Natal 3

Reflexões

Por Ancilla Dall’Onder Zat 

Professora 

ancila@italnet.com.br 

Quando o ano está a findar, há todo um movimento pessoal e coletivo de sensibilidade pela magia do Natal que se aproxima e pelos mais variados aspectos. Há os que contabilizam alegrias, conquistas pessoais, enquanto outros enfrentaram problemas, perdas de familiares e de amigos que partiram ou dificuldades financeiras.

É o momento de refletir sobre as vivências e ações na trajetória de mais uma etapa, para que a próxima se concretize, na esperança e perspectiva de um ano melhor. É também o momento em que refletimos sobre nossos ganhos e nossos gastos, pois nossa necessidade de consumo está relacionada à natureza humana para a sobrevivência.

O consumo consciente atende às nossas necessidades básicas (Maslow), entre as quais não se pode prescindir da alimentação, saúde, educação e vestuário. Há quem sugere perguntar a si mesmo: eu preciso? Eu posso? Ou ainda, atende às minhas necessidades básicas? Consumir hoje e poder fazê-lo de forma consciente amanhã e depois, foi comparado por Bauman, em sua obra “Modernidade Líquida”, a uma corrida, pois se corremos desenfreadamente, é provável ficar pelo caminho; moderamente, de acordo com nossas forças, chegaremos com sucesso ao final da corrida. A sobriedade faz-se presente.

Uma ceia festiva, brinquedos para as crianças, presentes para os familiares e amigos simbolizam o amor e o respeito pela vinda do Deus Menino, sinalizam a amizade, a solidariedade e a partilha. Como não sentir prazer ao ver a alegria estampada no rosto de uma criança ao receber o seu brinquedo? A felicidade de um desprovido, com a solidariedade de alguém desconhecido?

A esperança que sempre esteve presente entre os seres humanos, por encerrar em seu significado e sentido o desejo de bem-estar e realização, incentiva e estimula, pois a esperança não tem idade. Aliás, a vida é feita de esperança. A criança espera amor e atenção de seus pais, assim como espera o brinquedo no Natal; o adulto espera suprir suas necessidades e que seus sonhos se realizem; o idoso espera ter saúde e convivência digna.

O Natal imprime, em todos nós, sentimentos nobres de amor, de solidariedade, de partilha e, sobretudo, de esperança. É nesse clima de reflexão e de esperança que desejamos um Feliz Natal e um Ano Novo de muita alegria.

Natal 3

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *