slow food 2

Slow Food promove Festa Junina Livre de Transgênicos em Garibaldi

Evento para promoção da biodiversidade vai ser no dia 07 de julho, no Sítio Crescer, com comida, brincadeiras e feirinha de produtos orgânicos

Vamos falar sobre biodiversidade à caráter, com pipoca, fogueira e quentão! O movimento Slow Food Primeira Colônia Italiana promove, no dia 07 de julho, sua Festa Junina Livre de Transgênicos. Ingredientes orgânicos e não transgênicos foram selecionados diretamente de produtores locais para a festa, no Sítio Crescer, em Garibaldi.

Vai ter fogueira, muitas delícias feitas com milho crioulo e outros ingredientes orgânicos, quentão de vinho orgânico, brincadeiras, passeio de trator no Sítio Crescer, chopp orgânico da Coopernatural de Picada Café, feirinha da agroindústria com a Via Orgânica e sapeco do pinhão no fim da tarde.

O líder do convivium Slow Food Primeira Colônia Italiana, Rodrigo Bellora, explica que o movimento defende a ecogastronomia: a união entre a ética e o prazer da alimentação, e que a salvaguarda das sementes crioulas é crucial nesse processo. Por isso, uma festa junina livre de transgênicos. “Quando o movimento Slow Food promove ou participa de eventos gastronômicos, está disseminando o direito ao prazer da alimentação com produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção”, destaca.

O movimento Slow Food propõe um novo senso de responsabilidade na busca do prazer à mesa, reconhecendo as fortes conexões entre o prato e o planeta. Para o movimento, nossas escolhas à mesa interferem nas condições do meio ambiente, na biodiversidade, nas tradições e na economia. Somos todos coprodutores de nossa alimentação, na medida em que temos o poder de escolha à mesa.

Na Serra Gaúcha, o grupo Slow Food Primeira Colônia Italiana foi fundado em 2013, com sede em Garibaldi. Difundimos os conceitos do movimento por meio de mesas redondas, hortas escolares, educação para o gosto e a troca de experiências entre produtores, cozinheiros e consumidores. Qualquer pessoa pode e deve ser um membro Slow Food, aprendendo e contribuindo para um novo sistema alimentar bom, limpo e justo.

slow food

slow food 2 slow food 3

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *