felicidade

Dois mil e vinte

Por César Anderle

Estamos beirando o Ano Novo. Os espíritos se elevam, é um momento de renovação, passamos pelo Natal e refletimos sobre amor, carinho, bem-estar, perdão, gratidão, mas agora revisamos as nossas conquistas de dois mil e dezenove, as nossas frustrações, os nossos sonhos, e vivemos o clima de solidariedade que envolve todos os corações. O nascimento de Cristo foi uma oportunidade de renovarmos as esperanças na natureza humana, no homem e na sua fé por tempos melhores. A passagem para um novo ano, independente da crença de cada um, é sempre um momento de renovação.

Neste caminho que trilharemos, lanço aqui algumas questões: Qual o valor que eu dou à vida? Como eu a vivo? Quais os valores que eu priorizo? A resposta a estas indagações suscitará em nós a importância que damos ou não pelo cuidado à vida. Recorrendo ao pensador clássico Sócrates, ele afirma: “a vida sem reflexão não merece ser vivida”.

Só poderemos construir a paz a partir de uma nova mentalidade, quebrando alguns paradigmas, “enculturando” novas formas de olhar o outro, isso significa valorizar o ser humano na sua amplitude. Resgatar a subjetividade humana, respeitar cada pessoa na sua simplicidade e singularidade.Sendo assim, possibilitaremos uma vida digna a todos, cada um com suas virtudes e fragilidades.

Precisamos discernir com sabedoria o que é necessário para viver bem e melhor, com qualidade de vida. Se faz necessário perguntar o porquê e para que. O excesso de bens materiais ou a escassez dos mesmos é o grande desafio da sociedade moderna. Muitos vivem só para o trabalho. A preocupação quantitativa e lucrativa, tudo vale para atingir as metas e o poder nesta visão maquiavélica.

Por outro lado, e olhando para a maioria do nosso povo, existem pessoas que trabalham constantemente para apenas sobreviver. Mesmo que a vida seja difícil, cria-se sentido e sabor se intensificarmos as horas que sobram do dia, da semana, partilhando e celebrando a amizade com as pessoas da comunidade, da família, com os amigos e por causas humanitárias, só assim presenciaremos o verdadeiro sentido da vida.

Este é o momento de projetarmos o nosso futuro, nossas próximas metas, nossos sonhos, nossos ideais. A partir do dia primeiro de janeiro podemos mudar o mundo sim, com nossas atitudes, nossos pensamentos, nossas ações. O futuro se faz hoje, através do primeiro passo, da primeira mudança em nosso cotidiano. Podemos ter uma rotina positiva, basta querermos, lembrando que sempre se faz necessária a disciplina. Só assim faremos um mundo melhor, a começar por mim e por você.

felicidade

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *