Ministério Público promove Encontro Restaurativo em Bento Gonçalves, no CIC-BG

Atividade será realiza dia 6 de novembro

Tendo o diálogo como base para a construção de relacionamentos, a fim de compreender diferenças e evitar conflitos em escolas, a Promotoria de Justiça de Bento Gonçalves promove a segunda edição do Encontro Regional Restaurativo da Serra Gaúcha, no próximo dia 6.

A partir das 8h, três especialistas (veja abaixo) compartilharão suas experiências em questões envolvendo comportamento e linguagem à luz da neurociência, da comunicação não-violenta e da psicologia, no Salão de Eventos do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG). São esperados cerca de 400 participantes.

Promotor Elcio - credito acervo pessoal

Um dos objetivos do encontro é mobilizar educadores para a atuação restaurativa em seus meios de atuação. Instituído em junho do ano passado, o projeto Pacificação nas Escolas: um Olhar Restaurativo do Ministério Público do RS envolve cerca de 60 escolas estaduais e municipais de 18 cidades da Serra. A ideia nasceu da observação dos crescentes conflitos de relacionamentos nas escolas. “Muitas vezes, isso levou à violência, seguindo-se registros de ocorrências policiais. A prevenção a eventuais violências por intermédio do diálogo, que leva à solução pacífica dos conflitos, foi a metodologia escolhida”, diz o promotor de Justiça de Bento Gonçalves, Élcio Resmini Meneses, coordenador do projeto.

Segundo ele, muitos foram os avanços conquistados desde a implantação do projeto, que proporcionou oito formações básicas e duas avançadas a 250 educadores da região, com a parceria de Secretarias Municipais de Educação e de Assistência Social, da Secretaria Estadual de Educação e da Escola Superior de Magistratura. “A partir de então, desencadeou-se nos ambientes escolares a realização dos círculos de construção de paz e os círculos restaurativos, verificando-se a convivência mais harmoniosa e pacífica nos ambientes escolares. A diminuição das atas escolares e dos registros policiais, anteriormente significativos, demonstram que as escolas participantes têm constatado a validade do projeto e da metodologia restaurativa”, comenta Meneses.

Para o promotor, esses círculos de paz não dissipam conflitos apenas em ambientes educacionais. Acabam tendo um impacto no cotidiano da sociedade, que muitas vezes deposita o desejo de paz apenas nos órgãos de segurança. Ao propor o diálogo como forma de apaziguamento, dá-se a oportunidade de dividir responsabilidades e de transformar realidades. “Propor uma reflexão a crianças e adolescentes e também aos adultos, sobre a possibilidade do diálogo para resolução dos conflitos, e, principalmente, para a sua prevenção, confere à comunidade escolar a perspectiva de novas relações para o presente e para o futuro, sendo os envolvidos partícipes da decisão sobre a sociedade que queremos”, avalia o promotor.

Serviço

O que: II Encontro Regional Restaurativo da Serra Gaúcha

Quando: dia 6 de novembro, das 8h às 16h30min

Onde: Salão de Eventos do CIC-BG

Quanto: R$ 20. Inscrições pelo e-mail vanda@mprs.mp.br. O pagamento pode ser feito no dia do evento

 Programação

8h – Acolhimento

8h30min – Apresentação teatral

9hs – Abertura oficial

9h30min – Palestra: A Neurociência do Comportamento e da Aprendizagem, com Guilherme Marcos Nogueira

11h30min – Debates

12h – Almoço – Intervalo

13h30min – Apresentação musical

14h – Palestra: Violência no Mundo Moderno, com Jorge Trindade

15h – Palestra: Comunicação Não Violenta – Conectando Pessoas pela Linguagem da Vida, com Jeferson Cappellari

16h30min – Encerramento

Os palestrantes

Guilherme Marcos Nogueira: é professor de neurociência do Comportamento e da Aprendizagem em cursos de pós-graduação nas áreas de Pedagogia, Psicopedagoifga, Psciologia e Neuropsicologia e consultor na área de educação e projetos socioeducativos

Jeferson Cappellari: atua na área de inteligência emocional e social através da metodologia da  comunicação não violenta e ministra palestras em escolas com foco na gestão do conflito e na importância do uso da linguagem nas comunicações humanas

Jorge Trindade:  pós-doutor em Psicologia Clínica e Psicologia Jurídica e doutor em Ciências Sociais, é professor da Ulbra e membro da Academia Internacional de Direito e Saúde Mental

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *