Os Pelicanos à Moda Antiga

Por Natália Zucchi

19244330_1349359571778069_1052354859_nPara quem quer mais um motivo para comemorar o Dia Mundial do Rock, no sábado, 15, a banda cover e autoral Os Pelicanos estará tocando em evento próprio na Persona Fotos à Moda Antiga, nos Caminhos de Pedra, distrito de São Pedro. O evento inicia às 17h30min, recebendo o público até às 19 horas, quando os portões serão fechados. O local terá estacionamento com capacidade para 20 carros. O destaque fica para os integrantes, que tocam vestidos com roupas de época e típicas de imigração italiana. Os ingressos ainda estão sendo vendidos por R$ 5 com os membros da banda. No local, será vendida uma rifa no valor de R$ 2, destinada a compra de novos equipamentos e instrumentos.

A banda é formada por Ana Maria Segatto, 19 anos (vocal), Julio Henrique Provensi Gobatto, 20 anos (baixo), Cleber Pegoraro, 20 anos (guitarra), Gabriel Maso Marini, 19 anos, (guitarra) e João Luis Gugel, 19 anos, (bateria). Alguns eram colegas de ensino médio no Instituto Federal de Bento Gonçalves e outros tornaram-se amigos frequentando os shows de rock da região.Eles iniciaram oficialmente as atividades da banda em novembro de 2016 e já possuem seis músicas autorais prontas para serem gravadas, são elas: Stella, Ruiva, I Was Born Free, Loucos da Meia Noite, Duplo Sentido e Circo de Palhaços.

 A partir de referências do blues, rock n’roll e também pelo rock gaúcho, a sonoridade dos Pelicanos é influenciada por bandas como Cascaveletes, Júpiter Maçã e Eric Clapton. A maioria das composições são da vocalista Ana Maria. “Eu sempre digo que escrevo as letras, mas quem me ajuda a colocar uma alma nelas são os guris. Eles lapidam tudo”, destaca a vocalista. Com ensaios reservados para os sábados, a banda se reúne na casa de Gobatto, em um pequeno estúdio improvisado. Além das músicas próprias, a banda toca covers.

Apoiando os jovens músicos, Mauro Munari, da banda Edzul, está ajudando a produzir a banda. Ele acompanha alguns ensaios e dá dicas e opiniões na estrutura, arranjos e composições. “Eles levam a sério, são muitos interessados, dedicados e estão evoluindo muito nesse pouco tempo de banda”, ressalta. Muito fãs da banda Edzul, os membros Pelicanos têm acesso aos ensaios da banda e recebem orientações dos músicos. “Eu vejo eles como quando nós começamos na década de 80, com esse ímpeto”, destaca. “Entre eles há muita união e amizade. Com certeza, o diferencial será a energia que trazem quando tocam. É muito fácil de simpatizar”, finaliza.

Além do incentivo dos familiares dos integrante, quem muito apoia essa ideia é o pai de Gobbato, Valmor Sebben, conhecido como Neco. Gobbato conta que o pai tinha um sonho de infância de ganhar a vida com a música a partir de uma banda que formava na época. Mas com o tempo, cada integrante tomou um rumo diferente. “A gente sabe que o caminho para músicos novos é difícil e acredito que temos muito chão para andar. Mas o apoio que estamos recebendo é maravilhoso e mais do que suficiente para continuar seguindo os nossos sonhos”, conclui Ana Maria.

0 respostas

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *