Joker

Sobre “Joker”

Por Rodrigo De Marco 

rodrigo@integracaodaserra.com.br 

Joaquin Phoenix poderia ter interpretado o personagem Arthur Fleck (que cria o alter-ego Coringa) sem texto algum (assim como Leonardo DiCaprio em “O Regresso”), que mesmo assim seria aplaudido de pé no Festival de Cinema de Veneza. O olhar com o misto de desespero e revolta do personagem premia mais uma atuação estupenda de Phoenix. É impossível não ficar vidrado no personagem, não simpatizar com o mesmo, e em alguns momentos torcer pela sua “vitória” ao longo da história. Pode-se dizer que “Joker”, dirigido por Todd Phillips, é uma crítica ao chamado capitalismo selvagem? Sem dúvidas. Além de que o longa destaca questões pertinentes sobre saúde mental. Em suma, é um filme importante lançado no momento certo. A violência gráfica é explorada de forma sublime, porém eu diria que é apenas um bônus numa história repleta de elementos que enriquecem qualquer debate acerca do sistema social que estamos inseridos. Estamos adoecendo numa realidade em que a competição desenfreada e a desigualdade social cada vez maior tem soterrado uma parcela da população que com extrema dificuldade tenta se reerguer numa sociedade marcada pela ganância e o poder. Será mesmo que o Coringa, ou melhor, Fleck, é o verdadeiro vilão da história? Assista “Joker” e tire suas próprias conclusões.

Joker

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *