Valle Rustico promove Burger&Beer com show da Blackbirds

Evento no dia 08 de setembro marca a última apresentação da banda na região antes do encerramento da formação

O Valle Rustico está comemorando 10 anos e a festa vai ser em grande estilo, dia 08 de setembro! O feriado de Independência vai ter acordes do bom e velho rock n’ roll com a 8ª edição do Burger&Beer. O evento em que o chef Rodrigo Bellora abre o jardim de seu restaurante vai ter comida na grelha e muita cerveja: tudo isso com a vista memorável do Vale dos Vinhedos e o show derradeiro da banda Blackbirds, que dará uma pausa na carreira a partir de setembro.

O Burger&Beer vai ter, ainda, competição de chope em metro, espaço kids, água para o chimarrão e doce de leite preparado ao vivo no fogão a lenha para o já consagrado sonho do Valle Rustico. “O Burger&Beer é aquele momento de cozinhar ao ar livre e curtir ótima música no nosso jardim. Já são oito edições e esse ano tem sabor especial com os 10 anos do Valle Rustico”, salienta o chef Rodrigo Bellora.

Após 22 anos como banda independente, a Blackbirds anunciou essa semana uma pausa nas atividades. O grupo formado por Jus Nino (vocal), Diogo Farina ((guitarra e vocal), Cassiano Farina (contrabaixo e vocal), Rafael Teclas (teclados), Márcio Possamai (bateria) e Mauricio Barbieri (guitarra) fará alguns shows de despedida, sendo o último da região no Burger&Beer do Valle Rustico. A discografia da banda inclui os álbuns Blackbirds (2002), Rock Rural (2004), EP Big Bang (2006), Nada Está Tão Ruim Que Não Possa Ser Piorado (2010), Acústico 15 Anos (2013), Ninguém É Mais Criança Aqui (2017) e o DVD Blackbirds – 21 anos |Daqui Pra Sempre – Ao Vivo no Wine Garden.

Mais sobre o Valle Rustico

O Valle Rustico é uma pequena propriedade rural orgânica no coração da Serra Gaúcha, no interior de Garibaldi. Como referência da ecogastronomia no Brasil, o chef Rodrigo Bellora defende uma culinária sazonal e da terra, que nasce em torno da agricultura familiar e ingredientes locais. O Burger&Beer é um evento inusitado dentro da proposta gastronômica do Valle Rustico, quando o jardim se abre a um dia totalmente descontraído.

 Serviço 

Burger&Beer Valle Rustico – 8ª edição

Quando: 08/09/19, das 12:00 às 20:00

Onde: jardim do Valle Rustico (Linha Marcílio Dias, 15 da Graciema – Vale dos Vinhedos)

Para beber: cerveja de boníssima qualidade: tipos e cervejarias em breve! Suco FitUp, água por conta da casa

Para comer: Rustico Burger, Burger vegetariano, Costela Burger, Sonho com doce de leite

Ingressos: R$ 30 antecipado (inclui entrada + 1 copo + 1 chopp Pilsen); R$ 40 na hora (inclui entrada + 1 copo)

Onde comprarhttp://bit.ly/BBVRsetembro

blackbirds_dvd

vr_0304

Fundação Marcopolo faz entrega de materiais escolares do Projeto Escolas

As escolas municipais Villa Lobos e Mário Quintana foram às escolhidas para receber a primeira entrega de kits, do ano

A equipe da Fundação Marcopolo, juntamente com os estudantes dos nonos anos participantes da Oficina Recicla das escolas municipais Rosário de São Francisco e Presidente Tancredo de Almeida Neves, contempladas do Projeto, entregaram 5 mil itens de materiais escolares aos alunos da EMEF Villa Lobos e EMEF Mário Quintana, na terça e quarta-feira (20 e 21/08).

Os kits contendo mochilas, estojos, borrachas, canetas, colas, apontadores, cadernos, giz de cera, tesoura e régua, foram confeccionados durante cinco meses pelos alunos do Projeto Escolas. A produção e entrega desses materiais contribuiu com despertar do espírito solidário, conforme explica a estudante Luana Martins Cezar, de 14 anos. “Algumas crianças não conseguem estudar por falta de material escolar. Então é muito gratificante saber que estamos fazendo nossa parte, para contribuir com a educação de outros alunos”, afirma.

Os estudantes da escola Villa Lobos terão acesso aos materiais doados em dois momentos: na premiação trimestral de alunos destaques e conforme necessidade de cada aluno, explica a diretora, Judite Gasparetto. “Recebemos essa doação com muita gratidão! Nossa comunidade é carente, portanto tudo que possa auxiliar na vida dos pais e incrementar a prática pedagógica dentro e fora da escola é muito bem-vindo!”, exalta.

O critério de seleção das escolas que receberam as primeiras doações aconteceu por meio da parceria com a Secretaria Municipal da Educação (SMED), que sinalizou as instituições que deveriam ser prioridade no momento. A entrega dos materiais escolares produzidos por alunos, para outros estudantes, é a culminância de um trabalho valoroso, avalia aespecialista em responsabilidade social da Fundação Marcopolo, Creice Arse.  “É o fechamento do ciclo do trabalho realizado diariamente pelos alunos, que podem perceber o quanto é valioso para o outro receber algo feito com tanto amor”, salienta.

Foto: Melina Francisquetti

escola Mario Quintana credito Rodrigo Onzi

Claudia Raia é atração na Expoagas 2019

No Agas Mulher, Claudia Raia abordou empreendedorismo feminino e compartilhou sua caminhada como produtora cultural 

Atriz, dançarina, cantora e produtora, Claudia Raia fez sua estreia como palestrante, nesta quarta-feira (21), no palco do Agas Mulher, espaço voltado ao público feminino que integra a programação da 38ª Expoagas. Intitulada “Nas Raias do Empreendedorismo”, a palestra abordou o empreendedorismo feminino nas artes e a consolidação da carreira de Claudia como produtora cultural.

Aos 19 anos, Claudia Raia iniciava sua carreira como produtora, a qual define como “fazer acontecer”. A nova atuação surgiu da compreensão de que não poderia esperar pelos outros. “Nós mulheres somos assim, quando temos uma missão, fazemos. No período pós-ditadura tudo estava meio parado e essa inércia dos produtores me fez querer produzir”, destaca. No mercado da produção, uniu a “Claudia artista” a sua versão empreendedora, encontro que lhe oportunizou diferentes aprendizados. “Tudo começou como artista, mas foi como empreendedora que continuou.”

Depois do fracasso de seu primeiro espetáculo, percebeu que, em um país que não tinha o hábito de assistir a musicais, precisaria criar seu público e as condições para seu produto funcionar. “A produção é negócio e exige conhecimento de planejamento, de orçamentos, investimentos, de como agregar valor ao produto e de selecionar uma boa equipe. Para isso, foi necessário entender para que e para quem eu estava fazendo isso”, destaca. E complementa: “Empreender como produtora se tornou meu palco também”. Contudo, ao criar um mercado, esbarrou nas carências. “Há 30 anos, não tínhamos atores que cantassem e dançassem, eu precisava de pessoas que quisessem aprender e acumular funções”, recorda. Assim, influenciou uma geração de atores brasileiros a atuarem em musicais tornando o Brasil o terceiro país em produção de musicais.

Empreender, para Claudia, é viabilizar vontades, desejos e demandas pessoais. Para isso, aposta em três motivações: coragem, ousadia e paixão. “Coragem porque empreender é arriscar, ousadia porque empreender é sair das fórmulas, e paixão porque é o que nos move”, destaca. Claudia encerrou sua passagem pela Expoagas com uma mensagem às mulheres: “Caí e levantei muitas vezes para chegar aqui, e eu sou mulher, nós criamos um espaço que não tínhamos e nada nem ninguém pode nos tornar menos do que somos e queremos ser”, afirma. E conclui: “a complexidade feminina é imensa e temos que usá-la para nos posicionarmos”.

Foto: Dani Villar

_DV_2322

“A loja precisa deixar de ser um ponto de compra, para se tornar um ponto de experiência”

Palestra do Centro de Aperfeiçoamento Técnico abordou o que o novo consumidor busca nas lojas 

O comportamento do novo consumidor foi o tema da palestra “O Shopper do Futuro”, ministrada pela especialista em varejo Fátima Merlin, no Centro de Aperfeiçoamento Técnico (CAT) na Expoagas 2019. A palestrante trouxe as principais tendências para o futuro varejista de acordo com o novo shopper – pessoa que tem poder de compra e decisão. Segundo Fátima, esse novo consumidor busca a facilidade e a praticidade em todos os processos, além de buscar uma experiência de compra, ou seja, o preço já não é tudo o que o consumidor busca. “A gente só comunica o preço e não conhece o cliente, o shopper do futuro quer muito mais do que uma promoção” – afirma.

A ministrante trouxe o conceito de “Shoppercracia”, ou seja, o poder de decisão está nas mãos do cliente. Para isso, é necessário que os varejistas conheçam com afinco o público para qual trabalham, quais as suas reais necessidades e o que eles procuram em uma loja. “Falamos de futuro, em um ambiente complexo e cheio de incertezas, mas, na verdade, o primeiro passo para o sucesso é algo muito básico, que é conhecer o cliente, isso é primordial para maximizar os resultados”. Fátima afirma ainda que apenas 30% da rede varejista conhece o público com o qual está lidando. “A hora é agora, se ficarmos só fazendo ofertas, vamos morrer em seguida. Precisamos entender o que o cliente quer, ou pode querer e prever soluções”, completa.

Para Fátima, a tecnologia abre muitos canais de comunicação e novas estratégias, entretanto, é preciso pessoal capacitado para lidar com toda as possibilidades. “Precisamos buscar soluções e a tecnologia é sim uma grande aliada, contudo, não se faz varejo sem pessoas. A equipe precisa saber como lidar com o cliente, independente do meio” – explica. A especialista acredita que, com toda essa mudança de comportamento, o varejista deve oferecer muito mais do que preço e produtos, deve apresentar soluções. “Temos que promover ações para interagir com o cliente e buscar alternativas que interfiram na decisão de compra, garantindo uma boa experiência do início ao fim”.

O shopper de hoje também tem muito mais acesso à informação, com isso, consegue pesquisar preços, analisar cenários e decidir como vai realizar a compra. “O que o varejista precisa é entender porque o consumidor buscou a loja, o que ele espera encontrar ali, qual a principal necessidade a ser suprida e como, a partir do que o cliente propõe, ele pode ajudar”. A ministrante explica que o consumidor gosta de variedade e ao mesmo tempo quer encontrar com facilidade o que busca na prateleira, para isso, existe uma série de medidas que podem ser aplicadas. “Podemos trabalhar com sinalização, promoções inteligentes, direcionamento de compra, entre outras. A loja precisa deixar de ser um ponto de compra, para se tornar um ponto de experiência”.

A palestrante concluiu sua fala explicando que o consumidor do futuro, que na verdade é o consumidor de agora, busca coisas muito básicas a serem implantadas. “O mantra do futuro é ser acessível, visível e disponível. O consumidor quer entrar em uma loja e sair rapidamente, de modo a suprir todas as necessidades que possui e sair satisfeito, disposto a voltar”, conclui.

Foto: Dani Villar

_DV_0802 - Copia

Últimas Semanas: inscrições no Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental vão até 03 de setembro

Faltam apenas duas semanas para o fim do prazo de inscrições para o Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental. Podem concorrer reportagens sobre meio ambiente que tenham sido publicadas entre 01 de julho de 2018 e 30 de junho de 2019 em veículos do Rio Grande do Sul.

Neste ano, uma das novidades é a possibilidade de textos publicados em blogs concorrerem ao prêmio. São cinco categorias: fotojornalismo, mídia impressa, radiojornalismo, telejornalismo e webjornalismo. Além do troféu, o primeiro colocado de cada categoria ganhará um prêmio de 5 mil reais. O segundo colocado receberá 2,5 mil reais e o terceiro, 1 mil reais.

O prêmio, promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES/RS), pela Associação Riograndense de Imprensa (ARI) e pela Braskem conta ainda com uma categoria especial para estudantes de jornalismo. No Prêmio Braskem de Jornalismo Universitário, a premiação será de 1 mil reais para o primeiro colocado e 500 reais para o segundo.

Os vencedores serão conhecidos durante cerimônia de premiação, prevista para o mês de outubro. O regulamento completo e o formulário para inscrição se encontram no site premiojornalismoambiental.com.br.

logo_menor

A reinvenção de Glória Maria

A jornalista foi o destaque da palestra magna do primeiro dia da Expoagas 

Com o Teatro do Sesi lotado, Glória Maria foi a responsável por iniciar as palestras da 38ª edição da Expoagas, maior feira do setor de supermercados de todo o Cone Sul. Com a palestra “É preciso se reinventar”, a jornalista, com mais de 30 anos de Rede Globo, compartilhou suas experiências de forma divertida para um público atento.

Glória, que já conheceu mais de 150 países, enfatizou que é preciso aprender algo novo diariamente. “Não reparamos quem somos porque passamos muito tempo olhando para a vida do outro. Nascemos para caminhar e mudar a cada dia” afirmou. Para isso, segundo Glória Maria, é preciso ter a capacidade de crescer, respeitar, aprender e superar. “Para atingir um objetivo, você precisa caminhar. E o primeiro passo sempre é o mais difícil.”

Nascida em família humilde, Glória Maria afirma que o fato de ter nascido mulher, pobre e negra nunca foi motivo para acreditar que não poderia fazer algo. “Aprendi que não podemos viver exercitando o problema. Tento viver para a solução”, revelou. A partir disso, aprendeu que a superação dos próprios limites é algo necessário para a reinvenção.

Para a jornalista, não existe fórmula para a reinvenção, mas sim uma condição de superação. “A vida tem o seu lado B, da barra pesada, e que nos faz crescer e melhorar. Se a gente continuar na zona de conforto, a gente não vive”, afirmou. Não ter medo de ousar, ter ideias pré-concebidas que limitam as possibilidades, ter experiências, correr riscos e nunca perder o senso de humor foram outras dicas que Glória Maria compartilhou com o público.

A mais recente experiência de reinvenção de Glória Maria será em setembro, quando assume a apresentação do Globo Repórter ao lado de Sandra Annenberg.  “Estou sempre com a alma livre para aceitar desafios. Não tenho medo do novo”, afirma a jornalista.

Foto: Dani Villar

foto dani villar

Biblioteca Pública Castro Alves completa 79 anos

O dia 20 de agosto constitui-se uma data importante na vida cultural do município: a inauguração da Biblioteca Pública Castro Alves. De lá para cá, o espaço se tornou em um ambiente gerador de cultura, arte e cidadania difundindo os bens e serviços que asseguram e promovem o acesso à comunidade.

E neste dia 20 de agosto a instituição comemora 79 anos. Ao longo deste tempo, atua tanto na preservação do acervo, quanto na modernização de seu espaço atendendo as demandas advindas das tecnologias de informação e comunicação – como, por exemplo, possui uma sala de telecentro, com computadores com acesso gratuito à internet. Ainda, neste ano, foi contemplada pelo Ministério da Cultura para implantar uma Biblioteca Digital, na qual possuirá um acervo com mais de 10.000 livros digitais.

A bibliotecária Paula Gautério destaca que “algumas intervenções que estão sendo realizadas no espaço interno do prédio: “atualmente fizemos mudanças internas com o intuito de melhor atender ao público, lembrando que a Biblioteca é um ambiente dinâmico de construção do conhecimento e incentivo à leitura, um lugar de encontros, de trocas de experiências. Por isso, é necessário proporcionar uma interação maior com o público que integra o universo das bibliotecas”.

Além das mudanças físicas na recepção da Biblioteca, também tem uma programação que compreende contação de histórias, com os livros “Os dez sacizinhos”, de Tatiana Belinky, e O Coelhinho, de Carol Roth, além de presentear o presentear o usuário mais assíduo com um kit de livros e CDs patrocinados pelo Fundo Municipal de Cultura. Também a Biblioteca faz uma contive aos escritores e ilustradores de Bento Gonçalves para deixarem suas mensagens ou desenhos no mural interativo que compõem a recepção.

A poetisa Sabrina Dal Bello evoca a Biblioteca Pública como se fosse um mar: “porque no mar o caminho que a pessoa vai não é errado, com várias possibilidades de caminhos. Na Biblioteca Pública, cada livro em forma de caminho é uma vida, é uma história, uma possibilidade. Essa é a grande felicidade de se deparar com um livro. Quando a gente lê viajamos a lugares tão distantes, mas tão nossos. Por isso, a Biblioteca Pública é a nossa bússola, a nossa riqueza que amplia a nossa visão de mundo e ser ser humano”.

O escritor homenageado da 34ª Feira do Livro, Douglas Ceccagno, coloca que a Biblioteca Pública é um lugar “aonde todos deveriam ir de tempos em tempos, nem que fosse apenas para lembrar como somos insignificantes diante de todo o universo já pensado e imaginado, que há de perdurar muito além de nós e que nunca conseguiremos acessar no tempo de uma só vida. Não há como adentrar de verdade uma biblioteca, senão com respeito e humildade. Se cada livro aberto é um mundo novo que se descortina, uma biblioteca é uma multidão de universos paralelos. Tomar contato com esses universos é uma forma inigualável de driblar as limitações da vida e fazê-la grandiosa mesmo num cotidiano medíocre”.

Foto: Divulgação/Biblioteca Pública Castro Alves

Biblio_79_anos

Senac Bento Gonçalves abre inscrições para o curso Confeiteiro

A Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI) informou que a categoria de pães e bolos industrializados movimentou R$ 6,45 bilhões em 2018, com volume de vendas de 465,8 mil toneladas. Diante deste cenário, o Senac Bento Gonçalves abre as inscrições para o curso Confeiteiro. As aulas iniciam dia 23 de setembro, com encontros de segunda a quinta-feira, das 19h às 22h.

A capacitação tem uma carga horária de 300 horas e durante as aulas os alunos aprendem as técnicas clássicas e contemporâneas da confeitaria mundial. A profissão de Confeiteiro permite atuação como empreendedor ou em confeitarias dos mais diversos portes e estilos. Durante o curso, o aluno é constantemente estimulado a ingressar no mercado de trabalho por meio de estágios e contato direto com profissionais da área.

As inscrições podem ser feitas pelo site www.senacrs.com.br/bento ou presencialmente na escola, localizada na rua Saldanha Marinho, 820 – Centro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3452-4200.

Sobre a Fecomércio-RS

A Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Rio Grande do Sul é uma entidade sindical, que atua no âmbito econômico, político e social em prol da constante qualificação e crescimento do setor terciário gaúcho. A Fecomércio-RS possui hoje 112 sindicatos filiados e representa mais de 580 mil empresas, geradoras de aproximadamente 1,6 milhão de empregos formais. Atualmente, o Sistema Fecomércio-RS reúne os braços operacionais dos setores de comércio e serviços, Sesc/RS e Senac-RS e conta também com o Instituto Fecomércio de Pesquisa (Ifep) e com o Centro do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RS (Ccergs). Mais informações pelo http://www.fecomercio-rs.org.br/.

Sobre o Senac-RS

O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) é uma organização de educação profissional que tem o objetivo de colaborar na obra, difusão e aperfeiçoamento do ensino profissional no setor terciário da economia/comércio e serviços. Sua missão é “educar para o trabalho em atividades de comércio de bens, serviços e turismo”. Há 72 anos instalado no Rio Grande do Sul, o Senac-RS é administrado pela Federação do Comércio de Bens e Serviços do Estado (Fecomércio), entidade que conta com 112 sindicatos filiados, representando mais de 580 mil empresas. O Senac-RS já capacitou mais de 7 milhões de pessoas e possui 41 escolas de educação profissional, duas faculdades e 23 unidades de atendimento, somando mais de 60 pontos de atendimento no Rio Grande do Sul. Além disso, é a única instituição de educação do Brasil a ganhar o Prêmio Nacional da Qualidade (PNQ). Em 2017, também conquistou o Prêmio Ibero-Americano da Qualidade e, em 2018, celebrou o reconhecimento Melhores em Gestão, concedido pelo PNQ.

confeiteiro

CIC-BG e Ceran consolidam parcerias que engrandecem a comunidade

Nome recorrente entre os patrocinadores de eventos e ações sociais na região, a Companhia Energética Rio das Antas (Ceran) tem, cada vez mais, estreitado os laços com as comunidades onde está inserida. Uma das principais razões está amparada na política da empresa, que acredita na responsabilidade social como fator de desenvolvimento regional.

Por meio de projetos que se beneficiam das leis de incentivo fiscal, como prevê a legislação brasileira, a Ceran tem auxiliado eventos como a ExpoBento, promovida pelo Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC-BG), e ampliado ações sociais de diversas entidades nos oito municípios de abrangência da companhia. “Parte do imposto que pagaríamos ao governo, investimos nas comunidades. Fizemos isso de forma voluntária, pois entendemos como uma forma de exercermos nossa função social”, diz a coordenadora de projetos da Ceran, Daniela Toller da Rocha.

A partir desta política da empresa, o CIC-BG tem estimulado instituições da cidade a inscreverem projetos em áreas da saúde e do desenvolvimento de ações voltadas a adolescentes e idosos, por exemplo. “É importante que saibamos utilizar os mecanismos existentes na sociedade a fim de fomentar ações que aumentem a qualidade de vida de nossa população”, comenta o presidente da entidade, Elton Paulo Gialdi. Ele refere-se, por exemplo, a projetos que podem ser inscritos para serem contemplados por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), do Fundo para Infância e Adolescência ou do Fundo Nacional do Idoso, com a participação e o aval do Conselho Municipal do Idoso (Comui) e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica).

Todas empresas que fazem declaração de imposto de renda por lucro real podem destinar parte dos recursos que iriam para o governo em iniciativas de cunho social. “As empresas não estão dando um dinheiro a mais, é o mesmo dinheiro do imposto que vai para o governo, ou melhor, uma pequena parte dele e que faz uma grande diferença na vida social da cidade, ajudando-a também a se desenvolver plenamente. Neste sentido, empresas como a Ceran mostram um verdadeiro cuidado com as causas regionais”, considera Gialdi.

Somente no ano passado, a Ceran investiu quase R$ 2 milhões em projetos dos mais variados segmentos. Grande parte dos recursos é oriunda de valores dedutíveis do imposto de renda, mas a Ceran também disponibiliza um montante corporativo para as iniciativas, que em 2018 foi de R$ 42,9 mil.

Apenas projetos de pessoas jurídicas estão aptos a serem analisados pela Ceran. Eles precisam atender há alguns requisitos, como serem desenvolvidos nos municípios do entorno das usinas Castro Alves, Monte Claro e 14 de Julho – Bento Gonçalves, Cotiporã, Veranópolis, Nova Roma do sul, Antônio Prado, Nova Pádua, Flores da Cunha e Pinto Bandeira. E, além de gerarem benefícios a essas comunidades, precisam estar ligados às áreas de educação, de agregação de renda, de saúde, segurança e meio ambiente, de desenvolvimento de crianças, adolescentes e idosos, de incentivo à prática do esporte e de desenvolvimento da cultura.

As inscrições estão abertas o ano todo, e podem ser feitas por meio do Portal Social, sistema online de cadastramento de projetos implantado pela Ceran. O acesso é realizado através do site www.ceran.com.br, na aba “Institucional” – “Projetos Sociais”, clicando no link “Cadastre o Seu Projeto Social”. Então, é preciso cadastrar, primeiramente, os dados da instituição e, após, os dados do projeto. “É tudo automático, o sistema gera automaticamente logins e senhas, bem como envia e-mails informativos aos proponentes a cada alteração ou solicitação que incluímos no sistema”, explica Daniela.

Contudo, o proponente deve prestar atenção às datas de execução do seu projeto. Apesar de poder inscrevê-lo a qualquer hora, está restrito às reuniões de aprovação de projetos, que ocorrem, habitualmente, duas vezes ao ano. “Se cadastrar o projeto após ocorrer a reunião e sua execução for antes da próxima reunião, não haverá tempo hábil de realizarmos a análise e darmos o retorno pela aprovação ou não”, comenta.

cic e ceran

Na foto: Vice Diretor de Projetos da ExpoBento 2019, Adelgides Stefenon, diretor geral da ExpoBento 2020, Gilberto Durante, Coordenadora de projetos da Ceran, Daniela Toller da Rocha, coordenador geral da 16ª Fenavinho, Diego Bertolini, e Diretor de Projetos da ExpoBento 2019, César Anderle, celebrando o sucesso da parceria

7ª Semana Municipal da Pessoa com Deficiência é aberta em Bento Gonçalves

A 7ª Semana Municipal da Pessoa com Deficiência, instituída pela Lei Municipal nº 5.603 de 15 de maio de 2013, abriu sua programação nesta segunda-feira, 19, com solenidade no Shopping Bento. No local, estarão expostos até o dia 30, ações e trabalhos desenvolvidos por entidades do município ligadas ao tema.

A programação, que segue até o dia 31 de agosto, trará diversas atividades que buscam instigar debates e reflexões sobre igualdade e inclusão. O evento é uma realização da Secretaria de Habitação e Assistência Social e Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comudef).

O presidente do Comudef, Bruno Garim Soares, agradeceu aos parceiros da iniciativa e salientou a importância da conscientização. “A Semana é muito importante porque é o momento onde as pessoas que possuem alguma deficiência se mostram. Nesse sentido, nosso objetivo vai encontro de abrir debates e promover a inclusão e a igualdade nas esferas da sociedade” pontua Soares.

A Semana segue com uma ação nesta terça-feira, 20, aonde será realizada a distribuição de material de conscientização sobre as vagas especiais de estacionamento, na Via Del Vino. A atividade se repete no dia 26, na Rua Cândido Costa, em parceria com o Departamento Municipal de Trânsito (DMT).

Dando sequência a programação, no dia 23, na Via Del Vino, ocorre distribuição de material informativo sobre a Campanha Calçada Legal. A atividade contará com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente e do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPURB). Durante as ações de distribuição de material de conscientização, as entidades de Bento Gonçalves que trabalham em prol das pessoas com deficiência também estarão participando.

Também integrando as atividades da Semana, no dia 24, a Fundaparque abriga uma Mateada Comemorativa, às 11h, com apresentações artísticas, exposição, pipoca e algodão doce. Os interessados devem levar apenas cuia, bomba e térmica. A erva-mate e água quente serão distribuídas.

Ao final do evento, as integrantes da Apae encantaram o público com uma apresentação artística. Participaram da solenidade de abertura, os vereadores Anderson Zanella e Edson Biasi, o secretário de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira, o secretário de Gestão Integrada e Mobilidade Urbana, Gilberto Rosa, o coordenador de Políticas Públicas de Trânsito, Thiago Fabris, o presidente da Associação Bento Gonçalvense de Ostomizados, Odone Scarton, a coordenadora da Associação Pró-Autista Conquistar, Cláudia Pimentel, a presidente da AIDD, Onívia Soranzzo, o presidente do Rotary Club Bento Gonçalves,Augusto Bendetti, o presidente da APAE, Paulo Ranzi, a coordenadora da ADEF, Andressa Ben, a representante do IFRS, Neilene De Carli.

Fotos: Jose Martim Estefanon

Apae