Clima, que antecipou colheita da safra 2018, também contribuiu para a qualidade da uva

VINICULTURA NA REGIÃO DA SERRA GAÚCHA

Os produtores de uva da Serra Gaúcha foram surpreendidos na safra 2017/2018. As frutas amadureceram mais cedo e a colheita foi antecipada. Os primeiros cachos foram retirados no final de dezembro, cerca de vinte dias antes do período normal. O responsável por isso foi o clima. Fez menos frio durante o inverno. A média na região é de 410 horas com temperaturas abaixo de sete graus. Mas em 2017, foram somente 188 horas. As altas temperaturas no mês de setembro e a menor quantidade de chuva no período também contribuíram para que o ciclo da maioria das variedades fosse acelerado.

Safra Cooperativa Garibaldi - Cassius Fanti

A colheita da safra da uva 2017/2018 rendeu cerca de 720 mil toneladas entre os municípios produtores da Serra Gaúcha, responsável por 90% da produção do Estado. Esse número é vinte por cento menor que no ano passado, mas fica dentro da média histórica. Mesmo assim, os viticultores estão comemorando a qualidade das uvas resultante da boa graduação da safra. Segundo o Ibravin, as indústrias vinícolas também estão felizes com a qualidade da uva da última safra.

Cooperativa Aurora: maturação uniforme

“O clima foi o grande aliado para que esta safra, que praticamente acaba de ser colhida, apresentasse uma graduação elevada. A maturação foi uniforme, resultando em uvas com bom teor glucométrico que garantem qualidade às bebidas derivadas da fruta”. A afirmação é do diretor executivo geral da Cooperativa Vinícola Aurora, Herminio Ficagna. Segundo ele, a safra 2018 foi tão excepcional como as de 2002 e 2012.

LEIA MAIS: Aurora é a marca de vinhos mais lembrada pelo público gaúcho

As onze mil e cem famílias associadas a Vinícola Aurora que, entre pequenas propriedades rurais de onze municípios da região da Serra Gaúcha, cultivam 2.900 hectares com uva entregaram à cooperativa 62 milhões de quilos. A entrega começou na segunda semana de dezembro do ano passado, encerrando na segunda semana de março.

Safra - Créditos Wagner Meneguzzi

Na safra 2016/2017 a colheita conjunta dessas famílias foi de 71,5 milhões de quilos. Elas cultivam, para vinho de mesa e suco de uvas, a Isabel, a Bordô e a Seibel. Para espumantes os Moscatos, Prossecco, Chardonnay e Riesling e, para vinhos finos, as varietais Cabernet Franc, Sauvignon, Tannat e Merlot, entre outras.

Cooperativa Garibaldi: quesito qualidade

O trabalho árduo das cerca de 400 famílias associadas à Cooperativa Vinícola Garibaldi no preparo do solo, cultivo das videiras e colheita dos frutos apareceu de forma marcante nos resultados da safra deste ano – foram 19,6 milhões de quilos de uva entregues desde o início da vindima, em dezembro de 2017. Do total recebido, 20% será destinado à produção de espumantes, bebida que tem se consolidado com um dos carros chefe da marca, tanto em participação de mercado quanto no reconhecimento por meio de premiações em concursos brasileiros e internacionais.

O encerramento da entrega, no último dia 2 de março, veio acompanhado de uma avaliação positiva no quesito qualidade. “Por mais uma vez, estamos recebendo uma safra de excelência, motivo de orgulho para a Cooperativa, que evolui a cada ano no nível de produtos apresentados ao mercado. Esse ganho crescente de qualidade é, sem dúvida, consequência do comprometimento de cada família associada em melhorar permanentemente o nível das uvas”, afirma o presidente Oscar Ló. Os resultados completos da safra serão apresentados aos produtores em assembleia geral ordinária, no próximo dia 29 de março.

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *