possível capa

Acesso gratuito aos esportes para mais de 2.500 crianças e adolescentes

 

Atualmente, mais de 2.500 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, residentes em Bento Gonçalves, têm acesso gratuito à prática de várias modalidades de esportes, em 40 núcleos situados em bairros do município. Esses números foram apurados pela reportagem do Jornal Integração da Serra, em contato com entidades, escolas, empresas e pessoas físicas da cidade, que viabilizam essa realidade de várias formas. Entre elas, a de projetos sociais amparados por leis de incentivo aos esportes e parcerias público/privadas.

Reportagem: Natália Zucchi
Edição: Kátia Bortolini
Fotos: Arquivos Projetos Sociais

Bento Vôlei Sacada Solidária

O ranking de envolvimento é liderado pelo Projeto Social Bento Vôlei Sacada Solidária. Neste ano, o projeto está atendendo cerca de 720 crianças e adolescentes de 7 a 17 anos, em oficinas de voleibol. As atividades são desenvolvidas em 11 núcleos no contraturno escolar. Em alguns núcleos também são ofertadas oficinas de inglês e informática, avaliação nutricional e acompanhamento do Serviço Social. O projeto, em doze anos de atividades, contabiliza mais de dez mil participantes.  “Reafirmamos nosso compromisso com a política de investir na comunidade, promovendo ações sociais articuladas à prática do ensino de voleibol que previnam a evasão escolar, fomentando a formação para a cidadania, ensinando o valor da disciplina, ética, determinação e a importância do trabalho em equipe”, ressalta a assistente social Tatiana Alves.

Artes Marciais para Todos

jiujtsu garraO projeto social Artes Marciais para Todos, da Garra Team, desponta em segundo lugar no ranking das vagas ofertadas. Acessa aulas gratuitas de Jiu Jitsu e Muay Thai para cerca de 600 jovens, com idades entre 4 e 18 anos, atendidos no contraturno escolar em dez núcleos, entre eles um situado no Conjunto Residencial Novo Futuro. O projeto tem financiamento público/privado. Neste ano, a prefeitura não repassou verba mas fez a cedência da professora de Educação Física concursada, graduada no Jiu Jitsu, Lisiane Bringhenti Brandelli, para realizar as oficinas em alguns núcleos. Os núcleos do Conceição, Eucaliptos e Novo Futuro são atendidos por professores voluntários. Quatro atletas do projeto estão classificados para competir na Tailândia, em 2018.

Também, a Associação Bento-Gonçalvense de Jiu Jitsu – ACBJJ atende 90 estudantes no seu projeto social. Neste ano, a ACBJJ adquiriu uma Kombi para o transporte de atletas, com o apoio financeiro de empresários e pessoas que treinam na academia da associação.

Lutando por um mundo melhor

judô3O projeto social “Physio Judô Bento Gonçalves – Lutando por um Mundo Melhor” aparece em terceiro lugar, com a participação de 400 estudantes. As oficinas, promovidas pela Physio Judô, ocorrem de segunda a sexta-feira na Escola Estadual José Farina, na Escola Municipal Agostinho Brum e no salão da comunidade São Pedro, nos Caminhos de Pedra. Além das atividades, as crianças costumam participar de competições, neste ano suspensas por falta de repasse de recursos públicos. O mesmo motivo causou a suspensão dos treinos desenvolvidos no Ceacri Balão Mágico e na Escola Estadual Amaro Bitencourt. Os núcleos em atividade estão sendo mantidos com o patrocínio de empresas locais.

Rugby

rugbyO Projeto Escola, do Rugby Farrapos, no decorrer deste ano envolveu cerca de 200 jovens, entre atividades no contraturno escolar, no Estádio da Montanha e em aulas de educação física em educandários. As escolas podem entrar em contato com o time para agendar visitas e aulas. Já a Escolinha do Farrapos atende cerca de 40 crianças de ambos os sexos, nos sábados, com aulas pela manhã e à tarde, com transporte gratuito. Os treinos ocorrem no Estádio da Montanha. Vagas abertas. Inscrições podem ser feitas no clube a partir das 9 horas dos sábados.

Cidadania

O 6º Batalhão de Comunicações de Bento Gonçalves (BCOM) também promove atividades gratuitas para crianças através de dois projetos, o Programa Segundo Tempo – Forças no Esporte (Profesp) e o Curumin.

O Segundo Tempo, que iniciou no dia 26 de setembro deste ano, já conta com 71 crianças. Neste projeto, o esporte é incentivado através de brincadeiras e fundamentos de cinco modalidades: judô, com a parceria da Physio Judô; vôlei, com a parceria do Bento Vôlei; rugby, com a parceria do Farrapos, e ainda basquete e futebol, promovidos pelo próprio Batalhão. Outras atividades como reforço escolar e acompanhamento pedagógicos também estão à disposição das crianças. Nesta fase inicial, somente as modalidades judô, futebol, vôlei e rugby estão sendo executadas. O projeto contempla meninos e meninas de 8 a 12 anos, promovendo atividades no turno da tarde. O programa tem financiamento do Ministério do Esporte, arcando com material esportivo e pagamento de professores e estagiários. Para 2018, a expectativa é estender para cerca de 100 crianças, ampliando também a faixa etária atendida, como medida para manter as crianças no projeto por mais tempo.

Já no projeto Curumin, que comemora 21 anos em 2017, crianças e jovens vindos de áreas de vulnerabilidade social chegam após o turno escolar no 6º BCOM, almoçam e permanecem durante a tarde, de segunda a sexta-feira, recebendo aulas de reforço escolar. Também participam de aulas de informática e de atividades esportivas/recreativas. Para 2018, está prevista a inclusão da língua inglesa.

Sou+BGF

futsalO Projeto SOU+BGF atende cerca de 80 crianças entre 5 e 17 anos, em treinos nas segundas e quintas-feiras, no Ginásio Municipal de Esportes, nos turnos da manhã e tarde. O projeto, apoiado pela Secretaria Municipal de Esportes, proporciona atividades lúdicas e recreativas para crianças de até 9 anos. Para as de 10 aos 17, os focos são os fundamentos do futsal e atividades preparatórias para competições estaduais. Não há vagas disponíveis. Já existe uma lista de espera para fevereiro de 2018, mês em que acontecem as novas inscrições. “Prezamos em todos os momentos proporcionar a prática esportiva, tendo o time adulto como espelho para os meninos, que joga a série Ouro estadual. Buscamos fomentar valores individuais, formando cidadãos com valores baseados na educação e no respeito”, afirma o treinador Vaner Flores.

AGF Botafogo

Cerca de 110 jovens, entre meninas e meninos, de 8 a 16 anos, estão sendo abrangidos pelo projeto AGF Botafogo – futsal amador social. Os treinos ocorrem nas tardes de terças e quintas-feiras para os meninos e nos sábados à tarde para as meninas. O projeto sobrevive através de rifas e almoços beneficentes, promovidos pelo Clube Botafogo. No próximo dia 12 de novembro haverá um almoço na sede do clube para arrecadar fundos ao projeto. O convite custa R$ 40. Mais informações 99137.6201.

Associação Unidos

A Associação Unidos, liderada por Idair José de Souza, atende cerca de 70 meninos, entre crianças e jovens de três núcleos situados nos bairros Conceição, Ouro Verde e Glória, nos turnos da manhã e da tarde, promovendo atividades com o futsal. No Ouro Verde, os encontros ocorrem nas tardes das segundas e sextas-feiras, no ginásio do bairro, antiga Madecenter. No Glória, os treinos acontecem na quarta-feira, na quadra do bairro. Na segunda de manhã, estudantes do bairro Conceição treinam no Estádio da Montanha. Já nas terças e quintas-feiras, o professor acompanha dois alunos para treinar na ACBF, em Carlos Barbosa. O sábado fica reservado para torneios e campeonatos. No domingo à tarde, Souza promove jogos de futebol abertos à comunidade na Escola Conceição.

O professor, que trabalha há 29 anos com crianças da comunidade do Conceição, tem pago inscrições para competições e outros custos promovendo rifas e jantares. “O poder público esqueceu da gente. Temos uma quadra precária no Conceição e ninguém se interessa em nos ajudar. Estamos abandonados até mesmo por algumas pessoas da própria comunidade, que não veem como esse trabalho é importante para o futuro destes jovens. É muito triste não ser valorizado”, desabafa.

Futsal feminino

Cerca de 18 meninas de 11 a 17 anos treinam os fundamentos do futsal duas vezes por semana. Os treinos ocorrem à tarde e são ministrados por Ronaldo de Souza, formado em Educação Física pela UCS. As participantes colaboram com uma mensalidade simbólica, paga de forma voluntária, somente para cobrir os gastos com o aluguel da quadra e o deslocamento de Souza, que mora distante dos locais de treino. Mas, para 2018, com a formalização do Clube de Futsal Feminino, que está sendo providenciada por mães de crianças participantes, o projeto tende a ser viabilizado de forma gratuita a 75 crianças e jovens, contando a categoria avançada.

Souza trabalha com futsal feminino há 8 anos, atividade que iniciou ministrando oficinas de futsal para as meninas da Escola Estadual Bento Gonçalves da Silva, em que atua como monitor. Em 2014, Souza decidiu abrir o projeto à comunidade. Segundo ele, no início muitos diziam que seus esforços não teriam resultados, por serem meninas. “Passamos por um preconceito gigante e ainda presente, em que as pessoas não enxergam a mulher no futebol. Mas as meninas podem fazer tudo o que quiserem. São tão capazes quanto os meninos. Sempre terão o meu apoio e eu não vou desistir. Estamos unidos para quebrar esse paradigma”, salienta.

Equipe Estadual 2020

WhatsApp Image 2017-10-19 at 19.38.26Algumas meninas orientadas por Souza há cerca de 6 a 8 anos, agora então adultas, entraram em contato com ele e propuseram uma parceria para montar um time profissional para competir na Federação Gaúcha em 2020, como primeiro time feminino da cidade. As atividades iniciaram em março deste ano, recebendo apoio da Secretaria de Esportes para custear os uniformes. Ainda assim, as atletas investem cerca 50 reais mensais em um caixa para custear as despesas com as competições. Mas pensando nas mais novas, o dinheiro que está sendo arrecadado também será revertido em uniformes para as meninas menores nas categorias de base.  “Queremos levar o nome da cidade para um campeonato de alto nível do futsal gaúcho e representar todas as meninas que sonham com o esporte. Eu fui abençoado com esse time. Eu vejo dentro de cada uma delas um futuro incrível, pela força e pela dedicação. Com certeza, será uma inspiração para as mais novas”, destaca Souza.

LEIA TAMBÉM: Bento Futsal Club manifesta insatisfação com a organização da Liga Municipal de Futsal

 Coração Cidadão

????????????????????????????????????

O projeto Coração Cidadão atende cerca de 270 crianças, entre 6 e 18 anos. Na área dos esportes são ministradas oficinas de capoeira para 35 jovens, entre crianças e adolescentes, nas terças-feiras, com turmas nos turnos da manhã e tarde. Outro destaque do projeto fica por conta da Orquestra, iniciada em 2012 e pelo Coro, em 2014. Só a Orquestra reúne 102 crianças, algumas que também participam de outras oficinas. O Coro conta com cerca de 20 crianças. O Coração Cidadão também oferece oficinas de jazz, dança do ventre, ballet, street dance, banda de latas, teatro e música instrumental. O projeto é financiado pela Fundação Todeschini, com recursos da Lei de Incentivo à Cultura e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica).

Algumas oficinas ainda possuem vagas abertas, dependendo da disponibilidade de dias e horários, uma vez que a maioria são totalmente preenchidas até agosto de cada ano. Para 2018, as inscrições ocorrem em março, mês que também iniciam as atividades.

Abadá Capoeira

Cerca de 50 crianças entre 7 e 17 anos participam das atividades promovidas pela Abadá Capoeira em três núcleos do projeto, nas comunidades dos bairros São João, Maria Goretti e Santa Helena. Os encontros ocorrem nos salões das comunidades, no período da noite. No São João, as atividades ocorrem nas terças e quintas-feiras, às 18h30min.No bairro Maria Goretti, nas segundas e sextas-feiras, às 19 horas e, no Santa Helena, nas terças-feiras, às 19 horas. Há vagas disponíveis.

Escola de Capoeira Nação Cristã

Os professores Alex Sandro Martins e Elton da Silveira ministram aulas gratuitas de capoeira no bairro Vila Nova, atualmente para 13 crianças, entre 4 e 12 anos. Os encontros ocorrem todas as quartas-feiras, às 18 horas, na sede da Escola Maria Margarida Zanbon Benini. Algumas atividades também são desenvolvidas no Ginásio Municipal de Esportes, em uma sala disponível para a prática. “Está difícil levar mais crianças para o Ginásio por uma questão financeira. Poderíamos atender bem mais gente, mas vários não conseguem arcar o transporte”, destaca Silveira.

Instituto Tarcísio Michelon

O Instituto Tarcísio Michelon acessa o universo musical para 150 crianças, com aulas nas quintas, sextas e sábados. Além disso, nos outros dias da semana ocorrem os ensaios da Orquestra Sinfônica e do Coro, que anualmente apresentam espetáculos por ocasião do Natal.

Fundação Casa das Artes

Conta com 376 alunos matriculados em 17 oficinas gratuitas. As crianças têm a opção de ingressar nas oficinas de música, teatro, dança livre e ballet. Ocorrem ainda oficinas de artes visuais, desde desenho artístico até pintura em tela e fotografia inicial. As oficinas são anuais e iniciam em março. As vagas estarão abertas em 2018, a partir de fevereiro.

Novos projetos para 2018

Snakes – Futebol americano

De acordo com Rodolfo Pizzi, jogador do time de futebol americano Snakes, está previsto para o início de 2018 a criação da categoria para crianças, sem limite de participantes. O projeto contemplará crianças e jovens até 16 anos na categoria FLAG, modalidade especial, sem contato.

Tênis de Mesa

tenis de mesaO Projeto Tênis de Mesa, organizado pela professora Kallyna, membro da Associação de Tênis de Mesa de Bento Gonçalves, está parado há cerca de dois anos devido ao corte de repasse de verbas da prefeitura. O projeto será retomado em 2018, a partir dos recursos arrecadados no decorrer deste ano com doações dos próprios competidores adultos e também de rifas que serão organizadas até o final de 2017. Segundo Kallyna, a associação conseguiu adquirir quatro mesas para realizar as atividades com as crianças. O local onde os treinos acontecerão ainda não foi definido. Kallyna também prevê para o próximo ano o fornecimento de transporte gratuito para acesso às oficinas. A expectativa é atender cerca de 200 crianças.

Felp –  Levantamento de peso

A FELP não possui projeto social no momento, mas ainda para o final de 2017, será reinaugurado o projeto social “Futuro de Peso”, em parceria com Confederação Brasileira de Levantamento de Pesos (CBLP). O projeto era realizado entre 2013 e 2015, mas foi suspenso por falta de verba. Agora, os treinos vão ocorrer em salas do Ginásio Municipal de Esportes, pretendendo atender crianças e adolescentes entre 08 e 16 anos. As atividades serão moderadas pelos instrutores para a melhor interação dos jovens com a modalidade.

Bolsas para crianças carentes

Pé na Bola

A escolinha Pé na Bola é particular, mas oferece vagas gratuitas para crianças de baixa renda e para equipes de competição. Essas bolsas integrais podem ser contempladas por alunos que mostrem bom desempenho no esporte, no caso de competição, e desempenho escolar, nos casos das categorias de base. Não foram divulgadas quantas crianças são contempladas com as bolsas. Vagas abertas.

AABG

A Associação Atlética Bento-Gonçalvense é particular, mas oferece bolsas integrais para crianças. Hoje, dos 150 alunos, cerca de 30 são bolsistas. Vagas não disponíveis no momento. Segundo Eduardo Paixão, a associação está organizando ações para proporcionar atividades gratuitas nos próximos anos.

Centro de Patinação

O Centro de Patinação Rodas da Serra não possui projeto social, mas oferece bolsas integrais para crianças carentes participarem das atividades. Atualmente, são dez bolsistas divididas pelas turmas dos turnos manhã e tarde. Para 2018, a expectativa é disponibilizar vinte bolsas. Segundo Guilherme Leonhardt, o Centro já chegou a oferecer 30 bolsas, mas com a crise econômica, foi necessário reduzir o número de participantes.

Censo IBGE 2010

População de Bento Gonçalves                                 107.278 (0 a 94 anos)

6058 (5 a 9 anos)

7379 (10 a 14 anos)

8015 (15 a 19 anos)

Crianças atendidas por projetos sociais esportivos                                             2500 (4 a 17 anos)

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *