Autoconhecimento para sentimentos e valores atribuídos ao papel de mãe

Por Natália Zucchi

“A essência de ser mãe é ter a capacidade de se doar e trocar afeto com uma vida que será parte da sua para sempre.”

Mães contemporâneas no divã – Nos últimos anos, um número crescente de mulheres de Bento Gonçalves tem buscado acompanhamento psicológico durante a gestação e também ao longo da maternidade. Elas procuram autoconhecimento para compreender sentimentos e valores relacionados aos vários papéis atribuídos às mães.

A afirmação é da psicóloga Maria Cristina Filippon, graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS), com mestrado pela UCS, que há mais de 20 anos tem clínica em Bento Gonçalves, onde também atua com professora em escolas e universidades. De acordo com ela, é comum e aceitável que a maternidade traga muitas dúvidas e medos, sem que isso desmereça ou diminua o papel da mãe. O crescimento da procura por ajuda profissional para a lida com a prole é visto pela psicóloga como resultado da superficialidade da era digital.

15727344_570049869856411_5852929791049648438_nMaria Cristina acrescenta que nos últimos dez anos, o consumismo, aliado ao narcisismo e ao poder de status social, tem levado as novas mães, e até as mães com filhos crescidos, a não perceberem com plenitude todos os desafios que envolvem a maternidade. “Em um período que até os relacionamentos íntimos devem se mostrar personalizados, foras dos padrões e com caráter especial, surgiu uma corrida para o título de mãe mais autêntica, que envolve desde ter o melhor enxoval, vestir a criança com roupas de marca, enfeitá-la com uma série de acessórios, verdadeiros adultos em miniatura. São comportamentos de mulheres que almejam o ‘sucesso’ da maternidade”, ressalta.

Ela acrescenta que nesses casos, além do mito da maternidade feliz, os filhos se tornam objetos para satisfazer as carências e anseios pessoais da mãe. “Colocar uma nova vida no mundo é construir uma relação, é um processo de doação e não de egoísmo. A essência de ser mãe é ter a capacidade de se doar e trocar afeto com uma vida que será parte da sua para sempre. A maternidade é um desafio diário, um novo aprendizado a cada dia. Educar não é difícil, mas é constante. Ser mãe em essência é ter afeto”, afirma

Conquista pessoal

Segundo a psicóloga, muitas mulheres acreditam, de forma fantasiosa, que o ápice da conquista pessoal está na maternidade, sem perdas.

“Passar pela maternidade traz todos os tipos de consequências para mulheres e, atualmente, várias não estão preparadas para enfrentar os desafios e as dificuldades de criar filhos e formar uma família. Infelizmente, muitas delas conhecem pouco a si mesmas. É preciso perceber os pontos positivos e negativos na sua personalidade para melhorar e saber lidar consigo antes de construir a personalidade de outro indivíduo”, acentua.

Ela acrescenta que, frente a realidade, uma série de frustrações podem ser desencadeadas na vida dessas mulheres, diferente das idealizações formadas ao longo da vida acerca da maternidade. Afirma ainda que vem daí a importância do autoconhecimento e também do acompanhamento psicológico como apoio a essas mães.

Gravidez para garantir relacionamento afetivo

Mesmo com a independência financeira e emocional crescente da mulher contemporânea, outro fenômeno recorrente no consultório de Maria Cristina são os casos de gravidez como forma de garantir um relacionamento afetivo. De acordo com ela, muitos atendimentos prestados no consultório entre janeiro de 2014 e abril de 2017 foram para mulheres que engravidaram para assegurar seus namoros, casamentos, ou então fazer com que o futuro pai permaneça por perto, criando um vínculo infindável a partir da criança.

“Estamos passando por um período onde as pessoas se sentem muito sozinhas. O nível de carência afetiva é enorme em mulheres e homens, de várias faixas etárias, sem exclusão. Infelizmente, a maternidade vem como um escape para suprir essa carência. Às vezes os filhos nem são desejados, mas sim meramente uma ponte para assegurar um relacionamento amoroso. A partir desse fenômeno, nascem as relações disfuncionais e, com elas, uma série de transtornos psicológicos podem se desenvolver ou serem agravados tanto nos pais, quanto nos filhos”, alerta a psicóloga.

Exemplos valiosos

A psicóloga enaltece o perfil batalhador da mulher na região colonial italiana, ressaltando que esse foi o tema de sua tese de mestrado. Ela ressalta que Bento Gonçalves também está repleta de exemplos valiosos de mães. “A maioria das mulheres da região é trabalhadora, criativa e persistente. Há vários exemplos de mães de valor no município, desde as que criam seus filhos sozinhas, enfrentando dupla jornada de trabalho, até as que dedicam integralmente seu tempo aos cuidados de filhos especiais ou doentes, não desistindo de tornar a vida deles melhor a cada dia. Essas e outras nos mostram a força da doação do amor maternal”, afirma Maria Cristina.

1 responder

Deixe uma resposta

Escreva um comentário
Sinta-se livre para contribuir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *