Única Comunidade Terapêutica de dependentes químicos 100% SUS do Brasil completa 7 anos

Localizada no Passo Velho, em Bento Gonçalves, unidade já atendeu 450 pacientes

 Nesta segunda-feira, 19, a Comunidade Terapêutica, local destinado ao tratamento de alcoolismo e drogadição, localizada no Passo Velho em Bento Gonçalves completa sete anos, fazendo a diferença na vida de muitas famílias, por meio do acolhimento, cuidado e tratamento de dependentes químicos.

A Comunidade Terapêutica de Bento Gonçalves é a única no Brasil com atendimento totalmente custeado pela municipalidade. Os trabalhos são coordenados pelo Centro de Apoio Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD), que realiza a triagem inicial e encaminha para tratamento.

Até o momento, 450 pessoas foram beneficiadas com o atendimento. Hoje, estão em tratamento 18 pacientes, que recebem durante cerca de seis meses auxílio psicológico, psiquiátrico, enfermagem, clínico, medicações, participam de grupos de autoestima, além da colaboração de entidades.

Nos 12 hectares, entre morros, campos, açudes e muitas árvores, a sede conta com horta, horto florestal, onde são cultivadas árvores nativas e flores, que logo estarão embelezando os canteiros no Município, além de aparelhos de musculação, quadra de vôlei e campo de Futebol 7.

De acordo com o coordenador administrativo da Comunidade, Leonir Vivan, na casa de acolhimento, os pacientes participam de todas as atividades cotidianas, como limpeza, organização, alimentação e cuidando dos animais. “Aqui criamos um clima familiar. Temos tarefas, e eles participam de todas. Realizamos o acompanhamento antes, durante e depois”, ressalta.

Entre as atividades está a produção de casinhas para cachorros. Esta ação faz parte do Projeto Posse Responsável, em conjunto com o Gabinete da Primeira-Dama, e que realiza a doação das mesmas para famílias que necessitam de casas para seus animais de estimação.

Para o secretário de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira, “a Comunidade Terapêutica é essencial para podermos reabilitar os pacientes, ter um local 100% mantido pelo município e entidades apoiadoras. Essa reabilitação permite que esses pacientes possam voltar ao convívio familiar e social. Agradecemos e parabenizamos toda a equipe de funcionários por colaborar tanto para que o local cresça e continue atendendo cada vez melhor quem precisa”.

Um dos monitores é Jucinei, ex-interno. Ele diz ser grato pelo atendimento que recebeu. “Depois que estive aqui, eu me encontrei. O que quero hoje é ajudá-los, assim como fui ajudado no momento mais difícil da minha vida. Tenho amor pelo meu trabalho”, salienta o monitor.

Na última sexta-feira, 16, o Secretário, acompanhado pelo coordenador de Saúde Mental, o psicólogo Maurice Bouwary e pela psicóloga do CAPS-AD, Juliana Gatto Carvalho, estiveram visitando a Comunidade.

Foto: Marina Teles

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *