Junho: mês de Santos

Santo Antônio, São João e São Pedro são homenageados em festas populares

Junho é o mês que se comemora a existência de grandes santos. Além do dia de Santo Antônio de Pádua, padroeiro de Bento Gonçalves, são comemorados os dias de São João e São Pedro em vários Estados do país com festas típicas na maioria das quais a linha entre o sagrado e o profano é tênue. Procissões, novenas e festividades são abraçadas por todas as pessoas da comunidade, sejam estas frequentadoras da igreja ou não. A atmosfera das comemorações vai além da religião e abarca aspectos folclóricos, comunitários e míticos – nas festas juninas, a religiosidade é marcada pela dança, rezas missas e manifestações populares. Isso se deve à época da colonização, quando o catolicismo no Brasil passou a se consolidar no país com formas menos ortodoxas de fé entre a população. Esse processo foi definido posteriormente como “catolicismo popular” e tem na devoção aos santos sua principal expressão.

8e9af845-49bf-44cd-b979-150527eb496d

Santo Antônio

Santo Antônio foi um frei franciscano nascido no ano de 1195, em Portugal. Viveu a maior parte de sua vida na cidade de Pádua, na Itália, onde ingressou para a Ordem dos Franciscanos. Faleceu no dia 13 de junho de 1231, aos 36 anos de idade.

A denominação de “santo casamenteiro” se deve a uma ocasião onde uma jovem pobre pediu a bênção ao então Frei Antônio porque não conseguia casar devido à sua precária situação financeira. Alguns dias depois, ela recebeu o que precisava de dote e se casou. O santo também é invocado por seus devotos para encontrar objetos perdidos. É considerado ainda padroeiro dos pobres, viajantes, pedreiros, padeiros e de mulheres estéreis. As homenagens ao santo acontecem em todo o país com procissões e festas juninas. Além de pedidos, promessas e simpatias, alguns devotos até “castigam” o santo colocando a imagem dele cabeça para baixo em um copo d’água para que a súplica seja atendida.

Feriado em Bento em homenagem ao padroeiro

No dia 13 de junho, feriado municipal, Bento Gonçalves comemora o dia do padroeiro, com a culminância de intensa programação religiosa e social no Santuário Santo Antônio, situado no centro da cidade. No último dia 16 de março, a paróquia Santo Antônio lançou a programação da 140º Festa de Santo Antônio, uma das mais antigas e tradicionais festividades do município. A temática desta edição, “Sal da Terra e Luz do Mundo”, busca simbolizar a união da igreja em busca de paz, amor e justiça para a sociedade.

Entre as novidades da programação deste ano, a exibição do filme “Santo Antônio, uma vida de doutrina e bondade” para mais de mil alunos de escolas municipais no cinema do Shopping Bento e a distribuição de gibis para o público infanto-juvenil, com imagens do santo para colorir. A Trezena de Santo Antônio teve início no dia 31 de maio e segue até 12 de junho, com celebrações às 18 horas na paróquia. Já as visitas com a imagem do padroeiro em bairros de Bento Gonçalves e comunidades do interior começaram no dia 7 de abril e terminam no dia 10 de junho, com encerramento no Santuário Nossa Senhora de Caravaggio, no município de Farroupilha.

Programação religiosa e social da 140ª Festa

31 de maio a 12 de junho
18h – Trezena de Santo Antônio

13 de junho (quarta) – Dia Festivo
6h – Alvorada Festiva (repicar dos sinos em
todas as igrejas)
7h, 8h30, 10h e 18h – Missas no Santuário
Santo Antônio
15h – Missa Campal e Procissão com Santo
Antônio
Durante todo o dia haverá bênção individual
12h – Almoço Festivo | Salão Paroquial
28 de julho (sábado)
Sorteio da Ação entre Amigos
4 de agosto (sábado)
10h – Entrega dos prêmios da Ação entre
Amigos

Festa de Santo Antônio: “no DNA do bento-gonçalvense”

“A Festa de Santo Antônio faz parte do DNA do bento-gonçalvense”. A afirmação é do pároco do Santuário de Santo Antônio, Ricardo Fontana, que há três anos atua na organização do evento religioso mais antigo e popular do município. Ele observa que a devoção a Santo Antônio, padroeiro de Bento Gonçalves, veio no coração da maioria dos imigrantes italianos e austríacos que chegaram em Bento Gonçalves a partir de 1875. “Trabalho, família e fé foram valores fundamentais para a adaptação da maioria dos europeus que, na época, imigraram paras novas pátrias”, complementa o pároco.

artista plástica maria del rosario

A primeira capela de Bento Gonçalves foi construída por imigrantes em 1876, com tábuas brutas, na então Vila Isabel, no início da rua Assis Brasil, onde hoje é a Casa Pasquetti. Em seu interior, numa estrutura tosca, foi colocado um quadro com a imagem de Santo Antônio trazido da Itália. Em junho de 1878 foi promovida na comunidade a primeira festa em honra ao santo, já adotado como Padroeiro. Em 1884, foi construído um novo templo de alvenaria, no mesmo local. O prédio do atual santuário, situado na rua Marechal Deodoro, no centro da cidade, foi inaugurado em 1933.

“Tem sido emocionante coordenar a promoção da festa por causa do envolvimento da comunidade e da dinâmica do evento. Entre as programações religiosa e social, são mobilizadas cerca de 1.500 lideranças”, ressalta Fontana. Segundo ele, o tema “Sal da Terra e Luz do Mundo”, foi escolhido para a edição da Festa deste ano em homenagem
aos “leigos cristãos fiéis, que trabalham com amor e doação em prol da disseminação da palavra de Jesus”.

O Pároco, nascido e criado no interior do município de Flores da Cunha, numa localidade denominada Capela Santo Antônio, salienta que é apaixonado pelo trabalho em paróquias. “Tive oportunidade para dar continuidade aos estudos, com o doutorado, mas gosto mesmo é de trabalhar com as comunidades de base”. Fontana, nesses últimos anos à frente da paróquia Santo Antônio, tem inovado nas atrações da Festa de Santo Antônio e investido na estrutura física do entorno do santuário e da casa paroquial.

Exposição

Resgate da devoção de imigrantes italianos a Santo Antônio

O Santuário Santo Antônio, desde o último dia 31 de maio sedia uma exposição com imagens e esculturas de Santo Antônio, trazidas por imigrantes italianos, além de peças históricas adquiridas e resgatadas por moradores do município. A mostra faz parte das comemorações da 140ª Festa de Santo Antônio e segue na igreja até dia 12 de junho, véspera do dia dedicado ao santo.

exposição 3

Entre as obras, destaca-se uma escultura barroca do santo produzida em 1730 pelo escultor Antônio Francisco Lisboa, mundialmente conhecido como “Aleijadinho”. O artista é considerado o maior representante do barroco mineiro. A peça foi adquirida pelo padre bento-gonçalvense Luís Carlos Conci durante uma feira em Belo Horizonte no ano de 1992 e faz parte do altar particular do sacerdote.

A exposição conta com imagens trazidas pelos imigrantes, inclusive da cidade de Pádua, na Itália, onde o santo passou maior parte de sua vida. As peças são de imenso valor para reconstrução da história do município e das tradições religiosas locais. Entre as obras, figura com destaque uma antiga imagem de Santo Antônio carregando o Menino Jesus nos braços. A peça foi trazida da Itália no ano de 1876, utilizada no altar da 1ª igreja de Bento Gonçalves e na 19ª procissão em honra ao santo realizada em junho de 1878, evento que deu início à tradição da Festa de Santo Antônio. A obra faz parte do acervo pessoal da família Lorenzini.

Escultura Aleijadinho

A mostra também traz cartazes históricos de edições da Festa de Santo Antônio, realizada anualmente na cidade desde 1878.

A exposição foi idealizada e organizada pela festeira e artista plástica Maria del Rosario. “Não sabemos a origem exata de muitas das imagens porque foram se perdendo com os anos, mas tentamos resgatar a história com as informações
que conseguimos”, conta. A artista ressalta que a fé em Santo Antônio foi trazida na bagagem dos imigrantes e deu origem às tradições em homenagem ao santo em Bento Gonçalves.

São João e São Pedro

Festividades religiosas mescladas com tradições antigas

Além de Santo Antônio, São João e São Pedro são os homenageados nas festas de santo populares em Portugal que deram origem às brasileiras festas juninas. As festividades religiosas mesclaram-se com tradições realizadas pelas populações do campo na antiguidade, que festejavam a colheita de grãos e realizavam rituais para afugentar eventuais pestes ou desgraças nas plantações. No Brasil, as festas juninas têm seu auge no dia de São João.

São João

Dança da Quadrilha

As festas populares são organizadas por igrejas, colégios e empresas, com barraquinhas de comidas típicas e jogos para entreter os participantes. Uma tradição comum a todas é a realização da dança da quadrilha, que une elementos caipiras e sertanejos a tradições nobres de danças de salão da Europa. A influência de elementos da cultura indígena
e africana é marcada pelas cantorias de viola e cordéis, cirandas, xotes, baião e forró.

São João Batista, comemorado em 24 de junho, é o santo responsável por anunciar a “boa nova” da vinda do filho de Deus, Jesus Cristo, batizado por ele no Rio Jordão. É considerado o último dos profetas.

são joão2

Algumas tradições das festividades juninas são ligadas à história do santo. A fogueira, por exemplo, simboliza a fogueira acendida por Santa Isabel, mãe de São João, para anunciar o nascimento do filho à Virgem Maria. No Brasil, tradicionalmente se acende a fogueira na noite de 23 para 24 de junho, e em torno dela, devotos realizam simpatias e até mesmo rituais de adivinhações. Nesse dia também acontece o levantamento do mastro do santo, cuidadosamente preparado e decorado com fitas, laços e flores. Em algumas festas, colocam-se três bandeiras no mastro para representar todos os santos juninos. Santo Antônio é representado como um homem de meia-idade que segura o menino Jesus nos braços, São João é uma criança de cabelos encaracolados com um carneirinho no colo, que simboliza Jesus Cristo, e São Pedro aparece como um homem idoso que carrega as chaves do Céu.

A lenda afirma que, em seu dia, São João fica dormindo para não ver as foras, que fazem ele ficar com vontade de descer à Terra. Para acordá-lo, se solta fogos de artifícios nas festas.

São Pedro

São Pedro, comemorado em 29 de junho, foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. Nesse dia, é costume a população “roubar” o mastro de São João para marcar o fim das festas juninas. O santo é conhecido por ser o guardião das portas do céu e responsável por fazer chover na Terra. Considerado o fundador da Igreja Católica e primeiro Papa, também é protetor dos pescadores e das viúvas.

No Brasil, o mês de junho corresponde ao solstício de inverno, período da colheita do milho e do amendoim na no Nordeste. Na região, aproveita-se a ocasião para agradecer aos santos as raras chuvas do período na região semiárida, que aumentam a produtividade do milho e do amendoim.

são pedro2

Nas quermesses alusivas aos santos promovidas em várias cidades de Brasil, o milho é o principal ingrediente de doces, bolos e salgados como pamonha, curau, canjica, cuscuz, pipoca e bolos. Também são comuns quitutes como arroz doce, amendoim, pé de moleque e bebidas como quentão e vinho quente.

São Luís

Bairro Glória homenageia padroeiro

A comunidade católica do bairro Glória, em Bento Gonçalves, irá realizar a 31ª Festa em Honra a São Luís no dia 24 de junho. O evento em homenagem ao santo tem início no dia 20.

São Luís

Confira a programação completa:
l 20 de junho, às 19h30: Terço com a comunidade Oásis, da Rádio Mãe de Deus (transmissão ao vivo)
l 21 de junho, às 19h30: Terço conduzido pelo Grupo de Oração São Luís e pregação de Roberto Masutti
l 22 de junho, às 19h30: Terço conduzido pelo grupo da catequese

No dia 24 de junho, acontecerá missa às 10h30 e almoço festivo às 12h. A refeição terá sopa de capeletti, galeto, churrasco, saladas, vinho e refrigerantes. Os festeiros da edição deste ano serão Rosemilde Mallman, Edison Rosalem, Amadeu Henika e Marlene Nunes. Os festeiros jovens serão Emanoel Zorzi e Gabriela Zorzi. A programação conta com apoio e suporte de Maria Gasparetto Rosalem e das empresas Tornearia Cativelli, Ferragens Deconto, Pintura
LCA, Padaria Marcolin, Mezacasa Conserto de Eletrodomésticos.

História de São Luís

Luís Gonzaga nasceu na cidade de Sacro, na Itália, no dia 9 de março de 1568. Nascido em uma família nobre, Luís entrou na vida religiosa e abdicou de seus privilégios aos 14 anos, contrariando os desejos de seu pai, que queria que o filho seguisse carreira militar. Fazia parte da recém-formada Companhia de Jesus. No ano de 1590, viajou para Roma e, compadecido pelo sofrimento dos doentes, passou a atender vítimas de tifo. Foi contagiado pela doença e morreu no dia 21 de junho de 1591, aos 23 anos de idade. O dia do santo é celebrado em 21 de junho.

O santo foi canonizado pelo Papa Bento 14 no dia 31 de dezembro de 1726. É considerado padroeiro da juventude, dos estudantes e dos seminaristas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *