Valor biológico e nutricional da carne de peixe

Valor biológico e nutricional da carne de peixe

Por Thompsson Didoné 

Enólogo Emater/RS-Ascar 

Neste mês aumenta o consumo de peixes, em decorrência da Semana Santa e da tradição do consumo de pescado.

O consumo do pescado deveria ocorrer com mais frequência. Recomendações nutricionais indicam seu consumo como importante, ao menos uma vez por semana.

Existem muitas razões para introduzir o peixe na alimentação, além de ser um alimento muito saboroso. Os peixes são fontes de proteínas, vitaminas e sais minerais. Peixes gordos têm maior teor de vitaminas A e D no corpo. Os magros concentram estas vitaminas no fígado.

A proteína da carne dos peixes é de alta digestibilidade e de grande valor biológico, ou seja, é possível absorver até 45% do volume da carne de um peixe que se tenha ingerido. A quantidade necessária de carne de peixe por dia para suprir as necessidades de manutenção de um ser humano de tamanho e peso normal é de 100 gramas. O valor biológico se dá em função de que as proteínas presentes na carne de peixe apresentam todos os aminoácidos essenciais ao organismo humano, entre outros.

Os minerais presentes na carne de peixe são Cálcio, Ferro, Iodo, Fósforo, Cobre e Magnésio em grandes proporções. Estes minerais são necessários para a formação de ossos e dentes e também ajudam as proteínas e vitaminas na formação, regularização e funcionamento do organismo.

A carne de peixe possui baixo teor de gorduras e tem menor valor calórico que outros tipos de carne. Deve-se observar que peixes muito gordos podem apresentar até mesmo colesterol, uma vez que possam ter sido criados com uma dieta desbalanceada e sejam animais muito velhos.

Tempo de armazenagem 

l Peixes magros: de 6 a 8 meses

l Peixes gordos: de 1 a 3 meses

peixe

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *