Esculturas alertam para a ameaça da paisagem rural

Obras de mais de dois metros, do artista Aido Dal Mass, serão instaladas no roteiro Caminhos de Pedra

Por Rodrigo De Marco

No pátio em frente à casa do artista plástico Aido Dal Mass, em Bento Gonçalves, no bairro Humaitá, cinco esculturas em zinco, com mais de dois metros de altura, aguardam transferência para o roteiro turístico Caminhos de Pedra, no distrito de São Pedro. As esculturas, resultantes da aprovação do projeto “Ameaça do Futuro da Nossa Paisagem Rural”, pelo Fundo Municipal de Cultura de Bento Gonçalves, serão instaladas no decorrer deste ano na Casa dos Escultores e nos entornos da Casa da Ovelha, do Moinho Bertarello e da Casa da Erva Mate.

Aido Dal Mass 6

Estilo vivaz e irreverente
No último mês de fevereiro, o artista recebeu em seu atelier a equipe do Jornal Integração da Serra. Na ocasião, Dal Mass, com seu estilo vivaz e irreverente, que já usava uma vasta barba antes de virar moda, mais chapéu de palha, compondo um visual que lembra um lenhador das montanhas, discorreu sobre as cinco esculturas. Ressaltou que elas foram feitas com base na técnica destrutiva, que utiliza materiais de ferro velho, especialmente o zinco, imune às intempéries do tempo que afetam a maioria dos metais, arames e canos. Acrescentou que as bases foram feitas com tijolos e ladrilhos, confeccionados no distrito de São Pedro.

Aido Dal Mass (Matéria cultura)

“Arte é ideia, conteúdo e forma. A aflição do artista é criar o que ele tem para expressar. Essas obras representam o homem do campo. São contra a ameaça do abandono da paisagem rural, da representação do estado digno do homem do interior, o qual ele próprio está fadado a esquecer. Hoje, há residências no interior que mais parecem mansões para fins de semana”, salientou Dal Mass.

Aido Dal Mass 8

As obras, carregadas de simbolismo, surpreendem também pela leveza. O zinco transformado por Dal Mass é a mais nova marca do artista, que diz encontrar o silêncio no chamado “caos” diário. “É no barulho de minhas criações que encontro paz interior”, afirmou.

Aido Dal Mass 13

“O silêncio se pratica no dia a dia, no meio da barulheira, ali tu achas teu centro. Arte também é muito trabalho. São 10 minutos de êxtase e o resto é sacrifício, tem que se entregar. Os filósofos diziam que tu jamais terás controle de ti mesmo se não conseguires se imaginar criando”, acrescentou o artista.

Vocabulário vasto

A filosofia transcorre no vocabulário vasto e repleto de possibilidades de Dal Mass, que começou a pintar telas aos 18 anos, servindo o quartel, em Bento Gonçalves. Hoje, aos 62 anos, com mais de 40 anos de trabalho, ele não esconde seus trejeitos que traçam seu perfil descontruído e, ao mesmo tempo, inovador. O artista nasceu em Ponta Grossa, Paraná. Aos dois anos, em meados de 1956, sua família muda-se para Bento Gonçalves, onde reside até hoje.

Autodidata, Dal Mass tem uma trajetória de mais de quatro décadas que resultaram em pinturas abstratas, surrealistas e expressionistas geométricas, com a utilização de acrílico sob tela e em esculturas em diversos materiais, com destaque para a pedra basalto, comum na região. Na escultura, imprime um traço geometrizado sem perder essencialmente as curvas com uma leitura contemporânea. Boa parte de sua obra retrata a saga da imigração italiana no Rio Grande do Sul. Na escultura imprime um traço geometrizado, sem perder essencialmente as curvas com uma leitura contemporânea.

Aido Dal Mass 14

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *