Guilherme Mecca: Videoclipe de cantor de Carlos Barbosa com mais de 200 mil visualizações

Por Natália Zucchi

Com mais de 200 mil visualizações no Facebook, o videoclipe da música “Celular Desligado” é o primeiro gravado pelo jovem músico Guilherme Mecca, 20 anos, de Carlos Barbosa. Lançado no último dia 12 de junho, Dia dos Namorados, o vídeo foi produzido pela Âncora Produções, de Bento Gonçalves, em parceria da agência DIME de Garibaldi. Mais um single, “A Minha Metade”, terá lançamento nos próximos meses. As músicas fazem parte do álbum Amor Entrelinhas, com canções românticas, previsto para ser lançado até o final deste ano, de forma independente. Após o lançamento, estará disponível em plataforma digitais. Para um futuro próximo, Mecca tem o projeto de gravar um DVD.

Guilherme meccaO disco terá doze músicas. Entre elas, dez composições próprias do cantor e outras duas de Eliseu Rosa, professor de voz de Mecca. “Eu procuro fazer música como arte, diferente do que hoje toca no mercado. É preciso resgatar o romantismo e não falar só de farra. Como o segmento é diferente, meu trabalho pode acabar abrindo o mercado para outros artistas também”, ressalta. A faixa “Celular Desligado” já está tocando nas rádios da região da Serra Gaúcha.

“Falar de amor sempre vai ser preciso”

Guilherme Tonin Mecca, natural de Erechim, acadêmico de Engenharia Civil da Unisinos, desde cedo demostrou tendência para a música, começando a estudar violão ainda criança. Sua primeira atuação como vocalista foi na banda de rock Master Fuse, junto a colegas de escola. A banda, que iniciou em 2011, durou até 2014, ano em que concluíram o ensino médio. Em 2016, Mecca cantou durante seis meses em um grupo de pagode, antes de investir na música sertaneja. Mecca abriu os shows de Gustavo Lima, em 2015 e Armandinho em 2016, ocorridos no município de Carlos Barbosa.

LEIA TAMBÉM: Nova geração de bandas autorais de rock and roll em Bento Gonçalves

Entre as principais influências de cantor, o músico Luan Santana. Com uma mistura de diferentes ritmos, o sertanejo pop de Guilherme Mecca também têm influências do universitário. A sonoridade do álbum traz músicas ao ritmo de reggae, outras com pegada eletrônica e distorção de guitarras, além do batidão sertanejo. “Nesse projeto, misturei todas as influências que já tive desde o início do meu contato com a música”, explica. As composições partem das experiências pessoais de Mecca e também de histórias reais em que o músico se colocou como ator. “Falar de amor sempre vai ser preciso. É uma mensagem cliché, mas cantar sobre sentimento parece ser cada mais necessário. As pessoas precisam expressar o que sentem. Quando eu componho, penso muito nisso”, revela.

 Foto: Igor Guedes

1 responder

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta para milenadorr Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *