdez e lancei meu primeiro livro, para promover essa rede colaborativa de acolhimento. O Surdos que Ouvem é um projeto extremamente desafiador que ganhou o incentivo do Facebook Community Leadership Program pelo impacto offline que causa na vida dos membros da nossa comunidade. Desinformação, preconceito, falta de acesso a um diagnóstico e altos preços dos dispositivos são alguns dos motivos para que sete em cada 10 pessoas com deficiência auditiva que podem se beneficiar da tecnologia para ouvir melhor ou voltar a ouvir não o façam. O nosso objetivo é romper boa parte dessas barreiras, levando informação e quebrando tabus”, revela Paula.

O Conexões Sonoras é um dos legados promovidos pelo Surdos que Ouvem a partir da disseminação de informação médica e fonoaudiológica altamente qualificadas pela chancela de especialistas referendados. O evento, que teve a sua primeira edição em maio deste ano em São Paulo, será 100% acessível para deficientes auditivos, incluindo a tecnologia de aro magnético, que permite a transmissão de um som cristalino transferido diretamente para os aparelhos auditivos ou implantes cocleares. A partir dela, os usuários podem experimentar a  qualidade de áudio como se estivessem sentados ao lado do apresentador, sem as barreiras da acústica da sala, do ruído do público e da distância do  alto-falante. Além disso, todo o conteúdo audiovisual será legendado e terá janela de Libras (Língua Brasileira de Sinais). O tema do Talk Show será: “A Surdez e o Cérebro”, debatendo sobre essa importante e complexa conexão que passa por pilares como atenção, memória, foco e conhecimentos linguísticos, tão importantes no processo de reabilitação auditiva. Serão abordados temas importantes atualmente em pauta na comunidade médica e científica, como a relação da perda auditiva com a Depressão e o Alzheimer. Os convidados também responderão as perguntas enviadas pela comunidade virtual e as da plateia.

O evento terá ainda o lançamento de mais um vídeo inédito da campanha de 12 “filmes” que tiram do armário Surdos que Ouvem, a partir de seus relatos em primeira pessoa sobre o processo a partir do diagnóstico da deficiência auditiva e toda a transformação com o acesso à tecnologia. O Conexões Sonoras terá ainda um Espaço Kids, possibilitando que os pais participem das palestras e debates enquanto seus filhos se distraiam com uma equipe de recreação. Gratuito e aberto ao público, só é exigida a inscrição prévia pelo site http://surdosqueouvem.com/porto-alegre/Serão disponibilizadas 277 vagas e a seleção será por ordem de inscrição. É obrigatória a apresentação da confirmação da inscrição na entrada do evento e o credenciamento será feito a partir das 13h, uma hora antes do início das atividades.

Sobre a Paula Pfeifer

Paula Pfeifer é escritora, palestrante e uma “surda que ouve”, uma forma bem simplificada e didática de descrever os surdos oralizados. Como ela mesma diz, não existe certo nem errado quando se trata da forma que o surdo escolheu se comunicar. E é justamente essa a missão da criadora do grupo, do blog e dos livros ‘Crônicas da Surdez’: desmistificar os tabus e derrubar estereótipos que cercam a deficiência auditiva. Embora muitos desconheçam, trata-se de um grupo bem heterogêneo: existem diferentes tipos e graus de surdez, o que também gera formas diversas de comunicação. Hoje, Paula conseguiu chamar atenção para sua causa, sendo a residente eleita pelo Facebook Community Leadership Program para representar a América Latina e receber até US$ 1 milhão como insumo para o desenvolvimento e ampliação do projeto Surdos Que Ouvem em 2019. Paula começou a perder a audição na infância. Foram muitas otites, “apitos” no ouvido e erros de diagnóstico até descobrir, aos 16 anos, que sofria de surdez neurossensorial bilateral de caráter severo e progressiva, passar por um processo de negação dos aparelhos auditivos e, aos 30, ficar no silêncio total. O primeiro aparelho auditivo veio em 1997. Em 2013, o primeiro implante coclear e, em 2015, o segundo implante. Com dois ouvidos biônicos, ela superou os medos sentidos ao receber o diagnóstico de surdez progressiva e voltou a ouvir graças a tecnologia.

Sobre o Surdos Que Ouvem

O Surdos Que Ouvem (www.surdosqueouvem.com) é um projeto com viés social colaborativo e de inclusão. O objetivo é ampliar o impacto online do Crônicas da Surdez e criar um consistente legado offline a partir da desmistificação da surdez e a propagação de informação sobre reabilitação auditiva. O projeto reúne quatro iniciativas: 1) Campanha de vídeo com 12 personagens que revelam todo o processo a partir do diagnóstico da deficiência até a transformação a partir do acesso à tecnologia auditiva; 2) Conexões Sonoras: eventos 100% acessíveis a surdos, com legendas, aro magnético e intérprete de Libras, promovendo acesso à informação de alta qualidade, através de talk-show com médicos e fonoaudiólogos especializados em surdez; 3) Curso online para pais de crianças com deficiência auditiva: Como o engajamento da família na estimulação da criança com deficiência auditiva é primordial, nem todas as famílias estão próximas a grandes centros e não têm acesso a especialistas, o curso é direcionado aos pais, com aulas ministradas por profissionais renomados e com a linguagem acessível; 4) Engajamento da comunidade e treinamento de liderança: para ampliar ainda mais o alcance desta causa, será oferecido apoio financeiro para que membros do grupo Crônicas da Surdez criem e executem até 20 projetos em um formato de Mini Conexões Sonoras, levando o #surdosqueouvem aos quatro cantos do Brasil. Aqueles que mais se destacarem receberão um treinamento de liderança ministrado por Paula Pfeifer, bem como prêmios de nossos parceiros.

Sobre o Facebook Community Leadership Program

O Facebook Community Leadership Program é uma iniciativa global desenvolvida para capacitar líderes de todo o mundo que estão construindo comunidades por meio da família, de aplicativos e serviços do Facebook. As oportunidades de residência e “fellowship” oferecem treinamento, apoio e financiamento para líderes comunitários de todo o mundo. O Facebook vai investir dezenas de milhões de dólares com o programa, incluindo até US$ 10 milhões em subsídios que vão diretamente para as pessoas que criam e lideram as comunidades.

Paula Pfeifer

CIC-BG oferece curso de Gestão de custos e orçamento

Qualificação para gestores eleva conhecimentos no sistema gerencial de custos

O planejamento orçamentário coerente e equilibrado é a chave para o sucesso de um negócio. Para os gestores que buscam compreender o sistema regulador de despesas e suas variantes, o Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves promove o curso Gestão de custos e orçamento’. A qualificação inicia dia 25 de junho e encerra em 04 de julho (às terças, quartas e quintas-feiras).

A capacitação estudará o sistema de gastos na fabricação de itens com o objetivo de viabilizar a produção e conhecer e desenvolver modelos de orçamentos e estratégias de custeio para tornar o projeto mais competitivo. Com a análise das variadas formas de custos – proporcionando linhas de produção mais eficientes e produtivas – a programática buscará compilar custo-benefício ao investimento de um projeto – a fim de obter ferramentas de gestão para criação de estratégias.

Como base tecnológica, o treinamento apresentará tipos de despesas e suas derivações dentro do processo produtivo – com a realização de estudo da viabilidade do tripé ‘custo-volume-produção’, calculando o preço de venda, ponto de equilíbrio e o Markup – ou seja, a diferença entre o custo de um bem ou serviço e seu preço de venda. Tudo isso utilizando uma metodologia que tenta aliar teoria e prática – com cálculos de ponto de equilíbrio e análise do preço de venda.

“A ideia é introduzirmos a teoria de forma breve nos primeiros dias para, assim, aplicarmos exercícios práticos na grande maioria da carga horária”, destaca Valmor Fossá, ministrante do curso. Empresário e consultor, Fossá é bacharel em ciências econômicas, com especialização e pós-graduação em gestão estratégica de custos – além de ser pós-graduado em empreendedorismo. “Adaptei uma apostila para que os conceitos sejam repassados aos alunos de forma direta e objetiva – a fim de potencializar o aprendizado”, reforça.

O curso ocorre nos dias 25, 26 e 27 de junho e 03 e 04 de julho, das 18h30 às 22h30, no Centro Empresarial de Bento Gonçalves – com carga horária de 20 horas. Para associados do CIC-BG, o valor da inscrição é de R$ 215,00, já os não-sócios pagam R$ 285,00. Os interessados podem confirmar presença até o dia 21 de junho, pelo e-mail qualificação@cicbg.com.br ou pelo telefone (54) 2105-1999, com Denise.

CIC-BG tem agenda de qualificação - crédito exata comunicação

Santa Clara inaugura nova indústria em Casca dia 12 de julho

A Cooperativa Santa Clara prepara a inauguração de sua nova indústria de laticínios no município de Casca (RS). O evento está marcado para dia 12 de julho, nas novas instalações localizadas na Estrada RS-129 s/nº, Km 165, a partir das 13h30min. O evento reunirá autoridades, associados e funcionários da Cooperativa.

A construção de 22 mil metros quadrados já está concluída e já está na fase final de testes dos equipamentos para envase do leite UHT. A capacidade instalada é para industrialização de 600 mil litros por dia, iniciando em julho com processamento previsto de 300 mil litros/dia. A nova unidade produzirá todas as versões de leites UHT: integral, desnatado, semidesnatado e zero lactose, ampliando futuramente para outros produtos derivados.

As novas instalações representam um investimento de R$ 130 milhões e irão gerar 150 empregos diretos até 2021. Mais de 50 funcionários já estão trabalhando na nova indústria.

A Santa Clara

Atualmente, a Santa Clara conta com duas plantas de processamento de leite no Estado, uma localizada em Carlos Barbosa, que compreende indústria de leite UHT, leites pasteurizados e derivados, e outra em Getúlio Vargas, apenas para derivados. Em 2018 foram recebidos pela Cooperativa 285 milhões de litros de leite de seus 3.300 produtores em atividade em 136 municípios gaúchos.

Além de laticínios, a Cooperativa atua nos ramos de frigorífico suíno, fábrica de rações, cozinha industrial e varejo, com 11 supermercados, 15 mercados agropecuários e uma farmácia. São 5.500 famílias associadas, 2.150 funcionários entre todos os negócios e um mix de 350 produtos entre leite e derivados, embutidos e cortes suínos, doces e sucos de frutas.

Indústria Laticínios Santa Clara - Casca