Quíntuplas de Santa Catarina

História das meninas, de 7 anos, é acompanhada de perto por moradora de Bento Gonçalves

IMG_2848

As gêmeas quíntuplas Evelin, Isadora, Poliana, Samanta e Vitória, de 7 anos, que residem no município de Braço do Norte, região sul de Santa Catarina, são “as meninas do coração” de Jurema Milani, 78 anos, moradora de Bento Gonçalves. Em visita a uma tia que mora em Braço do Norte, Jurema ficou sabendo do nascimento das cinco meninas e quis conhecê-las. Desde então acompanha a vida das meninas, que acabaram de concluir o primeiro ano do Ensino Fundamental no Colégio Espaço, com notas acima da média, todas estudando na mesma sala de aula. As cinco meninas são fruto de concepção natural. A mãe Sidnéia Daufemback Batista, hoje com 38 anos, descobriu a gravidez das quíntuplas logo no segundo mês da gestação.

40 dias

Em agosto de 2010, na manhã do dia 20, Sidnéia deu à luz cinco meninas, prematuras, com 7 meses, na maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis. As bebês, que pesavam entre 1050 e 1280 gramas, tiveram que permanecer em incubadoras nos 41 dias seguintes para ganho de peso. A mãe, Sidnéia, recebeu o auxílio dos pais e demais familiares e também da comunidade. O nascimento das gêmeas foi noticiado pela emissora SBT em rede nacional, sensibilizando inúmeras pessoas que enviaram fraldas, mamadeiras e vestuário, entre outros donativos, para as recém-nascidas.

18403106_1193596874082980_5813017255872832301_n

Sidnéia trabalha fora somente nos finais de semana, organizando e fazendo coberturas fotográficas em festas infantis. Durante a semana, o tempo da mãe é focado na rotina das cinco filhas e nos afazeres domésticos. “Nunca pude imaginar o calor, a alegria, o amor e a satisfação de ser mãe. Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes. Agradeço a Deus pela maternidade, que me tornou alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo”, ressalta Sidnéia.

LEIA TAMBÉM: Alice, Miguel e Arthur foram os nomes mais usados em recém -nascidos em 2017, tanto no RS como no Brasil

SAIBA MAIS: Patas e Focinhos: Integração na Integração na rede de apoio a animais abandonados ou vítimas de violência 

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *