O Estranho Sem Nome

FilmeO Estranho Sem Nome

Título original: High Plains Drifter

Ano: 1973

Direção: Clint Eastwood

Roteiro: Ernest Tidyman

Elenco: Clint Eastwood, Verna Bloom, Marianna Hill,

Mitchell Ryan

Um homem misterioso surge nas colinas e vai em direção da cidade de Lago. Ele encontra os habitantes fragilizados pela ameaça de um grupo de bandidos e oferece a sua ajuda em troca de privilégios. O povoado, então, começa a perceber que talvez o estranho sem nome não seja bem a ajuda que eles gostariam de receber.

No primeiro faroeste dirigido por Clint Eastwood, ele consegue ir além das suas referências e constrói uma história bizarra, com interpretações que podem ir do racional até o sobrenatural e tão misteriosa quanto o seu personagem (de moral extremamente questionável).

O filme é um tiro certeiro do diretor que até então havia somente atuado no gênero. Todos os ensinamentos de seus mestres anteriores aqui servem para uma obra original e enrustida nos clássicos estereótipos dos pistoleiros anteriormente interpretados por Clint.

Em uma cena em um cemitério, podemos ver em alguns túmulos os nomes “Don Siegel”, “Brian G. Hutton” e “Sergio Leone”. Clint Eastwood estava enterrando os seus diretores e marcando o início de uma etapa brilhante de sua carreira.

Trainspotting

bruno_nascimentoBruno Nascimento

Trainspotting

Direção: Danny Boyle

Roteiro: John Hodge, Irvine Welsh (livro)

Elenco: Ewan McCregor, Ewen Bremmer, Jonny Lee Miller, Kevin McKidd

Um grupo de jovens delinquentes tem na heroína a única escapatória da existência pífia que a sociedade oferece. Mark Renton, um deles, sofre com o inevitável fato de que a vida exige que escolhas sejam tomadas. Por isso, segue o caminho mais prazeroso – e curto.

Danny Boyle já demonstrava seu potencial artístico muito antes dos holofotes o encontrarem em 2008, com “Quem Quer Ser um Milionário”. Sua capacidade de realizar filmes com pitadas de genialismo é aparente em 1996, com Trainspotting. O figurino simplório que combina com o estado dos personagens, a representação prática dos sentimentos de prazer, horror, obsessão, etc. Tudo colabora para construção de uma narrativa rica em filosofia e auto-compreensão.

Trainspotting se mantém como uma obra artística fundamental para refletirmos o indivíduo e a sua participação (inevitável) na sociedade.

DICAS DE FILMES: Mad Max: Estrada da Fúria

Por Bruno Nascimento

chmogs0qnqyiejnz7zn9mjoa18t1Título original: Mad Max: Fury Road

Ano: 2015

Direção: George Miller

Roteiro: George Miller, Brendan McCarthy, Nick, Lathouris

Elenco: Tom Hardy, Charlize Theron, Nicholas Hoult, Hugh Keays-Byrne

Max se vê no meio de uma perseguição mortal iniciada pela Imperatriz Furiosa. Eles precisam escapar de um comboio insano que quer resgatar as mulheres grávidas de seu líder, o Immortan Joe.

Em uma epoca em que filmes de ação são adolescentes, Estrada da Fúria se sobressaí como uma obra adulta. George Miller, mesmo sendo um setentista, consegue apresentar mais potência e idealismo do que qualquer diretor jovem.

O filme não somente se sobressai como uma ópera do gênero de ação, mas carrega uma narrativa poderosa. Diálogos não são tão presentes, fato. Mas não nos enganemos, pois é justamente nesse espaço que se encontram as mensagens de empoderamento feminino e luta.

Mesmo em uma narrativa enrustida nas clássicas simbologias do faroeste, o quarto filme da série vai continuar sendo jovem e representativo por muitos anos.